Arquivos diários: 10 de janeiro de 2017

Teófilo Otoni: Polícia prende conquistenses que aplicavam golpes pela Internet em Minas Gerais

golpe

Dois homens de 28 anos acusados de integrarem uma quadrilha que praticava golpes pela internet em todo o Brasil, foram presos nessa segunda-feira (9), na cidade de Teófilo Otoni, em Minas Gerais. De acordo com informações da Polícia Civil, que efetuou a prisões, os suspeitos, que já estavam a três meses no Vale do Mucuri aplicando golpes, são de Vitória da Conquista. Um adolescente que também estava no local foi detido. Continue lendo Teófilo Otoni: Polícia prende conquistenses que aplicavam golpes pela Internet em Minas Gerais

Novo Gama: ‘Fantasmas’ que furtaram prefeitura no Distrito Federal seriam ex-secretários

ex-secretario-fantasma-35
Dois ex-secretários municipais são suspeitos de serem os homens vestidos de fantasmas que furtaram a prefeitura de Novo Gama, no Distrito Federal. Eles se apresentaram à polícia na segunda-feira (9). De acordo com o G1, um deles admitiu informalmente o crime e o outro confessou em depoimento.

Como não houve flagrante, ambos foram liberados em seguida. Câmeras de segurança flagraram a ação no prédio do administrativo. Os ex-servidores são Carlos Alarcom Cartaxo Martins, ex-secretário de Transportes, e Adriano Marques Tavares, que comandava a pasta de Desporto, Lazer e Turismo.

Após entrarem normalmente no edifício, eles arrombaram a porta de uma sala e levaram uma impressora. A polícia constatou que outra impressora e mais dois computadores foram levados. O delegado responsável pelo caso ainda vai ouvir outras duas testemunhas nos próximos dias. Somente depois disso, vai decidir sobre o andamento da investigação.

Substância pode regenerar dentes e aposentar obturação

dente-25
Uma nova droga pode tornar as obturações obsoletas, afirmam cientistas britânicos. Uma equipe do King’s College de Londres desenvolveu uma substância química que, em testes com ratos, estimulou células da polpa dental a taparem pequenos buracos nos dentes.

Para isso, uma esponja biodegradável embebida no produto foi colocada na cavidade. Em um estudo publicado pela revista científica “Scientifica Report”, a substância teve, segundo os cientistas, efeito reparativo “completo, eficaz e natural”. Dentes têm capacidade limitada de regeneração.

Podem produzir uma pequena faixa de dentina – a camada abaixo do esmalte – se a polpa fica exposta, mas não podem consertar cavidades maiores. Isso é feito com obturações, em que dentistas usam um amálgama metálico ou um composto feito de vidro em pó e cerâmica.

Só que esses reparos frequentemente precisam ser substituídos ao longo da vida. Os pesquisadores, então, tentaram ampliar a capacidade regenerativa natural dos dentes – foi assim que descobriram a droga, chamada Tideglusib.

A substância aumentou a atividade de células-tronco na polpa dental dos ratos – elas conseguiram fazer reparos em buracos de 0,13mm nos dentes dos roedores.

Cigarro vai matar 8 milhões por ano em 2030, diz OMS

                                                              U T I L I D A D E   P Ú B L I C A

tabaco-38

O tabagismo custa à economia global mais de US$ 1 trilhão por ano, em gastos com saúde e perda de produtividade, e até 2030 matará um terço a mais de pessoas do que agora, de acordo com um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos publicado nesta terça-feira (10).

O custo estimado supera amplamente as receitas globais com os impostos sobre o fumo, que a OMS colocou em cerca de US$ 269 bilhões em 2013-2014. “O número de mortes relacionadas ao tabaco deverá aumentar de cerca de 6 milhões de mortes para cerca de 8 milhões anualmente até 2030, sendo que mais de 80% delas vão ocorrer em países de baixa e média renda”, diz o estudo.

Cerca de 80% dos fumantes vivem nesses países e, embora a prevalência de tabagismo esteja caindo entre a população global, o número total de fumantes em todo o mundo está aumentando, afirma o estudo.

Especialistas em saúde dizem que o uso do fumo é a maior causa evitável de morte globalmente. “É responsável por… provavelmente mais de US$ 1 trilhão em custos de saúde e perda de produtividade a cada ano”, diz o estudo, revisado por mais de 70 especialistas.