Arquivos diários: 13 de maio de 2018

Primeira Roda de Poesia do Movimento (ao Cultivismo) Café com Poemas

Por Leandro FloresFoi a Primeira Roda de Poesia do Movimento (ao Cultivismo) Café com Poemas

O local não poderia ser em outro Lugar. VERMELHO – Restaurante e Café, um local agradável cheio de encantos, com uma vista esplêndida da BAÍA DE TODOS OS SANTOS, localizado no Edifício Castro Alves. Aliás, o “poeta dos escravos” serviu de inspiração para todo esse contexto poético…

Voltamos ao início da roda que também é (ou pode ser) o fim ou vice-versa para explicar sobre a proposta. É um projeto do Movimento (ao Cultivismo) Café com Poemas, em parceria com o Vermelho – Restaurante e Café, de Ana Moreira e pretendem disponibilizar um espaço onde livros, poesias e poetas sejam o centro dessa mistura, desse movimento.

O OBJETIVO É VALORIZAR O POETA VIVO (mesmo os que já não estejam entre nós porque a roda gira, mas os poetas permanecem, ainda que em um movimento de Café e poesia, numa tarde de sábado, na rua Carlos Gomes – outro ícone da cultura nacional – que também inspira.

Nesse primeiro encontro foram homenageados (com certificados e premiações, concedidos pela Ordem Federativa de Honrarias ao Mérito), alguns poetas e articuladores culturais de Salvador, Condeúba e Cordeiros. Dentre eles estão, Ana Moreira, Moça, Adelina, Clarrissa e Maria Luísa Macieira, Edgar Velame, Cristiano Souza, Mariana, Helen, Angela, Manoel e Edson Silveira, além de mim, Leandro Flores e outros que chegaram depois.

Foi uma tarde gostosa, com bate-papos, recitais, vinho e comidas baianas…
Bem próximo dali, em uma de suas praças, Castro Alves bem dizia a poesia. Lembrei-me de um verso: “Bendito o que semeia. Livros à mão cheia. E manda o povo pensar”.
A promessa é que os encontros sejam frequentes, a cada dois meses. Esse deixou saudades, no próximo, haverá muito mais emoção. Continue lendo Primeira Roda de Poesia do Movimento (ao Cultivismo) Café com Poemas

A Folha de Condeúba saúda e homenageia todas as mães deste planeta

Vereador Arlindo Cruz com sua mãe a Sra. Gerolina Maria de Jesus

Eu quero aproveitar esse momento impar que é comemorado hoje mundialmente o dia das mães, peço licença as outras mães, para saudar em primeiro lugar a minha mãe dona Gerolina Maria de Jesus, em seguida saúdo também minha esposa Izete Prates do Prado, ao mesmo tempo, quero externar esta saudação para todas as mães condeubenses e as demais, desejo a elas muita paz hoje e sempre, que o nosso bom Deus esteja iluminando os vossos caminhos todos os dias de suas vidas, a paz do Senhor reinará para sempre entre vós. Esses são os meus desejos a vocês mães deste planeta, um beijão no coração de todas as mães. Vereador Arlindo da Silva Cruz  

 

MÃE!

Por Antônio Santana, Poeta condeubense

Professor Antônio da Cruz Santana

Geradora, criadora, protetora, genitora e educadora do lar,
Mãe que se desespera quando nada tem pra dar
Mãe que não sabe ao filho nada negar
Que busca no carinho agradar
Mãe que sabe um filho amar
Que não gosta de tudo reclamar
Mãe que sonha com o filho crescer
Que pensa tudo oferecer
Mãe que não quer vê o seu filho sofrer
Mãe que dá à vida por você
Que se preocupa com o filho do amanhã ao anoitecer
Mãe que tem o filho como um troféu,
Que Deus mandou do céu.
Mãe dos bons e dos maus momentos,
Mãe do sol, mãe da chuva e mãe do vento.
Mãe da felicidade, mãe da tristeza e mãe da beleza.
Mãe da natureza, mãe da riqueza e mãe da pobreza.
Mãe da fortaleza, mãe da fraqueza e mãe das despesas.
Mãe que não deixa faltar o pão nosso de cada dia em nossas mesas.
Mãe, tu és a sabedoria da certeza da nossa grandeza.

Uma homenagem para todas as mães de Condeúba, da Bahia, do Brasil e do Mundo.

 

Mãe

Por Ed Tattoo

Mãe é parte da vida, razão de ser existir e evoluir, pensamentos e gestos reprimidos no agora
Parte de algo maior que o ego ,
certeza de vitórias, que cura uma dor com um simples toque de mão,
e na simples simpatia de saber nos faz entender que estamos protegidos debaixo de suas asas,
papel em branco que não precisa ser preenchido mesmo que não saiba escrever ou ler,
pois só a sabedoria dela nos basta, e com o brilho dos seus olhos nos revela onde está o medo e a coragem, no frio ela nos aquece, na dor nos ampara e na falta ela nos preenche
No momento de dor; Deus ela é a única que chamamos,
Mãe, razão de minha existência, é árvore da vida, que de ti veio à vida, e a vida te fez, toda ,exclusiva e especial como tu és, te amo. (Edtattoo).