Arquivos diários: 28 de agosto de 2018

Líder de terreiro de candomblé de 66 anos é retirada do templo pela família após local ser apedrejado: ‘Nunca revidei’

Foto: reprodução

O Terreiro Ilê Abasy de Oiá Gnan, situado em Juazeiro, na região do Vale do São Francisco, na Bahia, foi apedrejado no domingo (26). De acordo com a conselheira Municipal de Promoção da Igualdade (Compir), Ceres Santos, os ataques começaram pela manhã e seguiram até a noite.

Por causa disso, a ialorixá Adelaide Santos, de 66 anos, líder do templo, que funciona há 42 anos no bairro Quidé, precisou ser retirada da casa por familiares, que temiam que os ataques pudessem causar uma crise de hipertensão na idosa.

“Meu genro foi trocar uma lâmpada do lado de fora da casa e percebeu que estavam jogando pedras. Eles continuaram jogando até a madrugada, nas paredes e no telhado. Eu nunca revidei uma pedra. Sempre aguentando tudo aqui dentro, porque eu tenho muita fé em Deus e em minha mãe”, disse a ialorixá, que fechou o terreiro à noite. Segundo ela, as atividades devem ser retormadas na terça-feira (28).

A casa, segundo a representante do Compir, é alvo de apedrejamentos desde 2015, mas as ocorrências se intensificaram a partir de maio deste ano. O caso de domingo foi denunciado às Policias Civil e Militar, ao Ministério Público, às secretarias estaduais de Promoção da lgualdade (Sepromi), da Segurança Pública e ao Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH).

Na terça-feira (28), o Compir vai promover uma reunião extraordinária com representantes de terreiros de candomblé de Juazeiro para discutir formas de combate à intolerância religiosa. “Na reunião, vamos discutir a possibilidade de denunciar esses casos em entidades internacionais”, disse Ceres.

Intolerância

Em 2015, o terreiro Ilê Abasy de Oiá Gnan foi arrombado e apedrejado diversas vezes. Em um dos ataques, o telhado da casa ficou destruído. O interior do terreiro também foi vandalizado: nas paredes, foram pintadas cruzes e riscos.

Na ocasião, vândalos também destruíram quadros e fotografias que pertenciam a ialorixá. No ano passado, a casa foi reformada graças à doações de frequentadores e filhos do terreiro.

Governo do estado convoca 3.050 novos professores e coordenadores pedagógico

Foram convocados pelo governo do Estado 2.414 novos professores e 636 coordenadores pedagógicos, aprovados no concurso público para a rede estadual de ensino, nesta terça-feira (28). Os convocados devem entregar a documentação exigida nos locais e período indicados nos editais de convocação.

Mais de 103 mil inscritos divididos em 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE), situados em 27 municípios do Estado, participaram do processo seletivo. A classificação é separada por cargo, pelo tipo de disciplina e pelo local (NTE). Realizado conjuntamente pelas secretarias da Administração (Saeb) e Educação (SEC), as provas do certame ocorreram em fevereiro deste ano. Os candidatos passaram por três etapas, entre habilitatórias e classificatórias, como provas objetivas, discursivas e de títulos.

As vagas são para Magistério Público do Ensino Fundamental e do Ensino Médio do Estado da Bahia, nas áreas de arte, biologia, educação física, filosofia, física, geografia, história, língua Inglesa, língua portuguesa, matemática, química e sociologia. É exigida formação específica e diploma concedido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

Operação Syagrus: Justiça suspende afastamento de servidores da prefeitura de Palmas de Monte Alto

O juiz Filipe Aquino Pessoa de Oliveira, titular da 1ª Vara da Justiça Federal de Guanambi, revogou as medidas cautelares que afastaram das funções públicas três servidores da prefeitura de Palmas de Monte Alto. O trio é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de fraude a licitação e desvio de recursos públicos.

Os funcionários foram afastados dos cargos em setembro de 2017 na operação Syagrus. Ao lado do ex-prefeito Fernando Nogueira Laranjeira, os três servidores teriam frustrado o caráter competitivo de uma licitação com o uso de documento falso elaborado por Tito Eugênio, ex-prefeito de Riacho de Santana, com direcionamento para a empresa Lopes Serviços Ltda, administrada por Noé Lopes de Oliveira.

“Em sequência, Fernando Nogueira Larajneira, Carlos Alberto Teixeira Araújo, Cláudia Rêgo Magalhães e Noé Lopes de Oliveira, na execução do Contrato Administrativo 059/2014, decorrente do PP 009/2014, desviaram, em proveito próprio, recursos públicos na monta de R$ 652.297,20 – em valores atualizados, R$ 855.167,39”, diz o MPF na denúncia oferecida à Justiça Federal. Cláudia Rego Magalhães, servidora pública, e Maria Gertrudes Montalvão Silva, integravam a comissão de licitação de Palmas de Monte Alto.

Já Carlos Roberto Teixeira Araújo é servidor e ex-secretário de Finanças do município. A revogação dos afastamentos foi solicitada pelo MPF por entender que “não há mais necessidade ou risco para as investigações”. Quando ocorreu a operação da Polícia Federal em setembro de 2017, também foi afastado da função pública o servidor Evaristo dos Santos Gomes, então diretor de departamento, mas retornou ao cargo em dezembro do mesmo ano.