Arquivos diários: 14 de dezembro de 2016

img-20161213-wa0152

Condeúba: Grandes Comemorações a Santa Luzia

Por Aline e Derimar

Aconteceu em Condeúba entre os dias 10 a 13/12 as festividades em honra e louvor à Santa Luzia, a protetora dos nossos olhos, que teve como tema principal: “Santa Luzia, ensinai-nos a ver com os olhos do coração”. Foram dias de muita oração, louvor e também de muita emoção pelos fiéis. Festa animadíssima. Importantes temas que, a cada noite de celebração traziam uma grande reflexão para nossas vidas. Continue lendo Condeúba: Grandes Comemorações a Santa Luzia

dom-paulo-evaristo-arns

São Paulo: Dom Paulo Evaristo Arns morre aos 95 anos

Morreu nesta quarta-feira (14) o cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, Arcebispo Emérito da Arquidiocese de São Paulo. Ele estava internado no Hospital Santa Catarina em decorrência de uma broncopneumonia. Arns tinha 95 anos.

D. Paulo foi internado no dia 28 de novembro para tratar de problemas pulmonares. Com o passar do dia o estado de saúde piorou e ele teve de ir para a UTI por causa de dificuldades na função renal. Segundo o hospital, Arns morreu às 11h45 por falência múltipla dos orgãos.

Em 28 anos de arcebispado, criou 43 paróquias, construiu 1200 centros comunitários, incentivou e apoiou o surgimento de mais de 2000 comunidades eclesiais de base (CEBs) na capital paulista.

Por seus feitos, recebeu inúmeros prêmios e homenagens no Brasil e no exterior. Dentre eles, o Prêmio Nansen do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur), o Prêmio Niwano da Paz (Japão), e o Prêmio Internacional Letelier-Moffitt de Direitos Humanos (EUA), além de 38 títulos de cidadania.

Sua biografia foi relatada em dez livros, sendo o mais recente lançado em outubro deste ano, no Tuca, teatro da PUC, na Zona Oeste de São Paulo, durante uma homenagem pelos 95 anos de Dom Paulo.

Arns organizou o Projeto Brasil: Nunca Mais desenvolvido ao lado do rabino Henry Sobel, Pastor presbiteriano Jaime Wright e equipe, no qual reuniram informações em 707 processos do Superior Tribunal Militar (STM) revelando a extensão da repressão política no Brasil e sistematizada em um livro.

Dom Paulo era corintiano fanático e escreveu o livro “Corintiano Graças a Deus”.