COMO SE EXPLICA A POBREZA NO BRASIL?

Antônio Santana – professor, escritor e poeta.

A pobreza no Brasil pode ser encontrada por diversos fatores: um dos mais impactantes é a má distribuição de renda, que acaba gerando em grande proporção uma cruel desigualdade social. Outra situação que nos preocupa, é a ausência de políticas públicas direcionadas eficazmente à educação, à saúde, à arte, à cultura, entre outras questões de interesse social.

Vale ressaltar, que nos últimos anos o Brasil teve uma melhora substancial, porém pouco tem avançado nas referidas situações acima expostas de acordo com o que preconiza a Constituição Federal de 1988, que expressa os direitos e os deveres sociais de seu povo. Entretanto, sem as seguridade e o cumprimento dos direitos constitucionais de cidadãs e cidadãos, fica cada vez mais difícil se viver dignamente no Brasil.

É necessário que gestores públicos das três esferas governamentais do nosso país, façam um esforço para tirar do papel as Leis e colocá-las em prática e atender aos anseios constitucionais de uma nação. A pobreza, é ainda, fruto da desestruturação espacial de uma divisão territorial, intencional e desigual de uma herança herdada num processo de Descobrimento do Brasil, em 1500, pelos portugueses.

Vale lembrar que, a partir do êxodo rural em que famílias inteiras migraram do campo para as cidades em busca de sonhos, realizações, melhor condição de vida para os filhos, ( frustrações), e isso fez com que aumentasse as populações das grandes cidades que oferecem mais dificuldades do que oportunidades.

O resultado de tudo isso proporcionou o desemprego, a violência, a falta ou péssima moradia, invasão das drogas lícitas e ilícitas que atinge principalmente parte dos jovens como categoria vulnerável talvez pela ausência de um lar estruturado, ausência de uma educação que transformada a essa parcela da sociedade, dificuldade de acesso a serviços públicos essenciais à vida, bem como outros fatores determinantes para o aumento da pobreza no Brasil.

Diante do exposto, vejo uma possível solução a médio e longo prazo para se não resolver em definitivo o problema da pobreza, mas amenizar a dor, a falta de esperança e o desespero desse público-alvo em questão. Os governos federal, estadual e municipal deveriam ou ( poderiam) atrair investimentos nacionais e internacionais para industrializar o interior do país, gerando oportunidades de emprego e renda sem a necessidade de jovens e adultos deixarem suas próprias cidades e estados de origem.

Acredito que por meio de um ensino de qualidade, preparando bem o indivíduo para o mercado de trabalho e oportunidade de emprego sólido e com garantias trabalhistas, é que o Brasil de fato voltará a crescer e a se desenvolver.

Estudantes baianos criam projeto para minimizar impacto do lixo

Foto: Divulgação

Em maio deste ano, as tradicionais chuvas do mês fizeram um estrago maior que o esperado no município vizinho de Lauro de Freitas (Região Metropolitana de Salvador). O drama da população chamou a atenção de um grupo de estudantes que imaginava uma forma de colaborar para a redução do problema. A chance de efetivamente contribuir surgiu de uma forma inusitada: durante a realização da Olimpíada do Futuro – a Sapientia. Junto com outras cinco equipes de jovens de todo o país, os quatro estudantes baianos – Maria Fernanda Mello, Diogo Liotti Amaro, João Gabriel Paixão e Marcella Renata Souza, do Colégio Perfil, em Vilas do Atlântico – desenvolveram a startup Point Sustentável.

O projeto que, ao mesmo tempo, reduz o lixo, melhora as condições de trabalho dos catadores de recicláveis e minimiza os problemas ocasionados congestionamento do sistema de drenagem da cidade foi selecionado entre os melhores do Brasil e, enquanto a premiação final não ocorre, eles aproveitam para viabilizar a ideia.

Na verdade, segundo o orientador do projeto, o professor de história Rodrigo Lorenzo, independente do resultado, o grupo já conseguiu reunir os recursos necessários para implantar o projeto, que consiste na construção de carrinhos com estrutura metálica que facilitará o recolhimento do lixo urbano, sendo uma estrutura de trabalho mais prática e confortável para os coletores. “Para garantir a sustentabilidade da iniciativa, os estudantes comercializaram os espaços laterais dos veículos, que servirão como outdoors ambulantes”, esclarece o professor.

Depois de 580 dias, Lula deixa a prisão após decisão do STF

Foto: Reprodução/Instagram – Lula arrumando sua mala para saie da prisão

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deixou a prisão em Curitiba após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), nesta sexta-feira (8).

Ele – que estava preso desde 7 de abril de 2018 na Superintendência da Polícia Federal (PF) – saiu do local por volta das 17h40 e fez um discurso no qual agradeceu a militantes que ficaram em vigília por 580 dias e fez críticas ao que chamou de “lado podre do Estado brasileiro, da Justiça, do Ministério Público, da Polícia Federal e da Receita Federal”.

Condenado em duas instâncias no caso do tríplex no Guarujá, no âmbito da Operação Lava Jato, Lula cumpria pena de 8 anos, 10 meses e 20 dias. Agora, o juiz Danilo Pereira Jr. autorizou que Lula recorra em liberdade.

Vitória da Conquista: Estudante de odontologia desaparecido é encontrado morto

Foto: Reprodução/Instagram – Hiago Evangelista Freitas, morto aos 24 anos

O corpo do motorista de aplicativo e também estudante de odontologia, Hiago Evangelista Freitas, de 24 anos, foi encontrado morto no início da tarde desta sexta-feira (8) em Vitória da Conquista, A vítima era procurada desde a quarta-feira (6). Ainda não há mais informações sobre a autoria e a motivação do crime. O corpo foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) da cidade.

Plano do Ministério da Saúde prevê que enfermeiro faça consultas e prescreva remédios

Foto: Reprodução/Getty Images

Enfermeiros poderão passar a solicitar exames, realizar consultas e prescrever alguns remédios no SUS. As novidades constam em um plano do Ministério da Saúde. A iniciativa deve ser lançada ainda neste ano, de acordo com apuração da Folha de S. Paulo. A reportagem destaca que as atividades são respaldadas por lei federal, mas enfrentam resistência dos conselhos médicos.

A apuração do veículo ainda indica que a proposta inclui a elaboração de novos protocolos de enfermagem. Experiências no Reino Unido e Canadá, e em alguns municípios brasileiros inspiraram a iniciativa. O Conselho Federal de Medicina (CFM) informou à reportagem que desconhece a proposta do Ministério da Saúde e que foi chamado para se manifestar sobre ela.

A entidade chamou a atenção para que apesar de reconhecer a existência de protocolos específicos para ações no campo da saúde pública, a Lei do Ato Médico estabelece que o diagnóstico e a prescrição de tratamentos são atribuições exclusivas do médico.