Arquivos da categoria: Política

Condeúba: Realizada a 31ª Sessão Ordinária da Câmara, hoje foi só “vapt” 15 minutos de duração

Por Oclides da Silveira

Momento inicial com entoação do Hino Nacional

Realizado nesta quinta-feira dia 25 de outubro de 2018, a  31ª Sessão Ordinária Câmara, hoje só deu tempo falar “Vapt”, quando voltamos pra falar “Vupt” já tinha acabado a Sessão. Brincadeira a parte, mas na realidade a duração dessa Sessão deve ter sido recorde absoluto, pois, durou apenas e tão somente 15 longos minutos.

PEQUENO EXPEDIENTE:                                                                                                                                    Leitura da Ata da Sessão anterior,  Leitura do Oficio Circular nº 001/2018 e leitura do Projeto de Lei nº 020/2018 de autoria do vereador Arlindo Cruz indicando o nome do Barão José Egídio de Moura e Albuquerque para o Cemitério Municipal. O Barão José Egídio foi o primeiro Intendente de Condeúba de 14 de abril de 1890 a 14 de dezembro de 1892, foi portanto no seu mandato que deu-se início na construção desse Cemitério, que só foi concretizada a obra em 1902, onze anos depois. Continue lendo Condeúba: Realizada a 31ª Sessão Ordinária da Câmara, hoje foi só “vapt” 15 minutos de duração

Eleições 2018: TRE autoriza Marcelle Moraes a deixar o PV

O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE) acatou, na manhã desta segunda-feira (22), o pedido da vereadora Marcelle Moraes para deixar o Partido Verde (PV) sob o argumento de “perseguição política”. Em entrevista ao BNews, Marcelle afirmou que um dos motivos do conflito foi o fato de ela ser mulher.

“Sempre sofri, mas quando Marcell saiu tornou-se pior. Principalmente, por eu ser mulher e por Ivanilson [Gomes, presidente do PV na Bahia]. Ele nunca se mostrou contrário à minha saída. O MP, inclusive, foi muito solícito”, disse.

A vereadora declarou que pretende encontrar um partido que “abrace a causa animal”, mas garantiu que ainda não conversou com nenhuma legenda. “Quero encontrar um partido que abrace as minhas causas. Que seja um partido leve, que abrace a causa animal em nossa sociedade”, acrescentou.

MDB foi rebaixado para ‘segundo time’, diz ministro de Temer

Foto: Lúcio Bernardo Jr./Câmara dos Deputados

Acostumado a ser o partido do poder, que se adapta a qualquer governo, o MDB do presidente Michel Temer já está se preparando para ficar fora do Palácio do Planalto. “O MDB agora está no segundo time”, disse o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, após lembrar o fiasco da legenda nas urnas, no primeiro turno das eleições.

No quarto andar do Planalto, Marun carrega diariamente um calhamaço de quase duas mil páginas, chamado por ele de “bíblia política”, sob o título “Ações já executadas e as que serão executadas até o final de 2018”.

O documento está à espera da equipe de transição do presidente eleito, seja ele Jair Bolsonaro (PSL) ou Fernando Haddad (PT).”Tenho certeza de que o Brasil vai ter saudade do governo Temer”, afirma Marun, que classifica o indiciamento do presidente pela Polícia Federal, no inquérito dos Portos, como “festival de ilações”.

Na avaliação do ministro, ao entrar para a segunda divisão, o MDB não será mais protagonista da cena política e, em 2019, ficando ao lado dos “balzaquianos”, partidos que têm cerca de 30 parlamentares, “uns mais, outros menos”. Há quatro anos, o MDB elegeu 65 deputados federais.

Agora, porém, a bancada caiu quase pela metade e, no rastro da alta impopularidade de Temer, ficou com 34. No Senado, o presidente do MDB e líder do governo, Romero Jucá (RR), não conseguiu nem mesmo renovar o mandato.

“Houve uma destruição da política. Quem sobreviveu? Quem tinha radicais ao seu lado, Lula e Bolsonaro. Quem não tinha foi levado pelo tsunami”, argumentou Marun, citando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso pela Lava Jato, e o candidato do PSL. O mapa das urnas indica que as maiores bancadas da Câmara serão as do PT e do PSL, mas grandes partidos ainda tentam atrair “nanicos” para ampliar suas fileiras.

Condeúba: Realizada a 30ª Sessão Ordinária da Câmara, hoje foi “vapt e vupt”

Por Oclides da Silveira

Momento em que os vereadores cantavam o Hino Nacional

Hoje quinta-feira dia 18 de outubro de 2018, foi realizada a 30ª Sessão Ordinária da Câmara, usando a expressão do professor Raimundo, hoje foi “vapt e vupt”.         PEQUENO EXPEDIENTE: Às 19:00 horas foi entoado o Hino Nacional, em seguida feito a oração do Pai Nosso. Depois feita a leitura da Ata da Sessão anterior e lido também o ofício nº 050/2018 do Presidente da Câmara encaminhado ao Chefe do Executivo.

GRANDE EXPEDIENTE e  ORDEM DO DIA: Passou em branco, nada a declarar.

Vereador Arlindo da Silva Cruz (Arlindo Guarda)

Arlindo Cruz do – PROS. Usando o tempo de liderança disse: “Quero parabenizar a Categoria dos ACS – Agentes Comunitários de Saúde e dos ACE – Agentes de Combate às Endemias pela derrubada do veto Presidencial. O piso e o reajuste da Categoria passará a vigorar a partir do ano que vem. Após o presidente da República, Michel Temer, sancionar a Medida Provisória 827/2018 com vetos aos trechos que tratavam do reajuste de 52,86% do piso salarial em três anos e o reajuste anual a partir de 2022, os parlamentares decidiram, em votação no Congresso Nacional nesta quarta-feira, 17 de outubro, pela derrubada dos vetos. Quero parabenizar também o Prefeito Silvan que está atendendo nossa reivindicação no sentido de ter iniciado a limpeza da calha do Rio Condeúba a partir do Distrito da Feirinha, a obra está em andamento”, disse Arlindo.

Vereador Maurílio Guilherme de Sousa

Maurílio Guilherme – PT. Usando o tempo de liderança disse: “Congratulo com vereador Arlindo, mas também quero deixar registrado que no dia do leilão eu a vereadora Conceição e o Presidente Silvano dos Santos fizemos essa mesma reivindicação ao Prefeito, dissemos a ele que chamasse os Prefeitos dos municípios de Cordeiros e Piripá para participar desse trabalho, pois, eles também são interessados. O prefeito Silvan nos afirmou que estaria iniciando esse trabalho imediatamente”, pontuou Maurílio.

Às 19:35 a pauta foi esgotada e não havendo nada mais a se tratar, o Presidente Silvano dos Santos agradeceu a presença dos munícipes e convidou a todos para prestigiar a final do campeonato Sub-20 no próximo domingo no Distrito da Mandassaia, onde será disputado entre as equipes do Mandassaia X Piripá, o jogo começará às 15:00 horas. Em seguida foi encerrado os trabalhos. Faltaram na Sessão de hoje os vereadores José Ribeiro Reis e Maria Neres de Sousa Brito (Nena).

Continue lendo Condeúba: Realizada a 30ª Sessão Ordinária da Câmara, hoje foi “vapt e vupt”

General eleito pede impeachment e prisão de ministros do STF

Foto: Divulgação, O general Eliézer Girão Monteiro Filho que foi eleito deputado federal

O general Eliéser Girão Monteiro Filho, deputado federal eleito pelo PSL no Rio Grande do Norte, defendeu o impeachment e a prisão de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) responsáveis pela libertação de políticos acusados de corrupção, como o ex-ministro José Dirceu, do PT, e os ex-governadores do Paraná Beto Richa e de Goiás Marconi Perillo, ambos do PSDB.

Segundo ele, “o impeachment de vários ministros” se insere em um “plano de moralização das instituições da República”. “Não tem negociação com quem se vendeu para o mecanismo”, escreveu Girão em sua conta no Twitter no último dia 11, em referência à série O Mecanismo, produzida pela Netflix, sobre a Lava Jato. “Destituição e prisão”, acrescentou.

Questionado pela reportagem sobre a declaração, o general disse que o “Senado tem de cumprir o papel dele”. O impeachment de ministros do Supremo deve ser votado pelo Senado e aprovado por dois terços da Casa. Ele é possível em caso de crime de responsabilidade, como proferir julgamento quando suspeito na causa ou exercer atividade político-partidária.

Parlamentares derrubam veto dos ACSs e ACEs negligenciando impacto financeiro municipal

Marcos Oliveira Agencia Senado

Sem previsão orçamentária e com um impacto previsto de mais de R$ 4,8 bilhão para os cofres municipais até 2021, o piso e o reajuste dos Agentes Comunitários de Saúde (ACSs) e de Combate às Endemias (ACEs) passarão a vigorar a partir do ano que vem. Após o presidente da República, Michel Temer, sancionar a Medida Provisória 827/2018 com vetos aos trechos que tratavam do reajuste de 52,86% do piso salarial em três anos e o reajuste anual a partir de 2022, os parlamentares decidiram, em votação no Congresso Nacional nesta quarta-feira, 17 de outubro, pela derrubada dos vetos.

A sessão começou às 11h e a discussão se estendeu em razão dos pronunciamentos, mas o veto, pautado como item 1, acabou derrubado por meio de voto secreto dos deputados e senadores. Após apreciação da matéria, seria necessário votar o destaque, mas o autor, deputado Tadeu Alencar (PSB-PE), retirou o pedido para encerrar a votação. “Queríamos apenas ratificar as razões pelos quais aprovamos a MP 827, por isso, o PSB retira o destaque”, justificou. Continue lendo Parlamentares derrubam veto dos ACSs e ACEs negligenciando impacto financeiro municipal

Num encontro com o Cardeal Dom Orani João Tempesta, Bolsonaro faz compromisso contra aborto e ‘em defesa da família’

O candidato a Presidência da República Jair Bolsonaro assinou documentos em defesa da família, da inocência da criança e contra o aborto, numa reunião com o Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro Dom Orani João Tempesta

Jair Bolsonaro, como acabamos de registrar, visitou o cardeal dom Orani Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro.

Em vídeo gravado após o encontro, o candidato do PSL disse que “assinou” com o bispo um compromisso “em defesa da família, em defesa da inocência da criança em sala de aula, em defesa da liberdade das religiões, contrário ao aborto, contrário à legalização das drogas”.

“Ou seja, um compromisso que está no coração de todo brasileiro de bem.”

O Antagonista antecipou aqui a “reação conservadora” na Igreja Católica após a reunião de Fernando Haddad na CNBB, na semana passada.

A patrulha

Por Ruy Medeiros

Chega-me aos olhos a troca de mensagem em que duas adultas tecem considerações sobre a atitude de um comerciante que, em seu automóvel, afixou propaganda eleitoral. Trata-se de comerciante filho de comerciante, com grau de parentesco com elas, que trabalha desde criança, é querido na cidade, e ele e irmãos sempre cultivaram o bom trato com as pessoas. De seu estabelecimento muitas famílias tiram a sobrevivência. >>>>>

As duas adultas referidas, identificam-se como eleitoras de um capitão candidato a Presidente e chegam à conclusão de que deveriam boicotar e incentivar o boicote ao estabelecimento da pessoa que colocou propaganda de outro candidato em seu carro.

É a patrulha que chega e, algumas vezes, patrulha para transformar-se em SA é “daqui pra ali”. Assim é que funciona. Não importa a vítima. Na Alemanha Nazista foram os judeus, os comunistas, os sociais democratas, depois os homossexuais, a seguir os ciganos e depois todos aqueles que não enjaularam declaradamente sua inteligência dentro dos objetivos do Führer. É necessário que a intolerância se expresse. É necessário um bode expiatório, uma transferência (no sentido freudiano mesmo), uma vazão da desrazão pela falta de meditação maior sobre o que significa o discurso oportunista do Capitão.

Já se indagaram sobre a falta de programa do Candidato? Já questionaram sobre a conveniência da liberação de armas, ou do uso da violência pelo Estado? Já se perguntaram se é justo discriminar pessoas por suas orientações sexuais ou pela sua situação e engajamento na sociedade? Qual é mesmo o programa do Capitão? Ele apenas indica o bode expiatório do momento e em outro momento poderá ser qualquer bode expiatório e, então, já não haverá o milagre de salvar os Isaacs. É a solução ali perto da esquina, fácil, ao alcance de todos: escolham um salvador para destruir o bode expiatório do momento, ou para deixá-lo visível a fim de ser derrotado.

Além de embarcar na onda da maré (que parece maré montante), sem espírito crítico, resolvem os partidários do capitão sugerir a patrulha.

Aqui, em Vitória da Conquista na década de 1940,após o Brasil declarar guerra à Alemanha, uma “patrulha” dirigiu-se à casa de dois alemães que aqui residiam, aqui mantinham respectivas esposas, aqui trabalhavam, conhecidos de todos, com amigos, e depredou as casas dos dois boches, que nenhum vínculo tinham mais com a Alemanha e seu führer. Depois, os patrulheiros não conseguiram mais olhar dentro dos olhos daqueles germânicos que, aqui continuaram, e onde um deles deixou filhos. Olhar nos olhos, ter a coragem de fazê-lo passado o vendaval, é prova da correção dos nossos atos.

É claro que as duas amigas adultas têm toda a liberdade de votar em quem desejar votar e engajar em campanha do seu candidato. Têm mesmo a liberdade de deixar de analisar friamente a situação para optar em quem votar. Mas será ética a intolerância em relação ao comerciante que têm a mesma liberdade?

Em 1964, o querido Professor Everardo Públio de Castro, do elenco dos bodes expiatórios de então, foi delatado por defender as chamadas Reformas de Base. Seu delator depois foi invadido por profunda crise moral. Seguindo a onda irracional de combate aos adversários da ditadura, delatou exatamente pessoa de quem antes era considerado amigo. A onda cegara-o.

Política contém paixão, mas não é apenas isso. E, mesmo assim, que tipo de paixão?

Lúcio descarta abandonar política após não conseguir reeleição para deputado

Votação do deputado federal caiu de 222.164, em 2014, para 55.743 em 2018
Matheus Morais

Foto: Izis Moacyr/ bahia.ba – Deputado Lucio Vieira Lima, porém não se reelegeu

Depois de não conseguir se reeleger, o deputado federal Lúcio Vieira Lima (MDB) descartou, em conversa com o bahia.ba, a possibilidade de deixar a política. Segundo o emedebista, o momento é de refletir e continuar trabalhando, mesmo sem mandato.

“Estou bem, não penso em deixar a política, mesmo porque eu sempre fiz política sem mandato, então vou continuar fazendo. Política não se faz só com mandato. Vou descansar e cuidar de minha fazenda, conversando com as pessoas, tocar minha vida”, ressaltou.

A votação de Lúcio Vieira Lima, que foi o deputado federal mais votado da Bahia em 2014, caiu de 222.164 para 55.743, o que não foi suficiente para garantir uma vaga na Câmara.