Populares enfrentam fila para adquirir o álcool gel em Brumado

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

Após o anúncio da pandemia de coronavírus e dos casos confirmados no país e na Bahia, a procura pelo álcool gel na cidade de Brumado aumentou significativamente.

O produto está esgotado em diversas farmácias e supermercados. Na manhã desta quarta-feira (18), uma loja localizada na Avenida Centenário recebeu uma remessa do álcool gel e, ao saberem da notícia, inúmeros populares formaram uma imensa fila no local para comprar o produto.

O site Achei Sudoeste esteve na loja e conversou com os consumidores. O popular Expedito Meira relatou que nunca esperava passar por uma situação como essa. “Nesse momento de pandemia do coronavírus, a gente tem que enfrentar a fila pra poder amenizar essa parte e se cuidar”, contou.

Com mais de 60 anos, o senhor Ladislau Ribeiro disse que precisa se prevenir de todas as formas e o álcool gel é uma proteção a mais. “O momento inspira cuidados”, completou. O pastor Sinvaldo Araújo também compareceu ao local em busca do álcool gel para distribuir aos fiéis durante as celebrações, bem como usar em sua casa.

Bahia é a oitava maior produção de grãos do país

Foto: Romildo de Jesus/Tribuna da Bahia

Na segunda estimativa de 2020, a safra baiana de cereais, leguminosas e oleaginosas espera aumentar 6,1% em relação à safra de 2019, em que obteve 8.283.660 toneladas. De acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de fevereiro, divulgado ontem (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o estado é a oitava maior produção de grãos do país, respondendo por 3,5% do total nacional. Ainda de acordo com o levantamento, em janeiro os números chegaram a 8.569.934 toneladas.

Desse modo, houve em fevereiro, uma revisão para cima na previsão da safra de grãos do estado de 2,5% ou mais, com 215.997 toneladas de um mês para o outro. Segundo o IBGE, a produção de soja foi responsável por esse maior aumento previsto na produção baiana de grãos, com 5,522 milhões de toneladas, chegando a 3.450 kg por hectare em 2020, ocupando assim, o lugar de maior safra do estado. Em terceiro lugar de rendimento que levou à revisão para cima na estimativa de produção, foi o algodão herbáceo.

A safra estimada para 2020 é de 1,520 milhão de toneladas, 1,0% acima do previsto em janeiro, onde teve 1,505 milhão de toneladas e 1,7%, 26 mil toneladas acima do colhido em 2019, que colheu 1,494 milhão de toneladas. Com a melhora na estimativa de produção de soja, o feijão 1ª safra passou, em fevereiro, a ser o principal destaque negativo dentre os grãos baianos, sustentando uma previsão de safra 2020, 6% menor que a de 2019, que obteve 137,3 mil toneladas neste ano frente a 172,8 mil toneladas no ano passado.

O IBGE explica que, para o Brasil como um todo, a estimativa de fevereiro para a safra de grãos 2020 alcançou mais um recorde na série histórica do órgão, chegando a 249,0 milhões de toneladas, 3,1% superior à de 2019, que foi de 241,5 milhões de toneladas e com um crescimento de 0,9%, com 2,3 milhões de toneladas em relação ao estimado em janeiro.

A partir das informações da estimativa de fevereiro, Mato Grosso deverá continuar na liderança da produção nacional de grãos neste ano, respondendo por 26,9% do total, seguido, mais uma vez, por Paraná (15,9%) e Rio Grande do Sul (14,1%).

Governo prepara pacote de medidas de socorro a empresas

O governo Bolsonaro está preparando um pacote de medidas para tentar reduzir os efeitos da crise do coronavírus sobre as empresas e, consequentemente, sobre os empregos. O setor aéreo é uma das áreas que causam maior preocupação em Brasília. “O impacto sobre as companhias aéreas deve ser pior do que o de 11 de setembro”, afirmou um técnico do ministério de Infraestrutura, referindo-se aos atentados terroristas nos Estados Unidos em setembro 2001.

De acordo com a Veja, uma das medidas propostas é a desoneração da folha de pagamentos das empresas de aviação. O objetivo é evitar que as companhias demitam funcionários, apesar da redução drástica de atividade esperada para o setor. São estudados também corte de outros tributos, como imposto de renda sobre aluguel de aeronaves, além do perdão de multas sobre cancelamento de slots (posições de aeronaves reservadas nos aeroportos).

Caso sejam aprovadas, as medidas serão temporárias. O governo também vai acionar o Ministério Público, com o objetivo de avaliar a possibilidade de o Procon aprovar o adiamento do reembolso aos consumidores de voos cancelados. A medida visa conter a saída repentina de caixa das empresas do setor aéreo.

A avaliação é que uma sangria de caixa pode levar as companhias à quebra. Grande parte das dívidas do setor é contraída em dólar, e a explosão da moeda americana aumenta as dívidas abruptamente. Dentro do governo, o consenso é que o setor de serviços será o mais atingido pela pandemia da Covid-19.

A expectativa é que a população reduza as idas a shopping centers, a eventos, shows, e, sobretudo deixem de viajar. Praticamente todos os ministérios se reunirão ainda hoje para tentar fechar o conjunto de medidas de emergência. Parte delas deve ser enviada ao Congresso em formato de Medida Provisória. A expectativa é que o Legislativo avalie as matérias no início da próxima semana.

Governo antecipa pagamento do 13º salário para aposentados

Foto: iStock/Getty Images

O Ministério da Economia anunciou nesta quinta-feira (12) a adoção de providências para minimizar os impactos da pandemia do novo coronavírus para a população. Entre as medidas anunciadas, está a antecipação, para abril, do pagamento de R$ 23 bilhões referentes à parcela de 50% do 13º salário aos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional da Seguridade Social (INSS).

A pasta também anunciou a suspensão, pelo período de 120 dias, da realização de prova de vida dos beneficiários do INSS. De acordo com a Veja, essas são as primeiras decisões tomadas pelo grupo de monitoramento dos impactos econômicos da pandemia de Covid-19, que se reuniu ao longo do dia.

O colegiado foi instituído pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, com o objetivo de acompanhar a conjuntura e propor medidas para mitigar os efeitos econômicos do avanço da infecção no país. O grupo é constituído por representantes de todas as secretarias especiais da pasta, sob a coordenação do secretário-executivo, Marcelo Guaranys. O colegiado monitora as áreas fiscal, orçamentária, crédito, gestão pública, questões tributárias, setor produtivo, relação federativa, trabalho e previdência.

“A gente tem grandes preocupações com cadeias produtivas, verificar o que está sendo desabastecido, o que precisa de auxílio, por exemplo, com produtos hospitalares, se precisa de alguma facilidade para desembaraço aduaneiro, se precisa de alguma redução de tarifa de exportação, que medida precisa ser adotada a cada momento necessário. Estamos acompanhando, obviamente, os indicadores da economia e a necessidade de remanejamento de orçamento”, afirmou Marcelo Guaranys, ao comentar sobre como o grupo deve atuar.

Cerca de 36 milhões pessoas ainda não fizeram o saque imediato do FGTS

O prazo para realizar o saque imediato do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) irá finalizar no dia 31 de março. E 36 milhões de trabalhadores, o que equivale a 38% dos trabalhadores, ainda não receberam o seu dinheiro. O saque do FGTS nesta modalidade foi disponibilizado em 2019.

O saque imediato se iniciou no mês de setembro do ano passado para os correntistas da Caixa Econômica que tiveram o seu dinheiro creditado automaticamente em conta. Após o fim do prazo em 31 de março, aqueles que ainda não realizaram o saque, independente do mês de aniversário, só podem receber a quantia em caso de doença grave, aposentadoria e no uso para comprar a casa própria.

O dinheiro complementar foi liberado desde o dia 20 de dezembro, mesmo que o trabalhador já tivesse retirado os R$500 de suas contas. Se não fizer o saque do seu saldo até a data limite final, o dinheiro vai retornar para as contas, com a atualização monetárias e juros que correspondem ao período em que estiveram disponíveis para que fossem sacados.

Receita libera dia 9 consulta a lote de restituição

Estará disponível, a partir das 9h da próxima segunda-feira (9), a consulta o lote multiexercício de restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF), contemplando as restituições residuais referentes aos exercícios de 2008 a 2019.

O crédito bancário para 72.546 contribuintes será realizado no dia 16 próximo, somando R$ 240 milhões. Desse total, R$ 104,186 milhões são para contribuintes com prioridade no recebimento: 1.848 idosos acima de 80 anos, 11.528 entre 60 e 79 anos, 1.621 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou doença grave e 5.667 contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na internet ou ligar para o Receitafone 146.

Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Nesta hipótese, pode-se avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.

Bahia ultrapassa R$ 108 milhões na produção de diamantes em 2019

Foto: Lipari Mineração

A Bahia ultrapassou R$ 108 milhões na produção comercializada de diamantes em 2019, conforme dados do Informe de Mineração, divulgado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) na quinta-feira (5).

De acordo com a SDE, o estado é o maior produtor de diamante do país e abriga a mina Braúna, primeira e única mina de diamantes da América do Sul desenvolvida a partir de kimberlito, rocha matriz do diamante. A Lipari Mineração é responsável pela operação dessa mina, que fica no município de Nordestina, a cerca de 354 km de Salvador.

Ainda segundo a secretaria, a Bahia é o 4º maior produtor brasileiro de bens minerais. Somente em janeiro de 2020, toda produção Mineral Baiana Comercializada (PMBC) atingiu R$ 333,8 milhões. O ouro foi responsável por 40% de toda produção.

De acordo com o G1, ainda em janeiro, o estado ocupou a posição de maior produtor nacional de mais sete bens minerais: bentonita, cromo, magnesita, salgema, talco, urânio e vanádio, além do diamante.

A pasta detalhou que as 10 cidades que mais arrecadaram em janeiro deste ano ficarão com 79% do montante. O restante da arrecadação ainda é dividido para os municípios (15%), o estado (15%) e entes da União (10%).

Divina Providência investe na construção de biodigestores na região de Brumado

Foto: Divulgação

A Associação Divina Providência construiu três biodigestores nas propriedades de Fernando Ataíde, localizada na comunidade Lagoa das Cacimbas, em Malhadas de Pedras, de Ricardo dos Santos Meira, na comunidade Baraúnas, em Aracatu, e de Euza dos Santos Lima, na comunidade Arapongas, em Brumado.

O projeto está transformando a vida de muitos agricultores familiares na região semiárida: a produção de gás de cozinha. A instituição, que trabalha há anos com a construção de cisternas, resolveu experimentar a nova proposta pensando nos benefícios da tecnologia para os agricultores familiares da região.

O funcionamento do biodigestor acontece da seguinte forma: o gás vem de uma caixa instalada em um local de grande incidência de sol ao lado de fora da casa. Nele, o esterco dos animais gera biogás, uma energia renovável que não polui o meio ambiente.

Além de eliminar o uso da lenha, o biodigestor tem outra função ambiental: as fezes dos animais quando se decompõem emitem gases de efeito estufa, os quais contribuem para o aquecimento global. Ao serem armazenados, sem entrada de ar, os dejetos são fermentados pelas bactérias presentes no estrume.

Os gases sobem e vão para o fogão. O metano, ao ser queimado, se transforma em gás carbônico, que tem impacto 28 vezes menor no efeito estufa. Outro fator importante é que, depois que as fezes se decompõem, se transformam em adubo orgânico e biofertilizantes.

PIB do Brasil tem crescimento tímido de 1,1% no primeiro ano de Jair Bolsonaro

Foto: Danilo Valentini/Veja

A economia brasileira mostrou, pelo terceiro ano seguido, um crescimento tímido. No primeiro ano do governo Bolsonaro, o Produto Interno Bruto (PIB) avançou 1,1%. O dado, divulgado nesta quarta-feira, 4, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é menor do que os de 2017 e 2018, quando a economia registrou alta de 1,3%. Em valores correntes, o PIB do ano passado totalizou 7.256,9 bilhões de reais.

De acordo com a Veja, o ano de 2019 começou carregado de expectativas na economia brasileira: com a eleição do presidente Jair Bolsonaro e a agenda reformista comandada por Paulo Guedes, economistas e analistas financeiros previam crescimento na casa dos 2,5%, Porém, o avanço estimado desandou com a tragédia da Vale em Brumadinho, além do atraso das reformas. A Previdência, por exemplo, foi aprovada apenas no 4º trimestre e ainda não há avanço nas mudanças tributárias e administrativas.

Crises internacionais também desestimularam o resultado brasileiro em 2019. A longa batalha comercial entre Estados Unidos e China e a crise na vizinha argentina também ajudaram a contribuir com o resultado lento. O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia. Apesar de três anos de crescimento, o Brasil ainda não reverteu a queda do ritmo da economia tida com a recessão de 2015 e 2016, quando o país caiu 3,5% e 3,3%, respectivamente.

O resultado do ano foi puxado pelo crescimento dos investimentos privados, que tiveram alta de 2,2%, além do consumo das famílias, que avançou 1,8%. Pelo lado da oferta, o destaque foi o setor de serviços, que avançou 1,3%. A recuperação do mercado de trabalho, ainda que lenta, contribuiu para os resultados. No trimestre encerrado em dezembro, a taxa de desocupação ficou em 11%, atingindo 11,6 milhões de pessoas.

Mesmo com a redução do desemprego, a informalidade atingiu patamar recorde em 2019. Com as pessoas parando de perder emprego e chegando a recuperar espaço no mercado de trabalho, houve mais liberdade para o aumento dos gastos da família. A liberação pontual de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), também causou estímulo positivo no resultado.

IPVA: contribuintes ainda podem pagar com 5% de desconto

Ainda da tempo de aproveitar o desconto. Quem realizar o pagamento integral do valor do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) na data de vencimento da primeira das três cotas do parcelamento padrão do imposto poderá aproveitar um abatimento atrativo, de 5%. A data de vencimento varia de acordo com o número final da placa do veículo, de acordo com a tabela divulgada pela Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia (Sefaz-Ba).

Segundo informações da Secretaria de Comunicação do Estado da Bahia (Secom-Ba), carros com placas de final um e dois têm até 30 e 31 de março, respectivamente, para obter o desconto de 5%. Já os veículos com finais de placa três e quatro, o prazo termina respectivamente em 29 e 30 de abril. Os prazos se estendem até 28 e 29 de maio para proprietários de veículos com placas de finais cinco e seis. Já para as placas com finais sete e oito, os prazos são 29 e 30 de junho, e as datas para os carros de placa 9 e 0 são 30 e 31 de julho.

Para mais informações, o contribuinte pode acessar o site da Sefaz. O imposto pode ser pago em qualquer agência do Banco do Brasil (BB), Bradesco ou Bancoob, bastando apresentar o número do Renavam.