CÃES SOLTOS NAS RUAS

Por Thiago Braga

Quantas e quantas vezes, vimos “cães sem dono”, andando livremente pelas ruas das cidades? Já perdemos as contas. Na maioria dos casos, a fêmea “deu” cria e proprietário (a), agindo de má fé, deixa-os a míngua. Sinal de abandono, falta de cuidado e insensatez. Tantos outros, vivem na “tranca”, em péssimas condições de limpeza. Fome e sede, ferimentos pelo corpo. Alarde para a vizinhança. Entidades do segmento e ongs mantêm trabalhos voltados ao bem-estar dos amiguinhos de “quatro patas”.

Lembremos deles, brincando e alegrando o ambiente. Tomando leite na cuia ou, quem sabe, desenrolando novelo de lã esquecido pela casa. E aqueles metidos em roupa colorida, apresentando-se nos grandes circos?! São obedientes, mimosos e cheios de graça. Aprendem rápido, criando amor pelas pessoas, sobretudo, tendo vida longa. Raças: “vira lata”, labrador, malhado, pastor alemão, etc. Se alimentam de ração canina (junior/adulto), a depender do costume, dão preferência à comida comum. Nutre o pêlo, fortalece os ossos e incentivo o crescimento saudável.

Não é a toa que campanhas “pet” trazem informações a respeito do tema, considerado de utilidade pública. Mescla boas práticas, zelo e tratamento adequado. Tenta conscientizar criadores e não criadores no trato com os bichos. Tudo ou quase tudo, de forma convincente. Quais os pontos? Banho, tosa e carinho. Remédio quando precisar, de acordo a orientação veterinária. Vacina para prevenção de doenças e a conhecida “ante-rábica”, respeitando casos isolados. Por que maltratar? Os resultados nada agradáveis, tornam-se fator preocupante para todos que aderem a esta ideia: educar com maioridade e experiência.

Há centros de zoonoses/castração, feiras de adoção e canis. Em alguns lugares, a “carrocinha” recolhe os animais a fim de levá-los para abrigo. Esta medida garante um “novo lar” aos animais, pois é o que preconiza a Lei de Proteção e Defesa dos Animais. Punição severa para os infratores. Por isso, não tem “mais, nem meio mais”. Aliás, o munícipe também pode ajudar, da forma que achar necessário, no combate à violência contra cães/gatos, através da denúncia solidária. Um assunto importante para nosso momento. Merece voto de confiança.

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.