Condeúba: Encenação e procissão da Paixão e morte de Jesus Cristo

Por Oclides da Silveira

Momento que relata a crucificação de Jesus na cruz

Um grupo de jovens na sua maioria pertencem a RCCC- Renovação Carismática Católica de Condeúba apresentou uma bela peça no Teatro de Arena em Condeúba, este que muito bem recebeu o nome dado pela vereadora Conceição de “Anfiteatro Dom Homero Leite Meira”. Ontem o palco concha acústica se transformou num templo sagrado, com a maiúscula apresentação daqueles jovens amadores, porém talentosos da RCCC. A peça relembrou de forma dramatizada a paixão e morte de Jesus Cristo.

Cerca de cinquenta artistas amadores local, representaram brilhantemente o verdadeiro massacre recebido por Jesus no dia da sua crucificação há 2018 anos passados. Onde o artista plastico Manoel Batista e seus auxiliares deram uma ótima conotação ambiental, relembrando aquele local em que Jesus morreu para salvar a humanidade. Outro detalhe que chamou bastante atenção do grande público presente, foi a criatividade nas vestes dos atores com muita semelhança e originalidade, mais os efeitos especiais culminando com aquela rara e bela apresentação do grupo teatral. O qual derramou a boa cultura da arte cênica aos mais de 5 mil que se fizeram presentes ao anfiteatro Dom Homero Leite Meira localizado na Praça Santo Antônio.

O público lotou a arena do anfiteatro Dom Homero Leite Meira, estimado por alguns acima de 5 mil pessoas estiveram prestigiando o grande espetáculo, se não o maior do ano, que foi oferecido gratuitamente por aqueles meninos e meninas da RCCC que trabalharam por puro amor ao pai celestial, vejamos o que disse o ator principal da peça.

“Nossa apresentação, visou o AMOR do Pai manifestado em seu filho Jesus, com a Campanha da Fraternidade – 2018 mostramos O AMOR única forna de superar TODA FORMA DE VIOLÊNCIA, passamos pelo BATISMO na iniciação Cristã, no DESERTO mostrando que é possível vencer as provações. O ENDEMONINHADO GADARENO, homem humilhado e oprimido, A SAMARITANA uma mulher marginalizada em busca de um amor até encontrar O VERDADEIRO AMOR, O PAI NOSSO onde o próprio Cristo nos ensina a chamar Deus de pai, O CENTURIÃO ROMANO e a FILHA DE JAIRO”. Palavras de Jarbas aquele ator que maravilhosamente fez o papel de Jesus.

Os artistas foram calorosamente aplaudidos pelo grande público. Na sequencia assumiu o comando o Padre José Silva Figueiredo, que fez todas as colocações que requer o ato da Paixão e morte de Jesus, em seguida, deu-se início a procissão com o andor do Senhor Morto na frente, sendo conduzido pelos membros da Irmandade do Santíssimo Sacramento, que foi acompanhado da imagem de Nossa Senhora conduzida pela Legião de Maria. Coube aos Homens do Terço, fazer um cordão de proteção ao carro de som. As ruas do Centro de Condeúba ficaram repletas de tanta gente que participaram da Procissão.

Falta de apoio

Faltou colocar cadeiras no piso do anfiteatro que ficou vazio como mostra as fotos, para atender a necessidade do povo de mais idade, pois presenciamos alguns pegando de improviso os tamboretos da Igreja para se sentar. Uma aglomeração de mais de 5 mil pessoas num só local, por mais de duas horas de duração, sem a devida estrutura de sanitários. O artista plastico Batista que é um dos diretores da peça teatral, pedindo ao público para fazer doações em dinheiro para cobrir os gastos que não foram poucos, para a montagem e encenação da peça teatral.

 Fotos: JFC

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *