A História de Condeúba ficou mais pobre com a demolição da casa centenária que pertenceu ao Major Martinho Moreira

 

 

Era assim a casa do Major Martinho Moreira

 

E ficou assim

Nesta quinta-feira 19 de março de 2.020, dia Santo de São José, por volta das 20:00 horas a história dos casarões centenários de Condeúba, pôs fim em mais uma de suas raras unidades. Pois aquela casa que morou por muito tempo e foi propriedade do Major Martinho Moreira e lá também morou Melquisedeque, o qual inspirou o Sr. Políbio colocar o mesmo nome no seu filho o popular “Mequinha”. Morou também naquele imóvel o Sr. João Batista de Oliveira, também morou lá o Sr. José Francisco de Avelar. Todos foram figuras que tiveram destaques na História de Condeúba.

Esse imóvel tinha seguramente de 120 a 150 anos de construído, ainda foi feito com “adobão”, Patrimônio Cultural em estilo Barroco do Século passado. O seu endereço fica na Rua Major Martinho Moreira em frente ao Cristo, foi demolida ontem a noite, em flagrante desrespeito a Lei Municipal nº 938 de 31 de outubro de 2016. A chamada Lei do Tombo que diz em seu Artigo 1º – A preservação do patrimônio natural e cultural do município de Condeúba é dever de todos os cidadãos.

A demolição deste imóvel histórico, foi com certeza para fazer outra obra moderna no local e enfeiar a cidade, uma vez que os casarões são Patrimônio Cultural e referência na história do município. A culpa maior deste trágico acontecimento para a história de Condeúba, tal vez seja dos vereadores que fazem as Leis, mas não fazem cumpri-las, lamentavelmente. Continue Reading

Condeúba: “The day after” o dia depois do (Decreto 14) baixado pelo Prefeito Silvan Baleeiro, como está funcionando?

 

 

A principal rua que dá acesso a feira estava hoje praticamente vazia

Hoje 20 de março de 2020 está completando os dois primeiros dias após a publicação do (Decreto nº 14) baixado pelo Prefeito Silvan Baleeiro, Condeúba parou, nada funcionou a contento, as repartições pública algumas funcionaram em partes e outras nem se quer abriram. Exceto os serviços essenciais como limpeza de ruas, coleta de lixo, departamentos de saúde, entre outros. O comercio uns abriram outros não, os transportes coletivos privados praticamente não vieram nenhum da zona rural, o curral municipal vazio com apenas meia duzia de rês.

A FEIRA:- Sem clima de feira, os comerciantes praticamente os fixos do município, os de fora não vieram, com poucas pessoas comprando e logo saindo em disparada pra suas casas, as ruas vizinhas da feira que normalmente neste dia são lotadas de veículos estacionados, hoje estavam livres como mostram as fotos abaixo, os bancos ainda não tivemos a decisão de que forma vão funcionar.

Tudo isso está ocorrendo de forma prudente do povo, por conta da epidemia do coronavirus que se espalha em ritmo galopante no planeta terra. Todas as autoridades administrativas, bem como as sanitárias estão se armando, mesmo sem muito saber por onde atacar a doença para combatê-la. A grande descoberta até agora em torno de tudo isso, é evitar o convívio social e aglomerações de pessoas, o isolamento é de fundamental importância. Continue Reading

REFLEXÃO: O MUNDO PEDE SOCORRO!

Por Santana

Não é de hoje que estamos vivendo em tempos difíceis no Brasil. Poderíamos enumerar diversos acontecimentos ruins que ocorreram no país, como por exemplo: a Barragem do Feijão, em Minas Gerais no ano passado, as chuvas que caíram este ano nos estados da região Sudeste São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro que pareciam cenas de filmes de terror com diversas mortes provocadas por acidentes naturais ou por ações humanas.

Tivemos também, derramamento de óleo nas praias nordestinas e parte do Sudeste, em que pescadores e marisqueiras foram prejudicados recentemente ainda sem culpados pela tragédia marítima e ambiental. Como se não bastasse agora no momento quaresmal, estamos vivendo com mais uma situação catastrófica como o surgimento e propagação do coronavírus ( também conhecido como COVID- 19).

Diante dessa gravidade, seguimos presos em nossas casas, barracos, apartamentos simples ou luxuosos, ou debaixo da ponte nos protegendo corretamente como determina as autoridades de saúde ou não, na “inteligência ou na ignorância do não vai acontecer comigo”, e por aí vai se convivendo com essa coisa descontrolada mundo a fora.

A pergunta é a seguinte: Até quando teremos que conviver trancados em prisões domiciliares sem sermos culpados, no Brasil e no Mundo? Para ser mais preciso: Quem vai pagar essa CONTA?

Que Deus nos conceda a sua imensa proteção!

Antônio Santana,
Professor e poeta.

Condeúba: As águas de março continuam caindo e os pequenos rios correndo sem parar

 

 

As caixas e os tambores estão rufando de água das biqueiras

Nesta sexta-feira dia 20 de março de 2020, por volta do meio dia começou a chover forte aqui na região do Olho d’Água e durou até às 13 hs. Foi uma maravilha de Deus, chuva mansa sem trovão e sem vento. Nesta época do ano normalmente são as chuvas sazonais, chove em alguns lugares e outros não, porém caem um grande volume de água.

Todas as principais barragens do município sangraram, exceto a do Distrito do Alegre e a da sede que ainda continua recebendo água das demais que ainda estão sangrando. Por tanto, as expectativas são boas para enfrentar a seca que se aproxima nos próximos 7 a 8 meses sem chover.

As lavouras deste ano vingaram todas, graças a Deus com bastante fartura, foram milho, feijão carioquinha, feijão catador, melancia, a fava ainda está na florada, assim como também o andu. Fique aqui o alerta e a dica para essas pessoas que fizeram essas colheitas. Procure guardar um pouco para o consumo próprio, pois, estamos atravessando uma crise mundial com esse coronavirus que poderá afetar o abastecimento de alimentos. Continue Reading