Arquivos diários: 26 de abril de 2016

eduardo-cunha-32

Câmara recebe 1,3 milhão de assinaturas pela cassação de Eduardo Cunha

Representantes da entidade Avaaz entregaram nesta terça-feira (26) ao Conselho de Ética da Câmara uma petição com 1,3 milhão de assinaturas pedindo a cassação do mandato do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

As assinaturas foram coletadas em uma petição online por meio do site da entidade e entregues ao presidente do conselho, José Carlos Araújo (PR-BA), antes do início da sessão. No ato da entrega, deputados adversários de Cunha apoiaram a iniciativa segurando cartazes da petição.

Paço Municipal Condeúba

Condeúba: Um capítulo de sua História

Desde 1831, o povoado de Santo Antônio da Barra pertencia à província de Minas Gerais. A mudança de jurisdição só ocorreu após 1839, época em que Santo Antônio da Barra atingiu a população estimada de 10 mil habitantes, valendo ressaltar que isso foi uma reivindicação dos dirigentes locais. A freguesia de Santo Antônio da Barra foi criada em 19 de maio de 1851, através da Lei Provincial n° 413, em função do crescimento do local. Com o desmembramento da freguesia, que anteriormente pertencia ao município de Caetité, nasceu, a partir da Lei nº 809, de 11 de junho de 1860, assinada por Antônio da Costa Pinto, presidente da Província da Bahia, a Vila de Santo Antônio da Barra, pertencendo ainda à jurisdição da Comarca de Caetité. A emancipação política só foi instalada em 14 de maio de 1861. A população cresceu consideravelmente, registrando 21.023 habitantes no censo geral de 1872, e 28.291 em 1892. Ganhou o status de cidade, uma antiga aspiração da comunidade, só em 28 de junho de 1889 (há menos de cinco meses para a proclamação da República), com a mudança do topônimo para Condeúba. Nessa época, a sede do poder público municipal era o Paço Municipal, construção inspirada no “Palácio do Catete”, sede da presidência da República na ex-capital do Brasil, o Rio de Janeiro. Continue lendo Condeúba: Um capítulo de sua História