Cerca de 135 mil pessoas no Brasil não sabem que estão com HIV, estima Ministério da Saúde

Por Fernanda Pinheiro

Foto : Reprodução/Rede Amazônica

O Ministério da Saúde estima que cerca de 135 mil pessoas vivem com HIV no Brasil e não sabem. Com base nessa estimativa, o ministério lançou ontem (28) uma campanha para incentivar pessoas que se colocaram em risco a procurar uma unidade de saúde para realizar o teste rápido.

Segundo o diretor do departamento de doenças crônicas e infecções sexualmente transmissíveis, Gerson Pereira, o país adotou a recomendação do início do tratamento para todas as pessoas após o diagnóstico de HIV, independente da condição clínica do paciente.

“Se essa pessoa mantiver o tratamento regular, pode ter uma vida normal, assim como quem tem diabetes ou hipertensão. Mas para isso, é importante ter o diagnóstico cedo, tratar imediatamente e se manter em tratamento”, disse.

O governo ainda informou que, entre 2014 e 2018, os casos de Aids reduziram em 13,6%. O índice equivale a 12,3 mil casos evitados da doença. Já a mortalidade por Aids caiu em 22,8%, nesse mesmo período, evitando 2,5 mil óbitos. (Metro1)

Pesquisadores anunciam a ‘pílula’ anticoncepcional masculina

Foto: iStock

Pesquisadores indianos anunciaram a criação de uma vacina anticoncepcional para homens. Esse é o primeiro método de controle de natalidade masculina disponível na forma injetável. Segundo a equipe, o medicamento é aplicado na região dos testículos e pode durar até 13 anos com eficácia comprovada de 97% – um número excelente: a camisinha, um dos métodos mais utilizados na prevenção da gravidez, por exemplo, fornece proteção de 98%.

A injeção, chamada de RISUG, já passou por testes clínicos e os resultados foram enviados para Controlador Geral de Remédios Indianos, departamento governamental que atua de maneira semelhante à Anvisa no Brasil. “O produto está pronto, com apenas aprovações regulatórias pendentes”, disse R.S. Sharma, do Conselho Indiano de Pesquisa Médica, ao site Hindustan Times. A aprovação (ou rejeição) do anticoncepcional masculino deve acontecer em até sete meses. Apesar disso, não há previsão para a comercialização do produto.

8 em cada 10 adolescentes não se exercitam o suficiente, diz OMS

Oito em cada dez crianças e adolescentes de 11 a 17 anos não realizam atividade física suficiente. No Brasil, o percentual é ainda maior: 84% dos adolescentes nessa faixa etária são menos ativos do que deveriam. Os dados mostram ainda que não houve nenhuma melhora significativa nesses níveis nos últimos 15 anos. A conclusão é do primeiro estudo comparativo sobre o tema, lançado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quinta-feira (21).

Os dados são de 2016 e analisam 1,6 milhões de jovens em 146 países. Para a OMS, o ideal é que jovens nessa faixa etária façam pelo menos 60 minutos de atividade física moderada cinco vezes por semana. A organização destacou a diferença nos níveis de atividade física de meninas e meninos no país: Para Leanne Riley, analista da OMS e coautora do estudo, é preciso estimular atividades físicas que despertem o interesse feminino e também investir na criação de espaços onde as meninas se sintam seguras para praticar esportes.

De acordo com o G1, enquanto 78% dos meninos brasileiros fazem menos exercício do que deveriam, o percentual é de 89% entre as meninas – uma diferença de 11 pontos percentuais. Apenas um em cada três países pesquisados registraram diferença de mais de 10 pontos percentuais entre os sexos.

Brumado: Terço dos Homens adere ao Novembro Azul e debate temática com urologista

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

Em Brumado, o Terço dos Homens, da Igreja Católica, aderiu à campanha Novembro Azul e promoveu entre os participantes uma palestra com o médico urologista Thiago Torres para orientações e esclarecimento de dúvidas.

À frente do grupo no município, Orlando Gomes disse que, além de levar espiritualidade ao homem, o Terço dos Homens também se preocupa em chamar a atenção para o cuidado com a saúde através da prevenção ao câncer de próstata.

“Hoje, muitos ainda morrem por não terem quebrado esse tabu. Nessa ação social, nós promovemos essa palestra na comunidade Santa Rita. Conseguimos a fundo entender que é necessário o homem cuidar da saúde. Foi muito bom”, avaliou.

Na oportunidade, segundo Gomes, o médico urologista esclareceu várias dúvidas dos participantes com relação à doença e à saúde dos homens em geral. Gomes ainda ressaltou que a palestra foi muito bem recebida pelo grupo. “Todos, a partir de agora, irão cuidar melhor da saúde”, concluiu.

Miopia: ‘Cirurgia a laser deveria ser proibida’, diz ex-consultor da FDA

Foto: Thinkstock/Veja

Aclamada por médicos e pacientes como uma cirurgia com bons resultados em pessoas com miopia, hipermetropia ou astigmatismo, a operação conhecida como Lasik está sendo alvo de contestações.

Morris Waxler, ex-consultor da Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora de remédios nos Estados Unidos, que originalmente votou pela aprovação da cirurgia ocular, agora diz que o procedimento deve ser retirado do mercado.

“Ignoramos os dados sobre distorções da visão que persistiram por anos”, disse Waxler, à CBS News. “Examinei novamente a documentação e pensei: ‘Uau, isso não é bom.’” Waxler calcula que as taxas de complicações ficam entre 10 e 30%.

A cirurgia LASIK usa um laser especial para remodelar a córnea e melhorar o “poder de foco” do olho. O procedimento foi aprovado pelas autoridades federais em 1998.

Waxler fala também que o próprio site da agência federal de saúde detalha os riscos associados ao procedimento, que incluem perda de visão, “sintomas visuais debilitantes” – como brilho, halos e visão dupla e que a segurança e eficácia a longo prazo da cirurgia não são conhecidas”.

Waxler, que em 2011 solicitou à FDA que emitisse um recall voluntário da LASIK, mas foi negado, disse à CBS News que o procedimento deve ser “absolutamente” proibido.

O FDA disse à CBS News em comunicado que a agência “não encontrou nenhuma nova preocupação de segurança associada aos dispositivos LASIK”. O assunto é bastante polêmico, já que o procedimento é aprovado por mais de 90% dos pacientes que passaram por ela.

Um em cada seis homens tem câncer de próstata no Brasil

Doença mata 14 mil brasileiros por ano

Um em cada seis homens tem câncer de próstata no Brasil, doença que é a segunda principal causa de morte por câncer de pessoas do sexo masculino no país – cerca de 14 mil óbitos por ano. Os dados, do Instituto Nacional de Câncer (Inca), servem de alerta para que os homens não deixem a saúde de lado. Apesar do alto índice da doença, o levantamento mostra que metade dos brasileiros nunca foram a um urologista.

“Infelizmente ainda há muito bloqueio por parte do público masculino em relação ao exame do toque retal. Felizmente, isso tem melhorado um pouco ao longo dos anos. Associado a esse tabu, de ser um exame um pouco mais evasivo, de mexer com a parte da sexualidade masculina, o homem acaba ficando com um pouco mais de receio de ir ao médico”, ressalta Felipe Costa, médico urologista do Hospital do Homem, na capital paulista.

O câncer de próstata, assim como a pressão alta e o diabetes, é silencioso. De acordo com o médico, a única forma segura de se precaver em relação à doença é a consulta clínica. Homens a partir dos 50 anos devem realizar o exame anualmente.

“Há grupos com fator de risco maior para o câncer de próstata: são os negros e aqueles indivíduos que têm história na família com câncer de próstata abaixo dos 60 anos. Para essas pessoas, a partir dos 40 ou 45 anos, eles já devem ter um acompanhamento direcionado para diagnosticar a doença”, ressalta o médico.

Doença lenta

O câncer de próstata, na maioria dos casos, cresce lentamente, não causa sintomas e, no início, pode ser tratado com bastante eficácia. Em outros casos, no entanto, pode crescer rapidamente, espalhar-se para outros órgãos e causar a morte.

“O exame é extremamente rápido, é feito com anestésico local, de uma forma que provoque menos incômodo para a pessoa. Ainda hoje é uma das formas mais seguras e eficientes que a gente tem para poder diagnosticar o câncer de próstata na forma mais inicial”, destaca o médico.

Além do exame preventivo, os médicos recomendam que sejam evitados outros fatores, já conhecidos facilitadores da doença, como alimentação pobre em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais; sedentarismo, consumo de álcool e tabaco.

Segundo o Ministério da Saúde, estimativas apontam que ocorreram 68.220 novos casos da doença em 2018. Esse número corresponde a um risco estimado de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens.

A próstata é uma glândula presente apenas nos homens, localizada na frente do reto, abaixo da bexiga, envolvendo a parte superior da uretra (canal por onde passa a urina). A próstata não é responsável pela ereção nem pelo orgasmo. Sua função é produzir um líquido que compõe parte do sêmen, que nutre e protege os espermatozoides. Em homens jovens, a próstata possui o tamanho de uma ameixa, mas seu tamanho aumenta com o avançar da idade.

Reforma da Previdência entra em vigor hoje

A reforma da Previdência traz mudanças na forma de definir a quantia que cada trabalhador vai receber na aposentadoria. Agora, o benefício será calculado com base na média de todo o histórico de contribuição – na regra de antes da reforma, 20% dos salários (os mais baixos) são desprezados da conta.

A reforma da Previdência foi promulgada nesta terça-feira (12), quase 9 meses após chegar ao Congresso. As mulheres que entrarem para o mercado de trabalho depois que a reforma entrar em vigor terão que contribuir por ao menos 15 anos para ter direito ao benefício, e os homens, por 20 anos.

Ao atingir esse tempo mínimo de contribuição (15 anos para mulheres e 20 para homens), o trabalhador terá direito a 60% da média dos salários que recebeu a partir de 1º de julho de 1994 (data em que a moeda brasileira deixou de ser o cruzeiro e passou a ser o real). E, a cada ano a mais de pagamentos para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o percentual aumenta em 2 pontos.

Vigilância Epidemiológica realiza vacinação contra sarampo em universidades

Com o foco para imunização dos adultos entre 20 e 29 anos das universidades.

A coordenação de Vigilância Epidemiológica está realizando nesta segunda (11) e terça (12) ações de vacinação, durante todo o dia, na Universidade Federal da Bahia (UFBA) e na terça, no turno da noite, no Centro Universitário UniFTC. A ação faz parte da campanha de vacinação contra o sarampo, com o foco para imunização dos adultos entre 20 e 29 anos das universidades.

Os estudantes que não estiverem com a vacina contra o sarampo em dia podem procurar pelos profissionais do serviço de imunização, que estão dentro das instituições de ensino, para fazer a atualização da caderneta de vacinação.

A vacinação in loco tem o objetivo de dar o pontapé inicial na segunda fase da campanha, que começa oficialmente na próxima segunda (18), a começar pelos locais onde há maior circulação do público a ser vacinado.

Plano do Ministério da Saúde prevê que enfermeiro faça consultas e prescreva remédios

Foto: Reprodução/Getty Images

Enfermeiros poderão passar a solicitar exames, realizar consultas e prescrever alguns remédios no SUS. As novidades constam em um plano do Ministério da Saúde. A iniciativa deve ser lançada ainda neste ano, de acordo com apuração da Folha de S. Paulo. A reportagem destaca que as atividades são respaldadas por lei federal, mas enfrentam resistência dos conselhos médicos.

A apuração do veículo ainda indica que a proposta inclui a elaboração de novos protocolos de enfermagem. Experiências no Reino Unido e Canadá, e em alguns municípios brasileiros inspiraram a iniciativa. O Conselho Federal de Medicina (CFM) informou à reportagem que desconhece a proposta do Ministério da Saúde e que foi chamado para se manifestar sobre ela.

A entidade chamou a atenção para que apesar de reconhecer a existência de protocolos específicos para ações no campo da saúde pública, a Lei do Ato Médico estabelece que o diagnóstico e a prescrição de tratamentos são atribuições exclusivas do médico.

Bahia já registrou 96 mortes por asma este ano

Foto: Reprodução

Asma é uma das doenças respiratórias crônicas mais comuns, juntamente com a rinite alérgica e a doença pulmonar obstrutiva crônica. De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), este ano, foram registrados 96 óbitos pela doença no estado. Enquanto, em todo o ano passado, o órgão registrou 168 mortes.

Quanto as internações, de janeiro até agora, foram contabilizadas 5.261 pacientes que precisaram ficar mais tempo nos hospitais. Dados do ano anterior, mostram que esse número chegou a 12.267 pessoas internadas com asma.

De acordo com o Tribuna da Bahia, o Ministério da saúde alerta que, as principais características dessa doença pulmonar são dificuldade de respirar, chiado e aperto no peito, respiração curta e rápida. “Os sintomas pioram à noite e nas primeiras horas da manhã ou em resposta à prática de exercícios físicos, à exposição a alérgenos, à poluição ambiental e a mudanças climáticas”.

O Ministério explica que, vários fatores ambientais e genéticos podem gerar ou agravar a asma. Entre os aspectos ambientais estão a exposição à poeira e barata, aos ácaros e fungos, às variações climáticas e infecções virais. “Para os fatores genéticos, destacam-se o histórico familiar de asma ou rinite e obesidade, tendo em vista que pessoas com sobrepeso têm mais facilidade de desencadear processos inflamatórios, como a asma”, ressalta.

A doença pode ser controlada e o Sistema Único de Saúde (SUS) oferta o tratamento. Para isso, a orientação é que o paciente procure uma Unidade Básica de Saúde (UBS). Lá, o profissional de saúde terá todas as orientações relacionadas ao tratamento e à prevenção de crises, o que inclui entender os sintomas e sinais de agravamento da doença.