Tag: Eleições – 2020

Colbert Martins é reeleito prefeito em Feira de Santana

Por Fernando Valverde/A Tarde

O atual prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins (MDB), foi reeleito no segundo turno das eleições neste dia (29/11)

O atual prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins (MDB), venceu o segundo turno das eleições neste domingo, 29 e consolidou sua reeleição no município. Com 100% das urnas apuradas, Colbert teve 54,42% da preferência do eleitorado contra 45,58% do deputado federal Zé Neto (PT) virando o resultado já que no primeiro turno, Zé Neto havia sido o candidato mais votado com 41,55% dos votos contra 38,18% do emedebista.

Após a consolidação da vitória, Colbert comemorou a reeleição e analisou o que considera ter sido determinante para superar o adversário neste segundo turno. “Eleições em dois turnos são duas eleições. A primeira terminou e nós precisamos fazer uma nova eleição, corrigir os rumos, atualizar determinadas propostas e projetos e ampliar o nosso trabalho. O que mais fizemos foi trabalhar duro e assim conseguimos ganhar em todas as zonas eleitorais”, afirmou.

Ainda de acordo com ele, os apoios recebidos para a disputa do pleito também tiveram grande importância para o resultado final. No segundo turno, Colbert contou com os apoios de José de Arimatéia (Republicanos), que apontou 4,86% nas urnas e de Carlos Geílson (Podemos) que registrou 4,40% além do apoio declarado do prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) e do prefeito eleito no primeiro turno Bruno Reis (DEM).

“Recebemos apoios importantes. Quero agradecer a todos inclusive ao prefeito ACM Neto que participou conosco das avaliações da campanha e no meu entendimento é um dos responsáveis por essa virada”, avaliou.

De acordo com o gestor, o grande desafio da Princesa do Sertão continuará sendo no âmbito da saúde. Com a pandemia da COVID-19 imputando sérias dificuldades aos municípios e à União, Colbert elencou a continuidade no combate ao vírus como primeira prioridade do novo mandato.

“Será um ano de desafio ainda maior e vamos ver como iremos adaptar as nossas dificuldades a essa nova realidade que não mudará muito a não que tenhamos a vacina. O primeiro objetivo será a saúde e torço muito para que as vacinas testadas funcionem. É a única saída para melhorar 2021”, avaliou.

“2022 já começou”

A derrota do PT nos dois pleitos do segundo turno no estado, Vitória da Conquista e Feira de Santana, e em outros importantes centros do país, foi vista por Colbert como uma “clara mostra de enfraquecimento do partido”. De acordo com o gestor, a atuação do prefeito de Salvador e presidente nacional do Democratas, ACM Neto, foi determinante para a vitória nas duas cidades baianas e pode ser vista como o pontapé inicial para as eleições de 2022 onde especula-se que Neto será candidato ao Governo do Estado.

“O PT perdeu na Bahia em todas as cidades mais importantes do estado, não disputaram em São Paulo, perderam em Fortaleza, perderam em tudo que puderam perder. E aqui na Bahia, um dos estados mais fortes da sigla, o prefeito ACM Neto mostrou uma força muito importante e a sua capacidade de articulação se colocando como uma alternativa muito forte para 2022. Tenho a impressão de que essa eleição começou hoje”, avaliou.

Algo reforçado também por lideranças do estado que apoiaram o candidato do MDB no segundo turno. “Ficou claro que, em Feira e Conquista, a eleição foi estadualizada, já se transformando em uma prévia para a vitória do futuro governador da Bahia, ACM Neto”, disse o deputado estadual e líder da Oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), Sandro Régis (DEM). Algo reforçado pelo presidente estadual do mesmo partido, o deputado federal Paulo Azi. “Rui foi o grande derrotado da eleição. A Bahia deu o recado que não quer mais o PT”, apontou.

Colbert Martins Filho já foi deputado estadual e federal e disputou a Prefeitura de Feira de Santana por três vezes, sendo derrotado em todas. Em 2016, integrou a chapa de Zé Ronaldo como vice e assumiu o cargo em 2018 após o democrata entregar o cargo para disputar as eleições ao governo do estado.

Herzem Gusmão foi reeleito prefeito de Vitória da Conquista neste domingo (29/11)

A esq. prefeito reeleito de Condeúba Silvan Baleeiro (MDB), prefeito reeleito de Vitória da Conquista Herzem Gusmão (MDB) e o ex-prefeito de Condeúba Odílio da Silveira (PL).

Herzem Gusmão (MDB) foi eleito neste domingo (29), no segundo turno das eleições municipais, prefeito de Vitória da Conquista. Segundo a Justiça Eleitoral, com 100% das urnas apuradas, o candidato obteve 54% dos votos válidos, 166.223 votos. A vice-prefeita é Sheila Lemos (DEM).

A disputa foi acirrada desde o primeiro turno, apesar de ter saído na frente no primeiro turno, o petista José Raimundo, não conseguiu voltar ao posto de prefeito do município.

Quando a apuração do segundo turno começou, o candidato chegou a ficar na frente, mas logo foi ultrapassado pelo atual prefeito Herzem Gusmão.

Blogdosena

Veja vídeo da fala do prefeito Herzem Gusmão após o resultado de sua reeleição

Em Feira de Santana, Colbert aciona Zé Neto na justiça por “abuso de poder econômico”

A disputa do segundo turno em Feira de Santana entre o atual prefeito Colbert Martins (MDB), que busca a reeleição, e o deputado federal Zé Neto (PT), segue acirrada, e tem caminhado para a judicialização das campanhas.

Colbert, da coligação “Trabalho Constante”, acionou Zé e a APLB-Sindicato, que representa professores no município, na justiça, por suposto abuso de poder econômico.

O mdebista acusa a APLB de estar utilizando sua estrutural sindical, desde dinheiro a pessoal, em favor do candidato petista. A liminar pede a “busca e apreensão de todas as máscaras confeccionadas pela APLB Sindicato, tendo em vista que todos os equipamentos são portadores da marca oficial da referida associação sindical, além de conter mensagem apócrifa em desfavor do candidato investigante”.

A peça requer, ainda, a suspensão imediata da suposta utilização da estrutura da APLB-Sindicato na campanha de Zé, bem como investigação sobre a origem dos valores que estariam sendo usados em favor do petista e seu vice, Roque Santos.

Fonte: atarde.uol

TSE vê R$ 440 milhões movimentados na eleição com indício de irregularidade

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) aponta indícios de irregularidades em R$ 440 milhões pagos a fornecedores de campanha ou injetados nas candidaturas neste ano por doadores privados que, ao mesmo tempo, recebem benefícios do governo federal como o auxílio emergencial e o Bolsa Família.

A fatia mais expressiva se refere a fornecedores de campanha. O núcleo de inteligência do TSE identificou 31,7 mil sócios de empresas que prestaram serviço aos candidatos e que são beneficiárias do auxílio emergencial ou do Bolsa Família. Para o tribunal, isto é um indício de irregularidades nessas campanhas.

Esses fornecedores movimentaram R$ 386 milhões, repasses que incluem dinheiro público, oriundo dos fundos partidário ou eleitoral.

O pente-fino do TSE foi concluído no dia 23. Uma semana antes, a quantidade de fornecedores com indícios de irregularidades não chegava a 1.300. Os recebimentos somavam R$ 940,1 mil.

No caso dos doadores de campanha, o TSE identificou 65,3 mil pessoas inscritas em programas sociais do governo federal. Elas repassaram mais de R$ 54 milhões aos candidatos.

Uma semana antes, o pente-fino do núcleo de inteligência do tribunal havia constatado 1.300 doadores sob suspeita, por receberem algum benefício social. Isto seria um atestado da falta de capacidade financeira para injetar dinheiro em candidaturas.

Os R$ 54 milhões equivalem a 5,5% das receitas privadas das candidaturas. Um levantamento global do TSE, com base em dados somados até o dia 10, mostra que os candidatos receberam quase R$ 1 bilhão em doações privadas.

Os cartórios eleitorais já receberam as informações. Caberá a esses tribunais locais confirmarem a ocorrência de fraudes e ilegalidades envolvendo fornecedores e doadores de campanha. Um processo nesse sentido pode resultar na cassação de um registro de candidatura e até mesmo do diploma do eleito.

O trabalho envolve outros órgãos de fiscalização, como a Receita Federal, a Polícia Federal, o MPE (Ministério Público Eleitoral) e o TCU (Tribunal de Contas da União). O Ministério da Cidadania colabora com as bases de dados dos programas sociais.

O TCU fez auditorias para buscar possíveis fraudes em candidaturas, declarações de patrimônio dos candidatos e doações de campanha. No dia 6, o tribunal divulgou uma lista de candidatos com patrimônio expressivo e que, mesmo assim, recebem auxílio emergencial ou Bolsa Família.

Entre esses beneficiários, 10 mil têm patrimônio entre R$ 300 mil e R$ 1 milhão. Outros 1.300 candidatos têm patrimônio superior a R$ 1 milhão.

O relatório do TSE com indícios de irregularidades detalha outras situações suspeitas. Os técnicos identificaram 7.900 fornecedores, com empresas recém-abertas, filiados a partidos políticos. Os gastos contratados somam R$ 68,7 milhões.

Trabalhadores informais doaram R$ 44 milhões às campanhas — são, ao todo, 12,4 mil doadores. Outros 2.700 não têm renda compatível para fazer doações, segundo o TSE. O valor doado soma R$ 23 milhões.

Também há fornecedores sem registro na Receita Federal (1.900 empresas, que movimentaram R$ 3,3 milhões), prestadores de serviço que são parentes dos candidatos (R$ 7,3 milhões em gastos com essas pessoas) e 24 doadores que já morreram — o total doado é de R$ 36,1 mil.

Ao todo, o núcleo de inteligência do TSE aponta indícios de irregularidades em R$ 588 milhões movimentados nas eleições de 2020. Uma semana antes, os indícios se referiam a R$ 60 milhões.

Fonte: Bahia Notícias

3,4 mil prefeitos eleitos devem ter apoio da maioria da Câmara de Vereadores

Um levantamento feito pelo G1 com dados do 1º turno destas eleições mostra que os prefeitos eleitos para governar 3.424 municípios já devem começar o mandato com o apoio de mais da metade da Câmara Municipal. Em 1.984 cidades, os prefeitos ainda precisam ampliar o apoio do Legislativo municipal para conquistar ao menos a maioria da Casa.

Para a análise, o G1 levou em conta os partidos da coligação do prefeito e também dos vereadores eleitos. Os dados são do primeiro turno destas eleições e não consideram candidaturas “sub judice” (que aguardam julgamento) e também as disputas do segundo turno (que ocorrem em 57 municípios neste domingo).

Em média, os prefeitos eleitos no primeiro turno já começam o mandato com apoio de 56% dos vereadores da Câmara Municipal. A construção de uma base de apoio é importante para a gestão do prefeito, já que o Executivo depende do Legislativo para discutir e aprovar o Orçamento do município, projetos de lei, o Plano Diretor, entre outros.

Piripá: Foi eleito o vereador mais novo no Estado da Bahia com apenas 18 anos de idade

o jovem Lucas Rocha Ribeiro aos 18 anos de idade, elegeu-se vereador em 15/11/2020 no município de Piripá/BA.

Foi eleito vereador no último pleito eleitoral ocorrido em (15/11), no município de Piripá/BA., o jovem Lucas Rocha Ribeiro aos 18 anos de idade, nascido no dia 27 de agosto de 2002. filho do ex-vereador Antonio Marco Ribeiro que foi eleito vereador por dois mandatos consecutivos e presidente da Câmera por duas vezes e da ex-vereadora Ana Núbia Barbosa Rocha que também foi eleita vereadora por dois mandatos consecutivos e também presidente do Legislativo piripaense por duas vezes, está findando seu mandato em 2020.

Piripá é um município com uma população estimada no ano de 2018 de 10.952 habitantes e tem um colégio eleitoral de 9.520 pessoas. “Segundo informações dos familiares de Lucas, ele concorreu pelo partido PDT que é de oposição e foi eleito com 387 votos válidos, foi também o 2º mais votado do grupo da oposição e o 4º mais votado entre os 9 vereadores eleitos. Lucas que é natural de Piripá e faz parte da 4ª geração naturais do município, concluiu o ensino médio completo. Lucas foi eleito com um discurso de fazer profundas mudanças em Piripá”, concluiu.

Piripá (BA) tem um novo prefeito. Com 100% das urnas apuradas, Flavio Oliveira Rocha (PTB), 45, foi reeleito para o cargo ao receber 47,07% dos votos válidos, um total de 3.342 votos, no pleito deste domingo (15).

A Câmara de Vereadores de Piripá também teve seus representantes escolhidos para os próximos quatro anos na eleição deste domingo. Os partidos que mais elegeram candidatos foram o PDT, com 4 vereadores, e o PTB, com 3 representantes

Confira a lista completa dos vereadores eleitos

Domingos Barbosa Cruz (PTB) – 624 votos – 8,87%                                                                                                  Altamirando da Silva Vieira (PDT) – 519 votos – 7,38%                                                                                                  Maurício Rocha de Carvalho (PTB) – 458 votos – 6,51%                                                                                              Lucas Rocha Ribeiro (PDT) – 387 votos – 5,50%                                                                                                Jovino Jesus Silva (PT) – 353 votos – 5,02%                                                                                                                Amarildo Almeida Franco (PDT) – 321 votos – 4,56%                                                                                                Dorivaldo Jesus Almeida (PDT) – 320 votos – 4,55%                                                                                                     Luiz Américo Santos Silva (PTB) – 303 votos – 4,31%                                                                                                 Valeria Viana do Vale (PP) – 197 votos – 2,80%.

TSE diz que não deve ocorrer atraso nos resultados do segundo turno

Foto – Wilker Porto 

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) afirmou ontem (17) que o atraso na totalização e divulgação dos votos não deve ocorrer no segundo turno das eleições, marcado para 29 de novembro. A conclusão está em uma nota técnica divulgada pelo tribunal, na qual a Corte também garante que o problema está sendo resolvido. “Equipes técnicas do TSE e da Oracle entendem que a falha no plano de execução no primeiro turno não se repetirá no segundo turno, em 29 de novembro, tendo em vista que o otimizador já está calibrado para processar um volume maior de informações de forma célere”, diz o relatório.

No domingo (15), o atraso de três horas na divulgação dos resultados foi provocado pela falta de calibragem na inteligência artificial de um supercomputador, operado pela empresa de tecnologia Oracle. Diante do problema na leitura dos dados, um dos oito processadores travou e a totalização apresentou lentidão. O supercomputador foi comprado em março, mas chegou ao tribunal somente em agosto, devido à pandemia da covid-19.

Não houve tempo necessário para fazer todos os testes antes do primeiro turno. Dos cinco testes que foram planejados, somente dois foram realizados. O volume maior no trafego de dados ocorreu porque o TSE passou a centralizar a totalização dos votos de todas as urnas do país.

Nas eleições passadas, o trabalho era feito pelos tribunais regionais eleitorais. A mudança foi feita para aumentar a segurança das informações e para conter custos. Segundo o tribunal, a unificação da totalização no TSE protege o sistema de transmissão de votos contra eventuais hackeamentos nos 27 tribunais regionais eleitorais (TREs).

Candidato celebra com carreata antes da hora, mas perde eleição no norte de Goiás

Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Porangatu, no norte do estado, vivenciou uma situação inusitada na noite de domingo (15). O candidato a prefeito Marcio Luis, do MDB, saiu em carreata por ruas da cidade para comemorar, antecipadamente, a vitória. No entanto, durante a apuração das últimas urnas, o jogo virou, e a candidata Vanuza Valadares (Podemos), que estava em segundo lugar, venceu a eleição com a diferença de 45 votos.

Depois do resultado oficial com 100% das urnas apuradas, Marcio Luís publicou vídeos em rede social ironizando a situação e reconhecendo a prefeita eleita. “Os resultados apontavam no sentido da nossa vitória. Já dizia o ditado:

‘Contou com a vitória antes da hora’. Peço desculpa a todos, mas foi realmente o que se apresentava. Todos noticiaram. Nós fizemos uma linda carreata. Não foi o resultado que esperávamos, mas foi o resultado que temos que respeitar”, disse o candidato, em meio a risos.

Prefeito é eleito por seis votos de diferença em Sebastião Laranjeiras/BA

Foto: WhatsApp

Pedro Antônio Pereira Malheiros (PSB), o Dr. Pedro, foi eleito, no último domingo (15), prefeito da cidade de Sebastião Laranjeiras, na região sudoeste da Bahia, para os próximos quatro anos. Ao fim da apuração, ele teve 2.868 votos no total, apenas seis votos a mais do que a segunda colocada, Luciana Leão Muniz Lima (PL), a Dra. Luciana, que recebeu 2.862 votos. O duelo entre médicos teve a menor diferença de votos registrada nos municípios baianos nas Eleições deste ano.

A eleição em Sebastião Laranjeiras teve 15,82% de abstenção, 0,63% votos brancos e 2,42% votos nulos. Dr. Pedro tem 55 anos, é casado, tem superior completo e declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um patrimônio de R$ 1.376.780,95. O vice é Nozinho (DEM) que tem 58 anos. Nas redes sociais, o novo prefeito eleito comemorou a Vitória.

“Deu 40! Nosso povo votou pela mudança, pelo desejo de um novo futuro, a nossa vitória é de cada um que acreditou no nosso projeto para fazermos uma Sebastião Laranjeiras para todos! Vamos agora, trabalhar com responsabilidade, seriedade e muita dedicação ao nosso povo. Obrigado Sebastião Laranjeiras!”, disse. Já Dra. Luciana tentava voltar à prefeitura depois de cumprir dois mantados e fazer o sucessor, que não disputou a eleição deste ano.

SSP contabiliza 215 flagrantes de crimes eleitorais na Bahia

As forças de segurança estaduais contabilizaram 215 crimes eleitorais, na Bahia, até às 19h deste domingo (15). Compra de votos, boca de urna, transporte de eleitores, abuso de autoridade e desobediência foram registrados na Região Metropolitana de Salvador e no interior. Em Salvador não houve flagrante. A polícia contabilizou 210 casos nos municípios do interior e cinco crimes eleitorais na RMS.

Os autores foram apresentados à Justiça Eleitoral. Equipes da SSP e representantes de 19 instituições públicas e privadas acompanham tudo do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC). Foto: Alberto Maraux Equipes das polícias Militar, Civil e Técnica, além do Corpo de Bombeiros, de forças federais, municipais e organizações privadas seguem acompanhando a apuração. As instituições atuam de forma integrada no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), no prédio operacional da Secretaria da Segurança Pública.