Arquivos da categoria: Saúde Pública

Ataque cardíaco se manifesta de diferentes maneiras nas mulheres

 

Foto reprodução

Com um estilo de vida saudável, nós evitamos várias doenças. No entanto, quando não seguimos esse script, enfrentamos sintomas terríveis.

E, como bem sabemos, cada corpo reage de uma maneira diferente: uns com doenças crônicas, outros com doenças no coração, por exemplo.

Neste post, falaremos dos sinais que são emitidos quando a pessoa está perto de ter um ataque cardíaco.

Ou seja, é um post de alerta!

Nas mulheres, este problema pode se manifestar de uma forma diferente.

Por isso é muito importante saber identificar os sintomas e procurar um médico.

1. Náusea e vômito

Este sintoma é bastante comum e geralmente é confundido com um simples mal-estar, causado pelo sistema digestivo.

2. Suor incomum

Se você estiver suando muito, sem motivos aparentes, desconfie.

Este é um sintoma de ataque cardíaco.

Entenda: o coração está lutando para que o sangue circule através de uma artéria bloqueada, o que faz com que o corpo sue, tentando manter a temperatura.

3. Desconforto no tórax

Este sintoma atinge tanto os homens, quanto as mulheres.

No entanto, o corpo masculino sofre com dores mais intensas.

Nas mulheres, a dor pode ser mais discreta, ou seja, suportável.

4. Fadiga

Esse sintoma pode começar a ocorrer muito antes do ataque cardíaco e se manifesta como uma fraqueza muscular ou corporal que não está relacionada ao esforço físico.

5. Dor mandibular e cervical

Algumas mulheres podem não ter desconforto no tórax, mas possivelmente vão sentir dor no pescoço e na mandíbula se estiverem prestes a sofrer com o ataque cardíaco.

Fonte: Site Cura pela Natureza

Casos de doença transmitida por gato crescem na Bahia; saiba como identificar

Micose é transmitida por animais e causa lesões na pele dos seres humanos

A protetora de animais Ana Nery Teixeira, 43 anos, chegou a ter 170 gatos em casa, em 2015. Ela, que mora em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), sacrificou mais da metade deles, porque estavam infectados e debilitados por esporotricose.

A doença, transmitida pelo fungo Sporothrix, encontrado principalmente em solos e folhagens, é uma micose que atinge bichos e pessoas. Os sintomas são feridas que, se não forem cuidadas, podem evoluir e, em alguns raros casos, levar à morte.

Segundo o Grupo de Apoio e Proteção ao Animal de Rua (Gapar), de 2015 até o ano passado foram registrados mais de mil casos em gatos e humanos, em Camaçari – os dados incluem também felinos mortos.

“Temos a informação que duas pessoas morreram e os óbitos não foram registrados como esporotricose”, explicou Natália Vieira, 32, uma das fundadoras do Gapar.

Oficialmente, a Secretaria Municipal de Saúde de Camaçari notificou, de 2015 até 23 de janeiro deste ano, 247 casos da doença em humanos – 171 em 2018 e seis neste mês, sem morte de pessoas. Continue lendo Casos de doença transmitida por gato crescem na Bahia; saiba como identificar

Caetité: Mineradora de urânio é condenada por não garantir segurança de terceirizados

Bahia Notícias

A mineradora Indústrias Nucleares do Brasil S.A (INB), em Caetité, foi condenada pela Justiça do Trabalho a pagar indenização de R$ 100 mil por danos morais coletivos por tratar diferenciadamente seus funcionários efetivos e os terceirizados, no treinamento e nos cuidados com a segurança. De acordo com a ação, os terceirizados trabalham sem equipamento de proteção, inclusive numa das áreas da mineração que chegou a ser interditada por risco de contaminação radioativa em 2011. Ainda cabe recurso.

A ação civil pública foi movida elo Ministério Público do Trabalho (MPT), a partir de uma denúncia feita pelo Sindicato dos Mineradores de Brumado e Microrregião.A indenização deverá ser revertida em favor de instituição local de utilidade pública, ainda a ser escolhida. A decisão de condenar a empresa foi proferida pela juíza Karina Carvalho, titular da Justiça do Trabalho em Guanambi. Para a magistrada, a discriminação produziu “além de danos patrimoniais de natureza individual, dano moral em toda a coletividade”.

Emissão digital de certificado internacional de vacinação é liberado pela Anvisa

Da Redação – Fonte: A. Saúde

A partir de agora ficou mais fácil o cidadão obter o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP). A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou a emissão digital do certificado internacional de vacinação.

O cidadão pode fazer a solicitação do certificado, após tomar a vacina. O que garante a entrada em alguns países com exigências de vacinas específicas, por meio do site Portal de Serviços. O processo pode levar até 5 dias úteis. Uma vez analisado, o usuário receberá uma mensagem avisando sobre o certificado para impressão e assinatura. O arquivo fica disponível para impressão sempre que necessário.

Segundo a Anvisa, mais de cem países exigem o Certificado Internacional de Vacinação do viajante, para comprovação em especial da imunização contra a febre amarela. Casos da Austrália, Bahamas e Tailândia, onde não é permitida a entrada sem o documento, inclusive para conexão.

Mais de 90% dos municípios baianos investem abaixo da média nacional na saúde

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

Do total de 417 municípios baianos, 391 fizeram investimentos abaixo da média nacional (R$ 403,37) na saúde de cada habitante durante o ano de 2017. Os dados foram divulgados na última segunda-feira (21) pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e são referentes às declarações no Sistema de Informações sobre os Orçamentos Públicos em Saúde (Siops), do Ministério da Saúde.

O levantamento mostra que, naquele ano, o maior valor aplicado por um gestor municipal da Bahia, com recursos próprios, em Ações e Serviços Públicos de Saúde (ASPS), foi de R$ 2.017 por habitante, em São Francisco do Conde. Em seguida, aparecem Madre de Deus (R$ 1.216,95) e São Desidério (R$ 912,07). Do lado oposto do ranking está Conceição do Coité. O município investiu apenas R$ 122,84 por cada morador.

Na penúltima posição aparece Valença (R$ 124,56), seguida de Santo Amaro (R$ 129,31). Considerando-se apenas a Bahia, a média de investimento foi de R$ 470,66 por pessoa. A média estadual de 2017 é ligeiramente maior do que a registrada nos dois anos anteriores: R$ 459,19 em 2016 e R$ 464,64 em 2015. As informações são do Bahia Notícias.

Terceirizados do Hospital de Base paralisam atividades

Nesta terça-feira (22), trabalhadores terceirizados da empresa ‘Global Live’, que atuam no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC), realizaram uma paralisação. De acordo com informações divulgadas, as atividades foram suspensas devido aos atrasos constantes de salários dos trabalhadores.

Segundo os funcionários, a empresa não efetuou o pagamento do 13º salário, salário de dezembro e vale transporte desde outubro. A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) informou que a empresa Global Live está com certidões do INSS vencida, o que a impossibilita de receber pagamentos de órgãos públicos e que ainda assim a Sesab já está em tratativas com a empresa para regularizar a situação.

A Secretaria da Saúde da Bahia ressaltou também que pagamentos de salários e demais encargos trabalhistas são de inteira responsabilidade da empresa.

Alzheimer: Estilo de vida saudável evita aparição dos sintomas

Foto: iStock/Getty Images

Alguns pacientes com Alzheimer podem nunca manifestar sintomas, como perda de memória ou confusão, revelou um novo estudo publicado no periódico científico The Lancet Neurology. O segredo para esse fenômeno está na manutenção de hábitos saudáveis e de uma vida ativa, mesmo depois da velhice.

Estudos anteriores já haviam indicado que viver de forma saudável na velhice pode evitar a demência, mas esta é a primeira pesquisa a sugerir que bons hábitos podem até mesmo prevenir a aparição dos sintomas.

“A fragilidade pode desencadear a expressão clínica da demência, mas ela pode permanecer assintomática em alguém que não é frágil. Este é um passo enorme na direção certa para a pesquisa de Alzheimer”, disse Rockwood.

Hospital Esaú Matos realiza 1ª edição do projeto “Vem Neném”

Curso integra política de humanização do hospital

Casais, em sua maioria, pais de “primeira viagem” esclareceram dúvidas sobre o antes e nascimento do bebê

Grávida de 23 semanas de Heitor, a auxiliar de escritório, Marlene Ferraz, está ansiosa com a chegada do primeiro filho. “É a minha primeira gestação. Então, estou muito inquieta, porque não é fácil, mãe de primeira viagem, tenho muitas dúvidas, como deve ser o repouso após o parto, o banho do bebê”, contou Marlene.

Boa parte desses questionamentos que tanto Marlene quanto seu marido Wellington Pereira tinham foram esclarecidas neste sábado (19). Ao lado de outros dez casais “grávidos”, em sua maioria, pais de “primeira viagem”, eles participaram do projeto “Vem Neném”, realizado pelo Hospital Municipal Esaú Matos. Continue lendo Hospital Esaú Matos realiza 1ª edição do projeto “Vem Neném”

MÉDICOS DESISTEM DO PROGRAMA FEDERAL E BAIANOS FICAM SEM ATENDIMENTO, APONTA COLUNA

Baianos estão sem atendimento médico em cidades do interior por conta da desistência de profissionais brasileiros que se inscreveram no programa federal Mais Médicos. O problema afeta principalmente as comunidades rurais, que são as mais rejeitadas. Segundo a Coluna Satélite, do Correio, esses profissionais iriam repor as vagas deixadas pelos médicos de Cuba, que voltaram ao país de origem há cerca de dois meses, com o fim da parceria entre o governo brasileiro e a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

De acordo com a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), com a saída dos médicos cubanos, sobraram 843 vagas no estado, somadas a outras 222 que ainda não tinham sido repostas pelo Ministério da Saúde, o que totalizava 1.075 vagas. Os recentes editais do Ministério da Saúde não contemplaram a reposição desses 222 profissionais. Segundo a Sesab, na última planilha enviada pelo MS, foram disponibilizadas 757 vagas, das quais 683 foram homologadas, restando 74.

Essas que não foram ainda homologadas representam desistências dos médicos, muitos deles recém-formados e residentes em cidades de maior porte. Alguns chegaram a viajar ao interior, mas acabaram voltando em menos de uma semana. Outros sequer apareceram.

Secretários municipais de saúde entrevistados pelo Correio disseram que alguns médicos deram justificativas para o não comparecimento, como outra oportunidade de trabalho ou aprovação em cursos de mestrado. Mas também ocorreu de haver profissionais que desistiram das vagas ao conhecer a realidade local das pequenas cidades, onde o atendimento é feito em áreas remotas, com acessos por estradas de chão, muitas vezes precárias.

De acordo com secretários, alguns médicos relataram não ter gostado da cidade que tinham escolhido no momento da inscrição no programa, tendo um “choque de realidade”, ao se deparar com as condições de sobrevivência e trabalho locais.

Exercício físico pode ser a chave para prevenir e tratar o Alzheimer

A irisina, hormônio produzido pelos músculos quando praticamos exercícios, protege o cérebro, afirmam pesquisadores da UFRJ

A irisina, hormônio produzido pelos músculos quando praticamos exercícios, protege o cérebro, afirmam pesquisadores da UFRJ

Um estudo liderado por pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), durante sete anos, aponta que o exercício físico pode ser a chave para prevenir e potencialmente tratar o Alzheimer.

A doença é uma das que mais avança no mundo à medida que a população envelhece e, o pior, ainda não tem cura. De acordo com a pesquisa, a irisina, que é um hormônio produzido pelos músculos quando praticamos exercícios, protege o cérebro e restaura a memória afetada pela doença.

O bioquímico da UFRJ, Sérgio Ferreira, conta que esse estudo, divulgado nesta semana pela revista Nature Medicine, teve duas etapas. Na primeira, foi verificado que o músculo produz a irisina e quando ela cai na circulação, ela vai para diferentes órgãos, inclusive o cérebro. Além disso, ela também pode ser produzida no cérebro.

Segundo ele, com isto, foi possível descobrir que os níveis de irisina estão bastante diminuídos no cérebro de pacientes com Alzheimer.

“Se você compara o idoso normal com o idoso doente, que tem a doença de Alzheimer, o paciente Alzheimer tem níveis muito mais baixos de irisina no cérebro. E nós vimos a mesma coisa, porque nós estudamos um camundongo geneticamente modificado, que nós temos aqui no laboratório e que é um modelo para doença de Alzheimer. Então, alterados geneticamente, eles desenvolvem uma coisa muito parecida com a doença de Alzheimer.”

Sérgio Ferreira conta que estes camundongos desenvolvem perda de memória, perda da capacidade de aprendizado e alterações no cérebro, ou seja, reações bem parecidas com que os pacientes humanos tem.

Já o segundo passo da pesquisa foi verificar se esta irisina tinha algum papel na memória. A descoberta foi que se for reduzido a quantidade de irisina no cérebro do camundongo, a memória deles piora muito. O mais interessante é que se você pega um camundongo que tem sintomas parecidos com que tem Alzheimer e aumenta os níveis de irisina, a memória deste animal se recupera.

Como a irisina é liberada pelo músculo na atividade física, então o passo seguinte foi justamente pensar no exercício físico como uma forma de aumentar a irisina produzida pelo organismo. Foi então que eles exercitaram os camundongos por cinco semanas e viram que eles recuperaram a memória de forma total.

A cuidadora Joseneide Diniz Rocha, de 60 anos, mora em Recife e cuida da Lourdes Soares, de 80 anos, que tem a doença, há quatro anos. Segundo ela, a tarefa de cuidar é árdua e de grande responsabilidade.

“Quando eu comecei a cuidar dela, ela ainda fazia tudo sozinha, mas com a minha orientação. Aos poucos ela foi recaindo, ficando mais esquecida. Você tem que ter carinho, dedicação, você tem que ter paciência e gostar; porque se você não gostar, não adianta! Ela é para mim como se fosse da família. Eu cuido dela como se estivesse cuidando da minha mãe.”

Para se ter uma ideia, o mal de Alzheimer atinge 33% da população com mais de 85 anos de idade. Segundo o Ministério da Saúde, aqui no Brasil, estima-se que haja mais de 1 milhão de pessoas com a doença.