Banco do Brasil fecha 409 agências para reduzir custos

Por Caique Santos 


Tweetar

Seguindo o mesmo movimento dos grandes bancos privados, o Banco do Brasil fechou no ano passado 409 agências no país e reduziu seu quadro de funcionários em 3.699 colaboradores. Os grandes bancos vêm reduzindo o número de agências físicas e funcionários para compensar menores margens financeiras.

A concorrência das chamadas fintechs, além da redução de juros, têm obrigado os grandes bancos a reduzir seus custos. O limite de 8% nos juros do cheque especial também deve impactaras receitas das instituições este ano.

No caso do Banco do Brasil, o total de agências tradicionais caiu de 4.101, em 2018, para 3.692, ao final de 2019. Já o número de funcionários foi reduzido de 96.889 para 93.190 no mesmo período. No ano passado, o BB registrou 2.364 adesões ao programa de demissão voluntária estabelecido pela instituição.

Carlos Motta, vice-presidente de negócios do Varejo do BB, disse que o banco está avaliando a eficiência de cada agência nas cidades onde estão instaladas. Em muitos municípios, afirmou, a avaliação é que não há necessidade de uma unidade tradicional. Nesse caso, as agências são substituídas por postos de atendimento avançados, com estrutura mais leve.

— Isso dá mais fluidez e eficiência ao atendimento. Além disso, aumentou o número de agências digitais e especializadas, como aquelas que atendem especificamente o agronegócio — disse Motta.

Reportagem do GLOBO mostrou que duas em cada cinco cidades do país estão sem agências bancárias desde 2013, obrigando os moradores a se deslocarem a cidades vizinhas para fazer saques ou tomar empréstimos. São cerca de 17 milhões de pessoas em 2.328 cidades que precisam fazer esses deslocamentos. Além disso, nem todas contam com rede de internet eficiente para acessar os bancos digitalmente. (Revista Exame)

Eunápolis: Ônibus escolar com 12 alunos bate em barranco após perder freio

Foto: Reprodução/TV Bahia

Após problema com freio, um motorista de ônibus escolar precisou bater o veículo em um barranco, na localidade do Ganchó, na cidade de Eunápolis, no sul da Bahia. Caso aconteceu na tarde de quarta-feira (13).

Segundo informações da prefeitura da cidade, o motorista do veículo contou que o freio foi danificado após ele subir uma ladeira íngreme. O sistema de ar do ônibus foi danificado por uma pedra.

De acordo com o órgão, o motorista deslocou o ônibus para o barraco por questão de segurança. Cerca de 12 alunos foram atendidos no local e encaminhados para casa.

Andaraí: TCM rejeita contas do prefeito João Lúcio e aplica multa de R$ 55 mil

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

Em sessão realizada nesta terça-feira (11), o prefeito do município de Andaraí, João Lúcio Carneiro (PSD), teve as contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). De acordo com o TCM, o gestor extrapolou o limite para despesa total com pessoal. “Os gastos com pessoal representaram 59,34% da receita corrente líquida, superior, portanto, ao limite de 54%”, destacou o órgão.

O relator do parecer, o conselheiro substituto Antônio Emanuel de Souza, multou o prefeito em R$ 51.840,00. A multa equivale a 30% dos subsídios anuais do gestor. Pelas demais ressalvas, João Lúcio ainda foi multado em R$ 4 mil. Ainda cabe recurso da decisão.

Papa Francisco se encontra com Lula no Vaticano

Foto: Reprodução/Twitter Lula Oficial

O Papa Francisco se reuniu nesta quinta-feira (13) com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Vaticano. Segundo o site do Instituto Lula, o ex-presidente viajou até a Santa Sé para abordar temas como fome, desigualdade social e intolerância na conversa com o pontífice.

O teor detalhado da reunião não foi divulgado até a última atualização desta reportagem. Em janeiro, o presidente argentino Alberto Fernández já havia anunciado que Francisco receberia Lula.

Pesquisa: 62% dos brasileiros não sabem reconhecer notícia falsa

Foto: iStock

É possível resumir que há dois tipos de propagadores de fake news na internet: militantes políticos empenhados em atacar a reputação dos adversários de seus candidatos e empresas ou indivíduos que fabricam notícias falsas com o intuito de ganhar dinheiro por meio de anúncios ou de soluções para problemas embusteiros (sobretudo vindos do Google AdSense, ferramente de publicidade do Google).

No meio disso há o público deste tipo de conteúdo, vítima da desinformação e que, em muitas das vezes, é incapaz de reconhecer a falácia. É o que mostra uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira (13) pela empresa de cibersegurança Kaspersky, que se aprofundou em entender como a America Latina lida com as fake news. Em média, 70% dos latino-americanos não sabem identificar ou não têm certeza se conseguem diferenciar se uma notícia na internet é falsa ou verdadeira.

Por nacionalidade, os cidadãos que menos conseguem reconhecer notícias falsas são os peruanos (79%), seguidos pelos colombianos (73%) e chilenos (70%). Mais atrás estão os argentinos e mexicanos, com 66%, e então os brasileiros (62%). A pesquisa também mostrou que 16% dos entrevistados desconhecem completamente o termo “fake news”, um aspecto em que os peruanos também se destacam, com 47% dos indivíduos alegando que não sabem o que a palavra significa.

Por outro lado, os brasileiros são os mais familiarizados com o termo, visto que apenas 2% desconhecem a expressão. De acordo com a Veja, ainda de acordo com a pesquisa, apenas 2% dos latino-americanos consideram as notícias falsas inofensivas, enquanto a grande maioria as classifica como perigosas e eventualmente danosas. E ainda: 72% dos entrevistados acreditam que as fake news viralizam para que alguém receba algo em troca ou para causar dano a algo/alguém. Mesmo tendo essa percepção negativa, o ponto positivo é que quase metade dos brasileiros (42%) ocasionalmente questiona o que lê na web.

Brumado: Diretores, professores e alunos entram na campanha contra brincadeiras que podem causar graves sequelas

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

A brincadeira conhecida como roleta humana, feita por alunos durante os intervalos das aulas nas escolas, tem preocupado pais e professores neste início de ano letivo. Em Brumado, as escolas foram orientadas pela secretaria municipal de educação a debater a temática os alunos.

Em entrevista ao site Achei Sudoeste, a diretora da Escola Municipal Professora Clarice Moraes, Simone Correia, disse que se reuniu com os alunos e alertou para os perigos da “brincadeira”. “Ontem, nos reunimos com os alunos na quadra, no momento do intervalo, para falar sobre dessa brincadeira.

Os adolescentes têm a curiosidade de querer experimentar e nós alertamos sobre os perigos. Eles entenderam e internalizaram isso. Alguns pais até nos ligaram agradecendo”, relatou. Para a diretora, através dessas orientações, as escolas vão conseguir combater esse tipo de prática, evitando problemas e sequelas maiores.

A POESIA

Por Antônio Santana

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A POESIA

A poesia é tudo o que eu sei fazer sem explicar
Porque não me causa ciúme ou azar
Só me causa alegria e prazer de festejar
Só me faz filosofar e viajar sem velejar

A poesia me faz apaixonar sem dificultar
Agradar, relaxar, cutucar e memorizar
Me faz idealizar a mulher, com as coisas do mar
De um mundo diferente que não precisa matar gente

A poesia me faz brincar de amar
De olhar a areia seca sem ter água fresca
Colher rosas sem jardim para plantar
Ver no vento o que não se tem no casamento

Apreciando o mundo e olhando os fundos
Flutuando no tempo e acordando no vento
Sonhar no frio e abraçar você sozinho
A poesia é um samba de roda, um verso e uma prosa
De uma imaginação maravilhosa

Ônibus precário da empresa Novo Horizonte gera protestos em Guanambi

Foto: Vina Queiroz

Em protesto realizado nesta terça-feira (11), passageiros da Novo Horizonte relataram os péssimos serviços prestados pela empresa na cidade de Guanambi, a 141 km de Brumado. O protesto ocorreu por volta das 17h, no Terminal Rodoviário. De acordo com os manifestantes, um dos ônibus oferecidos pela empresa para o trajeto até Brasília estava com os pneus carecas, o ar-condicionado não funcionava, o para-brisa estava rachado e ainda não possuía retrovisor.

“O carro não tinha nenhuma condição de levar os passageiros até Brasília, no Distrito Federal (DF)”, comentou a professora Vina Queiroz ao Fala Você. Ela afirmou que um funcionário da Novo Horizonte alegou que não havia outro ônibus disponível. Um novo veículo só foi disponibilizado quase 1 hora mais tarde, depois que os passageiros ameaçaram acionar a polícia.

Em nota, um representante da empresa respondeu que o ônibus citado seguia de Brasília para Guanambi, porém apresentou um problema na cidade de Santa Maria da Vitória e precisou ser substituído.