Empreiteira aponta Jucá como beneficiário de propina

Executivos da Andrade Gutierrez mencionaram, em acordo de delação premiada, o nome do senador Romero Jucá (PMDB-RR) ligado a um esquema no setor elétrico.
Segundo a Folha apurou, dirigentes da empresa repassaram ao Ministério Público detalhes do caminho do dinheiro que, segundo eles, teria sido enviado por meio de intermediários ao senador. Os repasses seriam vinculados à Eletronorte, onde Jucá tem influência política.

O relato da empreiteira coincide com o depoimento, também em delação, do senador Delcídio do Amaral de que a Eletronorte “atende” aos interesses de Jucá.

Ex-líder dos governos de Dilma Rousseff, Lula e Fernando Henrique Cardoso, o senador assumiu na última terça-feira (5) a presidência do PMDB no lugar do vice-presidente, Michel Temer, que tirou licença em meio a crise política.

Jucá foi um dos líderes do rompimento do PMDB com o governo e tem atuado a favor da aprovação do impeachment de Dilma. Na terça, subiu à tribuna do Senado e criticou o governo,afirmando que o “castelo de cartas ruiu”.

Com a homologação da delação dos executivos da Andrade Gutierrez pelo STF (Supremo Tribunal Federal), as menções ao nome do senador devem ser analisadas pela PGR (Procuradoria-Geral da República), que decidirá pelo pedido de abertura ou não de inquérito contra ele.

Não seria a primeira investigação contra o senador em torno da Lava Jato. Já há um inquérito em razão da delação do empreiteiro Ricardo Pessoa, da UTC Engenharia. Pessoa afirmou que Jucá pediu R$ 1,5 milhão em doações para as eleições de 2014 em Roraima, quando seu filho, Rodrigo Jucá, 34, foi candidato a vice-governador.

Segundo o empresário, a ajuda estaria ligada à contratação da UTC pela Eletronuclear, para obras de construção da usina Angra 3.
Jucá confirma o pedido de doação, mas nega qualquer vínculo com a contratação da UTC.
                                                                 OUTRO LADO
O senador informou, por meio de sua assessoria, que todos os recursos de campanhas políticas do PMDB em Roraima foram recebidos “oficialmente”. “Todas as campanhas foram aprovadas pela Justiça Eleitoral”, disse.

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.