Arquivos diários: 31 de maio de 2018

NOTA DA CNBB SOBRE O MOMENTO NACIONAL

“Jesus entrou e pôs-se no meio deles e disse: A paz esteja convosco”(Jo 20,19)
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, solidária com os
caminhoneiros, trabalhadores e trabalhadoras, em manifestações em todo território
nacional, e preocupada com as duras consequências que sempre recaem sobre os mais
pobres, conclama toda a sociedade para o diálogo e para a não violência. Reconhecemos
a importância da profissão e da atividade dos caminhoneiros.
A crise é grave e pede soluções justas. Contudo, “qualquer solução que atenda à
lógica do mercado e aos interesses partidários antes que às necessidades do povo,
especialmente dos mais pobres, nega a ética e se desvia do caminho da justiça” (CNBB,
10/03/2016). Nenhuma solução que se utilize da violência ou prejudique a democracia
pode ser admitida como saída para a crise.
Não é justo submeter o Estado ao mercado. Quando é o mercado que governa, o
Estado torna-se fraco e acaba submetido a uma perversa lógica financista. “O dinheiro é
para servir e não para governar” (Papa Francisco, Evangelii Gaudium, 58).
É necessário cultivar o diálogo que exige humilde escuta recíproca e decidido
respeito ao Estado democrático de direito, para o atendimento, na justa medida, das
reivindicações.
As eleições se aproximam. É preciso assegurar que sejam realizadas de acordo
com os princípios democráticos e éticos, para restabelecer nossa confiança e nossa
esperança. Propostas que desrespeitam a liberdade e o estado de direito não conduzem
ao bem comum, mas à violência.
Celebramos a Solenidade do Corpus Christi, fonte de unidade e de paz. Quem
participa da Eucaristia não pode deixar de ser artífice da unidade e da paz. O Pão da
unidade nos cure da ambição de prevalecer sobre os outros, da ganância de entesourar
para nós mesmos, de fomentar discórdias e disseminar críticas; que desperte a alegria de
nos amarmos sem rivalidades, nem invejas, nem murmurações maldizentes (cf. Papa
Francisco, Festa do Corpus Christi, 2017). O Pão da Vida nos motive a cultivar o
perdão, a desenvolver a capacidade de diálogo e nos anime a imitar Jesus Cristo, que
veio para servir, não para ser servido.
Conclamamos, por fim, todos à oração e ao compromisso na busca de um Brasil
solidário, pacífico, justo e fraterno. A paz é um dom de Deus, mas é também fruto de
nosso trabalho.
Nossa Senhora Aparecida interceda por todos!
Cardeal Sergio da Rocha Dom Murilo S. R. Krieger, SCJ
Arcebispo de Brasília Arcebispo de São Salvador
Presidente da CNBB Vice-Presidente da CNBB
Dom Leonardo Ulrich Steiner, OFM
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário-Geral da CNBB

Condeúba: Realizado o XIII passeio de bicicletas do Tamboril

Por Oclides da Silveira

XIII Passeata ciclística  este ano com o uniforme canarinho em homenagem a Seleção Brasileira que está na Russia em busca do hexa-campeonato mundial

Nesta quinta-feira dia 31 de maio de 2018, dia Santo Corpos de Cristo feriado nacional, foi realizado o XIII passeio ciclístico da Comunidade do Tamboril, que é realizado sempre nessa mesma data, com muita alegria e queima de fogos, desde a saída até a chegada do passeio.

Os organizadores do evento Manoel de Aurélio e Arlindo Firmo de Brito 

Os organizadores do evento Arlindo Firmo de Brito e Manoel de Aurélio este ano contou com o apoio do amigo Zé de Creuza. Se inscreveram em tono de 170 pessoas, cujo valor da inscrição foi de R$ 30,00 com direito a uma camiseta, 2 lanches e o churrasco ao final do passeio, ainda haverá um sorteio de uma bicicleta entre os participantes.

A largada foi dada em frente a casa de Manoel de Aurélio às 9h30min., com previsão de chegada às 14h30min., estando previsto a duração do percurso em torno de 5 horas para uma distância percorrida aproximadamente de 40 km., a qual passou pelo Olho D’água onde fez a primeira parada para tomar um café reforçado no Bar de Zé de Dário, depois seguiram para Ripa de Zé de Sousa, entra por Zé de Vavá já no município de Mortugaba, depois retornam passando pelo Distrito do Alegre e finalizando na sede da Associação do Tamboril. Fazendo por tanto 7 paradas durante todo o percurso. Continue lendo Condeúba: Realizado o XIII passeio de bicicletas do Tamboril

87% dos brasileiros apoiam greve dos caminhoneiros e rejeitam alta de impostos, aponta Datafolha

 

O povo da pequena São João do Paraizo/MG nas ruas apoiando o movimento justo dos caminhoneiros

Uma pesquisa do Datafolha divulgada nesta quarta-feira (30) mostra que 87% dos brasileiros apoiam a paralisação dos caminhoneiros, mas o mesmo percentual rejeita cortes no orçamento e aumento de imposto para atender às reivindicações da categoria.

De acordo com o G1, o levantamento com 1,5 mil pessoas aponta que apenas 10% são contra a paralisação dos caminhoneiros, 2% são indiferentes e 1% não soube opinar.

Sobre a continuidade da paralisação, porém, o apoio diminui: 56% acham que ela deve continuar enquanto 42% defendem o seu fim. A pesquisa telefônica foi feita na terça-feira (29), dia em que os bloqueios diminuíram e os caminhões começaram a circular com mais frequência nas estradas do país. A margem de erro do levantamento é de três pontos para mais ou para menos.

Brumado: Temendo retorno da ditadura, estudantes pedem cautela ao clamor de intervenção militar

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste – Movimento Estudantil nas ruas de Brumado em apoio a greve dos caminhoneiros

Estudantes da rede pública e particular de ensino do município foram às ruas de Brumado na terça-feira (29) levar apoio aos caminhoneiros e protestarem contra à corrupção. Em meio às manifestações que percorreram várias ruas da cidade, os alunos realizaram várias paradas e cantaram o Hino Nacional, além de proferiram frases de ordem.

No encontro com os caminhoneiros, os estudantes se depararam com uma faixa em que os motoristas, insatisfeitos com o atual momento, clamam por uma intervenção militar, o que não agradou a nova geração. Os estudantes pediram cautela quanto ao clamor. “Intervenção militar não aceita paralisações, greves e nem protestos.

Intervenção militar também pode significar o fim da liberdade de expressão. A história nos conta como foram os anos de ditadura e tememos esse regresso. A democracia não é ruim, o que está ruim são aqueles que estão no poder usando da corrupção para usurpar o que de direito é do povo. Vamos ter mais cautela com esse clamor por intervenção militar”, disseram os estudantes.