Categoria: Cultura

21 de abril dia de Tiradentes, é feriado nacional

POR Juliana Bezerra Professora de História

O Dia de Tiradentes é comemorado em 21 de abril no Brasil desde 1965, pela Lei Nº 4.897

Essa data é feriado nacional e faz homenagem a Tiradentes, considerado um herói nacional, mártir e Patrono da Nação Brasileira.

Com o objetivo de enfatizar a importância dessa figura multifacetada no desenvolvimento da história do Brasil, a data faz referência ao dia de sua morte, quando Tiradentes foi enforcado e esquartejado em 21 de abril de 1792.

Segundo ele:

Se todos quisermos, poderemos fazer deste país uma grande nação. Vamos fazê-la.

Dia de Tiradentes

Quem foi Tiradentes?
Joaquim José da Silva Xavier nasceu no dia 12 de novembro de 1746 em Minas Gerais, na cidade de Pombal (hoje chamada Tiradentes).

A alcunha “Tiradentes” estava relacionada a prática farmacêutica que na época os autorizava a fazer operações dentárias.

Tiradentes envolveu-se num dos movimentos revolucionários libertários do século XVIII que ocorriam na colônia daquela época. É preciso lembrar que houve outras rebeliões como a Revolta de Vila Rica ou a Conjuração Baiana.

A prisão e a morte de Tiradentes
Em 1788, Tiradentes envolveu-se no movimento revolucionário da Inconfidência Mineira contra a Coroa portuguesa. Foi preso em 10 de maio de 1789, no Rio de Janeiro, quando tentava captar apoio para sua causa.

Ficou preso durante três anos e foi o único do grupo dos Inconfidentes a ser condenado à forca. Foi enforcado e depois esquartejado, na praça da Lampadosa, no Rio de Janeiro, dia 21 de abril de 1792.

Inconfidência Mineira
A Inconfidência Mineira foi um movimento de cunho separatista e libertário, também chamado de “Conjuração Mineira”, e buscava a emancipação da capitania de Minas Gerais em relação a Portugal.

Durante o século XVIII, os portugueses voltaram sua atenção para a região das Minas Gerais, na medida em que foram encontradas diversas minas de ouro e diamantes no local. Vem daí o nome do estado.

Minas Gerais tornou-se o grande atrativo para exploradores e conquistadores que se estabeleciam no local para tentar fortuna.

Por isso, a extração de ouro tornou-se a principal atividade econômica da Coroa Portuguesa durante o século XVII e XVIII. Além de explorar as minas, trabalhadores e escravos, cobravam-se altos impostos da colônia como o quinto, derrama e capitação.

Grande parte do ouro explorado era enviado para a Europa com a finalidade de enriquecer a Coroa. Os impostos abusivos deixavam a elite e a população cada vez mais descontentes com esta situação.

O grupo dos Inconfidentes
Os Inconfidentes, influenciados pelos ideais Iluministas, eram um grupo constituído por representantes da elite mineira. Havia proprietários de terras, militares, mineradores, advogados, intelectuais e padres.

Estava composto de cerca de 30 membros dos quais se destacam o poeta luso-brasileiro Tomás Antônio Gonzaga (1744-1810) e o poeta mineiro Cláudio Manuel da Costa (1728-1789).

O grupo lutava, sobretudo, pela autonomia das capitanias, a independência da região e a implementação de um sistema de governo republicano.

Quando delatados para a Coroa Portuguesa, o movimento foi desfeito, resultando no enforcamento de Tiradentes e a prisão ou o degredo dos outros inconfidentes.

A jovem escritora Letícia Bartulihe apresenta seu livro “Me Apaixonei Pelo Meu Sequestrador”

A Escritora Letícia Bartulihe

A escritora que não gostava de ler
Dizem que escritores são amantes da leitura, mas Letícia Bartulihe não era fã de livros antes de começar a escrever os seus. Letícia Bartulihe aos 19 anos está lançando seu primeiro livro físico “Me Apaixonei Pelo Meu Sequestrador”, mas sua carreira de escritora começou aos 15 anos quando decidiu postar as suas histórias no aplicativo de leitura Wattpad depois de ler três livros durante as férias e ficar encantada com o mundo da literatura.

Em apenas 10 dias, seu primeiro livro “Me Apaixonei Pelo Meu Sequestrador” começou a fazer sucesso alcançando mil leituras e em quase três meses o livro alcançou cem mil leituras, mas não pense que a história alcançou todo esse sucesso sem um intenso trabalho por trás.

Letícia estava no ensino médio quando começou a escrever e por isso precisava dividir seu tempo entre cursos, tarefas de casa e tarefas do Colégio, por isso muitas vezes teve que acordar ás 04 da manhã para escrever antes de ir à escola, divulgar seu livro enquanto fazia caminhada e responder os comentários enquanto tomava café da manhã, pois esse era o único tempo disponível em meio tantas coisas.

Foi assim durante um pouco mais de três meses quando ela finalmente finalizou o seu primeiro livro. Hoje, ele está com mais de 960 mil leituras no Wattpad e transformando isso em pessoas são milhares de adolescentes apaixonadas espalhadas por diversos países como, por exemplo, Portugal, Moçambique e Angola.

Letícia Bartulihe já tem quatro livros escritos e incentiva meninas adolescentes a escreverem, pois sempre diz que todas podem ser escritoras, afinal até ela que nunca tinha imaginado escrever algo e que via a leitura como uma obrigação, se tornou um incentivo para tantas outras adolescentes.

“Você vive mil vidas quando lê, mas pode viver milhares quando escreve”, incentiva Letícia.
Algumas pessoas dizem não ter tempo, outras dizem não ter talento, mas Letícia mostra que nada disso é necessário, pois se perguntasse a ela com 15 anos se ela tinha tempo, ela diria que não, mas tinha tomado uma decisão e sabia que seu sucesso dependia apenas do quão focada ela estivesse.

Letícia Bartulihe começou a escrever aos 15 anos, sempre foi apaixonada por artes, por isso desde 2014 participa do Projeto “Canarinhos do Itapety” em Mogi das Cruzes/SP, faz aula de violoncelo no projeto “Orquestra Sinfônica de Mogi das Cruzes” desde 2015 e atualmente cursa Jornalismo na Universidade Paulista. e se dedica as redes sociais ensinando meninas adolescentes a serem mais felizes, melhores e mais realizadas. E claro, continua levando alegria através da arte. Ela tem um canal no Youtube onde fala sobre autoestima, amor próprio, sonhos e livros. Seu primeiro livro conta com mais de 900 mil leituras no aplicativo Wattpad.

Tema do livro: Uma adolescente mais rica da elite de São Paulo
Carina Jórdan tem uma vida que muitas adolescentes gostariam de ter, cheia de festas, de luxos, de viagens, mas ela precisa encontrar quem ela realmente é.

Quem nunca quis saber como é a vida das adolescentes mais ricas de São Paulo? Onde elas estudam? Sobre o que elas falam? Tudo isso pode ser um mistério, mas para trazer um pouco de emoção aos corações Letícia Bartulihe escreveu o livro totalmente ficcional, mas ainda assim com muitas realidades adolescentes “Me Apaixonei Pelo Meu Sequestrador” que de um modo muitas vezes engraçado vai narrar a história de Carina Jórdan, a adolescente mimada que é sequestrada e lá em sua aventura conhece Leonardo Cardoso.

Ela é acostumada a ditar as regras, ele é acostumado a quebrar as regras, onde esses dois vão chegar? Na verdade, não muito longe, porque Carina é amada em seu mundo e boa em ser “Carina Jórdan”. Pensar em ser uma pessoa diferente não está em seus planos, mas depois de tudo que viveu a adolescente, já não é mais a mesma. E quando finalmente volta para o seu mundo percebe que as pessoas podem sim criticá-la por ter se apaixonado por alguém errado diante a sociedade.

Além de todo romance principal, o livro mostra a realidade de muitos adolescentes: pais ausentes, necessidade de serem aceitos, problemas de autoestima, álcool e drogas sendo apresentados precocemente, gravidez indesejada por ser descuidada e mesmo que a realidade esteja ruim, as aparências importam e valem mais do que um verdadeiro sorriso.
Letícia Bartulihe mostra em “Me Apaixonei Pelo Meu Sequestrador” todos os lados de se estar crescendo, de estar se tornando aos poucos adulta e para Carina Jórdan é ainda mais difícil porque todos esperam que ela tenha a alma de empresário de seu pai e a determinação de sua mãe, mas ela não é nenhum dos dois e nesse enredo todo, ela terá que se encontrar e fazer suas escolhas para enxergar o que realmente importa.

Contato: Email: leticabartulihe@gmail.com / Instagram: Letícia Bartulihe

Condeúba/Distro do Alegre: O mais recente lançamento da escritora Regiane David

 

 

Lançamento do livro “Com amor, Sr. Sequestrador” de Regiane David, capa de Tiago France e ilustração de JanilsonSJ acontece no domingo, dia 18 de abril a partir das 20hs em sua página do instagram @regianedavid98.Domingo, dia 18 de abril, a partir das 20 hs, pelo instagram, acontecerá o lançamento do livro Com amor, Sr. Sequestrador, obra de uma das artistas de nossa região. Regiane David vem se destacando por sua dupla atuação como escritora romancista e professora. Autora do livro para adulto “ Uma noite para esquecer” e participante da antologia de contos “ Um café para começar”, organizado pelo Mochilão Literário, vem ganhando conhecimento pelos leitores apaixonados por romances.

Vem agora com o lançamento do seu novo romance Com amor, Sr. Sequestrador, um romance contemporâneo para o público infanto juvenil cheio de mistério e drama, tendo como capista o diagramador e disgner Tiago France, e como ilustrador JanilsonSJ, aluno da escritora Regiane David estudante do 9º ano do fundamental II da Escola Municipal Antônio Terêncio, um desenhista jovem, mas com um futuro promissor, e a escritora vendo seu potencial convidou-o para trabalhar em seu livro, onde este desenvolveu um magnífico trabalho. Neste livro a escritora busca por meio da escrita conscientizar os jovens sobre o uso da internet nas redes sociais, abordando também o tráfico de pessoas, que infelizmente é uma realidade pouco comentada e muitas vezes até desconhecida pelos nossos jovens.

O livro possui inicio na Comunidade Quilombola do Tamburil região do Distrito do Alegre, com duas garotas fictícias que vivem uma vida simples, estudam, participam de comemorações em sua comunidade. Até que uma delas conhece um rapaz pela internet e engata um romance escondido de seus pais, ela muito apaixonada conta tudo sobre a sua família e sua rotina de vida, ele então conhecendo seu maior desejo, faz-lhe uma oferta irrecusável, e ela não desperdiça a oportunidade, e vai embora para encontrar seu amado. Mas sabemos que nem todos que conhecemos do outro lado da telinha são realmente quem diz ser e Joana terá uma enorme…

Ainda bem que é um romance fictício e a escritora pode escolher um final feliz se assim preferir, coisa impossível de se realizar na vida real.

Portanto não percam o lançamento do livro Com amor, Sr. Sequestrador, e adquira o seu na loja Uiclap que estará disponível a partir de domingo.

Sem São João, agricultura familiar será afetada na Bahia

Em meio a anúncios de cancelamentos de festas do São João em ao menos dez cidades da Bahia, as decisões impactam em “perdas inimagináveis” na economia, principalmente, local. Além disso, a repercussão econômica no estado durante o feriado junino chega a ser semelhante ao Carnaval.

Segundo economistas, o São João é uma festa de serviço. Ela tem uma característica especial: o produto majoritariamente consumido é de agricultura familiar, então acaba movimentando muito fortemente a economia local. O interior do estado, por exemplo, sofrerão perdas inimagináveis, e isso não se resume apenas à arrecadação do município: impacta da agricultura familiar até a indústria do entretenimento, que será a última a voltar.

Só com as festas que tem, é praticamente equivalente ao Carnaval de Salvador pela sua duração, são oficialmente três, quatro dias, mas sabemos que durante todo o mês de junho essas festividades se alongam. Tem cidade que triplica a movimentação. Tem hospedagem e todas as movimentações turísticas, de consumo. Isso gera arrecadação principalmente para o Imposto Sobre Serviços (ISS).

Fonte: 97news

A FAMÍLIA É A CÉLULA MATER DA SOCIEDADE (Ruy Barbosa)

Reflexões:

“A família é a célula mater da sociedade”. Essa frase de Rui Barbosa é emblemática. Outras citações fazem comentários sobre a família: “A família é ainda a pedra fundamental da sociedade”; “Paz e harmonia – esta é a verdadeira riqueza de uma família” (Benjamin Franklin); “Considero a família e não o indivíduo como o verdadeiro elemento social” (Honoré de Balzac); “A pátria é a família amplificada”.
(Ruy Barbosa); entre outras, Friederich Nietzsche diz: “Ai daquele que não tem lar”.

As citações acima mostram a importância da família na vida do cidadão, constituindo-se numa instituição universal e milenar que dá segurança natural ao indivíduo que tem esse conceito de afinidades familiar.

Aristóteles dizia ser a família uma comunidade de todos os dias, “com a incumbência de atender as necessidades primárias e permanentes do lar” e Cícero criou a expressão, consagrada pelo tempo, segundo a qual a família é “princípio da cidade e origem ou semente do Estado”.

Em períodos de antanho, o ser humano tinha a necessidade biológica e a função reprodutiva da espécie, cabendo à mãe os cuidados com os filhos pela tendência maternal inata. Promíscuo, não distinguia o parentesco e se relacionava com o sexo oposto indiscriminadamente, pelo instinto sexual – uma vida animalesca. Não havia o conceito de família. Com a evolução de espécie houve significativa transformação.

Houve tempo em que o casamento era arranjado pelo pai da moça que escolhia o candidato conforme a sua conveniência, sem que houvesse o consentimento da casadoira. Uma situação inadmissível atualmente. Nessa época predominava a família patriarcal. Continue lendo

Governador Rui Costa descarta realização de São João na Bahia neste ano

Nesta quarta-feira (7), em entrevista ao programa Balanço Geral, da Record TV Itapoã, o governador Rui Costa disse que não acredita que os festejos de São João possam acontecer este ano, pelo menos no mês de junho: “Não há possibilidade, não vejo horizonte. Pelo menos na data de junho, eu acho pouco provável. Exceto se tivesse uma programação, outro dia alguém sugeriu, brincando, fazer um São João para a melhor idade. Então, faz ali no Parque de Exposições, e só entra acima de 60 anos com a carteira de vacinação.

Quem tiver vacinado entra, quem não tiver vacinado não entra”, brincou Rui Costa, reforçando ainda que mesmo o impasse sobre a importação das doses da vacina russa Sputnik V seja resolvido, não será possível ter, na data do São João, uma taxa de imunização que permita a realização dos festejos. “Até porque são duas doses. Mesmo que a gente resolva, em junho está previsto 10 milhões de doses das 37 milhões da Sputnik.

Mas nós temos que aplicar a segunda dose. As pessoas só estão imunizadas com a segunda dose. Então, na melhor das hipóteses, nós vamos ter um número mais expressivo de imunizadas na Bahia no final de julho, com a segunda dose. A primeira dose não é suficiente”, afirmou.

Cordeiros continua com as comemorações de seus 60 anos de Emancipação Política

I Seminário do Memórias, com o tema “60 anos de Emancipação Política de Cordeiros-BA”.

🗓 10 de abril de 2021
⏰ 19:00 horas
🚨 Página do Memórias de Cordeiros no Facebook

Mediação:
Yan Roberto Santos de Oliveira

Pesquisador do Projeto Memórias de Cordeiros; Graduando em Licenciatura em História pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB); Membro do Grupo de Pesquisa Recôncavo Arqueológico, do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Graduando Bacharelado em Direito pela Faculdade de Tecnologia e Ciências (UniFTC) e Vice-coordenador do Movimento Condor Nordestino.

Convidados:

Prof.ª Joandina Maria de Carvalho

Graduada em Licenciatura em História pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB); Mestrado em Bens Culturais e Projetos Sociais do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC), da Fundação Getúlio Vargas (FGV-RIO) e Especialização em História do Brasil pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB).

Prof. Jesuíno Aparecido Andrade

Graduado em Licenciatura em Letras pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB; Graduado em Licenciatura em História pelo Centro Universitário Internacional (UNINTER); Pós-graduado em Metodologia do Ensino de História pelo Centro Universitário Internacional (UNINTER); Pós-graduado em Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa pela Faculdade Einstein; Pós-graduado em Língua e Literatura pela FCG e autor do livro “Memórias em pedaços: relatos da história guajeruense”

Prof. Laércio Santana Miranda

Graduado em Licenciatura Plena em Letras Clássicas pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB); Graduado em Bacharelado em Direito pelo Centro Universitário (UniFG); Especialista em produção de material didático e mediação de leitores para EJA pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Especialista em Direito Previdenciário pela Faculdade de Ciências da Bahia (FACIBA).

Atividade Cultural:

Jaqueline Pereira Silva

Graduanda em Psicologia pela Faculdade de Tecnologia e Ciências (UniFTC); Poetisa e membra do Movimento Condor Nordestino.

Sei que fui longe!!!

POR Edtattoo

Sei que fui longe
Sei que fui transe
Na batida da rima que me toma
Sentia a fala suave que me lava, aqui sou selva.
Cartaz da festa cancelada por dor.
O artista perdeu seu tempo quando o riso do palhaço virou febre, tornamos reféns de suas falas, metáfora e mentira.
Acalma senhor os corações aflitos retirando nossas vendas.
O mundo tornou se sujo e não conseguimos ver suas vestes por entre as frestas de nossa alma.
Em transe caminhamos cobertos de medo, afastando nos dos seus mandamentos e de sua face.

QUEM É JESUS?

QUEM É JESUS?

Render graças ao Senhor
Pela sua manifestação.
Escute o Filho de Deus,
Que trouxe a Salvação.
O Evangelho de João,
Que veio testemunhar
O batismo de Jesus,
Para a humanidade anunciar
A vinda do Filho do Homem,
Que prometera para o céu nos levar,
Para que um dia na glória de Deus,
Assim pudéssemos triunfar.
João Batista ao ser indagado pelos fariseus,
Assim os responderam:
É o Messias lá do céu,
Que à Terra voltará
Para julgar os bons e os maus,
Que na vida souberam amar a paz.
Não sabiam se era Elias,
Ou se era o Messias.
Perguntaram para o profeta Isaías,
Se ele o conhecia.

Antônio Santana,
Poeta.
Condeúba – Bahia.

UMA FELIZ E ABENÇOADA PÁSCOA DE JESUS CRISTO!

MOMENTO DE REFLEXÃO: POR ONDE ANDA O SER HUMANO?

Professor, poeta e escritor Antonio da Cruz Santana/Condeúba – Bahia.

Para entender melhor com relação ao comportamento do ser humano, foi necessário recorrer à Filosofia e à Sociologia, acerca da complexidade temporal da convivência do homem na Sociedade Brasileira Contemporânea.
Segundo Aristóteles, o ser humano é um ser de linguagem. O filósofo chegou mesmo a dizer que é a linguagem que nos faz mais humanos, nos diferenciando dos outros animais.
É evidente que os animais se comunicam entre si. As abelhas, por exemplo, são capazes de informarem umas às outras onde há néctar. E também há comunicação entre os homens e outras espécies. Existem várias pesquisas que indicam que animais como chimpanzés e cachorros são capazes de reconhecer palavras e expressões humanas. Mas, ainda sim, apenas os humanos se comunicam por meio de uma linguagem articulada.
Vale ressaltar, que a cada dia o ser humano parece encontrar-se mais distante de si mesmo e dos valores que formam o caráter humano. Atualmente, vivemos numa sociedade contaminada e contagiada pelo capitalismo selvagem da robotização e da alienação tecnológica capaz de eliminar em curto espaço físico e de tempo a presença do outro na sua vida.
No Brasil, especificamente, parece que tudo se transforma em costume ou modismo num clicar de dedo, porém, nunca se toma como base de aprendizagem os bons exemplos a ser praticados por grande parde da população brasileira.
O feminicídio contra à mulher no Brasil, parece não ter mais fim que a cada dia aumenta o número de mulheres mortas, sendo assassinadas por verdadeiros monstros vestidos de homens( que são verdadeiros covardes) vivendo na Sociedade. Sabemos que à violência está generalizada ultrapassando barreiras por diversas razões: o desemprego, a falta de investimentos na Educação Básica, a falta de moradia digna para as pessoas mais pobres e vulneráveis, a ausência de Políticas Públicas do governos federal, estadual e municipal em arte, esportes, cultura e lazer.
Enfim, o nosso País é mal administrado porque se cuida muito da Política Partidária e esquece de cuidar de vidas humanas, que representam o “Bem Maior” de qualquer País.
Nesse sentido, uma nação para que haja justiça social, é necessário haver uma melhor distribuição de renda entre pobres e ricos. Pois, sabemos que no Brasil, esta condição de justiça dificilmente acontecerá porque a ganância e a ambição pelo PODER farão o País empobrecer em todas as suas camadas e instâncias.