Categoria: Brasil

Coronavírus: Sem oxigênio, Manaus vive colapso na saúde e transfere pacientes

Foto: Matheus Castro/G1

Manaus vive uma crise sem precedentes com o avanço dos casos de Covid-19. Com internações batendo recordes, unidades de saúde ficaram sem oxigênio. O estado está sendo obrigado a enviar pacientes para outros estados. Os cemitérios também estão lotados, tiveram o horário de funcionamento ampliado e instalaram câmaras frigoríficas.

Para frear o vírus, o governo decidiu proibir a circulação de pessoas entre 19h e 6h em Manaus. A média móvel de mortes cresceu 183% no Amazonas nos últimos 7 dias. Até esta quarta-feira (13), mais de 219 mil pessoas haviam sido infectadas pela Covid em todo o estado, e mais de 5,8 mil morreram com a doença.

De acordo com o G1, o número de internações pela doença em Manaus chegou a 2.221, de 1º a 12 de janeiro. O índice máximo anterior havia sido registrado em abril do ano passado, com 2.128 pacientes internados. O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, visitou o Amazonas nesta semana e afirmou que Manaus é “prioridade nacional neste momento”.

Prefeitura de São Paulo libera volta às aulas a partir de 1° de fevereiro

A Prefeitura de São Paulo autorizou o retorno das aulas presenciais na cidade a partir do dia 1° de fevereiro. As escolas de toda a rede de ensino poderão incialmente operar com 35% da capacidade. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (14) durante coletiva de imprensa virtual da gestão municipal.

“A Vigilância Sanitária do município recomenda o retorno seletivo para toda a rede de ensino no município privada e pública a partir de 1º de fevereiro, com a capacidade de 35% desses equipamentos a serem ocupados”, disse o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido.

Na rede municipal, o retorno dos alunos será feito no 15 de fevereiro. Entretanto, as escolas particulares têm autorização para iniciar antes, se assim desejarem. “Na rede privada, cada escola vai definir a partir do dia 1º como será o seu retorno, se quer fazer igual a rede municipal, ter um planejamento e então retomar, ou se quer já começar imediatamente”, afirmou o secretário municipal de Educação, Fernando Padula.

A secretária-adjunta de Educação, Minéia Fratelli, disse que os primeiros 15 dias serão usados para acolhimento dos professores e preparação das escolas, e destacou que a presença dos alunos não será obrigatória.

RHI Magnesita tem vagas abertas em Brumado

A RHI Magnesita, líder global da indústria de refratários, está com processo seletivo aberto para as vagas de Supervisor de Manutenção e Projetos, no município de Brumado; e Eletricista de Manutenção I, em Santa Luz. As inscrições estão abertas até o próximo domingo, dia 17 de janeiro, e podem ser feitas por meio do site: Inscrições aqui:

Para a oportunidade de Supervisor de Manutenção e Projetos, os candidatos devem ter curso técnico completo em Mecânica, Eletromecânica, Eletrotécnica ou áreas afins. E para Eletricista de Manutenção I, é necessário 2º grau completo; curso técnico em eletrotécnica, eletrônica, mecatrônica, automação, instrumentação ou eletromecânica.

Viajantes do Brasil e outros 14 países são proibidos de entrar no Reino Unido

Viajantes do Brasil e de outros 14 países ficarão proibidos de entrar no Reino Unido. A decisão do país foi tomada por receio da disseminação da nova variante do coronavírus. A proibição foi anunciada nesta quinta-feira (14) e passa a valer a partir de sexta (15).

Além do Brasil a proibição também afeta Argentina, Bolívia, Cabo Verde, Chile, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Guiana, Panamá, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.

Uma nova variante do coronavírus foi encontrada no Amazonas, segundo resultados de uma pesquisa divulgados Fiocruz Amazônia nesta segunda-feira (11).

A nova variante, chamada de B.1.1.28, é motivo de preocupação para o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson. “Estamos tomando providências (para proteger o país) em relação à variante brasileira. Acho que é justo dizer que ainda temos muitas dúvidas sobre essa variante “, disse ele a um comitê parlamentar.

Fonte: Bahia Notícias

Greve dos caminhoneiros está prevista para 1º de fevereiro, diz presidente da ANTB

De acordo com o presidente da Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB), José Roberto Stringasci, a greve dos caminhoneiros, que está prevista para acontecer no próximo dia 1º de fevereiro, vem acumulando adesões e poderá ser maior do que a realizada em 2018. Os trabalhadores estão cada vez mais insatisfeitos, principalmente acerca do preço do diesel e das promessas não cumpridas após a histórica greve no governo Temer.

As dúvidas sobre a paralisação ocorrer durante a pandemia foram sanadas após a declaração do presidente da Associação em entrevista ao Broadcast, na qual afirma não ver problema em realizar uma greve nesse período. Vale ressaltar que a ANTB representa cerca de 4,5 mil caminhoneiros, segundo a BP Money.

“A pandemia nunca foi problema. A categoria trabalhou para cima e para baixo durante a pandemia. Muitos caminhoneiros ficaram com fome na estrada com os restaurantes fechados, mas nunca parou”, afirma Stringasci.

O porta-voz da categoria destaca que a alta do preço do diesel é o principal motivador da greve, mas conquistas obtidas na paralisação de 2018, que chegou a prejudicar o abastecimento em várias cidades, também estão na lista de dez itens que estão sendo reivindicados ao governo para evitar a greve.

“Esse (diesel) é o principal ponto, porque o sócio majoritário do transporte nacional rodoviário é o combustível (50% a 60% do valor da viagem) Queremos uma mudança na política de preço dos combustíveis”, informa.

“Eu creio que a greve pode ser igual a 2018. A população está aderindo bem, os pequenos produtores da agricultura familiar também. Se não for igual, eu creio que vai ser bem mais forte do que 2018”, alerta.

Fonte: Bahia Notícias

Governo reajusta aposentadorias após inflação subir; confira seu novo valor

O governo oficializou nesta quarta-feira (13) o reajuste de aposentadorias e outros benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para quem recebe acima de um salário mínimo , segundo portaria do Ministério da Economia publicada no Diário Oficial da União . O reajuste é motivado pela correção inflacionária, haja visto que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) teve uma alta de 5,45% em 2020 .

Com o reajuste de aposentadorias e benefícios do INSS , o teto passa de R$ 6.101,06 para R$ 6.433,57. Hoje, dos 36.021.846 benefícios pagos pelo INSS em todo o Brasil, 11.793.683 pagamentos são acima do salário mínimo – hoje de R$ 1.100 -, ou seja, 32,7% do total.

Para um aposentado que recebia R$ 2 mil por mês, por exemplo, o reajuste de 5,45% significa um aumento de R$ 109. Ou seja, ele passará a receber R$ 2.109 mensais. Já uma aposentadoria de R$ 3 mil teria um acréscimo de R$ 163,50, ficando em R$ 3.163,50.

Se o benefício era de R$ 4 mil em 2020, a correção implicará em um adicional mensal de R$ 218, e a aposentadoria ficará no valor de R$ 4.218 em 2021.

Antecipação do 13º salário
O governo deve antecipar novamente os pagamentos do 13º salário de aposentados e pensionistas do INSS , assim como o calendário do abono salarial do PIS/Pasep , para os trabalhadores ativos, por conta do aumento de casos de Covid-19 no Brasil. A antecipação, no caso do 13º do INSS, já ocorreu no começo da pandemia, em março de 2020.

De acordo com técnicos da equipe econômica, a intenção é pagar a primeira parcela do 13º para aposentados e pensionistas, do auxílio-doença e do Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas) a idosos acima de 65 anos e pessoas com deficiência de baixa renda na competência de fevereiro. A segunda parcela poderia ser paga na folha de março. As datas ainda não estão fechadas.

Esse mesmo calendário seria usado no pagamento do abono salarial do PIS/Pasep. O cronograma de liberação desse benefício vai de julho de um ano a junho do outro.

Alíquotas de contribuição ao INSS mudam com reajuste
O reajuste das aposentadorias e benefícios do INSS também reflete nas alíquotas de contribuição . Para trabalhadores formais – com carteira assinada -, domésticos e trabalhadores avulsos, a tabela de recolhimento do INSS passa a ser:

Ganha até um salário mínimo – 7,5%;
Ganha entre R$ 1.100,01 e 2.203,48 – 9%;
Ganha entre R$ 2.203,49 e R$ 3.305,22 – 12%; e
Ganha entre R$ 3.305,23 e R$ 6.433,57 – 14%.
Passei a receber do INSS durante 2020, meu reajuste é igual ao de todos?
Não. Para quem teve o benefício concedido ao longo do ano passado, o percentual de reajuste é diferente, equivalente ao período. Confira:

Começou a receber até janeiro de 2020 – 5,45%;
Começou a receber em fevereiro de 2020 – 5,25%;
Começou a receber em março de 2020 – 5,07%;
Começou a receber em abril de 2020 – 4,88%;
Começou a receber em maio de 2020 – 5,12%;
Começou a receber em junho de 2020 – 5,39%;
Começou a receber em julho de 2020 – 5,07%;
Começou a receber em agosto de 2020 – 4,61%;
Começou a receber em setembro de 2020 – 4,23%;
Começou a receber em outubro de 2020 – 3,34%;
Começou a receber em novembro de 2020 – 2,42%; e
Começou a receber em dezembro de 2020 – 1,46%.

Com informações do site: Economia

Do arroz ao gás de cozinha, população se desdobra para driblar a alta nos preços e manter a economia

A inflação atingiu em cheio os itens da cesta básica e do dia a dia em todo país. Está tudo mais caro. As donas de casa têm se desdobrado para economizar e adquirir produtos mais baratos.

Em entrevista, a dona de casa Isabel Gomes reclamou que o salário mínimo está defasado diante da alta geral nos preços dos produtos alimentícios. “Uma lata de óleo custa R$ 8, o feijão todo dia sobe, arroz piorou, açúcar também está caro. Está um horror! O salário mínimo não sobe, só as coisas. Vamos ficar sem comer”, disse.

O gás de cozinha está custando, em média, R$ 78. Para Isabel, é preciso fazer malabarismo em casa e buscar as promoções para dar conta de todas as despesas nesse período. “Não abaixa. Tudo subiu, não só a comida. Está muito difícil”, reiterou.

Maguito Vilela, prefeito licenciado de Goiânia, morre em São Paulo

O prefeito estava internado no Albert Einstein desde 27 de outubro.

Foto: TSE

O prefeito licenciado de Goiânia Maguito Vilela, de 71 anos, morreu às 4h10 desta quarta-feira (13), segundo nota divulgada, no começo da manhã, pelo Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

De acordo com a nota, Maguito estava internado desde 27 de outubro do ano passado, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para tratamento da covid-19.

Na sua carreira política, Maguito Vilela passou por vários cargos públicos no estado de Goiás. Ele foi vereador, senador, prefeito e governador. Antes da vida pública, foi professor e advogado.

Anvisa divulga orientações para vacinação em farmácias

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nesta segunda-feira (11) orientações para a realização de testes rápidos para a investigação de infecção pelo novo coronavírus em farmácias. A publicação prevê ainda recomendações para realização de vacinação em farmácias, caso estejam incluídas nas estratégias de campanhas de vacinação do Ministério da Saúde.

O documento é destinado às farmácias e aos serviços de saúde, públicos e privados, que têm permissão para a realização dos testes. A Nota Técnica aborda a execução de testes rápidos, bem como as medidas de prevenção que devem ser adotadas durante a assistência aos casos suspeitos.Segundo a Anvisa, a orientação se aplica a toda a equipe da farmácia para minimizar o risco de exposição ao vírus para os clientes durante a pandemia da covid-19.

“Como parte do sistema de saúde, as farmácias desempenham um papel importante na dispensação e fornecimento de medicamentos, administração de medicamentos, incluindo as vacinas e serviços de saúde ao público. É importante garantir a função contínua das farmácias durante a pandemia da covid-19.

Durante a pandemia, a equipe da farmácia pode minimizar o risco de exposição ao vírus que causa o covid-19 e reduzir o risco para os clientes usando os princípios de prevenção e controle de infecções e distanciamento social”, argumenta a Nota Técnica.

Funcionários da Ford realizam protesto contra fechamento de fábrica em Camaçari

Foto: Reprodução/TV Bahia

Trabalhadores da Ford protestam contra o fechamento da fábrica da montadora em Camaçari, região metropolitana de Salvador, na manhã desta terça-feira (12). Na segunda (11), a montadora anunciou que encerrará a produção de veículos em suas fábricas no Brasil após um século (veja aqui). Depois do protesto na sede da fábrica, o grupo seguiu em carreata para o Centro Administrativo de Camaçari.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da Bahia, Júlio Bonfim, durante uma reunião com o presidente da Ford na América do Sul, a empresa informou que a decisão de encerramento da produção foi tomada por causa da instabilidade econômica do país.

“Ontem eu tive uma convocação por parte da Ford e nessa reunião, eu esperava que a tratativa era referente aos 460 trabalhadores da Ford que estavam suspensos por contrato em lay-off [suspensão temporária]. Mas fomos surpreendidos por um anúncio, por parte do presidente América do Sul, informando da instabilidade econômica do país e a incerteza econômica do país por parte do governo federal, isso dito pelo próprio presidente América do Sul da Ford. E também a questão do coronavírus impactou diretamente no encerramento das atividades da Ford”, contou Júlio.

Por meio de nota, o Ministério da Economia afirmou que lamenta a decisão global e estratégica da Ford de encerrar a produção no Brasil. Disse ainda que a decisão da montadora destoa da forte recuperação observada na maioria dos setores da indústria no país; que muitos registram resultados superiores ao período pré-crise.

Com o encerramento das atividades no Brasil, a Ford também fechará as fábricas de Taubaté (SP) e Horizonte (CE), além de Camaçari. De acordo com o presidente do sindicato, o impacto será da perda de emprego de 12 mil trabalhadores diretos. No entanto, a Ford alega que serão cinco mil empregos afetados.