Arquivos diários: 27 de outubro de 2018

TURMA DA MÔNICA FAZ 56 ANOS

Por Thiago Braga

A famosa estória em quadrinhos “Turma da Mônica”, criada por Mauricio de Sousa, tornou – se símbolo de humor, criatividade e diversão. Surgiu no ano de 1959, ganhando boa aceitação do público infantil. A personagem principal, uma menina de cabelo curto e largo sorriso, traz consigo pequeno coelho (bichinho de pelúcia). Além dela, Cebolinha, Magali e Cascão, “dão vida” à essa turminha cheia de energia, “juntos para o que der e vier”. A linguagem simples se resume numa narrativa leve, sem perder de vista o caráter educativo da proposta. Isso marca a existência da Turma da Mônica, tida como guia na formação da criança nas séries iniciais. Forte influência no processo ensino – aprendizagem.

Esse mesmo gibi conquistou gerações. Traz alegria para todos os pequeninos. Alvo de diversas campanhas publicitárias. Desta feita, mostra textos com fundo moral, inspirado no dia a dia das pessoas. Quem de nós, já despertou interesse em folhear as páginas da revista Turma da Mônica? Pois bem. O enredo mistura fantasia, realidade e o verdadeiro sentido das boas ações. O perfil clássico da “revistinha”, ainda guarda a ideia original: transmitir a chamada “animagens” ou animação pela imagem. Os leitores, por certo, se divertem com os “balõezinhos”, através do diálogo solto. Semeia a dúvida. Atiça a curiosidade. Envolve diferentes comportamentos a partir de cada situação, dependendo do momento / lugar. Por isso, resiste ao tempo, moldando o valor da educação, entendida como “a irmã mais velha” da democracia. Onde e como? Em cores, formas e risos.

Jornalista Paulo Nunes fala sobre democracia para alunos do Centro Integrado de Educação Navarro de Brito

Atendendo ao convite da professora Ivana, mestra da matéria de geografia do Centro Integrado de Educação Navarro de Brito, o jornalista Paulo Nunes proferiu uma palestra sobre democracia moderna, para uma platéia composta de alunos do primeiro ano do ensino médio, turmas B,C,D e E.
O jornalista passou a ideia para os jovens, que democracia é antes de tudo o respeito aos direitos que cada um tem, na sociedade moderna, mostrando que tais direitos, vão além do fato de que, de dois, em dois anos anos se realizam eleições e que, alguns tentam resumir democracia a tal fato, mas que a democracia vai muito além disso, principalmente em relação aos direitos à saúde, à educação, à moradia e notadamente ao direito de emprego e renda, além de um convívio respeitoso entre os segmentos sociais.
A palestra não tratou de viés político partidário, mas sim de política como ciência social, mostrando aspectos das reivindicações, das lutas das classes menos favorecidas, em relação ao domínio do capital. Aparteado por um aluno que questionou o aumento da passagem do ” BUZU”, realizado pelo prefeito municipal sem consultar à população e muito menos explicar, o palestrante entendeu como justa a reclamação e explicou que o aumento da passagem para R$3,80, deveu-se ao fato da prefeitura do município amparar o transporte clandestino na cidade e, com isso penalizando à população que utiliza o transporte legalizado, algo democraticamente incorreto. Continue lendo Jornalista Paulo Nunes fala sobre democracia para alunos do Centro Integrado de Educação Navarro de Brito

ELEIÇÕES 2018: Perdeu o título de eleitor? Veja que documento levar para votar

Apesar de ser importante, o título não é obrigatório no dia da votação. Conheça outras alternativas
Por Gabriel Vital

Não é obrigatório levar o título de eleitor no dia da eleição

Vai se aproximando a data da eleição e as pessoas começam a procurar o título de eleitor. Muitos não se lembram onde guardaram o documento e, então, se desesperam por achar que não poderão votar. Mas não é bem assim. Apesar de ser importante, o título não é obrigatório no dia da votação.

Eleitores que não o encontrarem podem votar normalmente, levando apenas um documento de identificação oficial com foto. O titulo de eleitor serve mais para saber qual a sua sessão eleitoral, mas essa informação pode ser consultada no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Basta acessar www.tse.jus.br. Na seção “Serviços ao eleitor”, clique em “Local de votação”. Depois, é só inserir o nome completo, a data de nascimento e o nome da mãe. Ao clicar em “Consultar”, aparecerão suas informações, como o número do seu título de eleitor, o local de votação, a zona e a sessão eleitoral. Anote esses dados em um papel e leve-os no dia de votar. Dessa forma, fica mais fácil de encontrar sua sessão.

Outra opção é baixar o aplicativo e-Título (Android|iOS) para acessar a versão digital do seu título de eleitor. Nesse caso, você terá, na tela de seu celular, todas as informações necessárias para votar. Continue lendo ELEIÇÕES 2018: Perdeu o título de eleitor? Veja que documento levar para votar