Arquivos diários: 17 de fevereiro de 2018

Condeúba: Florada do Canjoão

Por Oclides da Silveira

Canjoão nas margens das residências, sempre muito bem cuidados

Canjoão – Botânica Planta leguminosa endêmica (Senna ou Cassia acuruensis) da região da caatinga na Bahia, com potencial forrageiro; É conhecido também por São João, São Joãozinho, Canela-de-Velho, Besouro e Pau d’Ovelha. As folhas da Senna acuruensis são ricas em rutina e quercetina, flavonoides com alto poder antioxidante. Assim como várias outras espécies de senna, a Senna acuruensis ou Canjoão apresenta flores amarelas, que contribuem para embelezar a paisagem. Suas folhas, flores e frutos são alimentos do rebanho bovino e caprino.

O Canjoão na Bahia é uma planta endêmica sai em todos os lugares sem precisar plantar, suas flores são amarelas e encantadoras começam a desabrochar no mês de janeiro e vai até o mês de abril, por tanto dura 4 meses sua exposição à natureza para alegria daqueles que as admiram. Por ser duradora, as flores dos Canjoãozeiros  enriquecem e embelezam as estradas nesta época do ano.

A árvore do Canjoão requer alguns cuidados básicos para não morrer cedo, como, mantê-las sempre limpas de outros matos ao seu redor, sempre depois de amadurecer seus frutos que são produzidos em bagem ou vagem, logo suas folhas caem, este é o momento para fazer sua poda lá por volta dos meses de julho/agosto, assim sendo seu desenvolvimento e sua vida se torna longa.

Praça Tancredo Neves – Centro Vitória da Conquista/BA.

Em Vitória da Conquista na Praça Tancredo Neves no Centro, há uma árvore de Canjoão que dois homens provavelmente não conseguem abraçá-la de tão grossa que é, este é a grande prova de que se cuidar o Canjoão dura por muito tempo. Continue lendo Condeúba: Florada do Canjoão

Febre amarela matou 154 pessoas desde julho no Brasil

O Ministério da Saúde atualizou os dados de febre amarela na sexta-feira (16), de acordo com informações repassadas pelas secretarias estaduais. Desde julho do ano passado, foram 464 casos confirmados, sendo que 154 pessoas morreram devido à infecção.

Foram recebidas 1.626 notificações neste período – pacientes com suspeita de febre amarela. Os órgãos de saúde descartaram 684 casos e 478 ainda estão sendo investigados. O ciclo de contabilização dos dados é feito a partir de julho, sendo que acaba em junho do ano seguinte.

De acordo com o Ministério da Saúde, isso ocorre devido à sazonalidade da doença, que concentra a maior parte dos casos no verão. Neste início de ano, o país está concentrando a maior parte dos casos do ciclo atual. Em comparação com o mesmo período entre 2016 e 2017, há uma queda de 12% no número de infecções confirmadas neste ano, e de 7% nas mortes.

Bancários na Bahia não devem paralisar as atividades em greve geral na segunda (19)

Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

Os bancários não devem parar suas atividades durante a greve geral marcada por centrais sindicais para a próxima segunda-feira (19) em protesto contra a reforma da Previdência. Segundo o presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia, Augusto Vasconcelos, a entidade convocou os seus trabalhadores apenas para realizar manifestações em agências bancárias e participar das caminhadas previstas para acontecer em Salvador.

“Vão acontecer protestos nas agências e estamos convocando os trabalhadores para participarem das passeatas”, comentou em entrevista ao Bahia Notícias. Vasconcelos ressaltou que os bancários podem parar suas atividades caso a reforma da Previdência seja colocada na pauta da Câmara. “Nós não descartamos a paralisação, mas na segunda vamos concentrar nossos esforços nas manifestações”, afirmou o presidente do sindicato.

Horário de verão chega ao fim à meia-noite deste domingo

Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

Em vigor desde outubro do ano passado, o horário de verão chega ao fim neste domingo (18). No caso de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal, os relógios devem ser atrasados em uma hora a partir da meia-noite. Como a Bahia já não entra no regime de horário de verão, não muda nada.

Falta de água pode afetar 31% dos empreendimentos brasileiros em 2018

Fonte: Fonte: Agência Sebrae de Notícias Bahia/CDL (Conteúdo)

O racionamento impactou 17% das empresas este ano, sendo que 47% dos donos de negócios adotaram medidas para reduzir as consequências da escassez

Realidade em dezenas de capitais brasileiras, o racionamento de água altera a rotina dos empresários do país. Em 2017, 17% das empresas de micro e pequeno porte sofreram com os impactos da crise hídrica. Estudo do Sebrae aponta que 31% dos pequenos negócios devem ser afetados pela falta de água em 2018. O impacto deve ser maior nos empreendimentos da região Centro Oeste, onde 44% dos empresários acreditam que sofrerão com a falta d’água. Os empresários do Distrito Federal (53%) e de Goiás (55%) são os que têm maior expectativa de sofrer com a falta de água.

De acordo com a pesquisa do Sebrae, 47% dos empresários ouvidos em todo o país relataram ter adotado medidas para driblar a crise hídrica este ano. Destes, 23% passaram a reduzir o consumo de água no estabelecimento. Mais da metade das empresas do Centro Oeste (51%) e metade dos pequenos negócios do Sudeste (50%) implantaram alguma ação para evitar as consequências da escassez, entre redução do consumo, reaproveitamento da água e diminuição da frequência de faxina. Os empresários do Distrito Federal foram os que mais adotaram alguma medida para reduzir o consumo de água (64%).

Em 2017, o racionamento afetou mais as empresas do setor de serviços e comércio, com 18% dos empresários prejudicados pela falta de água. Quanto ao porte, os Microempreendedores Individuais (19%) foram os que mais sentiram o impacto nos negócios. Lavanderias, lava jatos, salões de beleza, restaurantes, hotéis, padarias, são exemplos de atividades mais atingidas com a diminuição no abastecimento de água. Para 2018, a expectativa de sofrer com a falta d’água é mais percebida entre os Microempreendedores Individuais (34%) e entre as empresas do Comércio (32%).

Condeúba: Padre José Silva lança oficialmente a Campanha da Fraternidade 2018, com o tema “FRATERNIDADE E SUPERAÇÃO DA VIOLÊNCIA”

Por Agnério Evangelista de Souza

“FRATERNIDADE E SUPERAÇÃO DA VIOLÊNCIA” é este o tema da Companha da Fraternidade – CF deste ano, que traz uma profunda reflexão sobre as causas de tanta violência no Brasil e aponta caminhos para colaboração com a paz.

O Padre José Silva Figueiredo lançou oficialmente, no Salão Paroquial, a Campanha acima referida programada pela CNBB, com a participação de várias pessoas, nesta quinta-feira, dia 15.02. Diferentemente de anos anteriores em que a CF era lançada na missa da Quarta-feira de Cinzas, início da Quaresma, proporcionou, de certa forma, maior abordagem do assunto, contando com alguns colaboradores para exposição da temática e participação popular.O lema da CF é: “Vós sois todos irmãos”. (Mt. 23,8). O objetivo geral diz: construir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus como caminho de superação da violência.

Suzana Severina apresentou alguns números estatísticos que servem para pensar como a violência se alastrou também pelo Estado da Bahia. Isto prova que os dados levantados pela Campanha nos esclareceu como as estruturas políticas, econômicas e sociais no Brasil, construídas num longo processo histórico, estão enraizadas e continuam a fomentar a violência social.¹ Continue lendo Condeúba: Padre José Silva lança oficialmente a Campanha da Fraternidade 2018, com o tema “FRATERNIDADE E SUPERAÇÃO DA VIOLÊNCIA”