Dia Internacional do Meio Ambiente: Verdade! CADÊ O VERDE?

Antônio Santana

O verde bonito do mar
O verde da árvore que não quer brotar
O verde que seca e me faz chorar
O verde que não vejo mais ventar.

O verde que não quer nos deixar
O verde que não quer nos matar
O verde que plantei em algum lugar
O verde que não para de secar.

O verde que não sei preservar
O verde que cultivei ao chegar
O verde do velho sertão sem mar
O verde que faz o homem trabalhar.

O verde que faz o homem desmatar
A terra que não tem culpa de secar
O vento que não para de ventar
E a chuva que não impede a seca de aumentar.

Antônio Santana, poeta. Condeuba, BA.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *