Condeúba: Missa de despedida de Pe Osvaldino Barbosa

capa

Por Agnério Souza

Celebrou-se ontem, dia 25.12.16, a Missa solene em ação de graças do Natal e que foi também a despedida de Pe Osvaldino, na monumental Igreja Matriz de Santo Antônio de Pádua na cidade de Condeúba. Havia cerca de 600 fiéis no templo, em pleno tempo de Natal, cercada de luzes, flores e calor humano estava a principal nave sagrada de nossa paróquia.

Depois de passar dois anos e meio como vigário da Paróquia de Santo Antônio e ter efetuado um bom trabalho, Pe. Osvaldino foi designado, através do Colégio de Consultores da Diocese de Caetité a servir a Paróquia de Macaúbas, neste Estado da Bahia.

As leituras do dia foram extraídas de textos bíblicos constantes do ritual católico para o tempo do Natal: 1ª leitura veio do livro do profeta Isaías (52,7-10); 2ª leitura foi da Carta aos hebreus (1,1-6) e o Evangelho do dia foi o Prólogo do Apóstolo João, cap. 1,1-18; explicado, comentado e interpretado por Osvaldino, no decorrer de sua brilhante homilia.

Após a Comunhão, tiveram início as homenagens da comunidade condeubense ao querido pároco. Foi assim, que, Ângela Cruz e Marli Costa começaram, fazendo longa leitura, previamente preparada para o homenageado. Em muitas das duas falas, registramos pequenos excertos: “Muitas vezes somos surpreendidos por fatos que acontecem em nossas vidas independente de nossa vontade ou desejo. Porém quando temos uma missão a ser cumprida, precisamos aceitá-la, pois faz parte de nossa caminhada. Falar que estamos felizes seria uma mentira, dizer que aceitamos e concordamos de bom grado sem questionar e reivindicar seria hipocrisia”. Salientou Ângela. Por sua vez, Marli se expressou: “Durante este tempo, tivemos a graça e a alegria de sua presença em nossa Paróquia, caminhando conosco, e nos incentivando a continuar a busca por um mundo mais justo e solidário. Mas a sua forma de ver e viver a vida é tão leve e verdadeira que nos faz ter vontade de continuar firmes,vivendo o Evangelho de Cristo, e não abandonar as lutas. Muitos foram os momentos que juntos recordamos,vivemos a partilha, união e alegria como marcas de cristãos autênticos a exemplo das primeiras comunidades eclesiais”.

Em seguida, as interlocutoras foram convidando os representantes das diversas comunidades da paróquia, ou seja, grupos, movimentos e pastorais para oferecer seus presentes ao nosso digno sacerdote como outrora fizeram os reis magos ao Menino Jesus.

1º) As CEBs trouxeram uma bela Caixa Ornamentada para acondicionar as oferendas que Ele iria receber;
2º) A RCC ofereceu as Sandálias do Pescador como presente;
3º) A Legião de Maria agraciou o pároco com as Toalhas para secar o suor e aliviar o cansaço de longos dias trabalhados;
4º) A Pastoral da Catequese e a Pastoral da Criança ofereceram uma Agenda Especial tão útil e necessária à via de que é organizado;
5º) A Pastoral Familiar veio com Vinho e Taças como símbolos de amor de Deus que faz memória no ,meio do seu povo;
6°) A venerável Irmandade do Santíssimo trouxe uma Caneca ornamentada com imagens de Igreja Matriz e figura do pároco Osvaldino para uso e recordação toda vez que dela se servir;
7º) A Pastoral da Sobriedade doou uma Camisa para que ele se revista de coragem e amor, durante a caminhada pela Igreja aqui na terra;
8º) Os Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística ofereceram Canetas, simbolizando a história escrita passada, presente e futura do povo de Deus;
9º) O Grupo de Leitores da palavra presenteou o vigário com Azulejos em imagens artisticamente gravadas;
10º) A Pastoral do Dízimo trouxe Lenços tal qual Verônica enxugou a face ensanguentada de Cristo;
11º) A Pastoral da Juventude ofereceu um Boné para proteção do sol e sereno, durante a caminhada.

Entretanto, os presentes e as homenagens não encerram por aí, apareceu o casal Bastião x dona Maria, interpretado por Leo x Liana, com muita graça, espontaneidade e jovialidade ofereceu ao padre produtos da terrinha, provenientes da zona rural: feijão, fava, andu, farinha, biscoitos, beiju,etc. Prosseguindo, o casal fez perguntas que se o padre fosse responder, seria as tantas músicas de autoria Gonzaguinha, Zé Vicente, Pe Zezinho, Martinho da Vila, Roberto Carlos, Erasmo Carlos e outros cantadas e animadas pelo Coral num diálogo inteligente a agradável ao público presente na santa missa. Em seguida, Edinho Sanfoneiro prestou sua homenagem executando mavioso canto ao som de seu acordeon.

Por último, Osvaldino agradeceu a todos e todas pelo carinho e homenagens prestadas. Pediu-nos para receber bem o Pe. Noé Moreira. Convidou representantes de todos os movimentos, grupos, pastorais, funcionárias da paróquia, trabalhadores voluntários para subir ao presbitério da igreja e juntamente com ele agradecer a Deus por tudo de bom que o Pai nos dá, inclusive nosso maior presente Jesus Cristo nascido há 2016 anos na gruta de Belém. Pediu desculpas por quem ele se esqueceu, mas que se sentisse incluso no meio dos colaboradores, pronunciou a bênção e encerrou a celebração com abraços de paz.

 

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *