Arquivos diários: 11 de fevereiro de 2019

Governo abre processo para apurar quebra de barragem em Brumadinho

Foto: Divulgação

O Ministério de Minas e Energia, dirigido pelo almirante Bento Lima Leite, determinou a instauração de processo administrativo para obter informações referentes ao rompimento da barragem da mineradora Vale na mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), no dia 25.

A portaria foi publicada nesta segunda-feira, 11, no Diário Oficial da União. De acordo com o texto, o processo administrativo servirá para a adoção de providências que se fizerem necessárias quanto à prevenção, controle e mitigação das consequências dos danos provocados pelo rompimento no município mineiro, bem como para a adoção de providências quanto à segurança de barragens.

Segundo a Veja, boletim divulgado no domingo contabilizava 165 mortos após a tragédia e 160 desaparecidos entre funcionários da mineradora, terceirizados que prestavam serviços à Vale e membros da comunidade. Há ainda 138 pessoas desabrigadas e duas seguem hospitalizadas – dezessete dias após o rompimento da barragem.

O PAÍS DA NEGLIGÊNCIA

* Levon Nascimento

Professor Levon Nascimento

Não tenho maiores informações sobre o incêndio que matou dez pessoas no centro de treinamento do Flamengo. Mas não deixa de ser estranho que adolescentes pobres, a base do futebol pentacampeão mundial, estivessem num alojamento com possibilidade de curto-circuito, quando se sabe que os clubes lucram milhões a cada ano, ainda mais um que diz ter a maior torcida do Brasil.

Também não surpreende que anualmente ainda ocorram vítimas fatais das chuvas de verão. O país não aprende a zelar dos pobres. Agora, com esse (des)governo, pior ainda, porque nem sensibilidade social há em Brasília.

Igualmente, foi a negligência que destruiu, em imediato, a vida de mais de 300 pessoas em Brumadinho e arruinou centenas de famílias e o meio ambiente de Minas Gerais.

Somos o país da negligência com os pobres. Essa negligência institucional nos foi legada por herança da escandalosa escravidão negra e indígena, que durou mais de 300 anos. Aliás, a escravidão é, de longe, nosso maior problema nacional, como afirma Jessé Souza.

A vida humana do pobre não vale nada no Brasil. E tende a piorar.

A reforma da previdência de Bolsonaro quer nos fazer morrer sem aposentar.

A licença para matar sem culpa que Sérgio Moro, ministro de Bolsonaro, quer aprovar para as forças de segurança pública, institucionaliza o genocídio contra jovens, pobres, pretos e pardos.

A vida humana pobre não vale nada no país da negligência. E, ai de quem pensar diferente! As masmorras de Curitiba estão prontas para recebê-los.

Queda de helicóptero mata jornalista Ricardo Boechat

O jornalista, apresentador e radialista Ricardo Eugênio Boechat morreu no início da tarde desta segunda-feira (11), aos 66 anos, em São Paulo. O jornalista estava em helicóptero que caiu na Rodovia Anhanguera, em São Paulo, e bateu na parte dianteira de um caminhão que transitava pela via.

O piloto Ronaldo Quattrucci também morreu no acidente. Boechat estava dando uma palestra em Campinas, no interior do estado, e retornava a São Paulo nesta segunda. Ele deveria pousar no heliponto da Band, no Morumbi, Zona Sul da capital paulista.

O jornalista era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM e colunista da revista IstoÉ. Ele também trabalhou nos jornais “O Globo”, “O Dia”, “O Estado de S. Paulo” e “Jornal do Brasil” e foi comentarista no Bom Dia Brasil, da TV Globo, na década de 1990.

Ele ganhou três vezes o Prêmio Esso, um dos principais do jornalismo brasileiro. Filho de diplomata, Ricardo Eugênio Boechat nasceu em 13 de julho de 1952, em Buenos Aires. O pai estava a serviço do Ministério das Relações Exteriores na Argentina.

O perfil de Boechat no site da Band News FM informa que ele era o recordista de vitórias no Prêmio Comunique-se – e o único a ganhar em três categorias diferentes (Âncora de Rádio, Colunista de Notícia e Âncora de TV). Em pesquisa do site Jornalistas & Cia em 2014, que listou cem profissionais do setor, Boechat foi eleito o jornalista mais admirado. Boechat lançou em 1998 o livro “Copacabana Palace – Um hotel e sua história” (DBA).

Piripá: Na apresentação do TCC de Locutora da piripaense Sussu Carvalho teve participação do cantor Luciano Nassyn, ex trem da alegria

No dia 08 de Fevereiro de 2018 a brilhante Sussu Carvalho que é filha de Piripá apresentou o TCC referente ao curso de Locutora juntamente com seu grupo que é composto por: Alice, Douglas, Érica, Rafael, Genilson e Marcelo.

A apresentação teve a participação do cantor Luciano Nassyn, ex trem da alegria o qual fez muito sucesso nos anos 80, atualmente, além da música, Ele segue carreira de produtor, tarot histico e apresentador de rádio.

Sussu tem tornado uma figura bem conhecida por algumas presenças em canais de televisão como Globo, tv Aparecida, entre outras com suas receitas culinárias. A apresentação do TCC foi um sucesso.