Arquivos da categoria: Brasil

Brasilia: Está sendo realizada a 6ª “Marcha das Margaridas”-2019

Por Oclides da Silveira Jornalista MTPS nº 5910/BA.

Esta é a 6ª Marcha das Margaridas em Brasilia – 2019

Nesta quarta-feira dia 14 de agosto de 2019 em Brasilia, acontece o segundo dia da “Marcha das Margaridas”. Nossa sempre muito atuante representante dos trabalhadores e trabalhadoras rurais, Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Condeúba Eliane dos Santos, está presente nessa 6ª manifestação das mulheres, chamada de “Marcha das Margaridas”, assim como esteve participando de todas as marchas anteriores realizadas em Brasilia. O movimento iniciou-se ontem dia 13 e termina hoje 14/8.

Na Marcha das Margaridas deste ano se reúnem mais de 100 mil mulheres, que são trabalhadoras rurais e indígenas vindas de todo o Brasil, além de alguns países da America Latina. Este movimento fortíssimo das mulheres da zona rual e indígenas, sempre acontece nesse mesmo período do ano, para reivindicações de direitos e prevenção dos já adquiridos.

Com esse volume de mulheres desfilando suas necessidade diante do Governo Federal nas Esplanadas dos Ministérios, sempre a tendencia é a facilitação de investimentos junto a agricultura familiar. O movimento sempre tem acontecido de forma ordeira e pacífica com destino único, pressionar o Governo para investir mais na agricultura familiar, que faça um Brasil melhor, com soberania popular, democracia, justiça e livre de violência. São essas algumas palavras de ordem do movimento das mulheres trabalhadoras rurais e indígenas.

Agenda de hoje dia 14/8.
04h: Delegações começam a organizar as bagagens nos ônibus.
05h: Café da manhã
06h: Concentração da Marcha das Margaridas
– Local pista em frente ao pavilhão do Parque da Cidade.
7h: Saída da Marcha em direção a Esplanada dos Ministérios.
9h: Encontro das Marchas das Margaridas e das Mulheres Indígenas.
11h: Ato em frente ao Congresso Nacional. Continue lendo Brasilia: Está sendo realizada a 6ª “Marcha das Margaridas”-2019

Prazo para entrega da declaração de propriedade rural começou nesta segunda dia 12/8

Os proprietários rurais de todo o país já podem enviar a Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR) de 2019. O prazo de entrega começou nesta segunda-feira (12), e segue até o dia 30 de setembro.

Devem apresentar a declaração pessoas físicas e jurídicas proprietárias, titulares do domínio útil ou que detenham qualquer título do imóvel rural. Apenas os contribuintes imunes ou isentos estão dispensados de entregar o documento. O produtor que perdeu ou transferiu a posse ou o direito de propriedade da terra desde 1º de janeiro também está obrigado a apresentar a declaração.

A Receita Federal espera receber 5,7 milhões de declarações este ano, cerca de 38 mil a mais que as 5.661.803 enviadas em 2018. A declaração só pode ser preenchida por meio do programa gerador da declaração, que pode ser baixado na página do órgão na internet a partir desta segunda-feira.

Lembrando que a DITR deve ser preenchida no computador, por meio do programa gerador. O documento pode ser transmitido pela internet ou entregue em mídia removível (como CD ou pendrive) em qualquer unidade da Receita Federal. Quem perder o prazo pagará multa de 1% ao mês sobre o imposto devido, com valor mínimo de R$ 50. O contribuinte que identificar erros nas informações pode enviar uma declaração retificadora, antes de o Fisco iniciar o lançamento de ofício, sem interromper o pagamento do imposto apurado na declaração original.

O Imposto sobre Propriedade Territorial Rural pode ser pago em até quatro parcelas mensais, mas nenhuma quota pode ser inferior a R$ 50. O imposto inferior a R$ 100 deve ser pago à vista até 30 de setembro, último dia de entrega da declaração. O pagamento pode ser feito por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) em qualquer banco ou por transferência eletrônica de instituições financeiras autorizadas pela Receita.

SUS incorpora novo medicamento contra insuficiência cardíaca

Foto: iStock/Getty Images

O Ministério da Saúde decidiu incorporar um novo medicamento contra insuficiência cardíaca ao Sistema Único de Saúde (SUS): o Entresto (sacubitril/valsartana). A incorporação aconteceu em menos de dois anos após seu lançamento, tempo considerado recorde para os padrões brasileiros.

A portaria foi publicada nesta sexta-feira no Diário Oficial da União. O medicamento é indicado para pacientes adultos cujos sintomas são desencadeados por atividades cotidianas, mas que ocorrem também quando estão em repouso. De acordo com o estudo PARADIGM, a terapia reduziu o risco de morte por causas cardiovasculares em 20% e a taxa de hospitalizações em 21% em relação ao enalapril, tratamento anterior.

De acordo com a Veja, a pesquisa, realizada com 8.442 pacientes, mostrou ainda que o Entresto reduziu em 16% o risco de morte por todas as causas e em 20% a probabilidade de morte súbita, uma das principais causas de morte por insuficiência cardíaca (IC).

Os resultados também evidenciaram melhora na qualidade de vida tanto de pacientes que apresentam poucos ou muitos sintomas como daqueles que sofreram hospitalizações recentes.

A consulta pública para a incorporação do produto ao SUS foi aberta em dezembro de 2018 e contou com a sensibilização de agentes externos. Foram mais de 2.000 contribuições de médicos, pacientes, familiares, associações de pacientes e toda a sociedade civil.

2,3 milhões de brasileiros têm sinal de dependência alcoólica, diz Fiocruz

Foto: Reprodução

Uma pesquisa da Fiocruz traça um retrato do uso de drogas, lícitas e ilícitas, no Brasil. O estudo ouviu mais de 17 mil pessoas em mais de trezentos municípios. O levantamento revela que 46 milhões de brasileiros de 12 a 65 anos beberam pelo menos uma dose de álcool nos 30 dias anteriores a pesquisa e quase 5 milhões usaram alguma droga ilícita 12 meses antes do questionário.

A divulgação dessa pesquisa chegou a ser proibida em maio pelo Governo Federal. O Ministério da Cidadania discordou dos resultados alegando que não houve comparação com pesquisas anteriores. A Fiocruz disse que todos os critérios do edital foram atendidos.

De acordo com o G1, agora, o Governo Federal e a Fiocruz chegaram a um acordo mediado pela Advocacia-geral da União. E a publicação foi autorizada na página da fundação na internet, sem o símbolo do Ministério da Justiça, que contratou a pesquisa. O levantamento foi concluído em 2015.

Há muito tempo não se fazia um levantamento sobre uso de drogas no Brasil. A última pesquisa foi em 2005. E foi feita em pouco mais de 100 municípios brasileiros. Esse é o primeiro levantamento com abrangência nacional.

Número de consumidores que recorreram ao crédito em junho cresce 3% na comparação com mês anterior

da Secom/CDL/ com informações da CNDL (Conteúdo)

Para 41% dos consumidores juros estão mais altos e 43% usaram cartão crédito em junho. Um terço dos brasileiros está no vermelho

Imagem divulgação

No último mês de junho, o número de consumidores que recorreram ao crédito cresceu 3% na comparação com maio passado. Esse avanço reflete os indícios de retomada do ambiente econômico no país. Dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelam que o Indicador de Uso de Crédito atingiu 32,1 pontos — o maior índice desde o início da série, em 2017, quando foi registrado 27,9 pontos. Pela metodologia, o indicador varia de zero a 100, sendo que quanto mais próximo de 100, maior o uso das modalidades; quanto mais distante, menor o uso.

Para o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, ainda há um bom espaço para o crédito avançar. “Se confirmada a recuperação da economia, o crédito entrará em um novo momento com o cadastro positivo, que deve impactar o consumo das famílias em breve“, explica Pellizzaro Júnior. Continue lendo Número de consumidores que recorreram ao crédito em junho cresce 3% na comparação com mês anterior

Sete em cada dez brasileiros tiveram de fazer cortes no orçamento no primeiro semestre

Secom da CDL/CNDL (Conteúdo)

Para metade dos entrevistados, desempenho da economia no período foi pior do que o esperado. Ainda assim, 60% conseguiram manter pagamento das contas em dia. Maioria acha que terá dificuldades de realizar algum projeto planejado para 2019

Embora quase metade dos brasileiros (44%) tenha começado o ano de 2019 com expectativas positivas em relação à economia do país para o primeiro semestre, o desenrolar dos fatos só manteve o otimismo de 13%, que avaliaram o período como acima do esperado. Enquanto isso, 49% consideraram o desempenho pior quanto à perspectiva inicial.

A sensação de decepção pode ter origem no impacto gerado pela situação macroeconômica do país nas finanças pessoais do brasileiro. Segundo levantamento realizado nas 27 capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), três em cada dez consumidores (30%) sentiram uma piora em sua situação financeira no primeiro semestre do ano – em grande parte motivados pela alta dos preços (54%) e pela diminuição da renda familiar (38%).

Isso explica por que sete em cada dez consumidores (69%) tiveram de realizar cortes no orçamento no primeiro semestre de 2019, enquanto 53% acabaram recorrendo a bicos e trabalhos adicionais para complementar a renda. Outras situações comuns vivenciadas foram o desemprego (do próprio ou de alguém da família), com 46% de citações, passar vários meses no vermelho (45%) e ter o CPF negativado por não pagar alguma conta (34%). Há ainda 33% que recorreram a um empréstimo para organizar o orçamento e 27% que chegaram ao ponto de ter que vender bens para conseguir dinheiro. Continue lendo Sete em cada dez brasileiros tiveram de fazer cortes no orçamento no primeiro semestre

Comissão Mista aprova LDO para 2020 com mínimo de R$ 1.040

Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

A Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional aprovou nesta quinta-feira, 8, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2020. O texto contém o aumento do salário mínimo dos atuais 998 reais para 1.040 reais no próximo ano, com a correção do valor apenas pela inflação de 4,2% prevista pelo governo.

O texto segue agora para o plenário do Congresso, onde deverá ser votado em sessão conjunta por deputados e senadores. A LDO é o texto base para que o governo elabore a proposta orçamentária do próximo ano. Caso o salário mínimo seja aprovado, será a primeira vez que o valor ultrapassará o patamar dos 1.000 reais.

Do outro lado, ele não representa ganhos reais com relação ao valor de 998 reais neste ano. Ou seja, apenas foi reajustado pela inflação. Até janeiro deste ano, vigorava regra que leva em conta o resultado do Produto interno bruto (PIB), que é a soma dos bens e dos serviços produzidos no país, de dois anos antes mais a inflação do ano anterior, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Essa medida permitia que, nos momentos de crescimento da economia, o ganho do salário mínimo superasse a inflação, ajudando a reduzir as desigualdades e estimulando o consumo das famílias. Quando tinha recessão, como em 2015 e 2016, não houve aumento real. O ministro da Economia, Paulo Guedes, já disse que um novo ganho real só deve ocorrer caso as reformas propostas pelo governo sejam aprovadas que, na visão dele, devem regularizar as contas públicas.

O texto aprovado na Comissão Mista de Orçamento também definiu meta fiscal de déficit de até 124,1 bilhões de reais em 2020. Nesse ano, o valor foi de 139 bilhões de reais. Caso o governo não cumpra a meta fiscal, pode ser enquadrado em crime de responsabilidade.

Sarampo: Crianças devem tomar vacina antes de viajar para locais de surto

Foto: Veja/Thinkstock

Nesta terça-feira (06), o Ministério da Saúde publicou um alerta para que pais, mães e responsáveis que vão viajar com filhos de seis meses a menores de um ano de idade para municípios em situação de surto de sarampo no país, vacinem as crianças.

A recomendação é que todas essas crianças nesta faixa etária sejam imunizadas no mínimo 15 dias antes da data prevista para a viagem. Atualmente, 39 cidades em três estados brasileiros se mantém com surto ativo, ou seja, com crescimento do número de casos confirmados da doença.

São eles: São Paulo, Pará e Rio de Janeiro. Além de proteger, a medida de segurança pretende interromper a cadeia de transmissão do vírus do sarampo no país.

Alzheimer: Exame de sangue pode detectar a doença 20 anos antes

Foto: Getty Images/Veja

Cientistas americanos desenvolveram um exame de sangue que pode detectar o Alzheimer até vinte anos antes de a doença manifestar sintomas graves, como a perda de memória. Segundo os pesquisadores, a precisão dos resultados do teste na identificação de alterações cerebrais chega a 94%.

A novidade — que ainda deve levar alguns anos para ser disponibilizada no mercado — pode significar avaliações mais rápidas e baratas para prever o risco de desenvolver a demência.

Atualmente, os únicos métodos de verificação da doença são o PET-Scan, um tipo de tomografia computadorizada extremamente cara (entre 3.500 e 4.000 reais), e a coleta de líquido cefalorraquidiano, que é um procedimento invasivo, uma vez que retira fluido da medula espinhal. Por causa disso, muitas pessoas deixam de fazer os testes de detecção precoce do Alzheimer.

O novo exame, no entanto, poderia mudar essa realidade. De acordo com a equipe, o exame de sangue é capaz de indicar o acúmulo da proteína beta-amiloide no cérebro — um dos principais indicativos da doença —, além de ponderar outros dois fatores de riscos: a idade (quanto mais velha a pessoa é, maiores são os riscos de desenvolver Alzheimer) e a presença do gene apolipoproteína E (apoE4) — um fator genético que indica quão suscetível ao problema o indivíduo é.

Os resultados foram publicados na revista Neurology e apresentados na Conferência da Associação Internacional de Alzheimer, que aconteceu no mês passado.