Arquivos da categoria: Cultura

Dia do Bibliotecário: um profissional em transformação

Dia do Bibliotecário: um profissional em transformação. Gerenciar informações é a especialidade de quem precisou se adaptar às mudanças tecnológicas do século 21.

Foto: Image by Free-Photos on Pixabay

Um profissional que antes era muito ligado aos livros físicos, fichas e manuais, a partir do século 21 precisou se reinventar e passou a trabalhar com o gerenciamento de informações do sistema e o manuseio de publicações passou a ser apenas mais uma entre várias funções que desempenha. A profissão de bibliotecário vem sendo ainda mais valorizada, uma vez que, mais abrangente atuante, cria novas áreas para si, como é o caso da biblioteconomia social.

No Colégio Marista Goiânia, a bibliotecária Tainá de Sousa já vai além de suas atividades na biblioteca. Ela também tornou-se indispensável na realização de eventos que recebem personalidades e reúnem estudantes no espaço da instituição. “Desenvolvemos atividades voltadas aos alunos do Ensino Médio, que visam criar espaços de comunicação e de convivência, para tratar do presente e do futuro de cada um deles. Sou grata ao apoio da Tainá para viabilizar esses eventos”, relata a professora Sara de Castro Cândido, responsável pelo Circuito Projeto de Vida, iniciativa que ajuda os alunos a construírem seus projetos pessoais e profissionais.

Neste 12 de março, Dia do Bibliotecário, Tainá fala dos desafios e sobre o que comemorar nesta data. “Nosso foco é a organização e catalogação de informações, nos transformamos em gestores da cultura, porque o livro nada mais é que um instrumento cultural que também vem ganhando outras versões, como a digital, por exemplo, que já caiu no gosto da população.”

E os desafios se tornam ainda maiores para o profissional em um País onde as estatísticas de leitura são cada vez menores. O brasileiro lê em média 2,43 livros por ano, segundo a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, desenvolvida em março de 2016 pelo Instituto Pró-Livro. O estudo revelou ainda que 30% da população nunca comprou um livro.

“O Brasil enfrenta muitos problemas, especialmente no campo cultural. Acredito que parte das soluções desses problemas virá do trabalho das bibliotecas, fontes inesgotáveis de conteúdo, informação, e daquelas pessoas que dão vida e sentido a esses espaços transformadores”, salienta Tainá.

A Folha de Condeúba, através de alguns autores homenageia as mulheres pela passagem do seu dia

Por Antônio Santana

O QUE É SER MULHER?

Ser mulher é muito mais do que uma missão
É uma busca constante da condição
É o encontro entre a maturidade espiritual e a razão
É a delicadeza da mulher que passeia pela emoção.

Ser mulher é ter sensibilização
É construir um poço de perdão
É querer abrir sempre a porta do coração
É ter também um pouco de ilusão.

Ser mulher é muito mais do que servir
É construir o caminho para ser feliz
Ser mulher é gerar muitas vidas
É se tornar uma pessoa muito querida.

É ser forte, confiante e atrevida
É ser guerreira, lutadora e dedicada
Ser mulher é doar a sua própria vida
É ser sempre bem reconhecida.

Ser mulher é dedicar-se todo tempo de sua vida
É amar e às vezes pelo parceiro é agredida
É labutar o dia todo sem descansar
É a responsabilidade da sua família cuidar.

Ser mulher é saber também esperar
É saber se amar para depois nos amar
É deixar o tempo se aproximar
Para esperar o futuro chegar.

UM ABRAÇO A TODAS AS MULHERES! Continue lendo A Folha de Condeúba, através de alguns autores homenageia as mulheres pela passagem do seu dia

Mangueira é vencedora do Carnaval do Rio de Janeiro em 2019

Foto: Rodrigo Gorosito/G1

A Mangueira é a grande campeã do carnaval 2019 do Rio de Janeiro. A Imperatriz Leopoldinense e a Império Serrano foram rebaixadas. Para conquistar o seu 20º título, a Mangueira deu uma aula de história na Sapucaí.

Mas foi uma história alternativa, com destaque para heróis da resistência negros e índios em vez dos personagens tradicionais das páginas de livros escolares.

O enredo “História pra ninar gente grande” foi assinado pelo carnavalesco Leandro Vieira e contado em 24 alas e cinco alegorias.

Em busca do título, a Mangueira exibiu uma bandeira do Brasil com as cores da escola no final do desfile.

Condeúba: Carnaval de Mascaras e Fantasias – 2019

Por Oclides da Silveira

Carnaval das máscaras e fantasias

Encerrou-se nesta terça-feira o Carnaval de Mascaras e Fantasias 2019 na cidade de Condeúba. Uma promoção da Prefeitura através da Secretaria Municipal de Cultura, Desporto e Lazer que organizou essa último noite carnavalesca, colocando dois sons de boa percussão na Praça Santo Antônio no Centro. Os carros de sons estiveram instalados a disposição dos carnavalescos das 16:00 às 22:00 horas.

Foi fechado o trânsito para veículos com a presença da Guarda Municipal que esteve na orientação do Trânsito local. O Diretor mais os funcionários da Secretaria de Cultura estiveram presente distribuindo gratuitamente máscaras ao público que brincaram um carnaval sadio sem ocorrência de maiores incidentes, um som controlado, assim como as músicas de boa aceitação, sem nenhuma apelação ou que viesse denegrir a imagem das mulheres, as chamadas musicas de baixaria.

O público compareceu e se divertiu barbaridade, seus pais aproveitaram a organização para levar seus filhinhos de todas as idades, foi uma noite de calor e um período de diversão para aqueles que curtem essa festa. Continue lendo Condeúba: Carnaval de Mascaras e Fantasias – 2019

JACARACI NO RUMO CERTO

Por Thiago Braga

Thiago Braga – Colunista da Folha de Condeúba

Quem conheceu Jacaraci, anos atrás, sequer imagina o crescimento da cidade, antes “encolhida” no meio dos altos e baixos do vale. Agora se mostra com outra cara, a começar pela antena de telefonia móvel vista desde o “pé da serra”. O bairro Bom Jesus tomou parte do grande terreno que, dividido em lotes, deu lugar à residências, ruas e travessas. Veio de lá para cá, fazendo “zig zag”, ocupando espaço e querendo ir mais longe, sem se perder no verde da floresta.

Por conta da mão de obra e, é claro, o desejo natural dos cidadãos em adquirir sua “casa própria”, quadras e mais quadras foram abertas no chamado desenvolvimento urbano. Modelo de organização que segue a risca o Código de Posturas do Município.

O centro velho, formado por belas construções dos anos 40 e 50, oferece – nos um panorama do “tempo que passou”. Passou, deixando gratas lembranças como a primeira pensão, a antiga boate, (hoje drogaria), o correio (telégrafo reformado), a morada do padre, dentre outros. O “cheiro de mato” vindo do capão florido no fundo da Escola Anísio Teixeira, além das árvores de sombra cercando o Banheiro Público. O calçamento de pedra bruta, trabalho feito por homens de braço forte e picareta nos ombros, rende elogios do visitante. Cada praça parece um livro aberto onde as cores salta – nos aos olhos, cheia de boas energias. A natureza sorrir, pedindo para ser protegida, pois não nega nada ao admirador (a) do meio ambiente. Água cristalina para encher a mão e lavar o rosto, na famosa “bica”, ou passeio pela “virada do cigano”.

O silêncio de dias comuns, nada mais é, que a melhor oferta para o descanso e tranquilidade, diante da paisagem agrícola. Parece novela? Não, pura realidade. O município contempla riquezas como a Areia Branca, o Rio da Passagem, Morro do Chapéu, etc. Do calor excessivo ao plantio de palma e a produção de queijo artesanal. Safra: arroz, milho, feijão catador, banana da prata, cajú, melancia, mamona, além de outros. Em vista disso, traz o retrato vivo daquela agro – vila, ainda “apagada” no mapa, hoje ponto de turismo para gente vinda de outros estados. O traço moderno da nova Jacaraci depreende novidades, no qual citamos algumas: lojas, restaurantes, papelarias, academia popular, centro de convivência de idosos, quiosques e parada de ônibus.

NOITE DE ARTE E POESIA EM CORDEIROS

Por Antônio Santana

Em Cordeiros – Movimento Café com Poemas

O Movimento Café com Poemas de Cordeiros em parceria com Condeúba , realizam a sua primeira certificação a colaboradores que se dedicam a promoção da arte, da cultura, da educação e da filosofia como base sustentável ao Manifesto “Cultivismo Sociocultural” do Movimento. A cerimônia de entrega de títulos aconteceu na noite de sábado, 02 de março de 2019, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Vereadores de Cordeiros, Bahia.

O evento teve a apresentação e condução da Coordenadora Ângela Dias, com muita competência e maestria. Que contou com a participação e a colaboração do Coordenador e Poeta Antônio Santana, juntamente com a sua vice-coordenadora Mariana Penides, bem como demais membros do Movimento Café com Poemas de Condeúba, Bahia.

Tivemos a participação do ilustre Poeta Edson da Silveira, como também a presença de diversos artistas, cantores, pintores, declamadores, recitais de poesias e de jovens talentos da música cordeirense.

Ao final, foi oferecido a todos os participantes do evento, um delicioso coquetel ao som da boa música clássica proferida pela nossa amiga Ângela Dias e outros artistas da terra.

Quero oportunamente, em nome do nosso grande incentivador o escritor e poeta Leandro Flores, agradecer a todas as pessoas que têm aderido ao Movimento Café com Poemas, nos ajudando a descobrir e revelar novos talentos. Que Deus os abençoe e os proteja por toda eternidade terrena. Continue lendo NOITE DE ARTE E POESIA EM CORDEIROS

Suíca diz que racismo tem travado Estatuto da Igualdade Racial na Câmara de Salvador

O vereador Suíca (PT) acredita que o racismo tem sido o principal entrave para a votação do projeto do Estatuto da Igualdade Racial na Câmara de Salvador.

“O racismo e muita gente não gosta de falar sobre isso. Já utilizei a tribuna da Casa para denunciar o racismo. Fizemos diversos debates e audiências públicas. E as pessoas ligadas a outras religiões não participaram de nenhuma. Denunciei que isso era racismo”, disse o petista ao BNews durante a concentração para a saída do Ilê Ayiê, no Curuzu, na noite deste sábado (02).

Obra do artista plástico Dill Rocha que é brumadense ganha primeiro lugar em exposição internacional em Salvador

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste – Artista Plastico Dill Rocha ganhador do premio em 1º lugar

O artista plástico brumadense Dill Rocha acaba de ser premiado com a primeira colocação, na categoria realismo, em uma exposição internacional que aconteceu na cidade de Salvador. Em entrevista ao site Achei Sudoeste, ele disse que recebeu o convite para participar do evento. “Foi tudo em cima da hora, não tive nem como levar alguns quadros que já tinha feito.

Tive que abrir a minha mente para pintar esse quadro”, disse, se referindo à obra que ganhou a primeira colocação. O artista plástico italiano Giuliano Ottaviani foi quem avaliou as pinturas durante a exposição. Na cidade, Dill costuma expor as suas obras ao lado do Cemitério Senhor do Bonfim, porém a comunidade não prestigia a sua arte como deveria.

“É gratificante saber que pessoas lá do outro lado do mundo vêm me reconhecer e aquelas pessoas que eu achava que iriam me abraçar não me abraçaram. Na hora que eu mais precisei não tive esse apoio aqui dentro. Tenho que correr para os de fora”, lamentou. Após a premiação, o artista ganhou maior notoriedade no município e ele pretende agarrar a oportunidade com a participação em novas exposições, inclusive internacionais. “Graças a Deus, as coisas vão começar a evoluir”, afirmou.

A VOLTA DA “MORAL E CÍVICA”

Por Thiago Braga

Colunista da Folha de Condeúba Thiago Braga

Faz algum tempo, o assunto “Moral e Cívica” corre pelos corredores do MEC como uma “boa notícia ainda a caminho”. O projeto culmina interesse público. A disciplina “Moral e Cívica”, tão conhecida como a frase “lugar de criança é na escola”, parece ter saído do fundo do baú. Traz o retrato vivo do novo Brasil. Repensa a prática de ensino voltada à realidade e, acima de tudo, garantindo o bem estar dos cidadãos.

Cumpre trazer a baila que a educação daquela época ganhou “peso” em termos de aprendizagem. Presença robusta no currículo do aluno. O resultado marcava por inteiro o tecido social. Tentava aflorar o sentimento pátrio: “Brasil, amai – vos ou deixai – vos”. Tê-la de volta significa valorizar a cultura. Tudo que é bom merece prosperar. Nesse momento sensível, nada melhor que o apoio da velha cartilha, passando de mão em mão, rumo ao futuro incerto.

Diante dos “prós e contras”, a conversa segue adiante. Toma o espaço que é seu por direito. Assim, a discussão apresenta três pontos: ética, democracia e liberdade. Basta olharmos a “Moral e Cívica como a pedra angular de nossa história. Une política e cidadania. Espera – se, pois, que a novidade não seja mero discurso. Lembremos de Padre Antônio Vieira que na falta de pessoas para escutá – lo na hora da missa foi ter com os peixes na praia deserta.