Categoria: Educação

Profº Agnério Souza apresenta Apontamento de Língua Portuguesa – 016 Profº Agnério Souza

Professor e Escritor Agnério Evangelista de Souza

Ortografia – Parte II

Escreve-se com G

agenda geada gente monge gênio ligeiro
sargento sugestão tigela girafa inteligente rugido
gíria virgem vagem prodígio agir gelado
geleia friagem vertigem engenho região gigolô
gigante ginásio rigidez gengibre Gilberto tangerina

Escreve-se com J

jiló jeito pajé jipe laje traje
ajeitar sujeito sujeira rejeição objeção jiboia
canjica jerimum sarjeta dejejum dejeto jegue
jirau jejuar jequitibá jericoense majestade ajeitamento
varejista bajeense enjeitado jiquitaia jenipapo berinjela

Observa-se que o G “gê” ocorre junto de “é” e de “i”. Tem o mesmo som de J “ji” junto de a: jaca, junto de e: jeito, junto de i: jiló, junto de o: jogo e junto de u: jurubeba. É como se fosse ja je, ji, jo, ju. Verifica-se também que o G está na sílaba inicial: gênio, girafa; na medial: tigela, região e na final: vagem, agir. O mesmo acontece com o J: jenipapo, jiboia na posição inicial; sujeira, canjica no meio e dejejum, pajé na sílaba final.
Trata-se de um único som para os dois grupos de palavras acima, classificado como Consoante Fricativa Palatal Sonora.

O fonema / s / ocorre em palavras como:

sala sela sede sinal soda sobre surdo
massa nessa sossego missa acessório osso tusso
alça dança caçula açúcar almoço açougue açude
cebola alcance alvorecer cidade cinema cipó civil
extenso êxtase extensão externo extremo expansão explosão
ascensão nascer florescer crescer adolescente descer consciência
excesso exceção exceto excursão excelente excedente excêntrico

Se, para o falante nativo, já é difícil empregar s, ss, ç, ce, ci, x, sc, sx todos correspondentes a um único fonema / s /, imagine para falantes das línguas alemã, inglesa, holandesa, russa, árabe, chinesa, japonesa e outras? Não se estuda a palavra isoladamente do seu contexto. Aqui, aborda-se o uso ortográfico do português em palavras com dificuldade na escrita, tendo em vista a fala usual do indivíduo. Dominar toda a escrita, só com o tempo, fazendo uso de leituras e produção textual. Estamos diante de uma Consoante Fricativa Alveolar Surda.
A leitura é a fase mais importante de todas, porque é uma decifração e decodificação da escrita, já que leitura é a realização do objetivo da escrita; afinal, quem escreve, escreve para ser lido.
Entretanto, há uma coisa interessante nisso tudo. Para o linguista não há erro no falar nem no escrever. Isto porque ele se preocupa em fazer a transcrição fonética de um falante. Se alguém diz: “Cuma? Nois é, Nois vai” é que esse sujeito tem um dialeto diferente da norma culta. Verifica-se o lugar onde nasceu, cresceu e viveu. Como se falava naquela região, mas ao se transportar de uma região para outra, terá de se adaptar à linguagem padrão.

Professor Agnério apresenta Apontamento de Língua Portuguesa 015

Professor Agnério Souza

Ortografia – Parte I

Do grego – ortos = certo + grafia = escrita. Escrita correta das palavras

Escreve-se com S

empresa marquesa baronesa milanesa despesa surpresa
avisar precisar analisar frisar agasalho quiser
formoso orgulhoso guloso valoroso medroso maisena
paisagem tesouro pêsames vaso gasoso isento
freguês burguês brasa tesoura casebre através

Escreve-se com Z

finalizar modernizar civilizar suavizar socializar dureza
catequizar esperteza honradez riqueza certeza timidez
acidez clareza rapidez altivez estupidez talvez
baliza buzina desprezo fuzil deslizar granizo
vazar vizinho lazer bazar prazer azeite

Não há uma explicação científica para a escrita em nossa língua, herdamos do latim vulgar. Aprendemos a escrever corretamente através das leituras e produções textuais ao longo da vida. Quando escrevemos sem pensar e acertamos, é porque já automatizamos o vocábulo.
Ler e escrever sempre foi uma preocupação da escola a partir das classes de alfabetização e letramento. No entanto, a criança se vê cercada de letras maiúsculas e minúsculas em seu livro, porém no caderno, a professora ensina a traçar as letras cursivas, começando pelo próprio nome. A escola ensina a escrever sem ensinar o que é escrever. O importante é aprender a ler, escrever e contar, e, mais tarde, usar a linguagem padrão aceita pela sociedade civilizada.
O que ocorre é a presença do fonema / z / nos dois grupos de palavras acima. Uma consoante fricativa alveolar sonora.
O mesmo fonema aparece através do X em palavras como:
exame êxito exasperar exímio exemplo exorcismo
inexorável exéquias exemplar exato exagero executar
executivo exigente êxodo exercer exilado exercício

Escreve-se com ch

bicho bucha broche boliche bochecha chácara
charuto chope cochicho cochilo cacho colchão
chimarrão chuchu deboche ficha flecha pechincha
chinelo salsicha charque inchar churrasco encharcar
fantoche guincho cachaça prancha piche mochila

Escreve-se com x

abacaxi ameixa baixela bexiga bruxa caixote
laxativo lixo maxixe mexer caixa enxada
engraxate enxugar caxumba xereta xucro xarope
rixa muxoxo faixa feixe frouxo rouxinol
lagartixa xifópago bauxita enxame laxante xingar

Temos a presença de um único som chiante nas palavras com ch e x. Existem sinais internacionais para representar os fonemas, mas, no computador não sei onde estão. O fato é que estamos diante de uma consoante fricativa palatal surda.
A escrita deve ter como objetivo essencial o fato de alguém ler o que está escrito. Ler é um ato linguístico diferente da produção espontânea da fala sobre um assunto qualquer, conforme nos ensina Cagliari. Dominar 100% a ortografia da Língua Portuguesa não é para todos os estudiosos da língua. Portanto, o Dicionário é quem vai nos auxiliar nessa tarefa de escrever.

Cursos gratuitos na área de Informática são ofertados pelo programa Educar para Trabalhar

Entre os 43 cursos com inscrições abertas até 19 de outubro, pelo Programa Educar para Trabalhar, do Governo do Estado, sete são voltados para a área de Informática, ligada ao eixo tecnológico Informação e Comunicação, e que oferecem grandes oportunidades de inserção no mundo do trabalho. São eles: Administrador de Banco de Dados; Desenvolvedor de Jogos Eletrônicos; Instalador e Reparador de Redes de Computadores; Montador e Reparador de Microcomputadores; Programador de Dispositivos Móveis; Programador de Sistemas; e Programador e Web.

Os cursos terão duração média de três a cinco meses e serão ministrados em parceria com o Sistema S, composto pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), com direito à certificação.

O objetivo é promover a qualificação profissional dos estudantes e egressos da rede estadual de ensino, oferecendo oportunidades de aprendizagens e maiores condições de inserção no mundo do trabalho, conforme as demandas dos setores produtivos dos Territórios de Identidade da Bahia.

As inscrições devem ser feitas pelo Portal da Educação. Durante o ano de 2021, o Educar para Trabalhar ofertou 200 mil vagas. Nesta nova etapa, cujas ofertas são para 151.179 vagas, além de Informação e Comunicação, envolve mais nove eixos tecnológicos na modalidade Educação à Distância (EAD), de Formação Inicial e Continuada (FIC). A lista de eixos e cursos ofertados estão disponíveis no Portal da Educação e nas redes sociais da Educação Bahia.

Podem se inscrever estudantes regularmente matriculados no Ensino Médio ou da Educação Profissional Técnica de Nível Médio da rede pública estadual de ensino no ano letivo de 2020/2021 e egressos dos cursos técnicos de nível médio da rede estadual de ensino que tenham concluído os estudos no período de 2016 a 2020.

Profº Agnério Souza apresenta Apontamento de Língua Portuguesa nº 14

Profº Agnério Souza exibindo a capa do livro de sua autoria – “Condeúba sua história seu povo”

Grafema x Fonema

Grafema é a letra com a qual escrevemos, isto é, grafamos; fonema é o som da letra pelo qual falamos. Temos, em primeiro lugar, uma língua falada, em que a criança aprende a articular os sons a partir de 1 ano e meio de idade. Por outro lado, temos a língua escrita aprendida na escola a partir das classes de alfabetização. Falamos de um modo, escrevemos de outro.

A Língua Portuguesa tem 26 letras: a, b, c, d, e, f, g, h, i, j, k, l, m, n, o, p, q, r, s, t, u, v, w, x, y, z. Herdamos do latim, língua falada pelo povo romano que nos deram as minúsculas. Os romanos herdaram dos gregos que nos deram as maiúsculas. Os gregos herdaram dos fenícios, atuais libaneses, que foram os verdadeiros inventores do alfabeto. Os fenícios, por sua vez, basearam-se nos hieróglifos egípcios.

A letra A, por exemplo, foi tirada da cabeça do boi; a letra D foi baseada na figura de uma porta; a letra L de um cajado; a letra M foi inspirada nas águas do mar; a letra O do olho humano; a letra S dos dentes, a letra Z de uma foice. Quem nos ensina sobre este estudo é o lingüista brasileiro Luis Carlos Cagliari em sua obra Alfabetização & Linguística. A Linguística é, portanto, o estudo científico da linguagem humana. A Fonologia é uma parte da Gramática que estuda os sons da língua.

Nesse estudo, temos sons vocálicos, consonantais e semivocálicos.
As vogais orais cujo som sai pela boca são sete: / a /, / é /, / ê /, / i /, / ó /, / ô /, / u /. No meio delas, existem duas vogais abertas: / é /, / ó / e duas fechadas: / ê /, / ô /. As nasais cujo som sai pelo nariz são cinco: / ã /, / en /, / in /, / õ /, / um /. Aqui o computador não pega til no e, i e u. Além do til, a nasalidade é indicada pelo m, n, nh. Vejamos palavras onde ocorrem essas vogais: ba-la, be-la, be-co, bi-ca, bo-la, bo-lo, bu-le. É como fosse bá, bé, bê, bi, bó, bô, bu (orais). Agora vejamos ocorrência das nasais: man-ta, pen-te, pin-to, pon-te, mun-do; e como se fosse: an, en, in, on, un. (nasais).

Os fonemas consonantais são 19 no Português e se diferenciam das vogais, porque a corrente de ar que passa pelo aparelho fonadorencontra um obstáculo. Já a vogal não encontra obstáculo algum. Se a obstrução for total, a consoante será Oclusiva: / p /, / b /, / m /; se fizer ruído será Fricativa: / f /, / v /, / s /, / z /; se a corrente de ar escapa pelos lados será Lateral: / l /, / lh /; se a língua se aproxima dos dentes superiores será Vibrante: / r /, / rr / e se o som sai pelo nariz e pela boca será Nasal: / m /, / n /, / nh /. Tudo isso quanto ao Modo de Articulação. Mas, as consoantes têm também um Ponto de Articulação no aparelho fonador. Elas podem ser Bilabiais – contato com os lábios: / p /, / b /; Labiodentais – lábios e dentes: / f /, / v /; Linguodentais – ponta da língua com os dentes superiores; / t /, / d /; Alveolares – língua e alvéolos: / s /, / z /, / l /, / r /; Palatais – dorso da língua com o palato duro: / x /, / j /, / lh /, / nh /; Velares – língua e palato mole: / k /,/ g /, / rr /.

Então, um quadro simples de classificação das consoantes seria assim:
Oclusivas Fricativas Laterais Vibrantes Nasais
bilabiais / p /, / b / / m /
labiodentais / f /, / v /
linguodentais / t /, / d / / n /
alveolares / s /, / z / / l / / r /
palatais / x /, / j / / lh / / nh /
velares / k /, / g / / rr /

Ainda há a ação das cordas vocais, se vibram a consoante será sonora: / b /, /d /, / g /; se não, a consoante será surda: / p /, / t /, / k /. Agora vejamos a ocorrência de alguns sons consonantais em vocábulos.

1. O fonema / k / ocorrem em palavras como: cabeça, corda, cura, quilo.
2. O fonema / g / ocorre em galo, gola, gula, guerra, Agnaldo.
3. O fonema / j /“ji” ocorre em jeito, jipe, gesso, gigante, Gilberto.
4. O fonema / r / ocorre em querido, caro, aquarela, Maria.
5. O fonema / x / “chi” ocorre em chave, chuva, chefe, chocolate, Chico, xadrez, xarope, Xavier
6. O fonema / rr / ocorre em rato, roupa, resto, risco, Rute, Roberto carro, carreira, carroça, terra, birra.
7. O fonema / s / ocorre em sala, massa, moço, cela, cebola, Cecília, descer, desça, exceção, sintaxe.
8. O fonema / z / ocorre em zero, Zequinha, casa, casebre, causa,exame, exato, exéquias, exemplar, Ezequias.

As semivogais surgem nos ditongos sejam eles decrescentes ou crescentes e nos tritongos. A bem da verdade,não existem duas vogais na mesma sílaba, uma é vogal a outra semivogal:
au-la, ou-ro, lei-te, bis-coi-to, áu-reo, sé-rie, Pa-ra-guai, quais. O “i”e “u” ocupam o lugar de semivogais nesses casos.

Enem 2021: mais de 280 mil estudantes conseguem isenção da taxa de inscrição após novo prazo

Exame Nacional do Ensino Médio, Enem

Após a reabertura das inscrições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 para os participantes com direito à isenção da taxa de R$85, mas que faltaram à edição passada por receio de pegar Covid-19, o número de participantes aumentou 9% (280.145), conforme registrou o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame. Com a medida, mais de 1,4 milhão de gratuidades foram concedidas isentando o pagamento da taxa de inscrição.

O período de inscrições para o Enem 2021 foi reaberto em 14 de setembro, após o Supremo Tribunal Federal (STF) determinar o direito da gratuidade ao estudante que não fez o Enem mais recente por medo de se contaminar na pandemia. Para esse público, em cumprimento à decisão do STF, as inscrições puderam ser feitas até 26 de setembro.

Conforme o cronograma do Enem 2021, os participantes que se inscreveram nesse último prazo vão fazer a prova nos dias 9 e 16 de janeiro de 2022, mesmos dias em que as provas serão aplicadas para os adultos privados de liberdade e jovens cumprindo medida socioeducativa que inclui privação de liberdade (Enem PPL). Para os demais participantes, aqueles inscritos desde junho e julho, e que já tiveram a inscrição confirmada, a realização das provas está mantida para os dias 21 e 28 de novembro de 2021.

“A medida cautelar deferida por esta Corte teve por escopo garantir que todos aqueles que, isentos da taxa de inscrição do Enem 2020 e que não compareceram às respectivas provas, tivessem possibilidade de obter a isenção no Enem 2021, sem necessidade de comprovar ausência no exame anterior”, justificou o ministro do STF Dias Toffoli.

Em nota, o Inep afirmou que “reforça que seu objetivo principal, neste momento, é minimizar os impactos aos participantes quanto aos calendários do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Programa Universidade para Todos (ProUni) e do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), políticas públicas educacionais que dependem dos resultados do Enem”.

Professor Agnério Souza: Apresenta Apontamento de Língua Portuguesa 013

Professor Agnério Souza

Sintaxe – Parte IV – Termos Acessórios da Oração

Para alguns gramáticos, esses termos são três: Adjunto Adnominal – AA, Adjunto Adverbial – Adj. Adv., Aposto – AP. Para outros, são quatro e acrescenta-se aí o Vocativo – VO.
1. Exercem função sintática de Adjunto Adnominal: os artigos, os adjetivos, as locuções adjetivas, os pronomes-adjetivos e os numerais. Ex:
a) O brilhante jornal da manhã publicou belas reportagens.
SS = o brilhante jornal da manhã
PV = publicou belas reportagens
VTD = publicou. OD = belas reportagens
AA = o, brilhante, da manhã, belas
Observe que, no sujeito e no objeto direto, o núcleo será sempre um substantivo (jornal, reportagens). O que sobra do núcleo está sendo AA, como: o (artigo) brilhante (adjetivo) da manhã (locução adjetiva) belas (adjetivo).
b) Esta estrada de ferro tem boa iluminação.
SS = esta estrada de ferro
PV = tem boa iluminação
VTD = tem. OD = boa iluminação
AA = esta (pronome-adjetivo), de ferro (locução adjetiva), boa (adjetivo)
c) Aquele delicioso sanduíche tinha duas linguiças.
SS = aquele delicioso sanduíche
PV = tinha duas linguiças
VTD = tinha OD = duas linguiças
AA = aquele, (pronome-adjetivo), delicioso (adjetivo), duas (numeral)
Convém lembrar que muitas locuções adjetivas se transformam em adjetivo: da manhã = matutino, de ferro = férrea, do coração = cardíaco, do aluno = discente, de chuva = pluvial, de ouro = áureo, de prata = argêntea, do ouvido = auditivo, da cidade = citadino, de mãe = materno, de filho = filial, de irmão = fraterno, etc.

2. Exercem função de Adjunto Adverbial – Adj. Adv. os advérbios e as circunstâncias adverbiais que são muitos, entre os principais estão: tempo, lugar, modo, intensidade, negação, afirmação, assunto, causa, companhia, meio, instrumento, fim e outros.
d) O sertanejo ficara arruinado com a seca.
SS = o sertanejo
PN = ficara arruinado com a seca
VL = ficara. PS = arruinado
AA = o, a. Adj. Adv. de causa = com a seca
e) Ontem, dois conferencistas dissertaram sobre a Covid-19.
SS = dois conferencistas
PV = dissertaram sobre a covid-19
VI = dissertaram. AA = dois, a, dezenove
Adj. Adv. de tempo = ontem. Adj. Adv. de assunto = sobre a covid-19

f) Na noite passada, o bandido cometeu vários crimes premeditadamente.
SS = o bandido. PV = cometeu vários crimes premeditadamente
VTD = cometeu. OD = vários crimes premeditadamente
AA = o, vários (pronome-adjetivo)
Adj. Adv. de tempo = na noite passada
Adj. Adv. de modo = premeditadamente

3. O Aposto – AP é um termo da oração que serve para explicar outro, aparece entre vírgulas. Ex:
g) Jair Bolsonaro, Presidente da República, não usou máscara na ONU.
SS = Jair Bolsonaro
AP = Presidente da República
PV= não usou máscara na ONU
VTD = usou. OD = máscara
Adj. Adv. de negação = não. Adj. Adv. de lugar = na ONU
h) Jacó serviu Labão, pai de Raquel, durante sete anos.
SS = Jacó. PV = serviu Labão, pai de Raquel, durante sete anos.
VTD = serviu. OD = Labão. AP = pai de Raquel. AA = sete
Adj. Adv. de tempo = durante sete anos.

4. O Vocativo – VO não tem lugar certo na oração, ora aparece no início ora no fim. Trata-se de uma evocação, muitas vezes seguida de ponto de exclamação. Ex:
i) Ó Senhor, tende piedade de nós!
Sujeito oculto – SO = vós
PV = tende piedade de nós. VTD = tende. OD = piedade de nós
VO = ó Senhor
j) E agora, José? Está sem mulher!
SO = você. PV = está sem mulher. VI = está
VO = José. Adj. Adv. de tempo = e agora?
Adj. Adv. de companhia = sem mulher.

Estudantes isentos ou que não compareceram ao Enem 2020 podem se inscrever para o exame até hoje domingo (26)

Exame Nacional do Ensino Médio, Enem

Os candidatos isentos ou que não compareceram ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em 2020, têm até às 23h59, deste domingo (26), para se inscrever, gratuitamente, na edição 2021, por meio da Página do Participante, através do endereço https://bit.ly/3zL6pUQ. (Veja aqui). Para este público o INEP/MEC aplicará as provas nos dias 9 e 16 de janeiro de 2022.

Nesta sexta-feira (24), durante a aula virtual do Enem 100%, promovida pela Secretaria da Educação do Estado, o professor César Mustafa foi além dos conteúdos de Sociologia e chamou a atenção dos estudantes sobre a importância deste momento de inscrição. “Por conta da pandemia, muitos alunos faltaram ao exame do ano passado e os que tinham gratuidade na inscrição, em tese, não poderiam requerer a isenção de novo.

Com o novo período de inscrição, eles farão a prova nos dias 9 e 16 de janeiro de 2022. O aulão Enem 100% é uma oportunidade única para ter contato com as questões de vestibulares e, de forma rápida e simplificada, explicações e dicas de como resolvê-las”.

Nas escolas da rede estadual de ensino, a comunidade escolar também tem sido engajada para o processo de inscrição e na preparação para as provas. O Colégio Estadual de Piripá, no município de Piripá, por exemplo, desde 2012 tem realizado o projeto ‘Aulões do Enem’.

Além disso, estão sendo realizados simulados por áreas do conhecimento, aos sábados, o que vai totalizar 12 simulados até a data da prova. Neste sábado (25), será realizado, de forma remota, através do Google Meet, o simulado da área de Ciências Humanas, com duração de quatro horas.

Condeúba: Foi eleita e tomou posse ao mesmo tempo, a nova diretoria do Conselho Municipal de Educação

Por Agnério Evangelista

Foi realizada a eleição e posse da nova diretoria do Conselho Municipal de Educação de Condeúba. no dia 23 de setembro de 2021. O Encontro aconteceu no Paço Municipal com início às 9h15min. Representou o prefeito Silvan, o Secretário Antonio Alves de Souza. Estiveram presentes, além dos conselheiros, o Secretário Weder Spinola de Sousa e o presidente da Câmara, Vereador Reginaldo Sobrinho.

Houve a eleição de presidente e vice-presidente do CME, concorreram ao cargo Suzana Nascimento x Marli Maria. Suzana venceu por 6 votos a 3. Mas, os titulares deixaram Marli Maria Pereira como vice-presidente do CME.

Profº Agnério Souza apresenta Apontamento de Língua Portuguesa nº 12 – Sintaxe parte III

Pelo Profº Agnério SouzaSintaxe – Parte III

Termos Integrantes da Oração Os chamados Termos Integrantes da Oração são quatro: 1º) Objeto Direto (OD), 2º) Objeto Indireto (OI), 3º) Complemento Nominal (CN), 4º)Agente da Passiva (AGP). Com exceção do objeto direto, os demais aparecem regidos de preposição, embora haja o objeto direto preposicionado ou preposicional. Exs:a) Amo a Deus.Sujeito Oculto (SO) = eu Predicado Verbal (PV) = amo a Deus VTD = amo. Objeto direto preposicional = a Deus b) Seu Sebastião não simpatizava com o rapaz. SS = Seu Sebastião PV = não simpatizava com o rapaz VTI = simpatizava OI = com o rapaz. Adj. Adv. de negação = não c) A criança tem necessidade de carinho. SS= a criança PV = tem necessidade de carinho VTD = tem OD = necessidade de carinho. CN = de carinho.O Complemento Nominal é um termo da oração, acompanhado de preposição,que completa o sentido de um nome, seja ele substantivo, adjetivo ou advérbio.Vejamos alguns: c.a) confiança em Deus. c.b) medo de rato. c.d) obediência aos mais velhos. c.e) necessidade de ajuda. Substantivos acompanhados por CN. c.f) favorável ao trabalho honesto. c.g) prejudicial à saúde. c.h) resistente ao tempo. Adjetivos acompanhados por CN. c.i) favoravelmente ao projeto.Advérbio acompanhado por CN. Conclusão, o Complemento Nominal – CN nunca completa o verbo, quem o completa é o objeto direto e o objeto indireto.Completa o sentido de um nome e há muitos nomes em nossa língua que necessitam de um complemento nominal. d) O embaixador foi cumprimentado pelos visitantes. SS = o embaixador PV = foi cumprimentado pelos visitantes Locução Verbal = foi cumprimentado Agente da Passiva (AGP) = pelos visitantes.A oração acima está com o verbo na Voz Passiva Analítica. A estrutura é: Sujeito + Locução Verbal + Agente da Passiva. A passiva analítica se transforma em voz ativa e vice-versa. Ex:- O mistério foi desvendado pelo advogado. (tempo passado) Passiva analítica = O advogado desvendou o mistério. (tempo passado) Voz ativa.
– O comportamento das pessoas é alterado pelo egoísmo. (tempo presente) Passiva analítica = O egoísmo altera o comportamento das pessoas. (tempo presente) Voz ativa.- O homem será dominado pela ambição. (tempo futuro) Passiva analítica = A ambição dominará o homem. (tempo futuro) Voz ativa.- O bandido era identificado pela polícia. (tempo passado imperfeito) Passiva analítica = A polícia identificava o bandido. (tempo passado imperfeito) Voz ativa. Observe que há uma inversão sintática entre as duas vozes, porém não muda o sentido. O sujeito da voz ativa passa a ser o agente da passiva na voz passiva analítica, o objeto direto da ativa passa a ser o sujeito na passiva. Existe ainda a Passiva Sintética com o pronome apassivador “se” e que pode se transformar em passiva analítica, porém sem o AGP. Ex: Compram-se roupas = roupas são compradas (tempo presente) Vender-se-á esta casa = esta casa será vendida (tempo futuro) Exigiu-se a credencial = a credencial foi exigida (tempo passado) Ouviam-se gritos dos meninos = gritos dos meninos eram ouvidos (tempo passado imperfeito). Mas, afinal, quais são as preposições em nossa língua? As principais são: a, ante, até, após, com, contra, de, desde, em, entre, para, perante, por, sem, sobre, sob. E em Portugal, existe o trás. Contudo, existem as combinações de preposição com outras palavras: do = de + o, deste = de + este, na = em + a, aos = a + os, daquele = de + aquele, pelo = per + o, da = de + a. Já a crase é contração da preposição a com artigo a = à.

O renomado Educador Brasileiro Paulo Freire se fosse vivo estaria completando 100 anos de vida hoje (19)

Pela professora Joandina Maria de Carvalho

O educador Paulo Reglus Neves Freire se fosse vivo estaria completando 100 anos de idade hoje 19/9/2021

Em 1987, depois de muita luta, terminei o meu curso de magistério no Colégio Cenecista de Mortugaba. Finalmente, estava me sentido uma professora. Em 1988 fui convidada pela irmã Analisa para participar de um Seminário sobre Alfabetização de Adultos. Para Caetité fomos eu, Bel e Beth. O Seminário foi coordenado por Normando Batista – educador com vasta experiência em educação popular e Adonias, um agente de pastoral da diocese, também comprometido com as lutas populares. Aquele momento representou um divisor de águas na minha vida, tendo em vista o encantamento que passei a sentir pelo educador Paulo Reglus Neves Freire.

Atualmente, impossível não se indignar com a maneira como o atual governo da República brasileira trata Paulo Freire. O presidente Bolsonaro chegou a chamá-lo de energúmeno e o seu primeiro ministro da educação tratou o nosso querido educador com uma ignorância que nos envergonha. Por que chegamos a esse nível em um país onde muitas pessoas se sentem numa democracia?

Paulo Freire é um dos cientistas sociais brasileiros mais reconhecidos no mundo não apenas por sua trajetória de resistência à ditadura militar no Brasil, mas por suas idéias e práticas, por sua originalidade e por sua sensibilidade como pessoa humana amorosa e coerente. Exilado pela ditadura militar, ele continuou seu trabalho em países latino-americanos como Chile, onde sistematizou a Pedagogia do Oprimido – um dos seus principais livros. Esteve também na África, onde realizou um trabalho importante. Atuou como professor em universidades como Harvard nos Estados Unidos e Cambridge na Inglaterra. Recebeu 40 títulos de doutor Honoris Causa em Universidades como Oxford, na Inglaterra, Coimbra em Portugal e em Havana/Cuba (esse último após a sua morte).

Retomando a nossa experiência local e regional, fruto do seminário de Caetité, (não me lembro exatamente o ano) conseguimos articular duas turmas de alfabetização de adultos: uma no Alegre/Condeúba tendo como monitora Jesuína – Du, que posteriormente veio a ser vice prefeita do município e outra em Mortugaba, coordenada por Bel da comunidade de São Domingos.

Paulo Freire nasceu em Pernambuco em 19 de setembro de 1921 e faleceu em São Paulo , em 02 de maio de 1997. Lembro-me que depois de retornar de Condeúba, onde estava com Gildásio, (colega do curso de graduação em História – UESB), pesquisando sobre a passagem da Coluna Prestes pelo município, tendo em vista o nosso projeto de conclusão do curso, minha mãe me deu a triste notícia, “faleceu aquele professor que você gosta muito.” Quando liguei a televisão ainda pude ver a então prefeita Luiza Erundina em prantos pela perda daquele que foi seu Secretário Municipal de Educação em São Paulo e pelo qual certamente tem grande afeto.

Segundo Paulo Freire, “não é possível existir humanamente sem sonhos, sem utopias. Não é no silêncio que os homens se fazem, mas na palavra, no trabalho, na ação reflexão”.

Paulo Freire é e continuará sendo o patrono da educação brasileira.