Arquivo da tag: História

Condeúba: As guerreiras negras da divisa da Bahia com Minas

* Por Levon Nascimento

Levon Nascimento Casinha pau a pique enchimento Feliciana Mandaçaia CondeúbaCasa de Feliciana e José Martins, ainda de pé em foto de 2007.
Feliciana era uma mulher negra que viveu no Areial, região próxima do Morro da Feirinha, na zona rural de Condeúba, Bahia, divisa com o norte de Minas Gerais.

Ela fazia peneiras de taquaras retiradas de coqueiros e outras palmeiras, junto com as filhas Joaquina, Rita, Euflosina e Francisca. Era a única riqueza de seu trabalho que conseguiam comercializar. Artesãs de mão cheia! As taquaras eram amarradas com cordão de algodão lubrificado com cera de abelha. Começo, meio e fim do processo produtivo todo dominado por elas.

peneira de pindoba taquaraFabricação de peneiras de taquaras

A terra onde Feliciana morava ficava sob um pedregulho aos pés do morro. Era assim desde seus pais e avós. Herança dos tempos do cativeiro. Quem sabe, um resquício de quilombo? Talvez, um dos poucos pedaços de chão que sobrou para ela e outros negros da região. Os terrenos bons eram propriedades de brancos. Continue lendo Condeúba: As guerreiras negras da divisa da Bahia com Minas

Judiciário vai fechar 60 Comarcas no Estado da Bahia, inclusive Condeúba

Por Oclides da Silveira

IMG-20170417-WA0028O Judiciário do Estado da Bahia relacionou 60 Comarcas para serem fechadas, Condeúba está entre elas. No inicio a então Santo Antonio da Barra pertencia a Comarca de Caetité. Só passou a ser Comarca de Condeúba quando foi criada a Lei Estadual nº 1997 de 9 de julho de 1880, por tanto há 137 anos atrás.

O Judiciário condeubense que não concorda com o fechamento da nossa Comarca, estará iniciando um movimento contrário, já com uma agenda da primeira reunião a ser realizada na próxima quarta feira dia 19/4 pela manhã às 09:00h no Fórum Des. Jaime Bulhões em Condeúba.

Neste primeiro ato de protesto deverão estar presentes os Prefeitos dos Municípios de Condeúba, Cordeiros e Piripá, além dos Presidentes das respectivas Câmaras e demais vereadores.

Como é difícil se chamar Ideilce

Recebemos uma história criada por Valdir Fachini sobre a esposa dele Ideilce, ela é baiana, especificamente do Paiol, distrito de Jacaraci/Ba, mas, no texto Ele cita como se fosse Distrito de Caculé. Valdir tem 63 anos e mora atualmente em Campinas/SP com sua bela esposa Ideilce. Nós da Folha de Condeúba publicamos abaixo mais uma curiosidade da nossa região.

Como é difícil se chamar Ideilce

O meu nome é esse aí, do título, sem tirar nem por. É difícil de acreditar, mas é isso aí. Então você pergunta: Como pode alguém se chamar assim? É fácil, é só ter um par de pais doidos como eu tive. Continue lendo Como é difícil se chamar Ideilce

Condeúba: Há 24 anos atrás morria o maior líder político Antônio Terêncio

Pelo Prof. Agnério

antonio-terencio-copiaBiografia de Antônio Terencio

Antônio Farias Terêncio é filho de Apolônio da Silva Terêncio e dona Sinésia Farias Terêncio. Nasceu em 27 de maio de 1926 na Fazenda Cachoeira no lugar denominado “Deus me livre”. Na época, a família havia se retirado para o campo, porque a Coluna Prestes ocupava a cidade e não havia condições de se proteger da fúria dos revolucionários, comandados por Luis Carlos Prestes e Antônio Siqueira Campos. Seus irmãos são: Geraldo Terêncio, Eunice Gomes (in memória), Rita Oliveira, José Maria Terêncio e Maria do Rosário Amorim. Continue lendo Condeúba: Há 24 anos atrás morria o maior líder político Antônio Terêncio

12 de outubro é Dia da Imprensa Condeubense

imprensaPor Oclides da Silveira

Dia 12 de outubro feriado nacional de Nossa Senhora Aparecida padroeira do Brasil, essa data é comemorada ainda como o dia da criança. Em Condeúba pela segunda vez, a população está comemorando também o dia municipal da Imprensa, graças ao Projeto de Lei nº 002 de 19 de fevereiro de 2015 de autoria das vereadoras Cida de Lerim e Nena, que foi aprovado por unanimidade pelos Edis na Câmara Municipal e, que posteriormente se tornou a Lei nº 897 de 30 de abril de 2015 promulgada pelo Prefeito Guto. Continue lendo 12 de outubro é Dia da Imprensa Condeubense

IMG-20160906-WA0041

Condeúba: Patrimônio histórico, preservar ou demolir?

Prof. Agnério Souza – citação referente a enchente de 1968.

enchenteComemora-se hoje, 47 anos da célebre enchente ocorrida no Rio Gavião, na manhã de Domingo do dia 03 de março. Havia chovido muito nos meses de dezembro de 67, janeiro e fevereiro de 68; porém as chuvas aumentaram bastante entre os dias 28 de fevereiro a 02 de março/68, culminando com a chegada da água, vinda do município de Jacaraci e que inundou toda a parte baixa da cidade de Condeúba. Continue lendo Condeúba: Patrimônio histórico, preservar ou demolir?

Feriado-2-de-julho (1)

a História do Dia 2 de Julho – Independência da Bahia

A comemoração do dia 2 de Julho é uma celebração às tropas do Exército e da Marinha Brasileira que, através de muitas lutas, conseguiram a separação definitiva do Brasil do domínio de Portugal, em 1823. Neste dia as tropas brasileiras entraram na cidade de Salvador, que era ocupada pelo exército português, tomando a cidade de volta e consolidando a vitória.

Esta é uma data máxima para a Bahia e uma das mais importantes para a nação, já que, mesmo com a declaração de independente, em 1822, o Brasil ainda precisava se livrar das tropas portuguesas que persistiam em continuar em algumas províncias. Então, pela sua importância, principalmente para os baianos, todos os anos a Bahia celebra o 2 de Julho. Tropas militares relembram a entrada do Exército na cidade e uma série de homenagens são feitas aos combatentes. Continue lendo a História do Dia 2 de Julho – Independência da Bahia

IMG-20160509-WA0028

Condeúba: Completando 155 anos neste dia 14 de maio de 2016

Condeúba, e um pedacinho de sua história

Com a fome que assolava o País principalmente os Estados Nordestinos no ano de 1899, Condeúba era administrada pelo Intendente Anfilófio Cezar Alves Pereira, o qual pode testemunhar que foi um ano de muita fome no sertão nordestino.

Desciam os mineiros conhecidos como (geraizeiros), eles chegavam a Condeúba e invadiam as casas comerciais em busca de comida e eram na maioria das vezes “espingardeados”, ou seja, matados a tiro de espingardas pelos comerciantes, “segundo consta na Memória Descritiva de Tranqüilizo Torres”. Muita gente morreu de fome naquela época. Continue lendo Condeúba: Completando 155 anos neste dia 14 de maio de 2016

Paço Municipal Condeúba

Condeúba: Um capítulo de sua História

Desde 1831, o povoado de Santo Antônio da Barra pertencia à província de Minas Gerais. A mudança de jurisdição só ocorreu após 1839, época em que Santo Antônio da Barra atingiu a população estimada de 10 mil habitantes, valendo ressaltar que isso foi uma reivindicação dos dirigentes locais. A freguesia de Santo Antônio da Barra foi criada em 19 de maio de 1851, através da Lei Provincial n° 413, em função do crescimento do local. Com o desmembramento da freguesia, que anteriormente pertencia ao município de Caetité, nasceu, a partir da Lei nº 809, de 11 de junho de 1860, assinada por Antônio da Costa Pinto, presidente da Província da Bahia, a Vila de Santo Antônio da Barra, pertencendo ainda à jurisdição da Comarca de Caetité. A emancipação política só foi instalada em 14 de maio de 1861. A população cresceu consideravelmente, registrando 21.023 habitantes no censo geral de 1872, e 28.291 em 1892. Ganhou o status de cidade, uma antiga aspiração da comunidade, só em 28 de junho de 1889 (há menos de cinco meses para a proclamação da República), com a mudança do topônimo para Condeúba. Nessa época, a sede do poder público municipal era o Paço Municipal, construção inspirada no “Palácio do Catete”, sede da presidência da República na ex-capital do Brasil, o Rio de Janeiro. Continue lendo Condeúba: Um capítulo de sua História