Arquivos diários: 2 de março de 2018

Condeúba: Netfuturama em parceria institucional com a Secretaria de Educação realizará evento

Por Oclides da Silveira

A Netfuturama está fazendo um trabalho de porta em porta nos bairros da cidade, dialogando com a população, passou pela feira, com som na rua anunciando os seus produtos e serviços, para melhor atender sua clientela e, para fechar o dia, estará na Praça Santo Antônio no Centro às 18:00 horas com seu standart promocional, distribuindo brindes ao povo, juntamente ao mesmo evento da Secretaria Municipal de Educação.

 

 

 

Prefeito boliviano que não cumpriu promessas é amarrado na rua

                                Apesar de preso, prefeito pode fumar. Reprodução El Deber

Prefeito que não cumpre promessas é amarrado na rua. Em uma cidade na Bolívia, a pequena San Buenaventura, essa já é uma tradição que acontece sempre que os cidadãos não estão satisfeitos com a gestão municipal.

Segundo o jornal local El Deber, na última segunda-feira (26), Javier Delgado, prefeito do município de 8 mil pessoas, foi preso em uma armadilha de madeira pela população revoltada. As pessoas levaram o prefeito e o deixaram com uma das pernas presas.

Os cidadãos argumentaram que estavam descontentes com as promessas de campanha que Delgado não cumpriu. Em 2015 e 2016, ele havia enfrentado a mesma situação.

Mesmo preso na armadilha, Delgado teve direito a fumar um cigarro. Um cachorro não se sentiu intimidado pela situação inusitada e se sentou ao lado do prefeito. Enquanto isso, a população observava atenta.

Ao jornal local, o prefeito contou que cedeu ao castigo para depois conseguir explicar sua versão dos fatos.

Ele afirmou que não é “um político ruim” e que a cidade está repleta de notícias falsas (as chamadas fake news), implantadas por seus adversários políticos.

“Nós não estamos falando de pobretões, mas pessoas que têm muito dinheiro, que têm negócios, atividades econômicas e que perderam poder”, contou o prefeito.

Delgado deixou claro que sua maior tristeza não foi a punição em si, mas ficou desapontado com a “população desinformada” de sua cidade.

Talvez por já estar acostumado com a situação, Delgado decidiu não acionar a justiça boliviana sobre o caso.