Piso salarial dos professores da rede pública sobe 12,84%

Fonte:A.Sertão

Foi reajustado em 12,84% para 2020, o piso salarial dos profissionais da rede pública da educação básica em início de carreira, passando de R$ 2.557,74 para R$ 2.888,24. É o maior aumento em reais desde 2009. O reajuste nacional do piso foi anunciado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, e pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, em transmissão ao vivo pela internet, na noite desta quinta-feira (16).

O acréscimo está previsto na chamada Lei do Piso (Lei 11.738), de 2008. O texto estabeleceu que o piso salarial dos professores do magistério é atualizado, anualmente, no mês de janeiro. A regra está em vigor desde 2009, ano em que o valor de R$ 950,00 foi o ponto de partida para o reajuste anual

O Ministério da Educação (MEC) utiliza o crescimento do valor anual mínimo por aluno como base para o reajuste do piso dos professores. Dessa forma, é utilizada a variação observada nos dois exercícios imediatamente anteriores à data em que a atualização deve ocorrer.

O valor mínimo por aluno é estipulado com base em estimativas anuais das receitas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Para 2019, o valor chegou a R$ 3.440,29, contra R$ 3.048,73 em 2018.

MEC planeja descartar 2,9 milhões de livros que nunca foram usados

Foto: Reprodução/Wikipedia

O Ministério da Educação (MEC) pretende descartar 2,9 milhões de livros que nunca foram entregues aos alunos de escolas públicas. As informações foram publicadas pelo jornal “O Estado de São Paulo” neste sábado (11).

Comprado em gestões anteriores do MEC, o material tem edições que teriam vencido, entre 2005 e 2019, e estariam desatualizadas para o uso. O custo de todos esses livros seria de cerca de R$ 20 milhões. O processo para se desfazer do material começou no fim do ano passado.

Na época, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) alertou para a necessidade de reduzir o estoque de livros, que está armazenado em um depósito alugado dos Correios, em Cajamar, em São Paulo.

O FNDE não respondeu diretamente sobre o descarte. O órgão informou que publicará na semana que vem uma norma sobre a chamada “reserva técnica” do Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD).

Aracatu: Prefeitura atrasa vencimentos e servidores da educação realizam protestos com indicativo de greve

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

Professores e servidores da educação do município de Aracatu, a 36 km de Brumado, estão protestando devido aos atrasos nos seus vencimentos. Em entrevista ao site Achei Sudoeste, a professora Viviane Meira informou que, desde o mês de julho do ano passado, os atrasos salariais têm sido constantes.

Segundo ela, os principais afetados são o pessoal de apoio da educação, como merendeiras e porteiros. “Agora, no final do ano, ocorreu o atraso do 13º, que só foi pago no dia 3 de janeiro. O terço de férias também até hoje não foi pago. Aí já atingiu não só a categoria dos profissionais em educação, mas todos os professores.

Passamos o Natal e o Ano Novo sem esses proventos em suas contas, acarretando diversos prejuízos não só para os servidores, como para todas as suas famílias”, relatou. Em contato com a administração, Viviane afirmou que a mesma alega que a verba em caixa não foi suficiente para fazer o pagamento de todos os servidores da educação do município.

“Acredito que a folha da prefeitura possa estar inchada e estar ocorrendo essa situação. Inclusive, o ano letivo de Aracatu não foi concluído, ele foi suspenso no dia 30 de novembro justamente dizendo que não tinha condição de pagar o mês de dezembro do pessoal contratado. Estamos apreensivos com o cumprimento no piso nacional da categoria”, completou.

A professora adiantou que, caso a problemática não seja solucionada, poderá ser deflagrada uma greve antes mesmo do início das aulas.

ProJovem Urbano abre inscrições e oferece 250 vagas: saiba como participar

O Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem Urbano), executado pela Secretaria Municipal de Educação, está com matrículas abertas até o dia 29 de fevereiro.

Estão sendo disponibilizadas 250 vagas. As aulas serão realizadas nas escolas municipais José Lopes Viana (bairro Campinhos) e Helena Cristália Ferreira (Urbis VI). Para os pais que não têm com quem deixar os filhos, o programa possui uma sala de acolhimento para as crianças serem atendidas enquanto ocorrem as aulas.

Além das disciplinas de Ciências Humanas, Exatas e Linguagens, o programa – que tem duração de 18 meses – também disponibiliza qualificação profissional na área de Alimentação.

Para realizar as inscrições, os interessados devem comparecer à sede do Projovem Urbano (localizada na Av. Ivo Freire Aguiar, nº 810, Candeias) ou nas escolas em que as aulas serão ministradas. Devem ser apresentados: RG, CPF, ter entre 18 e 29 anos, comprovante de residência, histórico escolar e duas fotos 3×4.

Mais informações pelo telefone (77) 3427-4947.

Com a nova estimativa de receita do Fundeb, CNM prevê reajuste de 12,84% no piso dos professores

O reajuste do piso nacional dos professores deve ser de 12,84%, em relação ao valor definido para 2019. Segundo previsão da Confederação Nacional de Municípios (CNM), com base na nova estimativa de receita do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), o valor mínimo do magistério passa de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,15, em janeiro de 2020.

Conforme explica a área de Educação da CNM, a Portaria Interministerial 3/2019 dos Ministérios da Educação e da Economia (MEC/ME) trouxe nova estimativa da receita do Fundeb para 2019. Publicada dia 23 de dezembro, a normativa define o valor mínimo nacional por aluno/ano dos anos iniciais do ensino fundamental urbano em R$ 3.440,29, em substituição ao valor de R$ 3.238,52 que fora estimado na Portaria Interministerial do MEC/ME 7/2018.

A nova estimativa dos valores do Fundeb, segundo explica a área técnica da Confederação, tornou-se necessária devido à retificação das matrículas apuradas no Censo Escolar de 2018, e à revisão da estimativa da receita do Fundo por conta da arrecadação de impostos no atual exercício fiscal. Pelos cálculos da equipe técnica da CNM, o reajuste causará impacto de aproximadamente R$ 8,7 bilhões nos cofres municipais. Continue Reading

Fies exigirá 400 pontos na redação do Exame Nacional do Ensino Médio

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) passará a exigir nota mínima de 400 pontos na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Esta foi uma das mudanças aprovadas pelo Comitê Gestor do Fies. Além disso, a partir de 2021, o programa poderá ter uma redução na oferta de vagas financiadas pelo governo federal.

Até então, não havia a exigência de uma nota mínima na redação do Enem, era necessário apenas não ter zerado a prova, mesmo critério usado para seleção de estudantes para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferta vagas em universidades públicas, e para o Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas de estudo em instituições particulares de ensino superior.

Agora, além da nota mínima na redação, continua valendo a regra de nota média mínima de 450 pontos nas provas objetivas do Enem. Ficou também mais difícil mudar de curso dentro da instituição de ensino. Agora, para serem transferidos, os estudantes beneficiados pelo Fies precisam ter resultado igual ou superior à nota de corte do curso de destino desejado.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), as mudanças foram feitas para garantir “a meritocracia como base para formar profissionais ainda mais qualificados”.

Condeúba: Culminância do Projeto Municipal Revelando Escritores, foi realizado na escola Tranquilino Torres

 

Os alunos da Escola Municipal Tranquilo Torres, exibindo cada um o seu livro que ganhou dos padrinho, abaixo sentados no degrau os professores Marcos Vinicius, Rose e Breno Oliveira

Nesta segunda-feira dia 16 de dezembro de 2019, lá no salão nobre da escola Municipal Tranquilino Leovegildo Torres, aconteceu a culminância do importantíssimo “Projeto Revelando Escritores que é uma ação educacional, pedagógica e literária, sem fins lucrativos, idealizada pelo escritor condeubense Jovino Coutinho, juntamente com os professores Antônio Santana, Ângela Cruz e Laurita Sousa, com o objetivo de promover e discutir a importância da leitura e da escrita na escola. Garantindo a publicação de textos produzidos por discentes.

A presente obra reúne textos literários escritos por alunos do Ensino Fundamental II e Médio do Município de Condeúba/BA., na faixa etária entre 10 e 19 anos, de diferentes níveis social, cultural, político e econômico, pertencentes à zona rural e urbana, tendo em vista a identificação do educando como ser capaz de criar, crítico, sensível, que questiona e reflete sobre os valores e problemas da vida.

Esta obra foca a Literatura em seus mais diversos gêneros, a partir de temas vivenciados e debatidos em sala de aula com acompanhamento de professores de Letras e Língua Portuguesa do referido município”. Essa é a colocação dos organizadores acima citados, desse importantíssimo Projeto Revelando Escritores que está posto na conta-capa do livro.

A escola Municipal Tranquilino Torres, saiu na frente e buscou padrinhos para oferecer o exemplar do livro, a cada um dos seus alunos, somente aqueles que foram escolhidos para participar do livro com uma poesia. Assim aconteceu nesta segunda-feira lá no salão nobre da escola, com a participação dos padrinhos e madrinhas entregando a seus afilhados um exemplar do livro.

Entre os padrinhos e madrinhas estiveram prestigiando o evento a Vice-Prefeita Mara Rúbia, representando seu esposo o vereador Toinho Terêncio, a primeira dama representando o Prefeito Leda de Sousa, esteve também como padrinhos os vereadores Maurilo Guilherme Presidente da Câmara, Reginaldo Nascimento e Maria da Conceição, representando a vereadora Nena o Secretário de Educação Weder Spinola, o diretor das Escolas do Campo Juari Nascimento, Presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Sustentável o popular José de “Fernando”, as madrinhas Valéria Franco, Poliana e a Dra. Georgia além deste Jornalista Oclides da Silveira.

Estiveram inseridos neste contexto os professores de Português da Escola Tranquilino Torres, Pedro  Anderson, Rosângela Meira, Breno Oliveira e Marcos Vinicius sobre a coordenação de Andreia Flores e direção de Cleide de Sousa. Continue Reading

Índice do MEC dá notas máximas a 68% das federais

Sete em cada dez (68%) universidades federais têm desempenho nas faixas 4 e 5 no Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC). Essas são as mais altas taxas de desempenho. O IGC é um indicador de qualidade mensurado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão que faz parte do Ministério da Educação (MEC).

Cada universidade é avaliada com nota de 1 a 5. Ela é baseada em dois critérios: a nota que a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) atribui à cada curso de pós-graduação da instituição e a média de cada curso do Conceito Preliminar de Curso (CPC), que também é mensurado pelo Inep.

O CPC também é uma reunião de diferentes variáveis: o Conceito Enade tem 20% do peso; a porcentagem de professores com mestrado ou doutorado corresponde a 30% da nota; a percepção do estudante resulta em 15% do índice; e, por fim, o Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD), que mede a evolução do aluno comparando a nota dele do Enem com a do Enade, tem 35% de peso no CPC.

De acordo com o jornal o Globo, as 13 federais que conquistaram a nota máxima(5) no IGC são as universidades de São Carlos, Viçosa, Paraná, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rio de Janeiro, São Paulo e Lavras, além do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), o Instituto Militar de Engenharia (IME), a Fundação de Ciências da Saúde de Porto Alegre e a do ABC.