Prefeitos e vereadores defendem demandas e unificação das eleições durante a Marcha Pró-Município

Prefeita de Guaratinga: “Vivemos praticamente de recursos federais”; Prefeito de Belo Campo: “Repasse do percentual dos royalties [soma advinda de exploração] do petróleo para os municípios foi a maior vitória do dia”.

Eures Ribeiro (Presidene UPB) / Christine Pinto (Prefeita Guaratinga) / Tinho (Prefeito Belo Campo)

A União dos Municípios da Bahia (UPB), com apoio da União dos Vereadores da Bahia (UVB), realizou nesta segunda-feira (3) a segunda edição da Marcha Pró-Município no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador, com o objetivo de chamar a atenção para as demandas dos governos locais e em defesa da unificação das eleições para mandatos políticos no Brasil em 2022.

A caminhada foi precedida de reunião com o governador Rui Costa e a bancada de deputados e senadores baianos, na sede da UPB. Em seguida, prefeitos, secretários, agentes políticos locais e munícipes seguiram até a Assembleia Legislativa.

Uma carta aberta foi entregue pelo presidente da UPB e prefeito de Bom Jesus da Lapa, Eures Ribeiro, com as pautas dos municípios aos três poderes do estado.

“É uma marcha a favor dos municípios. Foi aprovada na nossa última assembleia de prefeitos com o intuito de fortalecer a luta municipalista na Bahia. Temos pautas urgentes para garantir a manutenção de serviços públicos. Isso passa pelo apoio que esperamos garantir dos parlamentares e do governo do estado”, explicou Eures.

A prefeita de Guaratinga, Christine Pinto (PSD) lamenta os efeitos da crise econômica no país e ressalta que isso tem dificultado o repasse de verbas para os municípios.

“Nós vivemos praticamente de repasse federal. Eu tenho um município com 1,6 mil quilômetros de estradas vicinais. No Sul da Bahia chove pra caramba, então, pra fazer estrada é difícil. Educação a gente está movendo, saúde a gente está conseguindo manter aos trancos e barrancos, mas quem vive só de repasse federal tem dificuldade em tudo porque esses repasses acabam diminuindo, os estaduais também”, reclama Christine.

O prefeito de Belo Campo, no sudoeste, José Henrique Silva Tigre, o “Tinho”, considera que o repasse do percentual dos royalties [soma advinda de exploração] do petróleo para os municípios foi a maior vitória do dia. Quinho, que é tesoureiro da UPB [União dos Municípios da Bahia], leu a carta com as 10 demandas dos prefeitos, entre elas a reivindicação dos royalties, que foi entregue ao governador nesta segunda-feira (3) durante a 2ª Marcha dos Prefeitos, ocorrida em Salvador.

“Talvez seja o maior impacto realizado pelo estado, em especial da Bahia, para os municípios. É um recurso relevante que se aproxima do repasse do ICMS [Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços]. Não é tão grande, mas se aproxima. Essa é a maior vitória dos municípios da Bahia”, avaliou em entrevista ao Bahia Notícias.

Em pronunciamento durante a 2ª Marcha, o governador Rui Costa declarou que já encaminhou um estudo para chegar ao valor a ser distribuído às prefeituras. A previsão é que o resultado seja divulgado em dezembro, com o início das transferências de recursos em janeiro do ano que vem.

Por: CliC101 | UPB/BN

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *