Tag: Poesia

HOMENAGEM ÀS MÃES PELA PASSAGEM DO SEU DIA

POR SantanaMÃE

Um ser de extrema admiração,
Uma mulher que tem o mundo em suas mãos.
Figura importante na tomada de decisão,
Que nunca nos deixa em momento algum na mão.

Mãe da eterna gratidão,
Mãe da resignação.
Que sempre nos proporciona o incansável perdão,
Mãe do amor, do carinho e da atenção.

Mãe que passa por dificuldade e chora,
Mãe que também se apavora.
Mãe que não sabe esperar a sua hora,
Mãe que por um filho pede esmola.

Mãe que tem a sua história,
Que se inspira no Deus de Nossa Senhora,
Mãe que abraça o dia e nos mostra aurora.
Mãe que nunca um filho explora.

Antônio Santana,
Poeta.
Condeúba – Bahia.

O instinto revela que “na tentativa de aprimorar a fala, o corpo padece”

 

POR Edtattoo

O instinto revela que “na tentativa de aprimorar a fala, o corpo padece”.

Somos herdeiros desse tempo, lutamos por melhorias atravessando as ruínas de nossa consciência.
As trincheiras esquecidas foram febre em que a face trêmula se via medo…
Com astúcia a culpa teve dono e sobre os chapéus de sua época homens eram separados.
Sofremos por causa do desejo de muitos e culpamos os poucos que conseguíamos ver em meio ao caos; a vida se fez onde a guerra estabelecia a saída para a paz, mas para isso foi preciso lutar, sangrar e não desistir…
E surgiu um homem de sua época rasgando o verbo, seu olhar em choque condenava quem lhe dita a vida.
Assim seguiam em direção aos Pirineus, estabelecendo com amor a passagem para um tempo livre.
Os olhares se via, e a carne sentia as dores da guerra.
A esperança presa precisava ser liberta, e só assim seria parte da grande arte que através do tempo estabelece vida a quem realmente quer tê-la!

 

Ao entardecer meu corpo pedia chão

POR Edtattoo

 

Ao entardecer meu corpo pedia chão, no cheiro das paredes de barro no escuro sentia medo. Sentia o som dos insetos caminhando sobre ela, e ao tentar compreender tal medo, em transe o sono domina.

Na casa onde a sala é festa surge o homem que com astúcia reduz a mente sã. Na roça pequena a brisa obriga até o fogo perder seu rumo, e sem demora sou parte desse fogo que foi e aqui instinto do perdão comprado.

Sei que falta vestes pra cobrir a face das palavras jogadas aí vento, as púrpuras em brilho o vento levou parando no jardim do outrem, ainda é tempo de criarmos asas e em direção ao desconhecido voar, pois no silêncio da fala o medo se cala e o infinito se abre.

APENAS ESCREVI

POR Edtattoo

Os dons espirituais que sentimos são a mais pura verdade.
São presentes dados a nós por nossos ancestrais.                                                                                                Conhece hoje até pela ciência que “além da pele existe uma vida”.
Essa indumentária que desprezamos sem pensar, ela sente, geme e sofre.
Os pensamentos são pulsos que vêem para aprimorar e controlando todo o sistema afim de aperfeiçoar aquilo que denominamos como ser.
Mas existe algo além.
Os dons de outrora, os sussurros aos ouvidos sem alguém aparente.
Os cheiros vindo sem saber de onde.
Os sons soprados aos ouvidos.
Cheiro de rosas que acalma num dia tenso.
Pensamentos em flashes que mostra me o caminho a seguir.
Pessoas em transe vivendo o desespero de si mesmo na ilusão de uma vida cheia de males e vícios.
Os dons existem sim.
São a base da consciência primitiva exposta, untada na atualidade ao relento do seu próprio medo.
Os mentores ainda existe, e mesmo que distante em outro tempo, acima ou abaixo podem falar.
Mostra nos do seu jeito, para onde olhar, onde ir, até onde ir.
As canções temporais, os mundos que ninguém jamais viu, as construções celestiais deslumbrantes,
e as sensações adquiridas em um voo lindo e espetacularmente inesquecível,
O cheiro da terra molhada e o passado revelado no presente em apenas segundos de transe.
Isso é espiritismo.
A verdade exposta, batendo na cara do mundo com cautela e respeito, mostrando que “tudo existe em apenas um instante”.
O passado, presente e futuro são divisões da consciência humana, que para compreender é preciso viver.
Ir além de onde se é, para sentir o que sempre foi. “Eterno”.
O espírito é imortal, e Nós somos livres.

O MEDO DE SONHAR

O MEDO DE SONHAR

Tenho medo de criar asas e voar
Medo de não consegui voltar
De nunca poder me realizar
Medo de morrer vendo o tempo passar.

Medo de sonhar
De não o conquistar
Medo de não me casar
De sofrer sem de a vida saborear.

Medo de falar
Medo de namorar
Medo de amar
Medo de te magoar.

Tenho medo de me frustrar                                                                                                                                                De a dor enfrentar
Medo de você não me suportar
Medo do nosso amor acabar.

Tenho medo do meu medo nunca passar
Do teu corpo não mais me aceitar
Medo de alguém te conquistar
Tenho medo de parar de contigo sonhar.

Tenho medo de não consegui andar
Medo de na vida me arriscar
Medo de me questionar
Tenho medo de a vida me condenar.

Antônio Santana,
Poeta.
Condeúba – Bahia.

SEJA VOCÊ

Poetiza Aline dos Santos

Acorde, comece bem o seu dia
Salde com fé a alegria
De sorriso nos lábios, ou olhar sério
Isso fica a seu critério
O importante é se amar.
Primeiro, se olhe no espelho
E então, gostou do cabelo?
Vai com ou sem batom?
Você escolhe o tom…
De salto, tênis ou sapatilha
Rabo de cavalo, solto ou presilha;
De saia, calça ou vestido.
O ideal é levar consigo um sorriso,
Aquele olhar confiante,
De quem se cuida, se ama
Você está deslumbrante…
Uma poderosa dama!
Jamais seja irreverente,
Seja diferente, hoje ouse ser você!
Seja você de qualquer jeito
Com problema, virtude, defeito
Cante baixo, ou alto
Fale sozinha na rua
A boca é toda sua
Tenha por si, bem querer.
Escute o meu conselho,
Se olhe mais no espelho
Apenas para ser você.

MEU BENQUERER

Antônio Santana Escritor e Poeta

MEU BENQUERER

Agora não mais do segredo e do sagrado
Mais do que está configurado e sacramentado
Do odiado reeducado e recuperado
E do idealizador, idealizado e realizado.
Do bem vencendo o mau no percurso normal.
De tudo se dando bem no olhar de outro alguém
Da vantagem permitida sem ter que tirar vidas
No seio de uma sociedade constrangida.
Meu benquerer sem ter o que desfalecer
Sem planta ter que desaparecer
Sem gente ter que padecer
Sem alguém ter que morrer.
Meu benquerer do bem sempre a prevalecer
Do perdão ao outro acontecer
Do mau não se estabelecer
Para tanta gente sofrer.
Meu benquerer
Lutamos para a água não desaparecer
Para a flora e a fauna não morrer
Para o homem não se esquecer de plantar
O verde quando o dia amanhecer.

Antônio Santana,
Escritor e poeta.

TERRA AMADA

O Poeta e Escritor condeubense Edson Silveira

Terra Amada

Oh, terra querida
Meu estado, minha vida,
Cuja capital é Salvador,
Bahia de infinito amor.

Cheia de lindas baianas,
Descendentes africanas…
É a diversidade e a mistura
De uma rica cultura.

Foste a primeira capital do país,
Importância que muitos não diz!
Terra de Jorge Amado,
Escritor arretado…
E do grande Anísio Teixeira
Protagonista da Educação brasileira.
Terra de Santa Dulce dos pobres,
Por cada gesto nobre…

Vale ressaltar nossos lindos litorais,
E nossas comidas tradicionais.
Êta Bahia,de Ilhéus e Salvador,
De um povo humilde e trabalhador.

A mais encantada do agreste
Um destaque em todo Nordeste.
Oh, terra amada
Tu és consagrada.

Salve, salve 2 de julho,
Salve, salve nossa Bahia!
Em sua independência, orgulho…
Seu Porto Seguro nos contagia!

Edson Silveira,
Condeúba- BAHIA.