Arquivos diários: 17 de agosto de 2018

Banco do Nordeste anuncia realização de concurso público

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

Será publicado em até um mês o edital do concurso público do Banco do Nordeste, que vai oferecer vagas para candidatos com nível médio e superior.

As oportunidades são para analista bancário (nível médio) e especialista técnico/analista de sistemas, voltado para candidatos que tenham graduação em Ciência da Computação, Engenharia da Computação, Engenharia da Informação, Informática, Sistemas de Informações, Tecnologia da Informação, Processamento de Dados, Segurança da Informação e Tecnologia em Telemática.

Também podem concorrer à vaga de especialista quem possui nível superior em qualquer área e tenha concluído curso de pós-graduação (stricto ou lato sensu) na área de informática e/ou segurança da informação, com carga horária mínima de 360 horas.

O último concurso do Banco do Nordeste foi realizado em 2014, quando foram ofertadas 12 vagas de nível médio para a carreira de Analista Bancário. A remuneração oferecida era de R$ 2.950,58, já com benefícios inclusos. A banca organizadora do último certame foi a Fundação Getúlio Vargas.

Amazonas registra segunda morte por sarampo, confirma Fundação de Vigilância em Saúde

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas confirmou a segunda morte por sarampo no estado. A vítima é um bebê de sete meses, do município de Autazes. A criança deu entrada no Hospital e Pronto-Socorro da Criança, na zona leste de Manaus, com quadro de subnutrição e agravamento da doença; não resistiu e morreu no dia 12 de julho.

A Secretaria Estadual de Saúde divulgou que o bebê apresentava um quadro avançado de desnutrição e pneumonia e que o sarampo foi uma infecção secundária, que agravou a situação. Alega ainda que a característica do vírus é grave e pode levar à morte em casos de pacientes de risco. Neste quadro estão as mulheres que amamentam, bebês de até dois anos que mamam, crianças desnutridas, com doenças imunodepressivas, gestantes e indígenas.

Com este caso, o estado registra duas mortes confirmadas por sarampo. A primeira delas aconteceu no final de junho. A vítima era outro bebê, também de sete meses, de Manaus.

O Amazonas vive uma epidemia da enfermidade desde março. O último boletim epidemiológico do surto da doença no estado, divulgado nessa terça-feira (14), aponta cerca de 6,9 mil casos notificados da doença em 38 municípios.

Ao todo, são 910 casos confirmados de sarampo, sendo 723 em Manaus e 187 em Manacapuru. O caso de Autazes ainda não consta no boletim como confirmado, porque aguarda o resultado dos exames de laboratório de referência nacional.

Neste sábado, dia 18 de agosto, será o Dia D de mobilização da Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite e o sarampo, realizada pelo Ministério da Saúde em parceria com as secretarias estaduais e municipais de Saúde. A campanha teve início no dia 6 e segue até 31 de agosto. Devem ser vacinadas crianças de 1 ano até 4 anos 11 meses e 29 dias.

Falta trabalho para 27,6 milhões de pessoas no Brasil, aponta IBGE

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

O total de pessoas em situação de desalento, ou seja, que desistiu de procurar trabalho, subiu para 4,8 milhões de pessoas no segundo trimestre de 2018. Isso é o que mostra a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), divulgada nesta quinta-feira, 16, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

É o maior número de desalentados da série histórica da Pnad, iniciada em 2012. No primeiro trimestre, o país contava com 4,6 milhões de desalentados. No segundo trimestre de 2017, eram 4 milhões de pessoas nessa situação. Também é considerado desalentado a pessoa que ficou fora da força de trabalho por não conseguir ocupação adequada, não ter experiência ou qualificação para as vagas ofertadas, ser considerado muito jovem ou muito velho ou por não haver trabalho na localidade em que mora.

O porcentual de pessoas desalentadas ficou em 4,4% no segundo trimestre, a maior da série histórica. Entre as unidades da federação, Alagoas (16,6%) e Maranhão (16,2%) tiveram a maior taxa de desalento. As menores foram as do Rio de Janeiro (1,2%) e Santa Catarina (0,7%).