Arquivos da categoria: Saúde Pública

APÓS MORTE DE CRIANÇA E OUTRAS SUSPEITAS DE DENGUE HEMORRÁGICA, PREFEITO DE JACOBINA DECLARA SITUAÇÃO EXCEPCIONAL DE EMERGÊNCIA NA SAÚDE PÚBLICA

O prefeito municipal de Jacobina Luciano Pinheiro, em publicação no Diário Oficial do município/ decretou ” situação Excepcional de Emergência na saúde publica” do município em decorrência dos altos índices de casos de dengue e chikungunya. O decreto acontece dias após o registro da morte de uma criança em que exames laboratoriais comprovaram dengue hemorrágica como causa do óbito. Outros possíveis casos de dengue hemorrágica estão sendo apurados.

O decreto traz em considerações fatores como o excesso de chuvas que causam alagamento de ruas formando poças em terrenos baldios e quintais e prevê execuções de ações necessárias para o combate do mosquito da dengue com deslocamento de pessoal e equipamento de outras áreas.

A publicação prevê também a compra de bens, contratação de obras e afins sem que seja realizado processo de licitação.

O decreto, datado do dia 18, também abre a possibilidade de parcerias com outros municípios que fazem divisa com Jacobina para evitar o avanço da infestação.

Também está previsto o ingresso forçado em domicílios particulares com o apoio da Guarda Municipal.

Segundo o que consta no publicado a medida é necessária para conter o avanço da proliferação do mosquito aedes aegpti, transmissor da doença, que acontece apesar dos esforços do município que, segundo o texto, desde 2018 vem realizando campanhas de conscientização e combate, inclusive com trabalhos e atividades ininterruptas até aos finais de semana, com vistas a evitar a proliferação da epidemia.

CONFIRA A PUBLICA

Apesar da afirmação da nota muitos munícipes citam que as atividades de combate a dengue por parte do municípios se mostraram tímidos e ineficientes até então. O que se espera, segundo citação de um leitor do Bahia Acontece, é que as ações venham a atingir o objetivo traçado, para se evitar que outras mortes aconteçam.

Bahia Acontece

Brasil registra quase 600 mil casos de dengue em 2019

Foto: Divulgação

O Ministério da Saúde confirmou 596,38 mil casos de dengue neste ano, até o dia 10 de junho. O número de casos prováveis da doença, ou seja, ainda não confirmados, é ainda maior: 1,127 milhão.

Em relação a 2018, houve um salto nos casos de dengue no país. No mesmo período do ano passado, eram 173,63 mil casos prováveis. “Observa-se aumento da taxa de letalidade no grupo de faixa etária acima de 60 anos, o que corresponde a 51,3 % (188) do total de óbitos do país”, diz o ministério, no boletim epidemiológico da Semana 23.

O aumento de casos da dengue tem sido especialmente visível nos estados de Minas Gerais e São Paulo nas últimas semanas. Da Semana 13 até a 23, esses dois estados corresponderam, juntos, a 96,5% do total de casos observados no Brasil (774,28 mil) dentro do período.

Casos suspeitos de dengue na Bahia crescem 460% nos cinco primeiros meses de 2019

O número de casos prováveis de dengue na Bahia registrou um crescimento de 460,6% nos primeiros cinco meses deste ano na comparação com o mesmo período de 2018, conforme dados da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

Ao Bahia Notícias, a pasta informou que entre 30 de dezembro de 2018 e 1º de junho de 2019 foram notificados 33.487 casos prováveis da doença transmitida pelo Aedes aegypti no estado.

Enquanto no mesmo período de 2018, este número foi de 5.973 casos prováveis. A Sesab informou ainda que o agravo do número de casos foi registrado por 327 cidades baianas. Os próprios municípios encaminharam à Sesab notificações informando o aumento no número.

Em relação aos casos de morte em decorrência da dengue na Bahia neste ano, o número chegou a 14, sendo sete em Feira de Santana, um em Candeias, um em Rafael Jambeiro, dois em Salvador, um em Saubara, um em Jacobina e um em Paripiranga.

Todos esses casos foram confirmados por critério laboratorial, segundo a Sesab, que ainda informou que existem 11 outros óbitos registrados/ notificados sob investigação. As notificações não especificam se o caso de dengue evoluiu para o tipo hemorrágica, mais grave. Em cenário nacional o número também cresceu.

O total de mortes decorrentes da dengue em todo o Brasil neste ano é quase três vezes maior do no mesmo período de 2018, conforme o boletim mais recente do Ministério da Saúde, do dia 5 de junho.

O documento informa que as mortes por dengue confirmadas até 27 de maio eram 295. No mesmo momento do ano passado, o país havia registrado 99 mortes pela doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.

O que muda na aposentadoria por invalidez

Especial para o Diário Arthur Pazin

Se a reforma da Previdência for aprovada como está, só terá direito a 100% da média salarial aqueles trabalhadores cuja invalidez tenha alguma relação com a atividade profissional.

A reforma da Previdência Social deve impactar aqueles que se aposentam por invalidez, isto é, quem passa a receber o benefício do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) por não ter mais condições de voltar ao mercado de trabalho. Na prática, se a reforma for aprovada como está, as pessoas que se aposentarão por invalidez poderão receber menos, caso a deficiência não esteja diretamente ligada ao trabalho que exercia. Nada muda para quem já recebe o benefício.

Atualmente, o INSS concede aos segurados 100% da média salarial de 80% das maiores contribuições vertidas à autarquia. Com a mudança, a metodologia de cálculo será alterada, ficando como regra 60% da média de todas contribuições vertidas ao INSS, o que teoricamente reduz o salário de benefício. Porém, depois de 20 anos trabalhados, a cada novo ano de trabalho serão adicionados 2% à base de cálculo, como explica o especialista em direito do trabalho, Daniel Vicente Rodrigues. “Por exemplo, para uma pessoa que trabalhou durante 22 anos e preencheu os requisitos para a aposentadoria desta categoria, a conta será feita com 64% da média de todas as contribuições vertidas por ele durante este período”, disse. Continue lendo O que muda na aposentadoria por invalidez

Ministério encomenda 1,2 mil doses de vacina contra difteria

Foto: Reprodução/Tribuna da Bahia

O Ministério da Saúde teve de encomendar emergencialmente 1,2 mil doses de vacina para tratamento contra difteria de um laboratório internacional, por causa de problemas na produção do insumo pelo Instituto Butantã, único fabricante nacional.

A baixa nos estoques do soro vem no momento em que a Venezuela vive um surto da doença e o Brasil registra, nos últimos três anos, sucessivas quedas nos índices de cobertura vacinal. Desde o fim da década de 1990, a doença bacteriana que afeta principalmente amígdalas, faringe, laringe e nariz, podendo causar dificuldade de respirar, não exigiu alerta.

Nos últimos cinco anos, por exemplo, foram apenas 32 casos no País. De acordo com o Tribuna da Bahia, a ameaça voltou em 2016, quando a crise na Venezuela se intensificou e fez doenças controladas reaparecerem. Depois disso, o país vizinho já registrou 1.688 casos e 284 mortes pela doença.

Ao mesmo tempo, no Brasil, o índice de cobertura da vacina DTP, que protege contra difteria, tétano e coqueluche, caiu de 95% para 80%. Só com 12 frascos no estoque, o Ministério da Saúde iniciou o processo de compra das 1,2 mil ampolas por meio de uma parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), que intermediou a compra com o fabricante internacional. Mas as ampolas só devem chegar ao País no segundo semestre.

Os brasileiros são os mais ansiosos do mundo, diz OMS

Foto: Yuichiro Chino/Getty Images

O Brasil é o país com o maior número de pessoas ansiosas do mundo: 18,6 milhões de brasileiros – ou seja, 9,3% da população – convivem com o transtorno, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O relatório, publicado em março, indica que a ansiedade é a segunda condição mental, depois da depressão, com maior incidência de incapacidade na maioria dos países analisados.

A entidade ainda revelou que o Brasil também ocupa o topo do ranking quando o assunto é o tempo de convivência com a incapacidade provocada por transtornos psicológicos. Aliás, essa não é a primeira vez que ocupamos a primeira posição: no relatório de 2017, o Brasil já tinha recebido o título de “país mais ansioso do mundo”.

De acordo com a Veja, o novo estudo, que avaliou as consequências dos transtornos mentais nas Américas, revelou ainda que não é apenas o brasileiro que sofre com os transtornos de ansiedade. O Paraguai, por exemplo, foi eleito recentemente um dos países com maior índice de felicidade do mundo; no entanto, ele ocupa o segundo lugar na lista de países mais ansiosos da OMS, seguido por Chile, Argentina e Colômbia.

Entre todos os países das Américas, Canadá e México são as nações que apresentam os menores índices de ansiedade. De acordo com a OMS, fazem parte do espectro dos transtornos de ansiedade, as fobias, o transtorno obsessivo compulsivo (TOC) e os ataques de pânico. Todas essas condições podem ser tratadas através de terapia e/ou medicação. Apesar disso, ainda existe um tabu em relação ao tratamento, especialmente quanto ao uso de remédios.

OMS alerta sobre aumento de DST na era dos aplicativos de paquera

 

Foto: Thinkstock/Veja

Clamídia, gonorreia, sífilis e tricomoníase. Essas são as doenças sexualmente transmissíveis mais comuns, afetando uma em cada 25 pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A entidade destacou que surgem mais de um milhão de novos casos diariamente.

Por ano, este número chega a 376 milhões. A faixa etária mais afetada por esse tipo de infecção está entre 15 e 49 anos. A OMS ainda alertou que um único indivíduo pode estar infectado por mais de uma DST ao mesmo tempo ou contrair várias ao longo do ano.

De acordo com a OMS, o motivo para números tão altos é a negligência no uso da camisinha, que deveria ser utilizada em todas as relações sexuais, especialmente com parceiros encontrados através de aplicativos de namoro ou em bares e baladas.

A falta do preservativo acontece porque o progresso da medicina na questão de tratamentos de infecções graves, como HIV, levam às pessoas a pensarem que, se não estão em risco de vida, não há necessidade de prevenção. No entanto, essas DSTs podem trazer inúmeras consequências para a saúdem como infertilidade, natimortos, gravidez ectópica e aumento do risco de HIV.

Segundo a Veja, além disso, os microrganismos que provocam estas doenças estão cada vez mais resistentes aos tratamentos. No ano passado, por exemplo, foram registrados alguns casos de ‘super gonorreia’ no Reino Unido e na Austrália.

“Com um aumento dos casos, podemos esperar que formas da gonorreia resistentes à medicação se tornem mais comuns em todo o mundo”, afirmou Tim Jinks, da Wellcome, uma organização de caridade no Reino Unido, à CNN.

Por causa disso, especialistas ressaltam a importância de promover a educação sexual e o uso de preservativos, melhorar a vigilância de DSTs e desenvolver formas de diagnóstico e tratamento mais eficazes.

APAE de Condeúba completou 5 anos de fundação dia 6/6

A Diretoria – APAE

Apae Condeúba

A APAE de Condeúba está em festa! 🌼🎉 Cinco anos de existência fazendo a diferença na História de vida de muitas famílias e também na História de Condeúba. Um Sonho realizado no dia 06 de Junho de 2014. Após muita luta e busca constante o então gestor da época: José Augusto Ribeiro, juntamente com os companheiros Ângela e José de Fernando deram início a esse maravilhoso sonho.

Hoje mais de trinta famílias são atendidas pela APAE CENTRO DE CONVIVÊNCIA/CONDEÚBA. A associação conta com treze funcionárias sendo que duas dessas são mantidas por doações e 11 com o apoio da Prefeitura Municipal a qual somos gratas pelo apoio a nós prestado.

A Paróquia de Condeúba muito tem ajudado para que a APAE Continue a existir, pela Paróquia nos é cedido o espaço para que a associação possa funcionar. Muitos outros colaboradores vem contribuindo e buscando de diversas formas ajudar a APAE como por exemplo:

Ações solidárias,alimentos, produtos de limpeza,seja com o valor de sócio contribuinte, qualquer pessoa pode se tornar um sócio contribuinte basta procurar a associação nos horários de funcionamento e fazer a parceria enfim qualquer donativo é sempre bem vindo. A luta é grande, mas a causa é nobre. Os APAEANOS convocam a todos a abraçarem esta causa para que o sonho de tantas famílias permaneça vivo!

Em especial a APAE agradece a ASCAC – Associação Solidária dos Cabeleireiros e Apoiadores de Condeúba, pelo brilhante projeto desenvolvido em nossa cidade o evento realizado foi em prol da nossa Associação…

Gratidão é a palavra que nos resume nesse momento
Somos gratas a Deus por inúmeras vitórias alcançadas, somos gratas a Deus pela iniciativa da ASCAC, somos gratas a Deus por cada pessoa que de forma direta e indireta nos ajuda a prosseguir de cabeça erguida.

Sejamos todos eternos APAExonados!

Doença transmitida por gato preocupa médicos de Pernambuco

Uma doença está preocupando os médicos e veterinários do estado de Pernambuco. Trata-se da esporiotricose, que é normalmente transmitida por gato. A doença causa lesões na pele e, em muitos casos, é registrada no paciente a presença de febre, dor e secreções nas lesões.

Somente no dia de ontem, cinco pessoas procuraram atendimento no Hospital Oswaldo Cruz, em Santo Amaro, Área Central do Recife. De acordo com os infectologistas, os sintomas iniciam com o surgimento de nódulos na pele, que se transformam em feridas. O tratamento pode durar de três a seis meses.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado, um grupo está sendo formado para estudar a doença. Segundo dados da secretaria, nos anos de 2017 e 2018, mais de 140 casos de esporotricose em humanos foram registrados em Pernambuco.

Fonte: TV Jornal