O TRANSE

Por Ed tattoo

O transe nos mostra a máscara nua ao revelar o tom que a dor cria, somos pássaros e nosso ninho está frio, diante das plumas molhadas procuramos abrigo, vemos no perigo a descoberta, e na paisagem trêmula à saída.

ó vida ingrata; trás os bons que já foram, dando nos a chance de interpretar a vida hoje, e amanhã fechá meus olhos. o mundo que me deste é sujo, sou parte da arte fria que o poeta se perde, e na vaidade que a matéria busca, aqui agora, me sinto só e distante de casa.

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.