Categoria: Saúde Pública

Anvisa autoriza uso emergencial de coquetel contra Covid-19

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foi aprovado nesta terça-feira (20), pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o uso emergencial de um medicamento contra a Covid-19. Segundo o G1, o coquetel é uma combinação de casirivimabe e imdevimabe (Regn-CoV2), dois remédios experimentais desenvolvidos pela farmacêutica Roche. Após o remdesivir, este é o primeiro remédio a ser aprovado pela agência.

A aplicação do medicamento é feita de forma intravenosa, e o seu uso é restrito a hospitais. A função dos dois anticorpos é bloquear a entrada do coronavírus na célula. Tanto adultos como pré-adolescentes (com 12 anos ou mais e que pesem no mínimo 40kg) podem fazer uso, desde que não precisem de suplementação de pacientes. O coquetel não é recomendado para pacientes graves e nem para prevenir a Covid-19. Ele já foi aprovado para uso emergencial na Suíça, Canadá e Estados Unidos. O comércio é proibido.

O pedido de uso emergencial foi feito no dia 1º de abril. Os anticorpos monoclonais utilizados nesta combinação reduziram a hospitalização “relacionada a Covid-19 ou as visitas ao pronto-socorro em pacientes com alto risco de progressão da doença em 28 dias após o tratamento, quando comparados ao placebo”, disse o FDA, órgão regulatório dos EUA.

Estudo confirma primeira morte por reinfecção de Covid-19 no Brasil

Um estudo confirmou a primeira morte no Brasil por reinfecção da Covid-19. No caso, um homem de 39 anos era morador de Campo Bom, no Rio Grande do Sul. Ele foi reinfectado por uma das variantes da Covid-19 no intervalo de três meses e 11 dias. Na primeira infecção, o homem não teve sintomas, mas na segunda reinfecção, ele não resistiu e faleceu no dia 19 de março.

O caso foi relatado em um artigo científico produzido por 15 pesquisadores brasileiros comandados pelo Laboratório de Microbiologia Molecular da Universidade Feevale (RS), publicado ontem na plataforma Research Square em pré-impressão, ou seja, ainda em fase de revisão dos pares. “A análise genômica mostrou diferenças geneticamente significativas entre os vírus recuperados em ambas as infecções”, explicam os pesquisadores no texto.

Segundo o artigo, o paciente era portador de doença cardiovascular crônica e diabetes. “Ele relatou dois episódios clínicos de covid-19. O primeiro foi em 30 de novembro de 2020, enquanto o segundo se deu em 11 de março de 2021”, diz. O gaúcho foi infectado pela variante P.1 na primeira contaminação. Na segunda infecção, ele foi contaminado pela variante P.2. As duas cepas têm origem no Brasil.

“Durante o primeiro caso de infecção, os sintomas e sinais clínicos do paciente não haviam sido relatados. No entanto, o paciente relatou ter tido contato com seu irmão, que testou positivo para SARS-CoV-2 anteriormente. Ele também visitou seu pai no hospital em um quarto compartilhado com outros pacientes com diagnóstico de covid-19. No segundo episódio, o paciente apresentou como sintomas dispneia [falta de ar], fadiga e dificuldade respiratória; e saturação menor que 95% como sinal clínico”, completa o texto.

Ainda segundo o estudo, a segunda infecção evoluiu com complicações, “sendo o paciente encaminhado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e intubado devido à grave perda de capacidade pulmonar”. Oficialmente, o primeiro caso de reinfecção registrado pelo Ministério da Saúde ocorreu em 23 de outubro de 2020 em uma médica do Rio Grande do Norte que não manifestou forma grave. No último boletim do Ministério da Saúde sobre o novo coronavírus, há o relato de 11 casos confirmados no Brasil, sendo seis deles nos estados de São Paulo e Amazonas, sem nenhuma morte indicada.

Condeúba: A Secretaria Municipal de Saúde informa o Boletim Epidemiológico de hoje (21), aumentou mais OITO casos

Segundo o gráfico divulgado pela Coordenação da Vigilância Epidemiológica, informa que aumentou de 676 para 684 os pacientes infectados pelo covid-19 no município sede de Condeúba. Sendo 11 óbitos, 643 já foram curados e 30 estão em tratamento. Suspeitos 2.317, aguardam coleta 8, aguardam resultado 14 e descartados laboratorialmente 1.611.

Confira o boletim desta quarta-feira (21):

 

Anvisa autoriza testes de mais uma vacina contra Covid-19 no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, testes clínicos de fase 3 a serem realizados no Brasil de uma sexta vacina contra a Covid-19. Trata-se da vacina financiada pela empresa Sichuan Clover Biopharmaceuticals, sediada na China. Chamada de SCB-2019, a vacina da Sichuan Clover é administrada em duas doses com intervalo de 22 dias entre as doses.

Ela será testada em voluntários brasileiros no Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro. Os participantes deverão ter 18 anos ou mais. A professora da Universidade de Oxford, Sue Ann Costa Clemens, que também é membro do comitê cientifico internacional da Clover, explicou que a vacina será testada em pelo menos 8 mil voluntários, podendo chegar a 12,1 mil.

Segundo ela, o recrutamento deve começar na próxima semana. A nível global, a vacina será testada em até 30 mil voluntários distribuídos entre países da América Latina, África do Sul e Europa. Os testes de fase 3 (última etapa para conseguir a aprovação do medicamento) aprovados no Brasil serão do tipo duplo-cego (nem o paciente e nem o médico sabem se estão recebendo a vacina teste ou o placebo).

Os participantes deverão receber vacina ou placebo (substância inativa), para servir de grupo controle. A determinação de quem recebe cada substância de forma aleatória, ou seja, randomizada. O imunizante é o sexto a obter autorização da Anvisa para realizar testes clínicos no Brasil.

Ele é feito a partir de uma combinação de proteínas (antígenos) com adjuvantes, ou potenciadores, sintéticos – uma substância adicionada para potencializar a resposta imunológica ao antígeno. A Anvisa não informou a data de início dos testes.

Morre o representante comercial Douglas Gomes, 32 anos, vítima da Covid-19

O representante comercial Douglas da Silva Gomes, 32 anos, morreu na madrugada desta terça-feira (20) por complicações da Covid-19, o novo coronavírus. Douglas foi diagnosticado com a doença há cerca de 30 dias, quando iniciou o seu tratamento.

Ele estava internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC). O quadro clínico de Gomes se agravou, tendo grandes complicações nos rins, necessitando, inclusive, de fazer diálise.

Condeúba: A Secretaria Municipal de Saúde informa o Boletim Epidemiológico de hoje (20), aumentou mais QUATRO casos

Segundo o gráfico divulgado pela Coordenação da Vigilância Epidemiológica, informa que aumentou de 672 para 676 os pacientes infectados pelo covid-19 no município sede de Condeúba. Sendo 11 óbitos, 643 já foram curados e 22 estão em tratamento. Suspeitos 2.317, aguardam coleta 8, aguardam resultado 25 e descartados laboratorialmente 1.608.

Confira o boletim desta terça-feira (20):

Ações de bem-estar para profissionais de Saúde

O curso de Estética e Cosmética da FAINOR oferece, a partir de hoje (20), atendimento gratuito a profissionais que atuam na linha de frente do combate e do tratamento do Covid-19, em Conquista. Os serviços visam proporcionar um momento de recuperação física e mental, além de satisfação pessoal para estes profissionais.

Sob o tema “Bem-Estar dos Heróis da Linha de Frente”, a atividade vai atender desde profissionais da área especializada e técnica até aqueles das equipes de apoio. Serão realizados serviços de massoterapia, estética facial e corporal, estética capilar, além de terapias alternativas, como reflexologia e cromoterapia, entre outras.

Inicialmente os atendimentos serão feitos às segundas e terças-feiras no Núcleo de Estudos em Estética e Cosmética, na Rua Jesiel Norberto, bairro Candeias, no fundo da FAINOR. Os profissionais devem agendar o atendimento pelo telefone 77 3161 1062. Basta se identificar e informar o local de trabalho – no dia do atendimento, é necessário levar documento de identificação pessoal e um comprovante de atuação profissional.

Anvisa autoriza novo ensaio clínico de vacina contra covid-19

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou hoje (19) que aprovou, na última sexta-feira (16), um novo ensaio clínico de vacina contra a covid-19.

A vacina candidata terá duas doses com intervalo de 22 dias entre elas. O desenvolvimento clínico está sendo patrocinado pela empresa Sichuan Clover Biopharmaceuticals, sediada na China.

O ensaio clínico aprovado é controlado por placebo, para avaliar a eficácia, imunogenicidade e segurança da vacina, em participantes a partir de 18 anos de idade.

Nesta fase, devem ser incluídos até 22 mil voluntários distribuídos entre países da América Latina, além da África do Sul, Bélgica, China, Espanha, Polônia e Reino Unido.

No Brasil, serão 12,1 mil voluntários, distribuídos nos estados do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro.

‘Prescrever kit covid não é autonomia, é erro’, diz cardiologista e professor da USP

Foto: Divulgação/Estadão

Bruno Caramelli, cardiologista e professor da USP, entrou com representação no Ministério Público Federal (MPF) contra o Conselho Federal de Medicina (CFM) por ainda permitir a prescrição de medicamentos para tratamento precoce da covid-19. Ao Estadão, ele explica por que decidiu bater de frente com a entidade.

Como a crença no tratamento precoce está prejudicando a resposta à pandemia no Brasil?
Primeiramente, porque você está tirando as pessoas do foco daquilo que funciona. Isso é o mais cruel. Quando aquilo que funciona exige sacrifício, exige ficar em casa, exige álcool em gel, máscara e, ao mesmo tempo, você tem ao alcance das mãos um medicamento vendido sem receita que supostamente vai te proteger, a pessoa prefere não fazer o isolamento.

É muito tentador. Segundo, existem efeitos colaterais dessas medicações. Eu não sou contra a autonomia, mas isso não é autonomia, é erro médico. Autonomia é eu, por exemplo, escolher um determinado tratamento quando eu tenho três ou quatro opções comprovadas cientificamente. No caso do tratamento precoce, não há eficácia e o CFM lava as mãos. Ele deveria, além de não apoiar, condenar. É isso que a gente pede.

Eu posso até dar o benefício da dúvida de que, no começo do ano passado (quando o parecer do CFM foi feito), até daria pra pensar nisso, mas hoje não. Você tem um monte de estudos porcaria, com poucos pacientes, estudos mal desenhados, que foram publicados sobre cloroquina e ivermectina. Dependendo da sua maldade – não é nem ignorância, é maldade -, você pega e faz um método escolhendo só os estudos que dizem o que você quer dizer.

Por que o senhor decidiu entrar com a representação?
Eu estava muito incomodado e continuo muito incomodado. Passei a ver um monte de manifestações nos jornais e nas mídias sociais (contra a postura do CFM), mas percebi que só essas manifestações não iam adiantar. A gente precisa ir atrás de uma punição ou de uma ameaça de punição, de que as pessoas tenham medo, porque só com medo elas vão parar. Não dá para ficar parado. Nós estamos numa tragédia. Esta suposta bala de prata está tirando a concentração das pessoas em fazer o isolamento e seguir outras medidas.

O senhor ficou com medo de represálias da categoria ou de ser alvo de sindicância?
Eu tenho mais medo da covid. Perdi um dos meus melhores amigos, colegas. Essa história vai muito longe ainda e acho que só essas coisas por escrito não são suficientes, precisa de algo mais pungente, agressivo. Uma das razões que faz os médicos ainda prescreverem o kit covid é a certeza de que não vai acontecer nada. É o discurso de que ninguém vai me proibir, me punir.

O Brasil ora por Eva Wilma; Aos 87 anos, atriz é internada às pressas em UTI e triste comunicado é feito


Eva Wilma é uma das maiores atrizes do Brasil, ela deu vida a grande papeis na televisão e que estão marcados para sempre na teledramaturgia. Com atuações impecáveis e super profissional, até hoje os autores brigam para ter ela em suas tramas.

Nos últimos anos, a atriz teve alguns problema de saúde, chegou a ser internada e estava bem, até que uma triste notícia abalou os fãs nesta segunda-feira, 19 de abril.

Eva Wilma que atualmente tem 87 anos, foi internada hoje, segunda-feira, 19/04 em um hospital de São Paulo. A atriz está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Israelita Albert Einstein, para tratar de problemas no coração e nos rins.

Segundo boletim médico divulgado ela está consciente e respirando de forma espontânea. No começo deste ano, ela chegou a ficar 21 dias internada.

“A senhora Eva Wilma Buckup encontra-se internada no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, desde o dia 15 de abril para tratamento de problemas cardíacos e renais. A paciente, que tem uma evolução estável, está na UTI, em consciência e respirando espontaneamente.”, diz o boletim medico.

Milhares de internautas estão em corrente de oração para a veterana sair logo dessa e possa voltar para sua casa.

Fonte: G1