Condeúba: Inaugurado o Terreiro de Candomblé de “Nação Efon”

Por Oclides da Silveira

Bàbálorisás esq. Filinto`T Odé “Odecy e Ifádokun”

Inaugurado o Terreiro de Candomblé de Condeúba neste sábado dia 28 de julho de 2018, com a participação do Bàbálorisá Ifádokun que veio com seus filhos de Vitória da Conquista, o qual deu “Posto” ao condeubense Filinto Correia Neves que doravante foi oficializado usar o nome de “Bàbálorisá Odecy”. Juntamente com Filinto foi suspenso como Bàbákèkére Reginaldo Ribeiro Amorim (Egbome Dau) e Marcos Rogério Conceição Pita como (Ogan).

O primeiro Terreiro de Candomblé de Nação Angola de  Condeúba foi fundado na década de 1980, através da Sra. Anita filha de Santo de mãe Merentinha que era de Vitória da Conquista, o qual funcionava na Praça Bom Jesus próximo a Igreja Católica, porém foi desativado no final da década de 1990. Com o falecimento da mãe de Santo Sra. Anita, o Terreiro fechou por falta de seguidores.

O Candomblé, como prática religiosa, ganhou contornos nítidos na Bahia em meados do século XVIII e definiu-se durante o século XX.

Atualmente, existem milhões de praticantes em todo Brasil, podendo chegar a mais de 1,5% da população nacional.

A fim de preservar esta herança da cultura africana, a Lei Federal 6292, de 15 de dezembro de 1975, tornou certos terreiros de candomblé patrimônio material ou imaterial passível de tombamento.

Rituais do Candomblé 

Os rituais de Candomblé são, via de regra, realizados por meio de cânticos, danças, batidas de tambores e atabaques, oferendas de vegetais, minerais, objetos e, às vezes, sacrifício de alguns animais.

Veja a seguir entrevista concedida pelo Bàbálorisá  Ifádokun

Fotos: JFC

 

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

18 comentários sobre “Condeúba: Inaugurado o Terreiro de Candomblé de “Nação Efon”

  1. Sou candoblecista é um prazer e felicidade saber que nosso candomblé Ainda tem raízes boas. Sua benção pai Filinto`t odé! Sucesso, prosperidade, fartura, sabedoria caminhos abertos sempre em seu axé. Fico feliz! que sua jornada seja guiada com a força de todos os orixás. asè.

  2. Nasci em Condeúba,mas não conheço nada aí, sei que uma tia minha era do candomblé aí em Condeúba, sai daí aos cinco anos, nunca mais voltamos, sei que a família do meu pai era Espínola, da minha mãe era Lauton, tenho uma casa aberta em São Paulo mas é umbanda, que amo muito, são 45 anos de dedicação a nossa bandeira, parabenizo pela abertura do terreiro.

  3. Eu só tenho a agradecer imensamente meu mentor, amigo pai e Bàbálorisá Ifàdokun
    por tudo, e também ao Jornal Folha de Condeúba pela cobertura feita a essa grandiosa festa, aos amigos e irmãos condeubenses pela presença que se fizeram na festa.

    Meu contato – 77 991550774

  4. Só tenho a agradecer ao povo condeubense pela forma carinhosa que sempre me acolhe nessa cidade! Que o verdadeiro candomblé seja uma referência na diversidade religiosa local, e possa contribuir para uma cultura de respeito e valorização das várias culturas religiosas do Brasil.

  5. Bom mantermos a cultura afro, afim de difundir as inúmeras comunidades religiosas, importante para a cidade, tanto quanto outras denominações, devemos o respeito por todos os credos já que somos um povo livre para escolher, e chegar ao criador de tudo, por aquilo que acreditamos. Parabéns.

      1. boa tarde tereza esse e meu contato 77991550774
        e zap tambem peço desculpa por ter ( saido pois nao mim liga ) meu teclado esta meio doido

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *