Paróquia de Santo Antônio/Condeúba: Encerramento dos festejos em louvor a São Sebastião no Riacho Seco de Gerosino

Por Oclides da Silveira

O Andor de São Sebastião após a Procissão retornou a Capela com o Padre José Aparecido a frente para dar a Benção final

Hoje 20 de janeiro é celebrado no mundo católico o dia de São Sebastião. Em nossa Paróquia de Santo Antônio – Condeúba, a Comunidade do Riacho Seco de Gerosino, tem como Padroeiro São Sebastião, neste domingo pela manhã com início às 10:00 horas, houve o encerramento dos festejos em louvor a São Sebastião.

Com a celebração da Santa Missa presidida pelo Padre José Aparecido de Sousa, ele que é nascido na própria Comunidade do Riacho Seco de Gerosino e reside em São Bernardo do Campo – São Paulo, veio especialmente para essa celebração, que logo após a Missa houve uma grande Procissão saindo da Capela indo até o corredor e retornando ao ponto de origem  na Capela de São Sebastião.

RECEPÇÃO:                                                                                                                                                                Foi uma calorosa recepção da Comunidade com muitos fogos de artifícios em homenagem a festa de São Sebastião e especialmente ao Padre José Aparecido de Sousa que nasceu na Comunidade do Riacho Seco de Gerosino é filho de Eurico Garcia de Sousa e Maria de Fátima Coutinho. Ordenado Padre há 5 meses, porém muito seguro nas suas colocações, ele pertence a Igreja de Nossa Senhora Aparecida do Parque Celeta em São Bernardo do Campo/SP.

O Padre José Aparecido fez uma excelente homilia. Disse que esse foi o Evangelho da trilogia, que fala da Epifania, do Batismo e da Manifestação Gloriosa, ele falou da coragem de São Sebastião que em defesa de Jesus Cristo, enfrentou o Rei Maximiniano, motivo esse que o Rei mandou seus comandados matar deforma trágica e humilhante, São Sebastião que foi amarrado numa árvore e flechado em praça pública.

O Padre José Aparecido de Sousa ao lado do Sr. Irani Silveira

Ao final da celebração o Padre José Aparecido disse: “Quero iniciar dizendo que este é um momento histórico para mim, pois, relembro minha infância que passei aqui na Comunidade do Riacho Seco, minha passagem por esta Capela onde fiz o catecismo e a primeira comunhão. Gostaria de citar os nomes de todos vocês, mas não posso, vou mencionar apenas o nome do Sr. Iraci que foi o meu primeiro líder  espiritual. Falo também da minha gratidão pelos meus avós Elpídio e Arvelina, Joaquim e “Miucha” (todos já falecidos), todos eles que tanto se empenharam para que eu me tornasse Padre”, houve um momento de emoção seguido de muitos aplausos ao filho ilustre da terra.  Continue Reading

Condeúba/Olho D’água: Completou idade nova Geisa Silveira

Por Oclides da Silveira

Geisa sendo surpreendida com o bolo de aniversário

Completou idade nova nesse dia 18 de janeiro Geisa Prates Silveira, porém a comemoração foi no dia seguinte sábado, ela juntamente com seu esposo Edmar o popular”Cota”, abriu as portas de sua vivenda e acolheu seus parentes e amigos oferecendo a eles um maravilhoso churrasco, que foi regado a refri e muito suco de vários sabores, tinha até algumas latinhas de cerveja, que ninguém é de ferro, em fim, o bolo de aniversário foi surpresa, pois, não havia combinado entre o casal, mas alguém dos convidados apareceu com o belo e saboroso bolo, que fez grande sucesso entre a galera mirim.

Nós do Jornal Folha de Condeúba parabenizamos essa grande figura Geisa Silveira pela passagem de seu aniversário. Geisa com seu sorriso fácil e muito comunicativa que é, se transformou nesta personagem de grande destaque e amada por todos na Comunidade do Olho D’água. Que o bom Deus  lhe abençoe hoje e sempre grande Geisa!!! Continue Reading

O REINO DA MENTIRA

Rui BarbosaMentira toda ela. Mentira de tudo, em tudo e por tudo. Mentira na terra, no ar, até no céu, onde, segundo Padre Vieira, que não chegou a conhecer o Dr. Urbano dos Santos, o próprio sol mentia ao Maranhão, e diríeis que, hoje, mente ao Brasil inteiro. Mentira nos protestos. Mentira nas promessas. Mentira nos programas. Mentira nos projetos. Mentira nos progressos. Mentira nas reformas. Mentira nas convicções. Mentira nas transmutações. Mentira nas soluções. Mentira nos homens, nos atos e nas cousas. Mentira no rosto, na voz, na postura, no gesto, na palavra, na escrita. Mentira nos partidos, nas coligações e nos blocos. Mentira dos caudilhos aos seus apaniguados, mentira dos seus apaniguados aos caudilhos, mentira de caudilhos e apaniguados à nação. Mentira nas instituições. Mentira nas eleições. Mentira nas apurações. Mentira nas mensagens. Mentiras nos relatórios. Mentira nos inquéritos. Mentira nos concursos. Mentira nas embaixadas. Mentira nas candidaturas. Mentiras nas garantias. Mentira nas responsabilidades. Mentira nos desmentidos. A mentira geral. O monopólio da mentira. Uma impregnação tal das consciências pela mentira, que se acaba por se não se discernir a mentira da verdade, que os contaminados acabam por mentir a si mesmos, e os indenes, ao cabo, muitas vezes não sabem se estão, ou não estão mentindo. Um ambiente, em suma, de mentiraria, que, depois de ter iludido ou desesperado os contemporâneos, corre o risco de lograr ou desesperar os vindouros, a posteridade, a história, no exame de uma época, em que, à fôrça de se intrujarem uns aos outros, os políticos, afinal, se encontram burlados pelas suas próprias burlas, e colhidos nas malhas da sua própria intrujice, como é precisamente agora o caso.

Já se entoou no parlamento republicano o panegírico do jogo. Já se lavrou na imprensa da atualidade a apologia da perfídia. Ainda não se ensaiou, numa tribuna ou na outra, a glorificação da mentira. Mas há de vir. Há de estar próxima. Já tarda. Não se concebe que se haja demorado tanto. É a justiça da nossa época a si mesma. Pelo hábito de preterir a tudo, acaba ela sem fim, destarte, preterindo a si própria.

(Rui Barbosa, Campanhas Presidenciais, 2ª edição, Livraria Editora Iracema, São Paulo, 1966, p. 165-6)

Analista Universitário da UESB morre em grave acidente na BA-634, entre Itambé e Ribeirão do Largo

Um grave acidente ocorrido no início da tarde de hoje, sábado (19), deixou uma vítima fatal no Km 12, da rodovia BA-634, entre Itambé e Ribeirão do Largo.

A vítima foi identificada como Helder Francisco Ferreira, de 62 anos, conhecido e renomado Servidor Analista Universitário da UESB, Campus da cidade de Itapetinga/BA. Segundo informações, Helder retornava de sua propriedade rural, quando aconteceu a tragédia.

Uma mulher acompanhada de dois filhos – uma menina de aproximadamente 11 anos e um menino entre 9 e 10 anos, segundo informações estavam de carona no carro e saíram ilesas do acidente.

Samu de Itambé e uma viatura da Polícia Militar seguiram rápido para o local, para prestar socorro e preservar a local do acidente, até a chegada do Departamento de Polícia Técnica de Itapetinga, para remoção do corpo para o IML.

Não há ainda informações sobre o que teria provocado o acidente, mas relatos indicam que o condutor estaria em excesso de velocidade, quando perdeu o controle do veículo, resultando em capotamento.

Fonte: Blog Itambé agora

Agricultura familiar: Cooperativas terão linha de crédito para financiamento

Foto: Reprodução/TV Integração

As cooperativas e associações da agricultura familiar na Bahia terão linha de crédito para financiamentos. Segundo a gestão estadual, o governador Rui Costa (PT), assinou a autorização para a implantação dessa uma linha de crédito voltada para financiar os grupos da agricultura familiar.

A assinatura ocorreu no dia 11 de janeiro e a implantação será realizada pela Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia), em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), no âmbito do Fundo de Desenvolvimento Econômico e Social (Fundese). Conforme informou o governo, ao todo, serão beneficiadas 5.989 famílias, com um investimento de mais de R$ 76 milhões.

A nova linha disponibilizada, denominada Coopergiro, vai proporcionar o apoio ao cooperativismo no estado, por intermédio de financiamento de capital de giro para as cooperativas, com prazo de pagamento e taxas competitivas. A ação vai levar crescimento e qualificação das cooperativas que beneficiam e comercializam os produtos da agricultura familiar na Bahia.

A FELICIDADE E A TRISTEZA

Por Antônio Santana

Sou feliz quando estou com você,
Triste quando não mais a tenho comigo;
Feliz porque posso sorrir e desabafar,
Feliz porque posso gritar e desejar.

Triste quando a tristeza não me deixa só ,
Quando você foge de mim e não volta;
Triste porque não posso pegar a felicidade,
Triste porque não posso falar a verdade.

Triste porque estou na necessidade,
Feliz porque viver não tem idade.
Viver precisa de amor e sensibilidade,
Viver precisa de uma coisa chamada felicidade.

Viver significa respeitar as adversidades,
Felicidade é viver com paz e liberdade,
Triste é sonhar com a solidão da idade,
Felicidade é amar a pessoa sem discriminalidade.

Antônio Santana,
Escritor e poeta.
Condeúba – Bahia.