Arquivos diários: 30 de junho de 2016

Justiça bloqueia R$ 19,5 milhões do WhatsApp

Whatsapp-83A Justiça Federal em Londrina, no Paraná, mandou bloquear R$ 19,5 milhões das contas do WhatsApp por ter descumprido uma decisão judicial de liberar mensagens trocadas por traficantes investigados pela Polícia Federal.

Esse é um desdobramento da Operação Quijarro, que prendeu uma organização criminosa especializada no tráfico internacional de drogas. A determinação só bloqueou as contas do WhatsApp, mas não suspendeu o serviço.

O valor se refere a multas acumuladas durante os últimos cinco meses. A operação Quijarro foi deflagrada no Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

O delegado Elvis Secco, responsável pela operação, considerou que o WhatsApp atrapalhou as investigações ao não repassar mensagens trocadas pelos traficantes no aplicativo. Para Secco, se a determinação tivesse sido cumprida, o resultado da operação teria sido diferente.

Vem Pra Rua planeja ato de apoio à Lava-Jato em SP

MovimentoO Movimento Vem Pra Rua anuncia que fará neste próximo sábado (2/07), às 11 horas, um ato de apoio à operação Lava-Jato, com faixas, cartazes e buzinaço.

A ação acontecerá na Avenida Paulista, em frente ao prédio da Justiça Federal. O movimento ficará concentrado apenas em São Paulo. Não existe no noticiário nenhuma manifestação em outras capitais ou mesmo em cidades do Brasil.

A opinião púbica tem respaldado as ações da Lava Jato. O juiz Sergio Moro está fortalecido, e as instituições brasileiras aos poucos estão retomando a credibilidade nacional em função também das manifestações do povo brasileiro cansado de tanta desordem e corrupção dos governos.

Sábado, 2 de Julho, é feriado na Bahia e em Conquista, informa a CDL

Feriado-2-de-julhoNo site da CDL de Vitória da Conquista está postado um lembrete: Conforme o Art.6, § 3º da Constituição do Estado da Bahia, 2 de Julho, sábado, é feriado em todo território estadual, em comemoração a Independência da Bahia.

“O Dois de Julho, data magna da Bahia e da consolidação da Independência do Brasil, é feriado em todo o território do Estado.”

No passado o feriado de 2 de julho, a mais importante data da história do Brasil, segundo historiadores a Independência do Brasil só foi possível graças a independência da Bahia que teve um papel fundamental.

um trecho do historiador baiano Luís Henrique Dias Tavares, no seu livro “Independência do Brasil na Bahia” relata que “Em 2 de julho de 1823 a única coisa que a Bahia tem é justamente o 2 de julho de 1823.

Naquele quadro, que na época não se pode chamar de nacional brasileiro, pois o Brasil verdadeiramente não existe ainda, o Brasil é uma demorada e castigada construção dos brasileiros, a Bahia está sem nada.

E é daí que os baianos orgulhosamente construíram o 2 de julho de 1823 como uma data da independência, que era da Bahia, mas que era também, e muito, do Brasil”.

Começam nesta quinta (30) as restrições do período pré-eleitoral

Eleições-2016-300x223As eleições municipais ocorrerão no dia 2 de outubro, mas para os candidatos a cargos de prefeito e vereador, algumas restrições já passam a valer no período pré-eleitoral. A partir desta quinta (30), por exemplo, aqueles que trabalham na televisão ou rádio têm de se afastar de suas funções, e programas que levem seus nomes não poderão ser exibidos.

Já a partir desta sexta (1º), os servidores que ocupam cargos junto às prefeituras e são pré-candidatos nas eleições precisam se desincompatibilizar. Aqueles que são servidores efetivos continuam com remuneração mensal e aqueles que ocupam cargos comissionados ou de confiança devem ser exonerados. A partir desta data, também fica proibida a veiculação de propaganda partidária gratuita ou propaganda política paga em TV e Rádio.

Já no dia 2, próximo sábado, fica proibida a veiculação de propagandas e publicidade institucional dos atos do município, além de alterações no quadro de servidores, como nomeação, exoneração, e transferência de funcionários.

Os pré-candidatos que descumprirem as restrições podem ser multados em até R$ 25 mil e perder o registro de candidatura. Os delitos podem ser enquadrados como abuso de poder econômico e político e uso da máquina pública em sua campanha, sob risco de ainda perder o mandato, caso seja eleito, e ficar inelegível por oito anos.