Feijão volta a virar vilão na cesta básica; em Brumado o quilo já passa dos R$ 7

 

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

O feijão nosso de cada dia está mais caro para os consumidores e volta a figurar como vilão da inflação nos itens de primeira linha da cesta básica na cidade de Brumado. O consumidor já estava reclamando do valor, que até semana passada havia saltado por volta dos R$ 3,00 para pouco mais de R$ 5,00.

Ao retornar ao setor de cereais e às prateleiras dos supermercados nesta segunda-feira (28), o preço médio do feijão carioquinha já foi remarcado para o valor de R$ 7,49. A depender da marca, o valor já passa dos R$ 8,50. O site Achei Sudoeste apurou junto aos cerealistas no Mercado Municipal que fatores climáticos, como o excesso de chuva no centro e sul do Brasil, bem como a estiagem no nordeste, são preponderantes para a baixa produção e elevação no valor do grão mais consumido no país.

Economistas por natureza, muitas donas de casa tentam driblar a crise com outras alternativas. “Um dia é o feijão preto que está a pouco mais de R$ 5,00, outro dia é o catador e daí vai até passar esse período de inflação do nosso feijão tradicional”, recomendou a aposentada Celcides Nunes. “Tem sido um dia de feijão, outro de macarrão e outro de pirão, se não vamos ter que pegar o ordenado do mês só pro feijão”, disse a recepcionista Norma Lúcia Santos.