Arquivos diários: 19 de novembro de 2018

Lagoa Real: Após oito horas, corpo de vereador encontrado morto é removido para perícia

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

O corpo do vereador Valney Richard Souza (MDB), de 44 anos, que morreu na manhã desta segunda-feira (19), na cidade de Lagoa Real, a 82 km, foi removido por volta de 16h. Segundo apurou o site Achei Sudoeste, os peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Guanambi chegaram ao local por volta de 14h, o que atrasará o velório e o enterro do meedebista.

O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) para ser necropsiado. Em seguida, será encaminhado para uma funerária da cidade de Brumado para serem realizados os procedimentos de praxe para o velório. De acordo com o presidente da Câmara de Lagoa Real, Edilson Joaquim Aguiar (PSD), o velório será realizado no plenário do legislativo. O sepultamento acontecerá na manhã de terça-feira (20).

Chocante: Hóspedes racistas saem de piscina de hotel após menina negra entrar na água

HOMENAGEM A SEMANA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

Hóspedes racistas saem de piscina de hotel após menina negra entrar na água

O caso de racismo envolvendo uma criança de 4 anos, vítima de discriminação em um hotel de luxo em São Paulo, é o exemplo perfeito da forma de agir deste preconceito no Brasil.

Leia mais: Criança de três anos é estuprada em praça pública pelo tio! Veja
Ser negro neste país é conviver com o risco de ser ofendido por causa da cor de sua pele a qualquer momento. Não importa, seja em uma simples ida até o supermercado ou para entrar no prédio onde mora, invariavelmente olhares e cochichos emergirão.

Um relato publicado no Universa, mostra outra característica da discriminação. Algumas vezes o racismo sequer pede licença. O caso aconteceu em uma tarde do domingo ensolarada no Hotel Fasano, em Porto Feliz, cerca de 100 km da capital paulista. Ava, de 4 anos, estava acompanhada pelos pais, quando toda sorridente foi para a piscina querendo fazer amigos.

Logo de cara, foi rejeitada pelas crianças brancas. “Você não está vendo que eu estou aqui?”, indagou uma delas, mostrando que desde cedo o racismo faz parte do, digamos, plano educacional de muitas crianças caucasianas do país.

Luzinete da Silva Leandro, de 41 anos, é uma mulher negra, que trabalha como babá com a família. Calejada e possivelmente vítima de uma imensidão de preconceitos raciais, ela logo sacou o que se passava e pediu para a garota se afastar dos pequenos racistas.

Comprovando a tese que racismo vem de berço, as mães das crianças não repreenderam seus filhos, pelo contrário, insinuaram que Ava teria ‘micose’ ou algum outro tipo de ‘doença contagiosa’. Para completar, as madames se referiram a criança como ‘esse tipo de gente’. Continue lendo Chocante: Hóspedes racistas saem de piscina de hotel após menina negra entrar na água

Curitiba/PR: Carlão Maratonista, condeubense chegou em 2º lugar na maratona

Por Oclides da Silveira

Carlão Maratonista completando a prova em 2º lugar na sua categoria

Foi realizada neste domingo dia 18 de novembro de 2018, a maratona de Curitiba – 2018. Pela 25ª veze este ano Carlão subiu no pódio dos prêmios disputados. Carlão se transformou num verdadeiro recordista com tantos pódios conquistados este ano. Nesta Maratona de Curitiba 42 KM, Carlão ficou em segundo lugar na sua categoria 45 a 55 anos.

Não me canso de agradecer meus parceiros, comerciantes de Condeúba, Prefeitura e Secretaria Municipal de Cultura, Desporto e Lazer, Rádio Liberdade FM e Jornal Folha de Condeúba Continue lendo Curitiba/PR: Carlão Maratonista, condeubense chegou em 2º lugar na maratona

Comemorado nesta terça-feira, 19 de novembro, o Dia da Bandeira

Bandeira do Brasil – Foto: Portal Planalto

No dia 19 de novembro comemora-se o Dia da Bandeira do Brasil, essa comemoração passou a fazer parte da história do país após a Proclamação da República, no ano de 1889. Com o fim do período Imperial (1822-1889), a bandeira que representava o império foi substituída.

A substituição da bandeira imperial por uma bandeira republicana representa as mudanças que o Brasil passava naquele momento: mudanças na forma de governo e de governar, do regime imperial para uma república federativa. Além disso, a nova bandeira representava a simbologia que estava agregada ao regime republicano, como a ideia de um Estado-nação, o patriotismo e o surgimento do sentimento nacionalista.

Características
A Bandeira Nacional, um dos principais símbolos do Brasil, reúne uma série de detalhes obrigatórios que devem ser obedecidos, de acordo a com a legislação. O tamanho, a precisão nas cores, a disposição das estrelas que representam os estados e da faixa central devem ser seguidos à risca, assim como a forma como ela é homenageada e guardada. O dia 19 de novembro foi instituído Dia da Bandeira em 1889, logo após a Proclamação da República. No ensino fundamental, são obrigatórias as aulas sobre os símbolos nacionais: a Bandeira Nacional, o Hino Nacional, as Armas Nacionais e o Selo Nacional.

Homenagem
Em Brasília (DF), a principal cerimônia envolvendo o assunto é a da troca da Bandeira Nacional, que ocorre a cada primeiro domingo do mês. Há um sistema de rodízio entre as Forças Armadas e o governo do Distrito Federal na coordenação do evento.

No dia da cerimônia, a Bandeira Nacional é hasteada no mastro da Praça dos Três Poderes. Com 280 metros quadrados, a bandeira é a maior do País.

A cerimônia deste ano acontece durante esta manhã, com o hasteamento da Bandeira em frente ao Palácio do Congresso. A Bandeira Nacional será hasteada exatamente ao meio-dia, depois que o Hino Nacional for executado pela Banda do Batalhão da Guarda Presidencial, acompanhada pelos Corais do Senado Federal e do Colégio Militar de Brasília.

Fontes:
Força Aérea Brasileira
Agência Brasil
Portal Brasil

Infecção alimentar é provável causa da morte de parte de um rebanho em Tanhaçu

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

Em entrevista ao site Achei Sudoeste, o agrônomo Alexsandro Barreto, gerente do escritório regional da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB), no município de Brumado, declarou que os indícios apontam para uma possível infecção alimentar como causa da morte de um rebanho com cerca de 120 bezerros, na Fazenda Pica-Pau, comunidade rural do município de Tanhaçu, a 74 km da capital do minério.

O agrônomo disse que, juntamente com o veterinário Clemente Fernandes, realizou a necrópsia dos animais e chegou a conclusão de que a manipulação errada da ração aponta para a causa da morte do rebanho. De acordo com o gerente da ADAB brumadense, o proprietário da fazenda preparou a ração balanceada à base de milho e caroço de algodão em grande quantidade, sem acrescentar o volumoso de fibras à base de capim verde e palma, que ajuda na digestão.

Dessa forma, os animais sofreram timpanismo, ficando empacados, o que provocou a morte do rebanho novo. Alexsandro afirmou ainda que foram retiradas amostras dos animais e encaminhadas, com parte da ração, para análise laboratorial. O gerente regional tranquilizou os demais criadores diante das suspeitas de uma infecção generalizada na região, uma vez que foi um caso isolado.

Condeúba: Há 26 anos atrás morria o maior líder político condeubense, Antônio Farias Terêncio

Por Agnério Evangelista

                                                                     Antônio Farias Terêncio

Antônio Farias Terêncio é filho de Apolônio da Silva Terêncio e dona Sinésia Farias Terêncio. Nasceu em 27 de maio de 1926 na Fazenda Cachoeira no lugar denominado “Deus me livre”. Na época, a família havia se retirado para o campo, porque a Coluna Prestes ocupava a cidade e não havia condições de se proteger da fúria dos revolucionários, comandados por Luis Carlos Prestes e Antônio Siqueira Campos. Seus irmãos são: Geraldo Terêncio, Eunice Gomes (in memória), Rita Oliveira, José Maria Terêncio e Maria do Rosário Amorim.

Terêncio estudou o curso primário em Condeúba de quem foi aluno do ilustre Professor Álvaro Miguez Garrido o qual foi homenageado por ser inteligente, dinâmico e competente discípulo, em sessão solene. Concluiu o antigo primário, hoje, Ensino Fundamental I, com distinção. Católico fervoroso punha a sua confiança sempre em Deus. Exerceu a profissão de pecuarista, comerciante e político.

Como comerciante, negociava com peles, mamona e cereais de modo geral. Adquiriu larga experiência no ramo dos negócios, comprou caminhões para o trabalho e prosperou-se. Foi proprietário do “Armazém Cruzeiro” em Vitória da Conquista onde residiu por uns dez anos.

Casou-se em primeiras núpcias com Delza Viana com quem teve duas filhas: Ariádne Vianice Terêncio Costa e Maria Luíza que faleceu aos dois anos e meio de idade. Ariádne é casada com Sandoval Ramos Costa. Do casamento com Djalma Alves de Sousa nasceram os filhos: Ana Maria de Sousa Terêncio, casada com José de Sousa Neto; Antônio Farias Terêncio Filho vereador atual, casado com Mara Rúbia Queiroz, que é a atual Vice-Prefeita. Outro filho dileto do casal Terêncio x Djalma é José Augusto de Sousa Terêncio casado com Jussara Bandeira.

Antônio Terêncio Filho, Djalma Alves (Segunda esposa), Ana Maria e José Augusto Terêncio
Entretanto, foi na política que Terêncio mais se destacou, durante a sua vida. Antes de ser prefeito, exerceu o cargo de vereador por três legislaturas. Foi eleito prefeito pela primeira vez em 1970 e governou o município de 1971 a 1972; reelegeu-se em 1976 e administrou por seis anos, de 1977 a 1982; apresentou dona Djalma como sua sucessora a qual foi eleita para o período de 1983 a 1988; indicou o Dr. Marcolino Neto e o filho de Gervásio e dona Santinha foi eleito pela primeira vez para o pleito de 1989 a 1992.

Marcolino apresentou o sucessor, Dr. Antônio Terêncio Farias Filho que ganhou a eleição e comandou o município de Condeúba de 1993 a 1996. Ao todo, Terêncio foi o maior líder político de todos os tempos em Condeúba, por trinta e quatro anos ele comandou o processo político local. Era amicíssimo do governador Antônio Carlos Magalhães e também de Santo Antônio da Barra que junto a ele formaram um trio imbatível politicamente. Continue lendo Condeúba: Há 26 anos atrás morria o maior líder político condeubense, Antônio Farias Terêncio