Vereador David Salomão de Vitória da Conquista, na Bahia, faz discurso de arrependimento contra Bolsonaro.

Por Ed Soares

Um dos principais apoiadores de Jair Bolsonaro, o vereador David Salomão da cidade de Vitória da Conquista – Bahia, após ver as novas resoluções do então presidente resolve desabafar à partir da tribuna de sua cidade, na noite desta ultima sexta-feira, dia 22 de Fevereiro.

Este é um dos poucos à frente de algum cargo eletivo à expressar-se quando ao erro de sua escolha em voto a favor de Bolsonaro. No entanto, outros cidadãos comuns, entre homens, mulheres e principalmente Youtuberes que usaram de suas redes sociais para defender Bolsonaro hoje dizem-se arrependidos de sua escolha na eleição passada.

Em menos de dois meses após assumir o cargo de novo presidente do país Jair Messias Bolsonaro vem colecionando “arrependidos” e discursos de raiva contra ele por suas péssimas escolhas enquanto gestor da nação para qual ele foi eleito para governar.

Seja por conta de sua atuação, quando nas eleições dizia que ia “corrigir” o país e acabar com a corrupção, seja por conta de projetos como o da Reforma da Previdência, Bolsonaro tem mostrado à todos, principalmente a seus eleitores e agora ex-defensores, que a principal ligação que ele sempre teve foi e é com os mais corruptos, muitos deles inclusive, escolhidos para os principais ministérios sob sua gerência.

Em seu discurso, o vereador David Salomão do PTC, dá uma verdadeira cutucada no PSL, partido de Jair Messias Bolsonaro.

“Não vou acompanhá-lo nos erros, será que os ‘covardes’ do PSL vão ficar calados?”, disse Salomão sobre os correligionários de Bolsonaro no Congresso Nacional.

O Vereador ainda diz que “a reforma da previdência, da maneira que está é um massacre, um atraso à população brasileira”.

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

Redação

One Comment

  1. Agora é tarde, não é vereador? Pena que V.Sa não tenha percebido isso antes apesar de todos os indicativos apontarem para um presidente que não seria um porta-voz da pobreza, basta dizer que quem tinha Paulo Guedes na mira como ministro da economia não poderia trabalhar a favor da classe trabalhadora. Não deu outra, ele acabou assinando embaixo de uma reforma criminosa onde o ônus de um trilhão de reais( ninguém sabe de onde tiraram essa cifra) foi quase todo jogado nas costas de quem recebe até dois salários mínimos por mês. O presidente ainda teve o cinismo de propor no âmbito dessa reforma criminosa o fim do abono do Pis/Pasep – benefício de pobre – mas ele não parou por aí. Ele continua destruindo conquistas sociais e garantias trabalhistas adquiridas durante longos anos. Agora ele quer acabar com a estabilidade do servidor e reduzir salário. Não dá pra apoiar um indivíduo desse e dizer que está ao lado do povo,né?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.