Arquivo da tag: Trabalho sobre a Ditadura Militar

Condeúba: A Voz da Escola Tranquilino Torres, O Regime Militar no Brasil

Por Pedro Anderson Soares de Sousa

Coordenadora Andréia Flores, prof. Pedro Anderson e a diretora Cleide Sousa

O Regime Militar no Brasil, que se estendeu de 1964 a 1985, marcou profundamente a história dessa nação. Desconhecer tal período equivale a suplantar a razão pelo anseio à democracia pelo povo brasileiro.

Embora o Regime Militar tenha sua “cara” pintada (muitas vezes) de maneira parcial, é possível que uma consideração mais apurada dos fatos nos leve a uma visão mais clara a respeito do que realmente foi esse período. Foi exatamente o que fizeram os alunos do 9° ano da Escola Municipal Tranquilino Leovigildo Torres, no dia 12 de julho de 2018. Estes jovens discursaram( com fundamento) de maneira imparcial sobre o tema , esclarecendo os pontos positivos e os negativos do Regime Militar no Brasil.

Em 1964, sob acusação de comunismo, o presidente de então, João Goulart, foi retirado do poder através de um golpe por parte dos militares.

Embora os militares propagassem a ideia de que retomariam a democracia tão logo fosse restabelecida a ordem e desfeita a ameaça comunista. Contudo esse período se arrastaria por longos 21 anos.

O primeiro presidente militar, Castelo Branco, que governou o Brasil de 1964 a 1967 e o seu sucessor, Costa e Silva (1967 a 1969), estabeleceram uma série de políticas que diminuíam a participação popular nos rumos políticos da nação. Os Atos Institucionais (especialmente o AI-5) marcaram esse período de restrições imposta à população.

Paralelamente aos pontos negativos, também foi evidente os avanços obtidos, sobretudo na economia, pois nesse período o Brasil passou a configurar-se entre as principais economias do mundo.

Apesar de que os presidentes desse período (Castelo Branco, Costa e Silva, Médici, Geisel e João Figueiredo)governaram o Brasil segundo os interesses militares de direita, o termo “ditadura” é no mínimo questionável, considerando que os referidos presidentes eram eleitos (ainda que indiretamente) e que deveriam cumprir um mandado predeterminado, o que não caracteriza uma ditadura real.

A grande mancha desse governo militar, está na indiferença quanto à mais nobre forma de governo, a democracia, de maneira que centenas foram mortos ou perseguidos por discordarem do referido governo. A insatisfação com tal governo aguçou o anseio por liberdade, pelo restabelecimento da democracia, e embora esta tenha chegado, não a vemos ainda com toda a sua plenitude e maturidade.

O objetivo, portando, do trabalho desses alunos seria entender as raízes de nossa atual conjuntura política. O alcance de tal objetivo ficou evidente na forma como os alunos discursaram, pois mostraram firmes fundamentos quanto às suas colocações. Continue lendo Condeúba: A Voz da Escola Tranquilino Torres, O Regime Militar no Brasil