Como votar daqui pra frente?

                              Por: Oclides da Silveira  

oclidesAs próximas eleições são municipais e ocorrerão no dia 2 de outubro de 2016, data em que serão eleitos prefeitos e vices além dos vereadores de cada município. Por onde e como devemos começar a análise da escolha dos candidatos?

Pelo perfil da honestidade, capacidade de trabalho, experiência, currículo, ficha limpa, enfim por tudo isso e muito mais qualidades que cada candidato possui em sua vida curricular.

A questão partidária, como é que fica? Qual o partido é melhor que o outro, se o descrédito partidário tomou conta da população brasileira? Os partidos mais antigos e maiores que são medidos o seu tamanho pelo número de deputados federais que compõem suas respectivas bancadas em Brasília, são formados na sua maioria por políticos “velhacos”, desonestos e sem credibilidade do povo e das instituições.

Os partidos de porte médio e pequenos chamados pejorativamente de “nanicos”, na sua maioria, são formados também por políticos “velhacos”, que de certa forma, foram desafetos de outros grupos político-partidários.

Será que não passa pela cabeça dos políticos de boa índole fazer uma reforma profunda nos partidos políticos do Brasil? Porque este sistema que aí está virou uma verdadeira bazófia, como se diz no popular “chegou ao fundo do poço”.

É inaceitável as negociatas que temos presenciado, envolvendo os partidos e também os mandatos daqueles políticos “velhacos” detentores de poder, que só pensam em si, só visam tirar benesses do partido e do mandato. Mandato este que não é do parlamentar e sim do próprio partido que o elegeu.

Em janeiro de 2010, escrevi o editorial do Jornal Folha de Condeúba com o titulo: “Disvoto”. Pois bem, naquele editorial já gritávamos pela aplicação urgente urgentíssima, do “Disvoto”. Anos depois tomamos conhecimento que passava pelo Congresso Nacional um Projeto de Lei criando o “Disvoto”. Fiquei feliz, porém, até hoje não tivemos mais notícias do referido Projeto, com certeza, foi engavetado.

Voltamos a falar que se tivéssemos o “Disvoto”, a moralidade da classe política brasileira e dos partidos políticos não estariam em profundo descrédito junto à sociedade como se encontra atualmente.

Virou moda cassação de mandatos nas esferas municipais, estaduais e federais, tanto no Legislativo como no Executivo e em todos os cargos, desde Vereador a Presidente da República. “Disvoto” já!!!

Para resolver esta questão partidária, temos então que nos focar no maior partido do momento, o qual é extra-oficial e chama-se: “Partido da Lava Jato”. Este sim detém a credibilidade popular e de todas as entidades sérias deste País.

Como em nossa Condeúba não temos ninguém até então envolvidos na “Lava Jato”. Vamos nos mirar nesses exemplos para que façamos uma boa escolha nos próximos pleitos. Não podemos nos esquecer, que para isso acontecer temos que visar sempre e, principalmente, nos candidatos ao Executivo. São eles que carregam maior responsabilidade junto ao povo.

Por isso, enfatizamos que seja observado o perfil de cada candidato nos quesitos da honestidade, capacidade de trabalho, experiência, currículo, ficha limpa, enfim por tudo isso e muito mais qualidades que cada um dos candidatos adquiriu ao longo da sua vida.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *