Corpo de Jornalista da Globo é encontrado 8 dias após desaparecer em represa

LUTO NA IMPRENSAO corpo do jornalista Milton Gamez, de 54 anos, que teve passagem por grandes redações da imprensa do Brasil, entre os quais veículos pertencentes ao grupo Globo, foi encontrado na terça-feira, 23, na represa de Ibiúna, localizada na Grande São Paulo. As informações são do portal de notícias G1.

Milton Gamez estava desaparecido desde a noite do último dia 15 deste mês. O jornalista nadava em uma lagoa dentro do condomínio quando desapareceu e só foi encontrado agora, cerca de uma semana depois de seu desaparecimento De acordo com a Guarda Civil de Ibiúna, o corpo foi encontrado a aproximadamente 300 metros de distância de onde entrou na água.

Aos 54 anos, o jornalista atualmente continuava exercendo a profissão, mas longe das redações, atuando na área de comunicação corporativa. No entanto, Milton Gamez já teve passagem por grandes veículos de comunicação do país, inclusive pertencentes ao grupo Globo, como o Valor Econômico, especializado em economia. Ainda, ele foi o primeiro editor de finanças da revista IstoÉ Dinheiro, tendo atuado durante 10 anos na Editora Três.

Ainda, Milton Gamez marcou passagem por outros veículos de relevância nacional, como a revista Exame, pertencente ao grupo Abril, o próprio jornal O Globo, a Folha de S.Paulo, maior noticioso impresso do país, e a Harvard Business Review.

LUTO NA IMPRENSA: Sobrevivente da tragédia da Chapecoense, Rafael Henzel morre aos 45 anos em Santa Catarina

                Foto: Reprodução – o jornalista Rafael Henzel Valmorbida

Morreu na noite desta terça-feira (26), aos 45 anos, o jornalista Rafael Henzel Valmorbida. Ele foi vítima de um infarto após passar mal enquanto jogava uma partida de futebol.

A informação foi confirmada pela rádio Oeste Capital, de Chapecó, onde Henzel trabalhava, e havia apresentado um programa nesta terça-feira normalmente.

Ele estava escalado para narrar a partida entre Chapecoense e Criciúma, pela Copa do Brasil. O clube catarinense já pediu à Confederação Brasileira de Futebol o adiamento da partida.

Ele era um dos seis sobreviventes do acidente aéreo em novembro de 2016 que causou a morte de 71 pessoas, entre jogadores e comissão técnica da Chapecoense, e jornalistas que iriam trabalhar na final da Copa Sul-Americana daquele ano.

Na ocasião, Henzel teve sete costelas quebradas e uma lesão no pé direito. Ficou 20 dias internado, dez deles na UTI. Após receber alta, voltou a narrar uma partida em menos de dois meses.

Além dele, sobreviveram os atletas Neto, Alan Ruschel e Jackson Folmann, a comissária de bordo Ximena Suarez e o mecânico Erwin Tumiri.

Em nota, a Chapecoense afirmou que Henzel se tornou um símbolo da reconstrução do clube e que sempre lembrará do exemplo de superação do jornalista.