Em Alagoa Nova, padre larga a batina para viver um amor

padre
Padre Valdir Valdick de Araújo Dantas

O padre Valdir Valdick de Araújo Dantas, da paróquia de Lagoa Nova-RN, renunciou a batina ontem, domingo (10) para viver um caso de amor: “Tenho um filho e uma mulher que os amo, e quero recomeçar minha vida junto a eles sem deixar de ser cristão e amar esta igreja que a tenho como mãe e mestra”, escreveu em nota a comunidade católica.
Segue-a na íntegra:

Querida comunidade Paroquial de São Francisco de Assis em Lagoa Nova paz e bem.
O zelo por tua casa me consumirá, foi com essa inspiração bíblica que disse sim ao chamado que o senhor fez por vocação sacerdotal. Sou Grato ao Senhor da missão que me ungiu para este serviço exercido com muita dedicação e zelo que fiz por quase 23 anos.

Quantas graças recebidas e compartilhadas tudo isso porque Deus é bom e é confiando em sua misericórdia e depois de um longo período de discernimento feito em oração, cheio de angústia e sofrimento mas convicto do sentimento que invade minha alma, que deixo o ministério sacerdotal, para viver uma história de amor em família.

Tenho um filho e uma mulher que os amo, e quero recomeçar minha vida junto a eles sem deixar de ser cristão e amar esta igreja que a tenho como mãe e mestra. Acredito que a família é o santuário da ida, eis o motivo da minha decisão, pois havia uma inquietação no meu coração, e o que vos peço humildemente agora é que rezem por esse servo do Senhor que seguirá seu novo estado de vida e que no ano nacional do laicato, sejamos o sal da terra e Luz do Mundo, Cristãos leigos e leigas, sujeitos na igreja em saída a serviço do rei, abraço fraterno em Cristo e Maria.

Lagoa Nova, em 10 de dezembro de 2017
Pe Valdir Valdick de Araújo Dantas
Com Novo Perfil

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Um comentário sobre “Em Alagoa Nova, padre larga a batina para viver um amor

  1. Parabéns padre, é assim que se faz. Como católico, não quero contrariar os dogmas de minha igreja; mas o celibato não deveria ser imposto, porém facultativo. No começo da Igreja e até a Idade Média, bispos, presbíteros e diáconos eram casados. O Apóstolo Paulo recomenda em sua cartas, que, quem está a serviço de Deus, deva ser esposo de uma única mulher. Até hoje, os casados têm a obrigação de ser assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *