Arquivos da categoria: Cultura

Deputado propõe que casa de Barão de Jeremoabo se torne patrimônio cultural

Cícero Dantas Martins chegou a ser o maior proprietário de terras do Nordeste, tendo 61 fazendas espalhadas pela Bahia e Sergipe

Casa do Barão de Jeremoabo Reprodução – João de Souza Lima

O deputado estadual Jacó (PT) apresentou ao legislativo, um projeto de lei (PL) em que propõe tornar a casa onde nasceu o Barão de Jeremoabo, na Fazenda Caritá, no município de Jeremoabo (BA), patrimônio cultural imaterial.

O PL, de número 23.398/2019, demanda também a recuperação do prédio histórico e traz em sua justificativa um texto do estudioso Roberto Ventura, professor de Teoria Literária na Universidade de São Paulo (USP) e autor de ‘Estilo Tropical’, um livro que aborda a história cultural brasileira entre 1870 e 1914.

No livro, segundo o deputado, há referências a Cícero Dantas Martins (o Barão de Jeremoabo) em obras de autores consagrados como Euclides da Cunha e o peruano Mario Vargas Llosa, que no romance ‘A Guerra do Mundo’ (baseado na Guerra de Canudos) cria a figura do Barão de Canabrava, inspirada no Barão de Jeremoabo, conforme o professor.

Cícero Dantas Martins nasceu em 1838; formado em Ciências Sociais e Jurídicas no Recife (PE), recebeu o título de barão do imperador D. Pedro II. Ele chegou a ser o maior fazendeiro de todo nordeste, e teve 61 propriedades rurais espalhadas pelos estados da Bahia e Sergipe. O Barão de Jeremoabo também teve uma extensa carreira política, sendo deputado pela Bahia, por quatro legislaturas e senador da província em 1891; Cícero Dantas faleceu em 1903 na cidade de Bom Conselho, que hoje leva o seu nome.

Redação de Sertão em Pauta, com informações de AL-BA.

Itambé vai promover o 1º Encontro de Capoeira “Vem jogar mais eu”

O município de Itambé estará realizando entre os dias 19 e 21 de julho, na sede da Apae, o 1º Encontro de Capoeira “Vem jogar mais eu”. A realização do evento é uma parceria entre o Grupo de Capoeira Descendentes de Zumbi e a Prefeitura de Itambé.

Sob a supervisão do contramestre Bahia de Belo Horizonte, a expectativa dos organizadores é reunir um grande número de capoeiristas de Itambé e de toda região.

Conforme a organização do evento, um dos momentos que promete emocionar os participantes é uma homenagem ao Professor Tripa (Moisés Silva), um amante da arte afro-brasileira e grande incentivador da capoeira na cidade, que faleceu em 2017.

A abertura da programação será no dia 19, às 14:00 horas. Nos demais dias, as atividades vão começar às 6:00 horas.

MÃE STELLA DE OXÓSSI NA LITERATURA

Por Thiago Braga

Uma lembrança deixada por Stella de Oxóssi (1925 – 2018) é o livreto chamado “O que as folhas cantam”, resultado de sua experiência dentro do Candomblé. A autora brinda – nos com uma obra singela, escrita à luz da realidade, cheia de pontos interessantes em torno da cultura africana. Trabalho agradabilíssimo.

Não exclui a necessidade de lermos com máxima atenção as palavras tiradas do “imaginar criativo”. Eterniza a imagem da mãe de santo mais popular da Bahia.

Rio de Contas receberá encontro de sanfoneiros entre os dias 26 e 28 de julho

Acontece entre os dias 26 e 28 de julho a primeira edição do Encontro de Sanfoneiros de Rio de Contas. O evento que ocorrerá na cidade da Chapada Diamantina reunirá em seus três dias atrações como Targino Gondim, Del Feliz, Roberto Dantilly, Luizinho do Acordeon, Black do Acordeon, Hugo Luna dentre outros artistas regionais.

O festival ocorrerá na Praça do Landim, local onde o projeto paisagístico se harmoniza com os elementos da natureza. Além das apresentações musicais, o evento terá artesanato, concursos e boa comida.

Rio de Contas está localizada ao sul da Chapada Diamantina na Bahia. O município é considerado o mais antigo da região, tendo sido fundado há 296 anos, em 1723 por bandeirantes paulistas, do norte de Minas e Goiás, que buscavam ouro pelo Sertão.

Paróquia de Santo Antônio/Condeúba: Concretizada a festa de São João Batista 2019

Por Agnério Evangelista

Festa da Natividade de São João Batista, momento em que a Sra. Abelina entrega a Bíblia ao Padre José Silva

O Conselho Comunitário Pastoral – CPC de São João, nas pessoas de Abelina, Agnério, Carleide, Laurita, Helena, Elita, Rita Duarte e Rita Flores, organizou, dirigiu e realizou festa de sua Natividade, no período de 04 a 07 de Julho de 2019. Foi um sucesso celebrar com devoção e fé, tendo o apoio de fiéis católicos, esse grande acontecimento na vida da igreja.

João Batista, percursor de Cristo e primo dele, veio para preparar-lhe o caminho por meio de um batismo nas águas do Rio Jordão e de ensinamentos de conversão. Sua festa é celebrada no dia 24 de junho, porém, por questões folclóricas de festas juninas no Nordeste do Brasil, a festa de Condeúba ficou para o primeiro domingo de Julho. Há muitos anos que esta celebração acontece nesta data, desde o tempo do Padre Waldemar. Ele precisava se deslocar até Pres. Jânio Quadros para realizar a festa do padroeiro de lá, que é justamente São João Batista.

A festa contou com colaboração da Secretaria Municipal de Cultura que ornamentou o ambiente e ficou muito bonito; com o apoio de Adriano e Júnior de Zélia que cuidaram do som; com a colaboração de Jairo e Arquimedes que armaram a barraca de quermesse; com a brilhante palestra de Antônio Santana e direção de Dores Duarte na terceira noite do Tríduo; com o trabalho incansável do CPC que muito se esforçou para realizar uma boa festa. A todos eles nosso muito obrigado e nossa gratidão.

Com a graça de Deus, o amor de Jesus, a força do Espírito Santo e a intercessão de São João foi possível realizar essa grande festa. O primeiro anúncio falou-se em festinha de São João, mas observando bem foi festona. De sorte que surgiu o cordel dos Diminutivos de São João:

“Uma igrejinha com um santinho deste tamaninho
Tem um cestinho de coleta miudinho.
A renda da festa é deste tantinho.
Luís Gonzaga canta e toca para São João do Carneirinho “. Continue lendo Paróquia de Santo Antônio/Condeúba: Concretizada a festa de São João Batista 2019

Condeúba: O Escritor Jovino Coutinho reivindica uma homenagem ao educador Anísio Teixeira

Por Jovino Coutinho

Escritor condeubense Jovino dos Santos Coutinho

Jamais desistirei de pregar o que foi, e da importância do Pai da escola pública, e do que fez pela educação em nosso país, estou falando do grande educador Doutor Anísio Spinola Teixeira. Para que de alguma forma Anísio Teixeira receba sua merecida homenagem, pelo o que ele fez pela educação pública, e apelo pelo Senhores vereadores, o prefeito Silvan Baleeiro, para que esta Justa homenagem aconteça, não é nada para eu Jovino dos Santos Coutinho não, é um reconhecimento ao pai da escola pública, que seja um nome de um colégio ou da própria biblioteca municipal, vou deixar aqui uma narração feita pelo grande Darcy Ribeiro, falando de Anísio Teixeira, em um livro onde o título é ” educação não é privilégio”.
Anísio Teixeira , o pai da educação pública , as vezes pode até parecer chatice eu ficar batendo a mesma tecla, quando falo de Anísio Teixeira, mas não adianta, Anísio morreu mas seu legado está vivo. esta é a narração feita por Darcy Ribeiro, ele falando da importância e do que foi Doutor Anísio Spinola Teixeira. Continue lendo Condeúba: O Escritor Jovino Coutinho reivindica uma homenagem ao educador Anísio Teixeira

FEIRA DE ARTE EM GUANAMBI – BA

Por Thiago Braga

“Boneca preta” feita a mão

Uma parte bonita, da cultura local, sem dúvida, é o “zig zag” colorido da feirinha de artesanato. O centro da cidade de Guanambi, em tempos idos “algodoeira do sudoeste”, ganha novo contorno com a variedade de “bibelôs” espalhados pela rua. Chama – nos atenção a veia artística do povo. Algo peculiar! O (a) vendedor (a) se sente à vontade para expor seu produto, em pequenos motes, tendo aquele “jogo de cintura” na hora da venda. Trabalho esporádico, mas sempre “bem vindo”.

O que trazem para a banca? Bonecos, porta – copos, guardanapos de pano, bordados, vaso com flores, sêda, colares (adornos), tapetes, toalhas de rosto, cestos de vime, sandálias rasteiras, saboneteiras, lenços perfumados, etc.. A “terra do algodão”, por certo, lidera a região pelo amplo comércio e serviços afins. Nos últimos anos, destaca – se pela instalação das “Policlínicas” que atendem os municípios circunvizinhos e norte de Minas. Quanto a educação, salientamos, mais uma vez, a forte presença da “arte popular”.

Morre aos 88 anos João Gilberto, o pai da bossa nova

O cantor e compositor João Gilberto, considerado um dos pais da bossa nova, morreu hoje, aos 88 anos, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada por familiares do músico, como filho Marcelo Gilberto e a neta Sofia, em mensagens publicadas nas redes sociais. A causa da morte não foi divulgada. Baiano de Juazeiro, ele lançou discos clássicos como Chega de Saudade (1958), O Amor, o Sorriso e a Flor (1962) e Getz/Gilberto (1964), que revolucionaram a maneira de tocar violão e influenciaram gerações de artistas.

Morre João Gilberto, e o Brasil fica sem música, completamente desafinado

“Meu vovô foi o vovô mais amoroso e carinhoso que eu podia ter tido. Pedia pra eu ir pra lá todos os dias e quando estava tarde da noite e já estava na hora de eu ir embora, depois de eu já ter passado o dia todo com ele, falava: – mas já vai? Dorme aqui!”, diz a neta Sofia, no texto.. “Tristeza, tristeza, profunda tristeza. Tudo que ele queria era estar aqui conosco e brincando com sua netinha,, nos pedia isso todos os dias, uma coisa muito simples, momentos felizes que foram negados a ele”, escreveu Adriana.

Há décadas recluso, João Gilberto não dava entrevistas e não recebia ninguém em casa, a não ser familiares. O cantor e compositor baiano completou 88 anos no último dia 9 de junho. Uma das “organizadoras” da festança foi Sofia, a neta do músico, que preparou brigadeiros para o avô.

João Gilberto completou 88 anos com a família e neta Sofia, em seu colo; à esq., a nora Adriana Magalhães e, à dir., Alice, filha de Adriana Imagem: Reprodução/Facebook

João Gilberto completou 88 anos com a família e neta Sofia, em seu colo; à esq., a nora Adriana Magalhães e, à dir., Alice, filha de Adriana Imagem: Reprodução/Facebook

Continue lendo Morre aos 88 anos João Gilberto, o pai da bossa nova

A miséria humana

Por Nando da Costa Lima

Tem coisa que a gente escreve há mais de duas décadas e fica torcendo para que as coisas melhorem, mas infelizmente a cada ano fica mais atual… É uma pena! Que pena que nada, a culpa é nossa mesmo que concordamos com tudo de cabeça baixa. A sorte é que ainda existem os religiosos e alguns órgãos filantrópicos realmente sérios, pois se nosso país só dependesse dos tecnocratas nós estaríamos fodidos e meio. Aqui em Conquista viveu uma senhora cujo único erro foi não ter deixado um livro intitulado “A ARTE DE SER GENTE”. O nome dela era Dalva Flores (Santa Dalva). Esta mulher foi um dos maiores exemplos de altruísmo que Conquista teve a sorte de abrigar. ”Salve a Senhora da bondade!” Continue lendo A miséria humana

CIRCO ESCOLA

Por Thiago Braga

Desde cedo aprendemos a regra “brincar de brincar”. Como? Observando tudo à nossa volta, criando gosto pelo ambiente sadio, limpo e agradável. Coisa de criança? Não, de pessoa civilizada e bem educada. Lembrando ser a infância o período que se pode construir “castelos de areia”. A escolha da boneca, do ursinho de pelúcia, da bola, do carrinho de plástico. Uma larga influência que, por certo, há de refletir na futura personalidade.

A título de ilustração, podemos citar as companhias de circo, “sempre” a serviço do humor. Trabalho artístico que faz a junção entre o sonho e a realidade num único lugar. Opera, de forma positiva, no imaginário popular. Espécie de “fio condutor” que nos liga ao universo da fantasia. Transmite o “recado” por onde passa, nunca deixando o público fadado ao esquecimento. Inova, ajusta, mantém viva a tradição circense. Qualidade esta, que não tem preço.

Por esse motivo, o circo implementa a educação de crianças, jovens e adultos. Possui presença robusta no cenário nacional. Embora tenha enfraquecido um pouco, em virtude do progresso, vemos a “arte que nunca sai de moda”. Razão que o torna condignamente aceito no dia a dia dos (a) brasileiros (a). A tenda multicor cercada de brilho e alegria. Acessível ao cidadão de baixa renda. Presente “caro” para a sociedade exigente. Saibamos, pois, valorizá – lo!