Vídeo:Valdiram, ex-Vasco, é encontrado morto em São Paulo.

O ex-atacante Valdiram foi encontrado morto, aos 36 anos, neste sábado(20), em São Paulo. O jogador, que teve passagem marcante pelo Vasco em 2006, morava em situação de rua na capital paulista. Seu corpo estava na rua Santa Eulália, Zona Norte de São Paulo.

A informação foi dada primeiro pelo programa “Brasil Urgente”, da Band, e confirmada pelo GloboEsporte.com junto ao Instituto Médico Legal do bairro Santana. O corpo ainda não foi reconhecido por familiares – apenas por outros moradores de rua. A investigação está a cargo do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa). Segundo reportagem da Band, o corpo tinha sinais de espancamento.

O Vasco, na noite deste sábado, comunicou em nota o falecimento de seu ex-atleta. Diz o clube:

“O Club de Regatas Vasco da Gama comunica, com pesar, o falecimento do ex-atacante do Clube Valdiram. Ele tinha 36 anos. Seu corpo foi identificado neste sábado (20/04), em São Paulo. As causas da morte ainda são desconhecidas.

Valdiram chegou ao Vasco em 2006 contratado junto ao Esportivo (RS). Logo se destacou, tendo terminado como artilheiro da Copa do Brasil daquele ano, quando o Gigante da Colina terminou com o vice-campeonato. Sua passagem por São Januário se encerrou em 2007.

Em fevereiro de 2018, ao tomar conhecimento de que Valdiram vinha dormindo na rua, após dar como vencida uma batalha contra as drogas e o alcoolismo, o Clube conseguiu junto a uma conceituada clínica médica do Rio de Janeiro que o ex-jogador pudesse se tratar gratuitamente e retomar a vida. Valdiram ficou internado durante quatro meses, deixando a clínica no dia 23 de junho.”

Sua carreira ficou marcada por uma acusação de estupro e confissões de vício em drogas, bebida e sexo. Ao se aposentar, o atleta chegou a virar pastor antes de se perder na batalha contra a dependência química.

Em 2015, o ex-atacante desabafou. “O Valdiram, para o mundo, estava acabado e morto. Você sai com as mulheres e daqui a pouco vem a cerveja, a cocaína, a maconha, o crack. Assim foi a minha vida. Eu vi a morte, eu vi o espírito da morte na minha frente. (…) Eu passei pelo vale das sombras da morte”, afirmou, em entrevista ao “Lance”.

“Ganhei muito dinheiro. Todas as equipes que eu passei, foram 25 equipes, com salário de 20 mil, 30 mil. Esse dinheiro na prostituição, na bebida, na noite do samba, no mundo das drogas… Esse dinheiro não dura, se acaba rapidamente. Eu passei a usar cocaína aos 27 anos. Depois, não parei mais, mas só usava quando bebia. Quando eu bebia, o meu nariz ficava coçando e escorrendo”, relatou.

“O pior momento da minha vida foi em 2010. Foi quando eu realmente caí na cocaína, no crack, e passei um ano no mundo da escuridão. Cheguei a usar cocaína na cracolândia, foi o pior momento. Difícil lembrar de tudo que passei como jogador do Vasco do Gama, e ver o momento em que eu me encontrava: usando drogas na favela do Jacarezinho”, completou.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *