Condeúba: Morreu a Sra. Dionísia Maria de Jesus aos 101 anos de idade

Por Oclides da Silveir

L U T O

Dionisia 3
Dona Dionísia gesticulando em quanto falava

Morreu nesta manhã do dia 9 de dezembro de 2018,  às 10:00 horas a Sra. Dionísia Maria de Jesus aos 101 anos de idade incompleto, uma vez que seu aniversário seria no próximo dia 15/12. Dona Dionísia era viúva do Sr. Marciano não teve filhos, ela deixa uma grande gama de sobrinhos, muitos amigos e admiradores. O corpo da Sra. Dionísia está sendo velado nos Morrinhos dos Farias na residencia do seu sobrinhos José Ribeiro Farias e sua esposa Rita Farias. Seu sepultamento será amanhã cedo às 10:00 horas no Cemitério Municipal dos Morrinhos dos Farias.

Frase da Dona Dionísia: “A gente só morre no dia certo”.

Nós do Jornal Folha de Condeúba deixamos nossos sentimentos à família enlutada por essa perda irreparável deste ente tão querido. Que o bom Deus a tenha ao seu lado para a eternidade. Descanse em paz amiga “ Dionísia” !!!

Atendimento funerária São Matheus.

HISTÓRIA                                                                                                                                                                  A Sra. Dionísia nasceu na Comunidade do São Domingos no dia 15 de dezembro de 1917 no município de Condeúba Filha de Benedito e Filismina, foi batizada na Igreja Católica, seus padrinhos foram Francisco e Josefa. Na tarde de domingo, 30 de abril de 2017 estivemos visitando a Sra. Dionísia que está morando nos Morrinhos dos Farias com seus sobrinhos José Ribeiro Farias e sua esposa Rita Farias.

Foi casada pela primeira vez com o Sr. Clemente e foram morar no Camisa município de Mortugaba. Eles sobreviviam da agricultura e sempre botava trabalhadores para ajudar nas lavoras, aqueles que mais precisavam, fiz muito favor e ajudei muito as pessoas, afirmou dona Dionísia.

Após a morte do Sr. Clemente, dona Dionísia se casou pela segunda vez com o Sr. Marciano Vitorino de Souza, mudando-se para a Fazenda Mundo Novo e depois se mudaram para o Olho D’água com quem viveu muitos anos, tiravam leite e fazia requeijão e vendiam para comprar roupas, calçados e outros, ela não sabe dizer quanto tempo foi.

Já no final da vida de seu segundo esposo o Sr. Marciano ele começou a caducar, entre tantas coisas diferentes que ele fazia, uma foi dormir em todos os cômodos da casa, cada noite dormia num cômodo diferente, dona Dionísia para não contrariar acompanhava seu esposo onde ele levasse a cama para dormir.

Dona Dionísia amava muito seu esposo Marciano de tal maneira que no dia em que ele morreu, ela desejou ter morrido com ele. Depois deste seu segundo marido que faleceu, ela resolveu a não se casar mais. Em nenhum dos casamentos dona Dionísia teve filhos, talvez por esta razão ela foi muito caridosa com quem precisava.

Receita para viver bem e bastante: “Muita união, rezar, dormir bastante, não ter pressa e se alimentar bem”.

Dionisia 6

“Fui em São Paulo uma vez e fiquei por lá um mês, mas não gostei de lá não. Evitei um roubo de carro do meu parente José, à noite escutei um barulho aí eu me levantei aproximei no vitro da frente da casa e abri lentamente a cortina e lá na garagem eu avistei dois homens, um em cima do muro e o outro já dentro do carro do meu parente tentando ligar, aí voltei rapidamente e disse a ele José! Estão querendo roubar seu carro, ele se levantou abriu o vidro e gritou lá vai bala!!! Os marginais saíram correndo sem praticar o roubo”.

“Quase nasci no caminho da roça, contava minha mãe Filismina, que no dia que eu nasci ela ralou mandioca na roda de fazer farinha, depois ela se sentou para raspar mais um pouco de mandioca, aí se sentiu ânsia de vômito, mandaram chamar a parteira as pressas, quando ela chegou eu já havia nascido”.

“Eu e comadre Santina que era minha irmã sofremos muito, desde novas que trabalhávamos na roça, ainda me lembro que meu pai fez uma derrubada de mato, botou fogo, depois eu e ela foi quem retirou essa madeira todinha nas costa para fazer lenha. Agora eu estou gozando a vida graças a esses parentes maravilhosos que tenho, que me dão vida boa me tratam muito bem. Eu rezo pra eles todos os dias e peço a Deus ajudar a quem me ajuda”.

“Eu tenho noção do trabalho que dá para cuidar de uma pessoa velha em cima de uma cama, por isso que eu não arrisco ficar andando, por que não enxergo mais, aí fico com medo de me machucar”.

“Ainda me lembro, meu pai pegava os meninos a noite de luar, iam para o terreiro fazer cantiga de roda e ficavam até muito tarde da noite, acho que é por isso que eu não gosto de me levantar cedo”.

Ditados
Herança – Fiquei como tatu com o casco e o cu.
“Quem não quiser ficar velho, morre novo”.
“A gente só morre no dia certo”.

Histórias contadas por dona Dionísia:

“Certo dia eu fui buscar água no rio (córrego) e lá vem eu com essa lata d’água na cabeça, me enrosquei numas ramas de mato, caí, mas a água não derramou foi um milagre de Nossa Senhora.

Meu finado marido Marciano certa vez comprou 5 metros de pano para eu fazer uma camisola que era usado por baixo do vestido, mas eu usei só 3 metros e não ficou muito longo, quando ele ficou sabendo não gostou e me disse que era pra fazer uma camisola raspando no chão, eu respondi a ele que a casa não se varria com a barra da camisola e sim com vassoura. Ele me mandou ir para o inferno, fiquei aborrecida com aquilo e comecei arrumar minhas roupas, logo que ele me viu naquela arrumação, me perguntou pra onde vai? Eu respondi vou para casa dos meus parentes e não para o inferno como você me mandou. Marciano logo se ajoelhou diante dos meus pés e me pediu perdão pelo que ele tinha me dito, aí eu disse a ele que o perdoaria desde que ele não  repetisse mais aquelas palavras feias, concluiu dona Dionísia.

Meu falecido marido Marciano era de mal com um parente dele, que haviam discutido por que os porcos de um entrou na roça do outro, eles ficaram muito tempo sem se falar, um dia eu ia com ele num corredor e de lá estava vindo o dito parente ao encontro nosso, eu disse ao meu marido você salva (cumprimenta) ele, assim ele fez e daí em diante ficaram os maiores amigos passaram a rezar o ofício juntos.
A gente cantava assim nos Presépios:
“O cafezinho bem quente bem ligeiro,
quem não tem cachaça tem dinheiro,
eu cheguei aqui foi agora,
se eu não beber vou me embora”. Na mesma da hora sai o cafezinho”, risos…
Dona Dionísia foi disputada por José e Pedro para ver quem casaria com ela, e acabou ficando o José ganhando a para se casar, aí ele foi para São Paulo já com o casamento marcado e lá fizeram porqueira pra ele o que acabou morrendo por lá”, concluiu dona Dionísia.

Fotos: JFC

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

24 comentários sobre “Condeúba: Morreu a Sra. Dionísia Maria de Jesus aos 101 anos de idade

  1. Diva Prates Bizaaaaa Dionizia ou madrinha Dionizia como quase todos nós a chamávamos.
    Que Deus em sua infinita bondade a acolha ao seu lado para todo o sempre. Para nós que ficamos, nos resta sentir saudades. Saudade não dolorida, mas aquela saudade gostosa do tempo que tivemos, vivemos e compartilhamos bons momentos ao seu lado.
    Descanse em paz!

  2. Nos despedimos alegremente da nossa embaixadora dos presépios da nossa região, Dona Dionísia foi uma das primeiras pessoas que popularizou os presépios no município de Condeúba, ela tinha um poder de criatividade muito grande e graças a Deus ela deixou uma semente que geminou e está dando belíssimos frutos. Graças a essa sua iniciativa que na cidade de Condeúba a Secretaria de Cultura já vem ha dois anos fazendo concurso de presépios e premiando aqueles que for melhores colocados e vencer na opinião dos jurados. Muito obrigado Dona Dionísia pela sua iniciativa cultural, estamos colhendo os bons frutos que a Senhora plantou. Que o bom Deus a tenha ao seu lado fazendo é claro seus lindos presépios, amém!!!

  3. Querida e admirável Dona Dionísia, sei que agora estará ao encontro do nosso pai celestial. Tive o prazer de conhecer a senhora e ver a senhora contar muitas histórias… a senhora que era madrinha de mãe acompanhou muito a chegada de cada filha que minha mãe teve; uma pessoa admirável e querida por todos da nossa região. Sei que minha tia Darli Silveira tem tradição do presépio por ter conhecido pela primeira vez na casa dessa senhora. Hoje, ficarão lembranças boas, saudades de uma pessoa que praticou muito o bem aqui nessa terra. Descanse em paz Dona Dionísia!

  4. Muito triste porém, o céu está em festa.
    Foi minha vizinha e amiga por muitos anos.
    Todas as tardes me fazia uma visita e tomávamos um cafezinho juntas.
    Pessoa maravilhosa que guardarei nas minhas lembranças e no meu coração❤
    Deus a receba em seus braços d. Dionísia.

  5. Sou Luís Coutinho, filho de Ozilia e Gentilio. Fiquei muito feliz em ter noticias da minha avó. Sim pois ela foi casada com meu avô. Clemente pai da minha querida mãe, foi attravés do meu Irmão que fiquei sabendo sobre ela. Peço a Deus que dê muitos anos de vida, e que Sossa Senhara à proteja a cada dia. Bjs… vó

  6. Que deus abençoa e proteja a minha madrinha e vo que ela muitos anos de vida um grande beijo e abraço do afilhado Joaquim da rocha Coutinho fica com deus que ele nos proteja

  7. Me lembro perfeitamente da minha mae minha tia e meus tiis sempre indo visitar,e falando q estavam indo visitar madinha e n sabia qm era.so hj q vim saber q a sra é minha Bisavó de consideraçao,pois por muitos anos foi casada com meu bisavô Clemente..bisa q Deus a abençoe sempre e dê muita saúde a essas pessoas q estao cuidando da sra.

  8. Dn.Dionizia, muita história pra contar quem teve a grandeza de estar ao lado dela, me lembro do sangue friu da galinha que ela tirava pra fritar e comer e me dizia que aquele era o melhor remédio.

  9. Que Deus abençoe poderosamente minha madrinha ela merece e uma pessoa boa de coração ,mim dava tanto presente ,fiquei muito feliz de saber que ela tá bem , tudo isto que ela falo na intré vista e verdade lembro dela cuidando do meu padrinho Macino que partiu para a morada com Deus .Sempre perguntava para um ou outro da senhora mim dizia que tinha mudado e não sabia para onde foi nunca esqueci da senhora ti amo muito madrinha .que Deus abençoe estas pessoas que está cuidando da senhora ,que Deus cobra com muita saúde paz e felicidade tudo de bom madrinha Dionísia beijos.

  10. Own que coisa gostosaaa ler tudo isso. Sou bisneta por consideração também e sou muito grata a ela. Me ajudou muito em determinado tempo de minha vida. Uma senhora bondosa e crente a Deus.
    Que Deus a proteja e a cubra de bênçãos. Bênçãos de saúde e proteção.
    Obrigada aos familiares que cuidam dela. Deus os abençoe!
    Amei ler as histórias contadas por ela.

  11. Não conheço essa senhora mais peço a Deus que abençoe com toda saúde e essa alegria que ela tem uma senhora guerreira lembrei da minha vovó querida Deus te proteja por muitos anos bojjos senhora

  12. Nossa! Que lindo e que gostoso ler esta historia.Dona Dionísia!
    Faz muito ..muito tempo….mas me lembro muito bem que fiquei eu e minha mãe mas de semanas na casa dela….eu estava doente.
    Estava com Hepatite.
    Mas me lembro perfeitamente,de uma farofa de frango,com tempeiro verde……
    Quando eu li a parte em que ela disse:ja ajudei muitas pessoas
    Me senti orgulhosamente incluida entre elas.
    OBRIGADA DONA Dionisia….talvez a senhora nao se lembre de me….mas eu mesmo sendo bem novinha naquela época ainda assim consigo me lembrar perfeitamente da senhora.
    DEUS TE ABENÇOE ABUNDANTEMENTE!

  13. Cida Alves O meu deus como eu gosto da dona Dionísia 99 anos que deus abençoe ela sou muito grata a ela pois me ajudou muito,a muitos anos atrás quando eu me acidentei o meu pé precisei ficar uns dias lá na casa dela , ela me deu muito carinho nunca vou esquecer; linda história de vida deus abençoe aos cuidadores dela; saudades que deus a proteja ela❤

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *