Condeúba: Homenagem a Maria Aparecida de Almeida Castro, condeubense por afinidade

Por Oclides da Silveira

A Lei Municipal nº 962 de 12 de junho de 2017, que dá o direito de homenagear os condeubenses ausentes e amigos de Condeúba, ou seja, aqueles que fizeram e fazem algo de bom para a população do município. Realização da Secretaria Municipal de Cultura, Desporto e Lazer.

TELÃO: Nesta sexta-feira dia 21 de junho de 2019, no Anfiteatro Dom Homero Leite Meira foi realizado mais um ato de homenagem ao condeubense ausente e amigo de Condeúba. Às 20:00 horas foi dando início ao processo de homenagem ao condeubense ausente, o locutor Carlos Ribeiro anunciou que a partir daquele momento algumas pessoas gravaram depoimento em prol da homenageada da noite, entre elas a garotinha Isabela de 8 anos, as cantoras Milta e Zazá Muniz, a Sra. Maurisa e outros. Também passou se no telão os maquinários da fábrica de confecções trabalhando a todo vapor.

Homenageada como amiga de Condeúba – Maria Aparecida de Almeida Castro, 61 anos

HOMENAGEADA DA NOITE: Maria Aparecida de Almeida Castro para os íntimos “Cida”, ela que nasceu em 6 de novembro de 1958 na cidade de São Paulo/SP. Filha dos baianos Divaldo Martins de Almeida nascido em Moropará/BA., e Elita Maria Martins de Almeida, condeubense que na década de 50 já moravam em São Paulo, período  que nasceu Maria Aparecida. O casal morava nesta época na Vila Antonieta/SP.

Esse depoimento foi dado pelo Edivaldo Martins de Almeida Filho que é irmão e sócio de Maria Aparecida de Almeida Castro na Fabrica de Confecções de Condeúba.

“Em 1985 nós pegávamos bermudas e vendíamos nas madrugadas nas ruas 25 de Março e Gal. Carneiro em São Paulo, vendia muito bem, as vezes até mil peças por dia.

Em 1987 compramos a empresa LONG WOLK – Confecções (Longo Caminho). Já contava com um quadro de 15 funcionários.

Em 1990 mudamos o estilo da tendencia da moda era gurgurão lá na FENIT compramos 100 mil kg uma grande compra para uma pequena firma em julho do mesmo ano. Fizemos uma calça e um vestido com cinto, os fornecedores não conseguiram entregar, aí foi sem cinto mesmo.

No verão seguinte usamos o tecido soft, mas não vendemos nada. No meado de 1995 o mercado entrou numa recessão muito grande, entramos também nesta queda de mercado. Mudamos, começamos a fazer modinha feminina.

Em 2002 fomos assaltados e tivemos de mudar para o Bairro de Itaquera. Até o ano de 2005 tivemos que renegociar as dívidas com os fornecedores e conseguimos em dois anos pagar todo mundo graças a Deus.

Em 2009 Maria me convenceu a montar a filial de Condeúba, pequenina que iniciou com 5 maquinas, durante 5 anos ficou deficitária, essa filial foi montada por esforço exclusivo da Minha irmã e sócia Maria. Hoje estamos com um quadro de funcionário em torno de 400 e por volta de 900 maquinas todas em pleno funcionamento”, afirmou Edivaldo.

Ao final o Diretor de Cultura, Desporto e Lazer Ygor Roberto deu flores para a homenageada e posou para as fotos juntamente com seu esposo Eder Castro. Estiveram representando o Prefeito Silvan Baleeiro o Secretário da Administração Antônio Sousa e o cerimonial feito pelo Chefe de Gabinete Paulo Henrique.

A Sra. Maria Aparecida fez uso da palavra e agradeceu imensamente a Secretaria de Cultura, também a todos aqueles que gravaram depoimento em face da sua homenagem, a quem ela disse ter ficado muito grata pelo reconhecimento público do seu trabalho aqui em Condeúba. Continue Reading

Condeúba/São Caetano: Social – Completa idade nova hoje dia 21/6, Fátima Neres de Sousa

Por Oclides da Silveira

Fátima ao lado do seu filho Luan

Fátima Neres de Sousa fazendo completando idade nova hoje dia 21 de junho, ela que é filha de Henrique José de Sousa e Maria Neres de Jesus Sousa. Fátima que é condeubense e está residindo em São Caetano do Sul/SP.

Nós do Jornal Folha de Condeúba deixamos nosso abraço fraternal e parabenizamos a jovem amiga Fátima pela passagem de seu aniversário, felicidades e que o bom Deus lhe dê muitos anos de vida, juntamente com sua família. Sucesso Fátima!!!

Condeúba: Morreu a Sra. Maria Tereza da Mota Ribeiro, conhecida como “Tezinha” aos 94 anos de idade

Por Oclides da Silveira

Sra. Maria Tereza da Mota Ribeiro, conhecida como “Tezinha”,aos 94 anos de idade

Morreu nesta manhã de sexta-feira dia 21 de junho de 2019 às 02h30min., a Sra. Maria Tereza da Mota Ribeiro, conhecida como “Tezinha”, ela que é mãe do nosso amigo e mais conhecido do povo, o grande desportista “Zezé Mota”. Ela era viúva do Sr. Manoel Ribeiro Chaves e deixou 5 filhos, Antônio (Zezé Mota), Maria das Dores (In memorian), Dinalva, Messias e Ana Mota além de 19 netos, uns 20 bisnetos e 2 tataranetos. O corpo da Sra. “Tezinha” está sendo velado no Memorial São Matheus e será sepultado hoje dia 21/6 às 17:00 horas no Cemitério Municipal Barão José Egídio de Moura e Albuquerque na sede.

Atendimento FUNERÁRIA SÃO MATHEUS

Nós do Jornal Folha de Condeúba deixamos nossos sentimentos à família enlutada por essa perda irreparável deste ente tão querido. Que o bom Deus a tenha ao seu lado para a eternidade. Descanse em paz “Dona Tezinha”.

Diocese de Santo Antônio/Condeúba: Realizado a Missa de Corpus Christi, depois houve procissão

Por Paulo Henrique

Procissão de Corpus Christi pelas ruas da cidade, acompanhada pela multidão de fiéis

Nesta quinta-feira dia 20 de junho de 2019 inicio do inverno, a paróquia de Santo Antônio em Condeúba, realizou a festa de Corpus Christi que foi celebrada em tom de grande solenidade. A matriz estava repleta de fiéis católicos e devotos, que participaram da solene missa presidida pelo reverendíssimo padre José Silva Figueiredo, ele que é padre da referida paróquia e incardinado ao presbitério da diocese de Caetité.

A liturgia foi abrilhantada pela presença da venerável Irmandade do Santíssimo Sacramento e também dos ministros extraordinários da comunhão eucarística. A procissão do Santíssimo saiu da matriz e percorreu as ruas do centro, passando defronte às casas do moradores católicos que ornamentaram as suas calçadas e fachadas com plantas, toalhas brancas e símbolos eucarísticos.

HISTÓRIA: No final do século XIII surgiu em Lieja, Bélgica, um Movimento Eucarístico cujo centro foi a Abadia de Cornillon fundada em 1124 pelo Bispo Albero de Lieja. Este movimento deu origem a vários costumes eucarísticos, como por exemplo, a exposição e bênção do Santíssimo Sacramento, o uso dos sinos durante a elevação na Missa e a festa do Corpus Christi.

A SIMBOLOGIA DA DATA: Corpus Christi é uma expressão do latim que significa “Corpo de Cristo”. O evento é considerado uma das festas mais importantes para a Igreja Católica, pois celebra o mistério da eucaristia, ou seja, o sacramento do sangue e corpo de Jesus Cristo.

É celebrada pela Igreja Católica sempre 60 dias depois do domingo de Páscoa ou na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade. Na tradição católica, esta quinta-feira é considerada o dia no qual Jesus Cristo instituiu o sacramento da eucaristia. De acordo com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), no Corpus Christi se celebra a “presença real de Jesus Cristo no pão e no vinho”.

EM CONDEÚBA: A fé católica tem sido marcante em toda história antiga e atual da cidade. A procissão de Corpus Christi é realmente a manifestação pública da fé e da devoção dos fiéis católicos, que amam e adoram a Jesus Cristo vivo e presente no Santíssimo Sacramento do altar. Este ano eu juntamente com a Sra. Rita Flores, fizemos um tapete usando pó de serra, sal e farinha no corredor central da Igreja Matriz para o Senhor passar.  Continue Reading