Impasse entre prefeitura e professores pode culminar em greve e atrasar início do ano letivo em Aracatu

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

A educação atravessa um momento de crise na cidade de Aracatu, a 36 km de Brumado. Em entrevista ao site Achei Sudoeste, a professora e diretora da delegacia da APLB no município, Viviane Rocha, informou que a situação é tão crítica que a maior parte da categoria sequer havia sido comunicada sobre o início da jornada pedagógica na manhã desta terça-feira (04).

Segundo ela, a prefeitura se recusa a atender as reivindicações dos servidores da educação, que estão em indicativo de greve. Inclusive, ainda não há a confirmação de que o ano letivo terá início no próximo dia 10 em razão do movimento. “Estamos apreensivos diante dessa situação. Estamos reivindicando o reajuste salarial, que não foi repassado”, declarou.

A professora adiantou ainda que a categoria já decidiu, em assembleia, que, caso as suas demandas não sejam atendidas, uma greve poderá ser deflagrada. “Estamos buscando uma conversa, o diálogo, para que seja apresentada uma contraproposta. Não queremos prejudicar, de forma alguma, a educação. Nosso ensejo é que haja uma resposta para nossas reivindicações”, reiterou.