Arquivos da categoria: Economia

Barra da Estiva: Gerente do Banco do Brasil e família são mantidos reféns

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

Nesta segunda-feira (09), o gerente da agência do Banco do Brasil de Barra da Estiva e sua família foram vítimas de sequestro em uma tentativa de assalto à unidade. Após ação da Polícia Militar e Polícia Civil, os bandidos não obtiveram êxito e os reféns foram liberados ainda pela manhã.

O Sindicato dos Bancários de Vitória da Conquista e Região orientou os bancários do Bradesco e da Caixa do município que mantivessem as agências fechadas. Com este ataque, a Bahia já soma 23 ocorrências contra bancos. No próximo dia 20, representantes da categoria bancária estarão reunidos com o secretário de Segurança Pública da Bahia cobrando investimentos imediatos para a prevenção de assaltos e explosões.

Produção agrícola de Rosário se destaca no Oeste da Bahia

Além de suas praias exuberantes, paradoxalmente a Bahia é conhecida também pelas condições precárias de seu sertão, com regiões áridas, de economia precária e baixo índice de desenvolvimento humano. Mas, um trecho do Estado bem longe do mar, em seu extremo Oeste, logo após a Serra Geral, está revelando uma outra faceta do interior baiano.

A região faz divisa com os Estados de Goiás e Tocantins possui 23 municípios que tem se destacado na produção agrícola, segundo o último estudo Produção Agrícola Municipal publicado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2015. Seis cidades da região estão entre os maiores produtores agrícolas do País. A capacidade agrícola da região colocou a Bahia entre os sete maiores produ­tores, segundo o estudo.

Uma das cidades que está se destacando no Oeste da Bahia é Correntina, mais especificamente o distrito de Rosário, que fica a 200 quilômetros do município sede e onde tem se intensificado o cultivo de algodão, de milho, de café e, especialmente, de soja. Nos últimos 30 anos, a área pla­ntada de soja no só Distrito de Rosário cresceu mais de 10 vezes. De acordo com a Associação dos Produtores de Soja no Brasil (Aprosoja), o número passou de 30 mil hectares em 1980 para os atuais 371 mil hectares. Continue lendo Produção agrícola de Rosário se destaca no Oeste da Bahia

Estado da Bahia é o único vencedor nos leilões para exploração de energia eólica, realizados nessa quarta (4)

O Estado da Bahia foi o único vencedor da fonte eólica no Leilão de Energia Nova A-4 realizado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), nesta quarta-feira (04/04), que contratou quatro projetos com 114,4 MW de capacidade nova. Os empreendimentos são da francesa EDF e da Cada dos Ventos e estão localizados no município de Campo Formosa.

A maior vendedora foi a fonte solar, que viabilizou 29 usinas com 806,66 MW em nova capacidade. O Leilão, que resultou na contratação de 39 novos empreendimentos de geração, viabilizou a adição de pouco mais de 1 GW em capacidade instalada. Além das fontes eólica e solar, a fonte hídrica teve 4 novas usinas com 41,7 MW em capacidade instalada e biomassa adicionou duas novas usinas com 61,8 MW de capacidade.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner, afirma que o sucesso da Bahia no cenário nacional neste leilão confirma o trabalho que vem sendo realizado em parceria com o setor eólico, visando consolidar o Estado como o mais competitivo para esta fonte.

“Políticas de atração de investimento, regularização fundiária e o relacionamento com órgãos que concedem autorizações para estes empreendimentos são a chave do sucesso da Bahia. Neste momento, estamos nos empenhado para construir estratégias semelhantes para o setor fotovoltaico, que acreditamos ser também uma excelente alternativa para o nosso Estado”, afirma Wagner.

O preço médio de venda ficou em R$ 124,75 por MWh. Esse valor corresponde a um deságio médio de 59,07% do preço teto estimado. Os preços para as fontes eólica e solar foram os mais baixos registrados no país desde a entrada das fontes nos leilões, com R$ 67,60 e R$ 118,07. Vale ressaltar que o preço referência foi R$ 255,00 / MWh para eólica e R$ 312,00 / MWh para solar.

No total, 17 distribuidoras compraram energia. Dessas, as maiores compradoras foram a Coelba (BA) com 8,8 milhões de MWh, a Enel Distribuição Goiás com 5,8 milhões de MWh e a Elektro (SP/MS) com 5,7 milhões de MWh.

QUARESMA: Saiba como escolher o Bacalhau para a semana de Páscoa

Peixeiro dá dicas de como comprar o melhor tipo de bacalhau para servir na mesa
Sugestão do peixeiro é comprar o bacalhau dessalgado

Já virou tradição nos dias que antecedem o domingo de Páscoa: reunir a família, deliciar-se com ovos de chocolate e, claro, comer muito Bacalhau. O peixe se tornou um dos preferidos pelos brasileiros justamente por sua praticidade na cozinha e, principalmente, pelo seu sabor inigualável. Sua versatilidade de receitas também acaba sendo um dos grandes atrativos, já que permite inovar nos pratos e preparar um almoço com o pescado frito, assado, grelhado ou como complemento de recheios de lasanhas, risotos e escondidinhos.

Mas antes de soltar a criatividade na cozinha, é preciso saber como escolher bem o tipo de Bacalhau que irá servir na mesa. Por isso, a Mar & Rio Pescados convidou o peixeiro Noraldo Bispo dos Santos que trabalha há 8 anos na área, para dar algumas dicas no momento de comprar o peixe e aproveitar o final de semana da Páscoa com o gosto inconfundível do verdadeiro Bacalhau.

A principal recomendação no momento de comprar o peixe é observar sua aparência, coloração e textura. Ele não pode ter manchas escuras e nenhum tipo de rachaduras em sua carne. Outra dica importante é que o pescado não tenha partes fofas e nem umidade.

Mas o peixeiro da Mar & Rio garante que é só cuidar bem do bacalhau e pensar em uma boa receita. “O bacalhau não tem muito segredo, mas sim a qualidade do produto que se escolhe. O único cuidado que se deve com quem compra aqui na loja é só em como prepará-lo”, diz ele.

Por oferecer diversas maneiras de preparo, àqueles que pretendem se aventurar nas receitas com o peixe podem pensar nele ao forno, grelhado, na churrasqueira e até frito. “Pode colocar alcaparras e azeite por cima para ficar mais suculento, mas em casa, eu costumo fazer bem temperado ao forno com camarão rosa”, conta. Lembrando que antes disso tudo, vem o descongelamento. Para isso, o conselho do peixeiro é deixá-lo descongelar naturalmente.

Sobre qual tipo de peixe comprar, a sugestão de Noraldo é o bacalhau dessalgado, que facilita muito o planejamento do prato. “A aceitação do bacalhau dessalgado tem sido muito boa, pois dá para descongelar mais rápido e temperar a gosto para o jantar, além de ser mais leve e dar para consumir mais.”

Atendendo aos clientes todos os dias, ele acabou criando laços de amizade com muitas pessoas, que o procuram na loja para pedir recomendações. “Eu converso com o cliente, ensino receitas passo a passo e dou dicas se o peixe tem um sabor mais leve ou mais forte, como temperar e as melhores combinações. O nosso intuito é vender um produto que satisfaça o cliente.”

Justiça condena banco do Brasil de Brumado após cliente demorar 4h para efetuar depósito

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

O juiz Rodrigo Souza Britto condenou o Banco do Brasil de Brumado a pagar uma ação de indenização, no valor de R$ 2 mil, a um cliente que demorou cerca de 4 horas para efetuar um depósito na agência.

Segundo apurou o site Achei Sudoeste, o Poder Judiciário acatou o pedido feito pelo advogado Paulo Henrique Amorim, que requereu uma indenização por danos morais. A nossa reportagem ainda apurou que as agências bancárias têm diversas ações na justiça por descumprimento no atendimento em dias normais que devem ocorrer em até 15 minutos e, em dias de pagamento e véspera de feriado, em até 30 minutos.

Condeúba: Inaugurada mais uma loja da Rede 7 – Supermercado Silveira

Por Oclides da Silveira

Supermercado Silveira – associado à Rede 7

Está sendo inaugurada mais uma loja da Rede 7 – Supermercado Silveira, diga-se de passagem que a unidade está muito bem montada, e também demonstra ser muito boa a estrutura da rede, nos deixa parecer que Condeúba ganha mais uma boa opção de compra na área de supermercado.

Estivemos conversando com um dos proprietários Sr. Vanderlan Silveira e o gerente Administrativo Francisco Pacheco, ambos nos afirmaram que estão vindo para somar no desenvolvimento do município, que Condeúba pode contar com a parceria do Supermercado Silveira, que atuará somente no varejo e não no atacado com havia circulado boatos.

Perguntamos ao Gerente Administrativo Pacheco, qual a primeira iniciativa do grupo em Condeúba para incentivar esse projeto de desenvolvimento da economia local,  com perspectiva e objetivo futuro. Veja o vídeo abaixo:

Fotos: Portallicínio

Para limpar o nome, 36% dos inadimplentes recorrem a acordo com credor, aponta pesquisa

Fonte: CNDL/CDL (Conteúdo)

Telefone é o meio mais comum para tentativa de acordo, mas em 29% dos casos, dívida foi renegociada com auxílio de alguma plataforma online; em um ano, valor médio total das pendências do brasileiro caiu de R$ 2.900 para R$ 1.500

Uma pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em todas as capitais com consumidores inadimplentes ou que estiveram nessa situação nos últimos 12 meses revela que a principal estratégia usada pelos entrevistados para regularizar as contas em atraso é o acordo com o credor, opção escolhida por 36% da amostra. O segundo recurso mais utilizado é a economia de gastos ou cortes no orçamento (24%), seguida da geração de renda extra (18%) e do uso do 13º salário (11%). Outros 8% optaram por contrair um empréstimo consignado.

No geral, a pesquisa aponta que 72% dos entrevistados tentaram renegociar as dívidas após terem o CPF negativado, sendo que 45% tiveram a iniciativa de propor um acordo direto ao credor e 27% foram procurados pela empresa, que ofereceu novas condições para acertarem as contas. Outros 24% não arriscaram uma tentativa de acordo, seja por falta de tempo (15%) ou por não saberem como fazer (8%), apesar de estarem dispostos a participar de uma negociação dos débitos.

“O melhor caminho para colocar as finanças em ordem é se planejar, negociar e procurar prazos e condições de pagamento realistas que caibam no orçamento. Fugir ou se esconder do credor não fará com que a dívida desapareça. A negativação impõe uma série de dificuldades aos consumidores, que podem ficar impedidos de abrir conta em banco, fazer compras parceladas, alugar imóveis e tomar empréstimos”, esclarece a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

32% decidem pagar dívida com medo dela sair do controle e 73% sentiram consequências do ‘nome sujo’

De acordo com a pesquisa, apenas 10% dos entrevistados não fizeram adequações no orçamento para conseguir limpar o nome. Entre os principais cortes estão as atividades de lazer (40%), compras de roupas e calçados (39%), alimentação fora de casa ou saídas para bares (33%) e serviços de beleza (29%). Continue lendo Para limpar o nome, 36% dos inadimplentes recorrem a acordo com credor, aponta pesquisa

Contrabando dá prejuízo de R$ 350 bilhões ao Brasil


Foto: Reprodução/TV Globo

Nos últimos três anos, o contrabando causou prejuízos de quase R$ 350 bilhões ao país. Em Mato Grosso do Sul, a entrada desses produtos é pelas cidades que fazem fronteira com a Bolívia e o Paraguai. Os quatro galpões da Receita Feral em Mato Grosso do Sul estão lotados. No local tem eletrônicos, cosméticos, pneus. De 2015 a 2017, o prejuízo do país com o contrabando e o descaminho foi estimado em R$ 345 bilhões, o que equivale a 25 anos de arrecadação de Mato Grosso do Sul. “O contrabando afeta diretamente a vida do trabalhador. E o contrabando espalha produtos sem a menor qualidade”, diz o presidente do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras, Luciano Barros.

O galpão mais lotado da Receita em Mato Grosso do Sul é o de Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai. Ali tem, pelo menos, R$ 300 milhões em mercadorias apreendidas. Uma chama a atenção. É um carro. Ele foi pego agora, no começo do ano. Para importar legalmente o dono teria que gastar, mais ou menos, R$ 1 milhão. No Paraguai custa cerca de metade disso. Mas como os procedimentos não foram feitos ele agora está no galpão, empoeirando até que a justiça decida o que fazer com ele.

De acordo com o Jornal Nacional, o maior volume de contrabando continua sendo o de cigarros. Só este ano a Polícia Rodoviária Federal em Mato Grosso do Sul flagrou três quadrilhas de contrabandistas que tinham sido presas pouco tempo antes. Em um dos caminhões foi encontrado um documento. É uma nota de culpa, um registro da prisão do motorista em 27 de janeiro. Ele voltou para o crime depois de ser solto em poucos dias.