Categoria: Brasil

Diretoria da Anvisa rejeita importação e uso da Sputnik V

A. Brasil

Os cinco diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) rejeitaram, por unanimidade, a importação e o uso da vacina russa Sputnik V pelo Brasil. A decisão foi tomada na noite desta segunda-feira (26). O imunizante é produzido pelo Instituto Gamaleya, da Rússia. Os diretores do órgão se reuniram, de forma extraordinária, para avaliar os pedidos de nove estados para a aquisição da vacina.

O diretor da Anvisa, Alex Machado Campos, que é o relator do pedido, considerou que o imunizante pode trazer riscos à saúde. Além disso, foram apontadas falhas e pendências na documentação apresentada pelo fabricante. Ele se baseou em pareceres técnicos de três gerências da Anvisa, que fizeram uma apresentação no início da reunião.

“Para os pleitos ora em deliberação, o relatório técnico da avaliação da autoridade sanitária ainda não foi apresentado, os aspectos lacunosos não foram supridos, conforme as apresentações técnicas. Portanto, diante de todo o exposto, verifica-se que os pleitos em análise não atendem, neste momento, às disposições da Lei 14.124 e da Resolução da Diretoria Colegiada 476, de 2021, razão pela qual eu voto pela não autorização dos pedidos de importação e distribuição da vacina Sputnik V solicitados pelos estados que já relacionamos”, afirmou o diretor-relator. O voto do relator foi seguido pelos outros relatores da agência.

A deliberação foi marcada dentro do prazo estipulado pela Lei n º 14.124/21, e de acordo com a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, que determinou a análise da questão dentro do prazo de 30 dias. Caso não houvesse essa análise por parte da Anvisa, a vacina poderia ser importada.

Os estados que tiveram seus pedidos avaliados pela Anvisa foram: Bahia, Acre, Rio Grande do Norte, Maranhão, Mato Grosso, Piauí, Ceará, Sergipe e Pernambuco. Além desses, também estão com pedidos pendentes de avaliação, ainda dentro do prazo, os estados de Rondônia, Sergipe, Tocantins, Amapá e Pará, e os municípios de Niterói (RJ) e Maricá (RJ). Ao todo, esses pedidos somam 66 milhões de doses, que poderiam vacinar cerca de 33 milhões de pessoas, por meio de duas doses.

Antes da votação dos diretores, gerentes de três departamentos da Anvisa apresentaram seus pareceres técnicos contra a compra da Sputnik V. Os relatórios foram incorporados ao voto do diretor-relator, Alex Machado Campos.

Malária: Casos no Brasil estão em queda, afirma infectologista

Foto: Agência Saúde

Instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2007, o Dia Mundial da Luta Contra a Malária (World Malaria Day) é lembrado hoje, 25. Segundo a pesquisadora Anielle Pina, do Laboratório de Pesquisa Clínica em Doenças Febris Agudas do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas da Fundação Oswaldo Cruz (INI/Fiocruz), houve uma redução expressiva da doença no Brasil nos últimos anos. De 2019 para 2020, o número de casos caiu 13%.

“A gente vem em um patamar de casos muito baixo quando compara com a década passada. Acho que, ano a ano, a gente vem reduzindo o número de casos, de internações e de óbitos. Eu acho que isso é uma coisa muito importante”, afirmou Anielle. Olhando para gráficos do início dos anos 2000, vê-se que o Brasil tinha 600 mil casos de malária por volta de 2004 a 2005, com 21 mil hospitalizações e mais de 200 mortes por malária no país.

Com o passar dos anos, chegou-se a 2015 com menos de 300 hospitalizações. Hoje, o Brasil registra cerca de 135 mil casos, o que é uma redução significativa, comentou a pesquisadora. No último ano, foram menos de 30 óbitos. Anielle comentou que a malária não vai deixar de ser um problema de saúde pública. É preciso fortalecer as políticas de diagnóstico, de tratamento e de vigilância dos casos, mas ela acha que “o Brasil vem respondendo bem. As nossas ações vêm dando boas respostas”.

Brasil, Venezuela e Colômbia juntos respondem por 80% dos casos de malária nas Américas. De acordo com dados do Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica-Malária (Sivep-Malária), do Ministério da Saúde, mesmo com a pandemia em 2020, foram registrados no período de janeiro a junho 1.049 casos importados de outros países no Brasil, com maior ocorrência nos estados de Roraima e Amazonas. O país passou seis semanas em surto. O Sivep-Malária apontou, porém, que na maioria das semanas analisadas, o número de casos ficou abaixo do esperado para o período.

Escolas iniciam preparativos para retorno às aulas presenciais em Salvador

Foto: Nara Gentil/Correio

Mais de um ano após a pandemia separar alunos e escolas, os estudantes de Salvador já têm data marcada para reencontrar a sala de aula: dia 3 de maio. O anúncio, que encerra o longo período de incertezas sobre a volta da educação presencial, foi feito na sexta-feira pelo prefeito Bruno Reis (DEM).

De acordo com o jornal Correio, entretanto, o retorno só será possível para parte dos estudantes da capital e ocorrerá sem a plenitude desejada. De acordo com o secretário de Educação de Salvador, Marcelo Oliveira, todas as séries já poderão retornar, do ensino infantil ao médio. No caso das escolas públicas, a prefeitura é responsável apenas até o fundamental.

O médio fica por conta da rede estadual, que ainda não tem planos de retorno presencial. Já os colégios particulares que ofertam séries do antigo segundo grau estão autorizados a reabrir. Depende somente deles a decisão. “Toda a educação tem a permissão de voltar, municipal e particular. Todos os segmentos”, reforçou o secretário.

Os pais, no entanto, terão o direito de decidir se os filhos vão frequentar a escola por causa da pandemia, apesar dos protocolos sanitários impostos pela prefeitura e do chamado modelo semipresencial. As salas de aula, por exemplo, estarão limitadas a 50% da capacidade.

Entidades recomendam vacinar gestantes que contenha diabéticas, obesas e hipertensas

Foto: Getty Images

A Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) e a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) recomendaram que sejam seguidas as orientações do Ministério da Saúde para que a vacina contra a Covid-19 seja aplicada em mulheres grávidas com diabetes mellitus, obesidade ou hipertensão arterial sistêmica.

Tanto a SBEM quanto a SBD dizem que essa recomendação segue nota técnica já divulgada pelo governo federal com o objetivo evitar complicações para mulher e o bebê. “A urgência em se posicionar sobre essa população, mesmo com ausência de evidências, decorre do maior risco de complicações que as gestantes e seus bebês apresentam quando infectadas pelo vírus”, afirmaram as instituições em nota.

As orientações estão de acordo com a nova portaria do Ministério da Saúde, que recomenda a vacinação em gestantes, lactantes e puérperas (mulheres no período de até 60 dias após o parto) com doenças prévias (comorbidades).

De acordo com dados do Observatório Obstétrico Brasileiro Covid-19 (OOBr Covid-19), o número de mortes de gestantes e de mães de recém-nascidos (puérperas) por Covid-19 mais do que dobrou em 2021 em relação à média semanal de 2020.

Segundo o levantamento, no ano passado foram registradas 453 mortes (10,5 óbitos na média semanal). Em 2021, até 7 de abril, foram 289 mortes (22,2 óbitos na média semanal).

Bahia vai receber US$ 13 bilhões em investimentos na Mineração

Foto: Divulgação

A mineração brasileira deve receber investimentos de US$ 38 bilhões entre 2021 e 2025. A maior parte está prevista para ser realizada na Bahia, que deve receber aportes de US$ 13 bilhões (35% do total) em 28 municípios. O valor é o de aportes previstos por mineradoras em 92 diferentes projetos espalhados nas áreas de influência de 81 municípios em diversos estados, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram).

Dados da entidade apurados junto às empresas que atuam no país apontam que, destes 92 projetos, 23 são relacionados à produção de bauxita e alumina; 11 a insumos para fertilizantes como fosfato e potássio; nove de cobre; nove de zinco; oito de ouro; quatro de níquel; dois de minério de ferro; e 25 de utros minerais.

Em segundo lugar no ranking de investimento aparece Minas Gerais, com US$ 11 bilhões (28%) em 11 municípios, seguido por Pará, com US$ 9 bilhões (23%) em 13 cidades; e outros estados, onde estão previstos aportes de US$ 5 bilhões (14% do total) em 29 municípios.

Bahia e mais 22 estados aplicaram doses vencidas da vacina da Astrazeneca, diz site

A Bahia está entre os 23 estados que aplicaram doses da vacina da Astrazeneca/Oxford após o prazo de validade, de acordo com um levantamento feito pelo site Metrópoles. De acordo com os dados, 160 cidades em 23 estados estão na mesma condição.

Ao todo, 1.254 pessoas foram vacinadas com doses de lotes do imunizante com prazo de validade vencido. O site cruzou as informações oficiais sobre vacinas aplicadas com os registros de envios de imunizantes para as unidades da federação, onde constam a data de vencimento para cada lote.

A bula da vacina publicada no site da Anvisa informa que a validade do imunizante é de seis meses a partir da data de fabricação, e o produto não deve ser usado após o prazo previsto. “Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original”, diz o documento oficial.

De acordo com o levantamento, na Bahia, foram aplicadas doses vencidas em Salvador (4) e em Pedro Alexandre (1). Procurado pelo CORREIO, o governo do estado da Bahia não se pronunciou até o momento dessa publicação.

A Secretaria Municipal da Saúde de Salvador esclareceu “que recebemos remessas do lote 4120Z005 nos meses de fevereiro e março e 100% dos mesmos foram utilizados dentro do prazo de validade, seguindo o que preconiza o plano de vacinação. Ou seja, na logística de distribuição utilizamos (aplicamos) primeiramente os imunizantes que estavam com prazo de validade a vencer. As vacinas foram aplicadas dentro do prazo”.

A prefeitura de Pedro Alexandre não foi localizada para comentar a denúncia.

De acordo com o registro no Ministério da Saúde, o lote 4120z001 foi autorizado para ser distribuído em 24 de fevereiro e vencia em 29 de março. A maior parte dos casos de aplicação de vacinas vencidas mapeados pela reportagem se refere a esse lote. Foram 869 casos identificados em cinco estados. Já os lotes 4120Z004 – com 108 casos em cinco estados – e 4120Z005 – 277 casos em 17 Unidades da Federação – foram autorizados em 22 de janeiro e venceram em 13 e 14 de abril, respectivamente.

Abril é o mês mais letal da pandemia no Brasil

O mês de abril já é o mais letal da pandemia da Covid-19 no Brasil, com 67.723 mortes confirmadas, ultrapassando as 66.868 em todo o mês passado, segundo dados do consórcio dos veículos de imprensa. Somente em 24 dias, foram registrados 17% dos quase 390 mil óbitos por Covid-19 no país. Além disso, abril é o 5° mês consecutivo em que o número de óbitos superou o do mês anterior.

Somente neste sábado (24), o país registrou 2.986 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas e totalizou 389.609 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias chegou a 2.531. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -19%, indicando tendência de queda nos óbitos decorrentes da doença.

Foi a maior queda desde 11 de novembro, quando a média móvel de mortes apresentou queda de -27%. Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h desta quarta.

O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde. Já são 94 dias seguidos no Brasil com a média móvel de mortes acima da marca de mil; o país completa agora 39 dias com essa média acima dos 2 mil mortos por dia.

White Martins: explosão em fábrica no Ceará não afetará produção de oxigênio

Agência BrasilA White Martins garantiu que a explosão registrada neste sábado (24) em uma fábrica de Fortaleza (CE) não afetará sua produção de oxigênio.

Em nota, a multinacional assegurou que as instalações da Avenida Francisco de Sá, 2776, no bairro Carlito Pamplona, na capital cearense, são usadas apenas para envasar o produto, que é fabricado e transportado da unidade fabril do Complexo do Pecém, a cerca de 50 quilômetros.

“A produção de oxigênio líquido no estado não foi comprometida e a empresa está buscando alternativas para o enchimento dos cilindros”, informou a empresa.

As causas da explosão ainda estão sendo investigadas. De acordo com a assessoria da multinacional, ao menos quatro das cinco pessoas que, segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social, sofreram ferimentos trabalhavam na fábrica.

Três dos feridos foram levados para o Instituto Doutor José Frota (IJF), onde foram submetidos a exames para avaliação clínica. Mais cedo, o prefeito José Sarto Nogueira já havia comentado, nas redes sociais, que os três “pacientes”, cujos nomes não revelou, estavam “estáveis, acompanhados pelas equipes multiprofissionais do hospital e realizando exames de imagem”.

Pouco depois, a prefeitura divulgou uma nota em que Sarto tranquiliza a população a respeito do fornecimento de oxigênio. “Nossos hospitais têm tanques abastecidos pela sede da empresa situada no Pecém. Já as usinas e os cilindros das nossas unidades de pronto atendimento [UPAs] foram abastecidos esta semana. Portanto, não temos risco de desabastecimento em virtude desta situação”, assegurou o prefeito, mencionando que uma quinta pessoa também sofreu ferimentos leves que não exigiram que fosse levada ao hospital.

A fábrica ocupa mais de meio quarteirão de uma área cercada por residências, pequenos comércios, ao menos dois postos de combustível e outros estabelecimentos. Vídeos gravados por moradores e pessoas que passavam pelo local no momento da explosão e compartilhados nas redes sociais mostram uma coluna de fumaça sobre a unidade fabril e alguns imóveis próximos supostamente afetados pela força da explosão, com vidraças quebradas e outros estragos.

A defesa civil municipal interditou a fábrica e técnicos estão vistoriando as construções vizinhas afetadas pelo acidente. Algumas vias próximas à empresa também foram temporariamente bloqueadas pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania. Segundo a prefeitura, o bloqueio será mantido até que o corpo de bombeiros ateste que a área pode ser liberada. Segundo a Secretaria Estadual da Segurança Pública e Defesa Social, o risco de incêndio foi descartado.

No Twitter, o governador Camilo Santana lamentou o ocorrido e assegurou que técnicos da prefeitura já estavam em contato com a White Martins a fim de tratar da questão do fornecimento de oxigênio medicinal.

Casa Memorial Governador Régis Pacheco desenvolve programação para a 19ª Semana Nacional de Museus

Entre os dias 17 a 23 de maio de 2021, a Casa Memorial Governador Régis Pacheco desenvolve uma programação para a 19ª Semana Nacional de Museus. O evento celebra o Dia Internacional de Museus, comemorado no dia 18 de maio. Anualmente, museus e outras instituições culturais brasileiras, são convidados pelo Instituto Brasileiro de Museus – Ibram a elaborar um projeto especial para a data.

Neste ano, a Semana de Museus tem como tema “O futuro dos museus: recuperar e reimaginar” e, devido à pandemia do novo coronavírus, será realizada de forma virtual. “Conquista mais uma vez tem a honra e o prazer de estar participando e contribuindo para esse enriquecimento cultural que é a Semana dos Museus.

Nesse novo formato virtual, nós teremos a participação importante do nosso Conselho Municipal de Cultura e convidados especiais que vão estar somando e nos ajudando a construir uma melhor política pública cultural nesse momento que estamos vivendo”, destacou o secretário de cultura, Adriano Gama.

A abertura da Semana acontecerá no dia 17 de maio, às 19h, com a mesa “Museu do futuro: em busca de novos sentidos”, no dia 18 de maio, no mesmo horário, será discutido a importância da preservação do patrimônio cultural, com a mesa intitulada “Patrimônio, porque é importante esta conquista?”

A Casa Memorial Régis Pacheco participa da Semana de Museus há nove anos, sempre com o intuito de ampliar o diálogo com a sociedade conquistense acerca da função social do museu e do patrimônio cultural a partir da comunicação de muitas vozes.

O interessado em participar da programação da 19º Semana de Museus, deverá preencher este formulário.

Veja a programação:

Ação Serasa Limpa Nome dá descontos de até 90% para quitar dívidas

A. Brasil

Ação da plataforma Serasa Limpa Nome oferece a oportunidade de se quitar as dívidas, negociando descontos e parcelando as dívidas com parcelas a partir de R$ 9,90. A negociação abrange dívidas com as 50 empresas parceiras da ação, que até o momento não tem previsão de término.

De acordo com um levantamento realizado pela Serasa, de fevereiro a março de 2021, o número de inadimplentes no Brasil passou de 61,56 milhões para 62,56 milhões de pessoas, um aumento de um milhão em um mês. Para a entidade, isso pode ser um reflexo do impacto da pandemia na economia.

A média de débitos é de R$ 3.903,73 cada. Os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia e Paraná apresentaram o maior número de negativados.

“Em nossa plataforma de negociação, Serasa Limpa Nome, disponibilizamos milhões de ofertas com descontos de até 90% e opções de parcelamento, parte dela começando por R$ 9,90. Sabemos a importância desse serviço em um momento tão difícil e queremos estar ao lado dos brasileiros no processo para se conquistar uma vida financeira mais saudável”, disse o gerente de marketing da Serasa, Matheus Moura.

Segundo a entidade, os acordos são fechados em poucos minutos. As consultas podem ser feitas de forma gratuita nos seguintes canais: site serasalimpanome.com.br, aplicativo Serasa no Google Play e na App Store, além do Whatsapp no número 11-99575-2096 e por ligação gratuita para 0800 591 1222.