Arquivos diários: 19 de julho de 2016

Casal que tem 12 filhos com letra ‘R’ festeja chegada do 13º herdeiro na BA

Inspiração para registros de irmãos é em nomes de jogadores da Seleção.
Família mora na zona rural do município de Conceição do Coité.

O casal do município de Conceição do Coité, distante 211 quilômetros de Salvador, conhecido por ter 12 filhos homens com os nomes iniciados pela letra “R”, teve mais um menino no início do mês de julho deste ano. Continue lendo Casal que tem 12 filhos com letra ‘R’ festeja chegada do 13º herdeiro na BA

Em Vitória da Conquista, advogados pedem valorização da Justiça do Trabalho

Na manhã desta terça-feira (19), advogados e entidades ligadas ao Poder Judiciário ocuparam o prédio do Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região, em Vitória da Conquista, pela valorização da Justiça do Trabalho.

A ação, que vem acontecendo em várias cidades do Brasil, tem como objetivo chamar a atenção da sociedade para o problema dos cortes no orçamento da Justiça do Trabalho.

A ação promovida pela Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (ANAMATRA), em que STF julgou improcedente, confere constitucionalidade aos cortes na casa de 90% nas despesas em investimento e de 30% em despesas de custeio.

De acordo com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB – subseção de Vitória da Conquista), os cortes orçamentários podem resultar em prejuízo à prestação jurisdicional.

Gados

“Atualmente, mesmo com todas as limitações, a Justiça do Trabalho se mostra como exemplo de celeridade e eficiência. A OAB compreende que tal diminuição de recurso foi inconstitucional, pois afrontou o princípio da divisão funcional do poder, já que tratou de forma discriminatória a Justiça do Trabalho face aos demais órgãos julgadores”, aponta a entidade.

Trabalhadores estão insatisfeitos com a alimentação servida pela Magnesita em Brumado

A implantação do sistema de alimentação nas áreas industriais da Magnesita foi uma luta dos trabalhadores que durou décadas. Somente em 2002, o Sindicato dos Mineradores de Brumado e Microrregião conseguiu convencer a empresa a implantar o sistema de alimentação balanceada.

Esta é considerada uma das mais importantes conquistas da categoria. Nos dias atuais, a qualidade da comida servida não é aprovada pelos trabalhadores e a insatisfação é generalizada.

Em todas as reuniões do sindicato com a empresa, a questão faz parte da pauta, porém até o momento a empresa não resolveu o problema. Segundo os funcionários e os diretores do sindicato, a empresa Libràs, que é contratada para servir a alimentação, não tem cumprido o contrato em vários itens, inclusive na cozinha onde os alimentos são preparados a higienização é duvidosa.

De acordo com o presidente do Sindmine, José Santana de Andrade, pelo contrato, a Libràs é obrigada a servir duas opções de carne, o que não tem sido cumprido. Para ele, a qualidade da comida é muito ruim, o feijão e o arroz são de terceira categoria e a empresa serve salsicha, almôndega e hambúrguer como uma das opções de carne.

“É subestimar a inteligência dos trabalhadores, inclusive muitos deles estão trazendo a própria comida de casa”, disse Andrade. O presidente espera que a Magnesita resolva a situação o mais rápido possível, pois, caso isso não aconteça, o sindicato tomará as medidas que o caso requer.

Líder de grupo que aplicava golpes contra bancos é preso em Conquista

Nesta terça-feira (19), a Polícia Federal deflagrou a operação “Ali Babá”, prendendo 23 suspeitos de integrar uma organização criminosa que aplicava golpes na Caixa Econômica Federal e em outras instituições financeiras na Bahia. O líder da organização foi preso em Vitória da Conquista, juntamente com a esposa.

De acordo com a investigação, a organização criminosa operava desde 2006, atuando através da constituição de empresas irregulares, em nome de “laranjas”, com as quais eram obtidos empréstimos com valores altos, junto a diversas agências de vários bancos. Os créditos não eram restituídos. Ainda segundo a PF, um único prejuízo causado pelo grupo aos bancos, em 2013, foi no valor de R$ 10,5 milhões, mas o prejuízo pode ser maior, porque a organização continuou em atuação.

A Polícia Federal informou ainda que o esquema também contava com pessoas especializadas no fornecimento de documentos falsos, que facilitavam a constituição das empresas e a obtenção dos empréstimos fraudulentos. A polícia identificou 19 empresas envolvidas no esquema, mas suspeita que o número de envolvidos seja muito maior. A Caixa Econômica Federal e os bancos Itaú, Santander, Bradesco e Banco do Brasil foram alvo da ação dos criminosos.

Além do líder da organização e sua esposa, a PF prendeu sócios “laranjas” e duas pessoas que atuavam como contadores do grupo. Todos deverão responder por organização criminosa e estelionato, crimes previstos, respectivamente, nos artigos 2º da Lei 12.850/2013 e 171 do Código Penal.

Segundo o delegado, a polícia ainda investiga a participação de outras pessoas que produziram documentos falsos para viabilizar o golpe.
As ações da operação, além de Vitória da Conquista, foram realizadas nas cidades de Salvador, Feira de Santana, Seabra, Palmeiras, Monte Santo, Presidente Tancredo Neves e Remanso.

WhatsApp é bloqueado mais uma vez pela Justiça; saiba mais

A Justiça do Rio de Janeiro decidiu que o aplicativo WhatsApp será bloqueado mais uma vez em todo o território nacional. A notícia foi dada através do jornal Globo News há poucos instantes nesta terça-feira (19). De acordo com a reportagem acima, as empresas de telefonia já foram notificadas, o que aconteceu depois que o Facebook – atual dono do aplicativo de mensagens – se recusou a cumprir a decisão judicial para fornecer informações para uma investigação policial.

De acordo com a decisão, o bloqueio do WhatsApp deve acontecer imediatamente. Contudo, fontes ligadas às operadoras informaram ao O Globo que as empresas de telecomunicação fizeram uma espécie de acordo para começar a interromper o funcionamento do mensageiro às 14h de hoje. Até às 15h, o bloqueio deve estar completamente realizado.

A autora da decisão é a juíza Daniela Barbosa, que notificou as operadoras de telefonia por volta das 11h30 desta terça-feira. Por conta das dificuldades técnicas envolvidas no processo, pode ser que demore algumas horas para que o acesso ao aplicativo seja realmente bloqueado, o que deve acontecer em breve. De acordo com a reportagem do G1, o Facebook informou que não vai se manifestar e a assessoria do WhatsApp disse que ainda não tem uma posição oficial da decisão.

Segundo Barbosa, o Facebook foi notificado três vezes a pedido da Justiça para interceptar mensagens que seriam usadas em uma investigação policial em Caxias, na Baixada Fluminense. O WhatsApp diz que não cumpriu a ordem judicial por “impossibilidades técnicas” uma vez que não copia ou arquiva as mensagens compartilhadas pelos usuários.

“Investigação policial. O WhatsApp diz que não cumpriu a ordem judicial por ‘impossibilidades técnicas’ uma vez que não copia ou arquiva as mensagens compartilhadas pelos usuários”.

 Ainda segundo a juíza, esse tipo de postura prejudica o andamento das investigações e possibilita aos criminosos o uso de um ecossistema “protegido” da ação policial. Isso acaba resultando em um prejuízo para a segurança da população, que pode se sentir ameaçada por causa da ação dos criminosos. Além do bloqueio, Daniela Barbora estipulou uma multa de R$ 50 mil por dia até que o Facebook atenda à ordem judicial.

A juíza ainda disse que a empresa respondeu por email em inglês “como se esta fosse a língua oficial deste país”, demonstrando descontentamento com a postura do Facebook. O Sindicato das Operadoras de Telecomunicações (Sinditelebrasil) já informou que ainda não foi notificado sobre o caso, e as operadoras só souberam do bloqueio através da imprensa, sem um posicionamento oficial.

Passado recente
Não é a primeira vez que o aplicativo é impedido de funcionar aqui no Brasil. No final do ano passado, o WhatsApp foi bloqueado por conta de uma decisão da Justiça de São Paulo e permaneceu assim por cerca de 12 horas por decisão do Tribunal de Justiça do estado. Essa, na verdade, é a quarta vez que o app de mensagens mais popular aqui no Brasil é impedido de funcionar. Fique ligado, pois atualizaremos esta notícia com mais informações em breve.

Alternativas
Enquanto o aplicativo estiver fora do ar, é possível recorrer a outros aplicativos que fazem o mesmo que o mensageiro. O TecMundo já listou 10 alternativas para substituir o WhatsApp.